Wellington também destaca o abandono do Governo Dino com a PC

por Jorge Aragão

Descaso: é com essa palavra que podemos resumir o tratamento que o governador Flávio Dino tem dado à Polícia Civil do Estado do Maranhão. Como se não bastasse à falta de estrutura, baixo efetivo e péssimas condições de trabalho, o Maranhão ainda foi destaque em nível nacional nos noticiários devido às condições das Delegacias de Polícia na capital e no interior do Estado.

Há uma série de ilegalidades dentro do Sistema de Segurança Pública, a começar pela custódia ilegal de presos, situação rotineira, que prejudica consideravelmente o trabalho das investigações em curso. Além disso, as condições das Delegacias são totalmente insalubres e sem nenhuma segurança, como podemos acompanhar nos meios de comunicação, exibindo verdadeiras “jaulas” para custodiar presos, tratamento desumano e além disso tem gerado um risco iminente de fuga e danos a coletividade e integridade física da categoria de Policiais Civis e Agentes Penitenciários.

“Dezenas de Municipios maranhenses sequer possuem delegacias e delegados, dificultando o trabalho da polícia judiciária na elucidação de crimes, serviços como registros de boletins de ocorrências, não podem ser realizados devido à falta de profissionais e delegacias. As delegacias que existem no interior do Estado, geralmente ocupam prédios sem nenhuma estrutura, cedidos pelas prefeituras, ou mesmo, prédios alugados. Também não há viaturas suficientes, valorização profissional e ainda contamos com um dos piores efetivos do país”, desabafou um delegado.

Situações como a “jaula” em Barra do Corda e o despejo na Delegacia de Peritoró são comuns e rotineiras em todo o Estado.

“O Governo do Estado ilude a população Maranhense com propagandas para mascarar a real situação da Segurança Pública, pois não há investimento eficiente na área. Não adianta tentar enganar a população com marketing, a realidade do Maranhão é bem diferente do que é mostrado pelo Governo. Podemos constatar a indignação dos Policiais Civis espalhadas pela capital e não podemos admitir que uma instituição tão importante como essa se encontre nessa situação de caos e abandono. É preciso que haja uma reestruturação imediata na Polícia Civil, tanto nas condições de trabalho, quanto no número de profissionais que integram esta classe. O concurso para a área e a melhoria nas condições de trabalho é urgente. Assim como os policiais civis questionam em uma campanha publicitária: estamos do mesmo lado, o lado da população. E o governo do Estado, de que lado está?”, finalizou Wellington.

André Fufuca assegura permanência de Wellington do Curso no PP

por Jorge Aragão

Mais uma vez o deputado federal André Fufuca, presidente do PP no Maranhão, surpreende muita gente por uma decisão tomada com maturidade, apesar da pouca idade.

Todos imaginavam, principalmente os comunistas, que o partido iria convidar o deputado estadual Wellington do Curso (PP) – parlamentar que faz Oposição ao Governo Flávio Dino na Assembleia – a se retirar da legenda ou a mudar sua postura, após o desembarque do PP na gestão comunista.

Entretanto, André Fufuca foi taxativo, em entrevista ao Estado, em afirmar que o PP é um partido democrático e que compreende o posicionamento adotado pelo colega Wellington do Curso, ou seja, dando uma espécie de aval para que o parlamentar siga desempenhando seu bom trabalho na Assembleia.

“O partido é democrático, há várias correntes com ideologias e pensamentos diferentes. Respeitamos o pensamento de todos”, disse Fufuca ao comentar a chegada do PP no Governo Flávio Dino ao jornal O Estado.

O Blog também conversou com o deputado Wellington do Curso, que assegurou não ter recebido nenhuma orientação do PP sobre seu posicionamento na Assembleia. O parlamentar não comentou se mudará sua postura, após o seu partido assumir a Secretaria de Esporte do Maranhão, através do secretario Hewerton Carlos Rodrigues Pereira. Entretanto, Wellington deixou claro que seu compromisso principal é com o povo do Maranhão.

“Estou muito satisfeito no PP e a ideia é continuar na legenda, mas todos sabem, sempre deixei isso bem claro, meu compromisso principal é com a população do Maranhão e assim seguirei em frente”, afirmou Wellington.

É aguardar e conferir.

