“Timon Junino é alvo de perseguição política”, diz Alexandre Almeida

por Jorge Aragão

O deputado estadual Alexandre Almeida (PSD) reuniu na noite desta sexta-feira, 30, representantes culturais timonenses e correligionários para esclarecer a todos sobre a situação do Timon Junino 2017, que ainda não obteve aprovação do Governo do Estado do Maranhão para a sua realização. Alexandre contou que o projeto foi protocolado ainda no mês de abril na secretaria de Estado da Cultura, mas que até o presente momento o governo não se posicionou sobre a aprovação do mesmo.

O parlamentar destacou que todas as edições anteriores do Timon Junino tiveram seus projetos e prestações de contas aprovadas e que não existe nada pendente, por isso ele afirma que entende a não aprovação do projeto deste ano como perseguição política. “Só podemos concluir uma coisa, o governador junto com seu grupo político aqui em Timon, por questões políticas, tomou a decisão de não aprovar um projeto importante para a cidade de Timon, que é o Timon Junino” pontuou.

Socorro Coutinho, representante do Boi Mimo de São Jorge, conta que foi o Timon Junino que teve a missão de resgatar a cultura timonense, quando surgir quatro anos atrás, e que a sua não realização este ano prejudica não só os grupos de Bumba Boi e Quadrilhas Juninas, como também a economia local. “Muitos grupos deixaram de sair este ano por que estavam esperando o Timon Junino acontecer, com isso eles não foram ao comércio comprar o material para fazer as roupas e também muitas pessoas que vendem comidas e bebidas perderam aquela renda extra que tinham com o Timon Junino”, afirmou.

O vereador Anderson Pego (PRB), que também esteve presente, informou que há outros dois projetos apresentados pelo deputado Alexandre Almeida, Copa Timon de Beach Soccer e Campeonato Rural, que já foram aprovados, mas que aguardam a mais de um ano apenas a assinatura do secretário para serem realizados. “Isso mostra que a única dificuldade colocada pelo governo para não aprovar este projeto é apenas a questão política”, destacou o vereador.

Alexandre Almeida disse que ainda tem esperança de que o projeto seja aprovado e que a cultura de Timon não seja colocada em segundo plano pelo Governo do Estado, apenas por questões políticas. “Ainda aguardamos uma resposta de um governo que se diz de todos os maranhenses, de todos os timonenses. Timon e a cultura timonense exigem respeito e aguardam a realização do Timon Junino 2017”, concluiu.

Alexandre Almeida denuncia falta de segurança em escolas de Timon

por Jorge Aragão

Em pronunciamento feito na sessão legislativa desta terça-feira (7), o deputado Alexandre Almeida (PSD) cobrou segurança para as escolas públicas de Timon.

A fala do deputado foi motivada por um apelo feito pela presidente do Grêmio Estudantil do Colégio Aluízio Azevedo. Em nota pública, a estudante denunciou o furto dos ventiladores e de todas as lâmpadas das salas de aula da escola, ocorrido durante o período de carnaval. Ainda segundo a nota, o furto aconteceu pela falta de vigilantes. Diante da situação, os estudantes decidiram paralisar as aulas até que a Secretaria de Estado da Educação faça a reposição dos itens furtados e designe vigilantes para garantir a segurança no local.

“Esse apelo reflete a situação precária vivida por estudantes e professores das nossas escolas públicas, a realidade é triste, professores sem condições mínimas de dar aula e, consequentemente, alunos sem condições de aprender”, ressaltou Alexandre Almeida.

Durante o pronunciamento, o deputado fez questão de mostrar em plenário a foto da entrada do colégio Aluízio de Azevedo, aonde foi fixada uma faixa com o apelo: “Senhor ladrão, não roube nossa escola. Queremos estudar”. “É uma faixa que retrata a tristeza, a indignação de jovens que querem um futuro melhor, mas estão tendo o seu direito frustrado porque a Secretaria de Educação não está tendo condições de garantir segurança nas unidades escolares do estado do Maranhão”, enfatizou Almeida.

Finalizando o seu pronunciamento, Alexandre Almeida disse: “Eu queria hoje estar aqui nesta tribuna comemorando, agradecendo ao Governador pela mudança que ele podia ter feito, queria estar aqui agradecendo os avanços na educação que o Governador podia ter feito. E o tempo do verbo é podia, pois, infelizmente, o tempo está passando. Três anos é exatamente o tempo que o atual Governador está conduzindo os destinos do nosso Estado. E a realidade que nós vemos é um governo que não tem competência de garantir segurança para os estudantes timonenses e, seguramente, em muitos outros municípios deste Estado também. Não é assim que o Maranhão será de todos nós. Não é essa a mudança que o Maranhão tanto acreditou”.