A delicada situação de Wellington do Curso no PP

por Jorge Aragão

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) está em situação delicada no seu partido e isso ficou bem claro após as palavras do Líder do Governo Flávio Dino (PCdoB), Rogério Cafeteira (PSB), na Tribuna da Assembleia Legislativa.

Cafeteira repercutiu a troca de secretários na SEDEL (Secretaria de Esporte e Lazer), onde, conforme o Blog antecipou (reveja), saiu o petista Márcio Jardim e entrou Hewerton Carlos Rodrigues Pereira (PP). A indicação de Hewerton Rodrigues Pereira é do presidente do PP no Maranhão, o deputado federal André Fufuca.

Por conta dessa indicação, Rogério Cafeteira aproveitou para alfinetar Wellington do Curso, que tem tido um papel importante junto aos demais deputados que fazem Oposição ao Governo Flávio Dino.

“É com muita satisfação que vejo o PP, do meu amigo deputado Wellington do Curso, serrando fileiras junto ao Governo do Estado e dando sua contribuição para que a gente possa realmente efetivar as mudanças que o Maranhão necessita. Tenho certeza que o deputado Wellington não vai fugir a esse combate e vai estar ao nosso lado trabalhando pelo bem do Maranhão”, afirmou.

O Líder do Governo foi mais além e já pediu que o PP, cujo Wellington é o único representante da legenda na Assembleia Legislativa, integre o Blocão do Governo no parlamento estadual.

“Quero já solicitar que a Mesa Diretora, se é possível ainda neste semestre, inclua o PP no nosso Blocão, já que agora faz parte do Governo Flávio Dino e faz parte da nossa administração. Deputado Wellington, seja muito bem-vindo, é uma alegria muito grande lhe receber”, ironizou Cafeteira.

Pela postura que tem sido adotada por Wellington do Curso na Assembleia e pela sua coerência política, não é errado afirmar que Wellington está de malas prontas para uma outra legenda.

Wellington reafirma a falta de transparência no Governo Flávio Dino

por Jorge Aragão

Falta de transparência, ausência de informações e omissão por parte do Governo do Maranhão. Foi assim que o deputado Wellington do Curso (PP) classificou o posicionamento do Governo do Estado ao ter o Requerimento nº 728/2017 indeferido pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa.

O veto foi a uma solicitação ao Governo do Estado para encaminhamento de relatórios completos referentes à cobertura de serviços de Saneamento básico em todos os municípios do Estado, sob responsabilidade da CAEMA.

O deputado Wellington não concordou com o indeferimento e solicitou a apreciação pelo plenário. A maioria dos deputados, ligada ao Governador, negou um simples pedido de informações.

“Não há razão para negar um simples pedido de informação. Se não há nada a esconder, por que o Governo do Estado veta um simples pedido de informação, por meio dos deputados que com compõem a sua base de governo? Cadê a transparência do Governador Flávio Dino? Também está só na propaganda? Qual a dificuldade em encaminhar o relatório referente aos serviços de saneamento básico dos municípios do Estado? É inadmissível que não haja o fornecimento de informações acerca dos serviços públicos, que é uma causa de interesse público. Por que não cumprem a Lei de Acesso à Informação?”, questionou Wellington.

Recentemente, o deputado Wellington visitou a Estação de Tratamento de Esgoto do Vinhais para inspeção, após receber várias denúncias de irregularidades. Além disso, esteve na cidade de Imperatriz, onde realizou audiência pública e constatou o despejo direto do esgoto “in natura” no Rio Tocantins.

“Quem pede a informação não sou eu, mas sim a população que não entende o que acontece no Maranhão. Sim, não entende porque na propaganda há o tratamento de esgoto; já na realidade, o que se vê é esgoto sendo despejado sem tratamento algum. Governador, não ignore a população. Quem quer uma justificativa não é apenas eu, mas sim os cidadãos maranhenses. Somos fiscais da aplicação do dinheiro público e das ações do executivo”, concluiu o deputado Wellington.

Essa não é a primeira vez em que o Governo do Maranhão age sem transparência por meio dos deputados aliados na Assembleia. Vários pedidos de informações do deputado Wellington já foram negados pela base governista, a exemplo do requerimento em que solicitava as fichas dos inscritos no “seletivo camarada” que ocorreu em Carolina; os gastos com o Hospital de Traumatologia e, o número total de viaturas adquiridas e respectivo destino. Ainda, negaram as informações sobre o valor gasto com a “possível reforma” em cada “Escola Digna”. Embora sejam simples pedidos de informação, todos foram indeferidos pelos deputados estaduais que compõem a Base do Governo Flávio Dino. Fica o questionamento: se não há nada a esconder, por que vetar a concessão de informações?

A resposta o próprio deputado já deu, ou seja, o Governo Flávio Dino, que até tem uma Secretaria de Transparência, não é um governo transparente.

In loco: Wellington denuncia qualidade do Mais Asfalto em Carolina

por Jorge Aragão


 
Alfalto de péssima qualidade e aplicação de forma irresponsável dos recursos públicos. Foi assim que o deputado estadual Wellington do Curso (PP) classificou a conduta do Governo do Estado. O posicionamento foi feito após Wellington receber inúmeras denúncias, especificamente, de moradores do município de Carolina.

“Eles colocaram esse asfalto outro dia. Agora, já estão tirando. Por que não fizeram o serviço bem feito ao invés de gastar nosso dinheiro assim? Eu logo vi: um asfalto fininho, sem espessura nenhuma. Agora, a gente fica aqui na poeira. É muita falta de vergonha na cara”, desabafou o Sr.José, morador de Carolina.

Sobre a situação, o deputado Wellington disse aguardar uma resposta a sua denúncia por parte dos órgãos federais, já que os recursos aplicados são também federais.

“Não é porque um serviço é dito público que ele pode ser feito de qualquer forma, sem qualquer tipo de qualidade. Recebemos denúncias em relação ao asfalto que foi colocado em Carolina e, agora, já está sendo raspado. Colocaram o asfalto e agora estão tirando. Não somos contra a recuperação asfáltica. Ao contrário, o Programa ‘Mais Asfalto’ é uma ideia boa, algo que faria a diferença na vida das pessoas caso fosse feito com seriedade e com responsabilidade. Infelizmente, o que a população encontra é algo de péssima qualidade. Já solicitamos que o TCU, CGU e BNDES se posicionem em relação à aplicação desses recursos federais. Contamos com o mínimo de bom senso do Governador para que tenha respeito com a população de Carolina e, então, arque com uma pavimentação asfáltica de verdade e não apenas para fotos”, disse Wellington.

A denúncia do deputado Wellington foi formalizada na semana passada, em Brasília, junto ao BNDES, e no Maranhão, no TCU, CGU e MPU.

E tome reclamações contra o Edital do concurso da Polícia Militar

por Jorge Aragão

E as reclamações não param com relação ao Edital lançado pelo Governo Flávio Dino para o concurso da Polícia Militar.

Depois da revelação absurda que a empresa que organizará o concurso público para a Polícia Militar do Maranhão foi contratada com dispensa de licitação, e a reclamação do Conselho Regional de Veterinária e da OAB, que entendem que as mulheres estão sendo discriminadas no concurso para o cargo de médico veterinário, foi a vez do deputado estadual Wellington do Curso destacar mais um absurdo do edital.

Na manhã desta quinta-feira (05), o deputado estadual Wellington do Curso (PP) se posicionou em defesa da população de Imperatriz e de outros municípios do Maranhão. O posicionamento foi feito em defesa dos que desejam realizar as provas do concurso da Polícia Militar. A solicitação é para que haja a descentralização dos polos para aplicação das provas e realização das demais etapas do concurso, já que, pelo Edital, até o presente momento, somente São Luís seria ponto de aplicação.

Ao se pronunciar, Wellington mencionou as solicitações de moradores de vários municípios, que serão prejudicados caso a aplicação de provas seja apenas em São Luís, a exemplo das mais de 100 solicitações oriundas de Imperatriz tanto de sub judice quanto de candidatos que ainda farão o concurso.

“Recebemos solicitações de homens e mulheres que sonham em ingressar nos quadros da Polícia Militar do Maranhão, mas que serão prejudicados caso apenas São Luís seja ponto de aplicação de provas e demais etapas do concurso. O candidato terá que sair de sua cidade, fazer a prova, depois o teste físico, o curso de formação e, durante todo esse período, arcará com suas despesas com alimentação, estadia, passagens, entre outros. Há casos em que o candidato precisa fazer rifa para se manter. Há outros em que o candidato até desiste por não possuir condições financeiras. Sabendo disso, apresentamos indicação, solicitando que o governador descentralize a ampliação de vagas e, então, coloque a cidade de Imperatriz e outros municípios como polos das provas”, afirmou o professor e deputado Wellington.