Alexandre Almeida quer nova ponte entre Timon e Teresina

por Jorge Aragão

Na quinta-feira (09), o deputado estadual Alexandre Almeida (PSD) reuniu-se, em Brasília com o senador Roberto Rocha (PSB). Na oportunidade, Almeida apresentou reivindicação dos moradores de Timon e dos municípios que compõem a Região Leste maranhense.

“O pleito que trazemos refere-se à necessidade da construção de uma quarta ponte sobre o Rio Parnaíba, interligando o município de Timon a Teresina”, informou o deputado.

Segundo Almeida, a ligação entre o Maranhão e o Piauí é feita por três pontes, mas devido ao fluxo intenso de veículos entre os dois estados, hoje o trânsito nessas pontes é complicado. “Dependendo do dia e do horário, podemos levar de 30 a 40 minutos para fazer esse trajeto”, explicou.

Durante a reunião, o senador Roberto Rocha informou que acionou a bancada piauiense, e já esteve no Ministério dos Transportes em companhia do senador do Piauí, Elmo Ferrer (PMDB), mostrando a necessidade dessa obra para os dois estados. “De positivo temos que o Ministério dos Transportes está providenciando o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental – EVTEA, que deve ser concluído em maio, e logo após será autorizada a licitação para a contratação do projeto básico e executivo”, disse Alexandre Almeida.

Reeleição de Luciano Leitoa segue sendo investigada

por Jorge Aragão

Em despacho publicado nesta quinta-feira (2), o juiz eleitoral de Timon, Rogério Monteles da Costa, requereu todas as imagens dos sistemas de câmeras das agências do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal de Timon, geradas no período de 19 de agosto e 02 de setembro de 2016.

A solicitação visa apurar denúncias de doações irregulares feitas durante a campanha eleitoral de 2016, em benefício do atual prefeito do município, Luciano Leitoa (PSB).

As suspeitas em relação a campanha de Leitoa surgiram a partir de dados da prestação de contas de campanha apresentadas. No item Receitas da Representação o documento informa que as doações foram feitas em apenas quatro datas, durante o período de greve dos bancos. Mesmo com as agências fechadas, 58 pessoas conseguiram ter acesso para fazer a doação em espécie. Além disso, existem quatro doações de beneficiários do Programa Bolsa Família; doadores sem CPF; doações de pessoas sem capacidade financeira; presença de cheques sem fundos; gastos eleitorais antes da abertura da conta de campanha; quase 1.000 omissões eleitorais, entre outras irregularidades.

A decisão do juiz eleitoral atendeu a representação feita pelos advogados do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), que requerem a condenação dos representados por captação e utilização ilícita de recursos (artigo 30-A da Lei das Eleições), com a consequente cassação dos diplomas e demais efeitos legais.

PMDB de Timon pede a cassação de Luciano Leitoa

por Jorge Aragão

Blog do Ludwig – Volta a esquentar o cenário político em Timon. O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), através do presidente do Diretório de Timon, ex-deputado Sétimo Waquim (foto) e por intermédio dos advogados Eliomar Feitosa, Pedro Marinho e Amanda Waquim acionaram a Justiça na segunda-feira (23) com uma Representação por captação e gastos ilícitos para fins eleitorais contra o prefeito Luciano Leitoa e seu vice, o comunista João Rodolfo.

Segundo a Representação do PMDB, a prestação de contas do candidato eleito Luciano Leitoa e seu respectivo vice têm “diversas ilegalidades perpetradas que as tornam eivadas de vícios insanáveis, em desacordo com a Lei Geral das Eleições”. Acrescenta ainda que “tais condutas aqui narradas caracterizam captação e uso ilícito de recursos, inviabilizando o escorreito exercício da fiscalização sobre as contas de campanha pela Justiça Eleitoral, revelando-se uma prática que deve ser extirpada, uma vez que é ordinariamente utilizada como artifício para obter vantagem econômica com nítido potencial de viciar a vontade popular”.

No item Receitas da Representação existe um fato que chama a atenção. No documento informa que as doações foram praticamente feitas todas em apenas quatro datas, sendo que dentro do período de greve dos bancos 58 pessoas conseguiram ter acesso a agência para fazer a doação em espécie. Além disso, existem quatro doações de beneficiários do Programa Bolsa Família; doadores sem CPF; doações de pessoas sem capacidade financeira; presença de cheque sem fundos; gastos eleitorais antes da abertura da conta de campanha; quase 1.000 omissões eleitorais, o que pode caracterizar caixa dois etc.