A solicitação do deputado Wellington foi encaminhada ao governador Flávio Dino e ao secretário de Estado de Gestão e Previdência, solicitando, em caráter de urgência, que modifiquem o edital da PM e incluam a cidade de Imperatriz e outros municípios como polos.

Pelo visto, o tão aguardado concurso da Polícia Militar no Maranhão já começa a polemizar antes mesmo da sua realização, afinal os erros grosseiros do Edital são muitos e cada dia aumentando.

“Câncer de mama não se combate com propaganda”, diz Wellington

por Jorge Aragão

O Maranhão, segundo reportagem do Bom Dia Brasil desta quarta-feira (04), ocupa a 24ª posição de 27 estados em oferta de mamógrafos nos hospitais públicos. Foi essa triste realidade que o deputado Wellington do Curso (PP) destacou na tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão. Para o deputado, ao invés de investir em ações midiáticas, o Governo Flávio Dino deveria era investir na atenção à saúde da mulher.

“Em 2016, o governador investiu mais de R$ 43 milhões na Secretaria de Comunicação e Propaganda. Em 2017, o investimento já chega a quase R$ 68 milhões, sendo que ainda estamos no mês de outubro. Já na atenção à saúde da Mulher, o Governo Flávio Dino destinou, apenas, R$500 mil. Ou seja: fazer propaganda, campanhas com laços cor de rosa, banner’s, ações midiáticas, para o governador, é mais importante que prevenir de fato o câncer de mama. O câncer de mama não se combate com propaganda. Se ao menos as propagandas fossem educativas, até entenderíamos, mas estamos diante de propagandas do governo, sobre o Executivo, que em nada previnem o câncer”, disse Wellington.

Ao final, o deputado Wellington encaminhou indicação ao governador do Maranhão, cobrando a aquisição de mamógrafos para rede pública de saúde. Além disso, o parlamentar, que destinou R$ 1.200.000,00 para a saúde enfatizou que os valores de suas emendas parlamentares dependem tão somente do Governo Flávio Dino para que sejam liberados e, então investidos na saúde do Maranhão.

Wellington pede auditoria do TCU e CGU em obras do Governo Dino

por Jorge Aragão

Gastos públicos exagerados e péssima qualidade de obras e serviços. Foram esses os pontos elencados pelo deputado estadual Wellington do Curso (PP) ao solicitar auditoria operacional por parte do Tribunal de Contas da União e Controladoria Geral da União e denunciar os fatos ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A solicitação remete às inúmeras denúncias que o deputado Wellington recebeu quanto à malversação de recursos públicos federais, oriundos do BNDES, por parte do Governo do Estado ao realizar alguns programas, entre eles o “Mais Asfalto”.

Ao justificar a solicitação, Wellington disse que não é porque um serviço ou obra são públicos que se pode fazer “de qualquer forma”.

“É preciso que se compreenda que não é porque um serviço é dito público que ele pode ser feito de qualquer forma, sem qualquer tipo de qualidade. Não, isso não pode acontecer! Estamos falando de aplicação de recursos públicos federais. Recebemos denúncias de obras entregues pelo Governo do Estado e que, em menos de 20 dias, em virtude da péssima qualidade dos serviços, já estão em fase de destruição. Como exemplos há a Ponte do Balandro, em Bequimão, que foi inaugurada há menos de um mês e já tem buracos e rachaduras no asfalto. Há também várias denúncias em relação ao asfalto que tem sido empregado. Não somos contra a recuperação asfáltica. Ao contrário, o Programa ‘Mais Asfalto’ é uma ideia boa, algo que faria a diferença na vida das pessoas caso fosse feito com seriedade e com responsabilidade. Infelizmente, o que a população encontra é algo de péssima qualidade. Isso pode ser comprovado em Arari, quando menos de 20 dias após a entrega da pavimentação, já era possível comprovar a péssima qualidade do asfalto. São recursos federais e, por isso, solicitamos ao TCU e à CGU que façam a auditoria operacional para verificar os gastos públicos do Governo Flávio Dino”, disse Wellington.

O conteúdo da denúncia foi também protocolado pelo deputado Wellington (PP) e encaminhado à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal para que adotem as devidas providências.

Seletivo camarada: quem não deve, não teme

por Jorge Aragão

Na tarde desta segunda-feira (02), o Requerimento Nº717/2017, de autoria do deputado Wellington do Curso (PP), foi indeferido por parte do Governo do Estado.

Os aliados, ao evidenciarem que o Governo Flávio Dino não age com transparência, vetaram um simples pedido de informações. O requerimento seria encaminhado ao secretário de Estado de Administração Penitenciária, solicitando que encaminhasse lista contendo as fichas de inscrições de todos os candidatos convocados no 1º Edital de convocação do Processo Seletivo Simplificado sob Nº 86/2017.

O requerimento do deputado Wellington foi feito após receber inúmeras denúncias quanto ao seletivo em que até mesmo uma igreja evangélica saiu na lista dos convocados.

“Se não há nada a esconder, por que o Governo do Estado veta um simples pedido de informação? Qual a dificuldade em encaminhar as fichas de inscrições de todos os candidatos? Isso é uma exigência formal. Não é? Por que não conceder essas informações básicas? Recebemos as denúncias de que até mesmo uma igreja evangélica apareceu na lista de convocados. Um verdadeiro absurdo. Há o ditado popular que afirma que ‘quem não deve não teme’. Por que o Governo nega um simples pedido de informação? Estamos mesmo diante de um seletivo camarada?”, questionou Wellington.

Sendo assim, a decisão nos faz remeter a um antigo adágio popular: quem não deve, não teme.

Wellington denuncia no MPF e na PF qualidade da obras do Governo Dino

por Jorge Aragão

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) encaminhou ofício, nesta quinta-feira (28) ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal do Maranhão. A denúncia formalizada pelo deputado é de vários maranhenses que estão indignados com os “serviços” prestados pelo Governo do Maranhão e foi protocolada no âmbito federal por se tratar de recursos com origem junto ao BNDES, também federais.

Trata-se de obras entregues e que, em menos de 20 dias, em virtude da péssima qualidade dos serviços, já estão em fase de destruição. Como exemplos há a Ponte do Balandro, em Bequimão, que foi inaugurada há menos de um mês e já tem buracos e rachaduras no asfalto.

“Já fizemos várias denúncias. Nós moradores, percorremos a estrutura a pé para confirmar a má qualidade das obras e sempre saimos dos local com certeza de que somos vítimas de uma enrolação e de uma propaganda enganosa. Em alguns pontos, o piso afunda ao ser pressionado por um dos pés. É possível também arrancar com os dedos lascas do asfalto sem qualidade. Imagine quando começar a chover. Estão pensando que nós somos bestas. Tenho certeza que isso não é barato e quem vai pagar somos nós, a população”, denunciou o senhor Raimundo, de Carolina, no sul do Maranhão.

Ao fundamentar a denúncia, o deputado Wellington deixou claro não ser contra a pavimentação asfáltica e exigiu a qualidade nos serviços feitos.

“Não somos contra a recuperação asfáltica. Ao contrário, o Programa ‘Mais Asfalto’ é uma ideia boa, algo que faria a diferença na vida das pessoas caso fosse feito com seriedade e com responsabilidade. Infelizmente, o que a população encontra é algo de péssima qualidade. Isso pode ser comprovado em Arari, quando menos de 20 dias após a entrega da pavimentação, já era possível comprovar a péssima qualidade do asfalto. O mesmo ocorreu em Carolina, em trechos das avenidas Elis Barros, Frederico Martins e Avenida Brasil. É dinheiro público jogado fora em um asfalto de péssima qualidade evidenciado tanto na capital como no interior do Estado. Algo tem que ser feito diante disso. Não é porque o serviço é público que pode ser feito de qualquer forma. Alguém precisa ser responsabilizado por esse crime”, pontuou o deputado Wellington.

Além das denúncias quanto à péssima qualidade do asfalto, o deputado Wellington ainda apresentou o absurdo que é se ter dois postes no meio da rodovia MA-272 entre Barra do Corda e Fernando Falcão, o que mostra o verdadeiro desperdiço dos recursos públicos aplicados sem qualquer tipo de qualidade, sem controle e sem fiscalização, já que asfaltaram a rodovia mesmo com os postes como empecilhos, transformando-se em chacota nacional.