Diante dos fatos narrados nas receitas e despesas da prestação de conta do prefeito Luciano Leitoa e do seu vice, João Rodolfo os advogados do PMDB requereram a Justiça a condenação dos representados, por captação e utilização ilícita de recursos (artigo 30-A da Lei das Eleições), com a consequente cassação dos diplomas e demais efeitos legais.

Vereadores eleitos de Timon denunciam manobra para eleição na Câmara

por Jorge Aragão

timon

Vereadores eleitos pelos partidos de oposição em Timon participaram na manhã desta quinta-feira, 29, de uma coletiva de imprensa e denunciaram uma espécie de manobra política na Casa para a exclusão dos membros da oposição do processo eletivo. Participaram da coletiva os vereadores Antunes da Drogaria Macedo (PSD), Francisco Tôrres (PMDB), Socorro Waquim (PMDB), Anderson Pego (PRB), Ramon Júnior (PP) e Adão (PR).

A vereadora Socorro Waquim (PMDB), líder da oposição, afirmou que, em mandato eletivo, não há espaço para uma postura individual. “Nós sempre buscamos o diálogo, mas em conversa com o presidente atual da Câmara, para a nossa surpresa, nos foi informado que eles já estavam com uma chapa fechada e que não caberia mais espaços para a oposição. Porém, à luz do regimento interno garante que é assegurada a representação proporcional dos partidos que formam a Casa. Desta forma, estamos tomando essa posição coletiva para defender o trabalho dos vereadores da oposição”.

O vereador Anderson Pego disse que o único intuito da oposição no parlamento é trabalhar. Ele afirmou ainda que a oposição está aberta ao diálogo, mas que não vai se submeter a nenhuma imposição. “Estamos lutando para que Timon tenha um legislativo independente e harmonioso, e nenhum dos vereadores que estão aqui hoje pensam de forma diferente”, descartou.

Para Antunes Macedo, eleito pelo PSD, o legislativo tem a missão de ser independente do executivo e que se comprometa com o bem da população. “Estes seis vereadores vão fazer a diferença em Timon. Nós representamos toda a população de Timon e não apenas aquelas pessoas que nos honraram com os seus votos. Queremos somente o melhor para Timon e estamos aqui para dar apoio a este grupo e vamos fazer tudo aquilo o que esperam de uma oposição”, afirmou.

Alexandre Almeida fala do resultado das eleições em Timon

por Jorge Aragão

alexandre-almeidaEm entrevista ao Blog do Ludwig o deputado estadual Alexandre Almeida (PSD), unhealthy tratou de alguns assuntos relacionados às últimas eleições em Timon que ele participou na condição de candidato a prefeito. Sobre a disputada o parlamentar considerou desigual e disse que lutou contra duas máquinas, case no caso a prefeitura e o governo do estado. Ele também tratou sobre as doações de campanha do prefeito Luciano Leitoa e fez uma revelação sobre um dos doadores.

Confira abaixo a íntegra da entrevista:

A que o senhor atribui sua derrota nestas eleições em Timon?

Nessa eleição, não tivemos uma disputa entre dois candidatos, mas sim entre um candidato de um lado e duas máquinas do outro: a prefeitura de Timon e o governo estadual. Por essa razão, tivemos uma eleição muito desigual. A prefeitura nunca empregou tanta gente como na véspera do início da campanha eleitoral; o governo estadual teve todo o tempo para colocar asfalto em nossa cidade, mas resolveu colocar na boca da eleição; na praça São José começaram a obra da reforma, inclusive sem placa, já no período eleitoral. Até passaram a receber currículos numa estrutura do Parque Empresarial; o governador só no período da campanha veio três vezes a Timon. Por isso, tenho a tranquilidade em dizer, que não perdemos para um candidato, perdemos para uma estrutura de poder gigantesca que organizaram contra nós.

O senhor já afirmou que tem o sonho de administrar Timon. A sua busca por este sonho continua?

Continuo sim com o sonho de administrar minha Timon, pois acredito muito no potencial de nossa cidade. Estamos numa localização geográfica fantástica. Temos tudo para desenvolver nosso município, gerar emprego e renda, enfim melhorar a vida da nossa gente. O que queremos na verdade é só uma oportunidade, e com tudo que construímos politicamente até aqui, estou muito confiante que estamos muito perto de ter essa oportunidade. Na eleição passada para prefeito, tivemos pouco mais de 5 mil votos, nessa eleição, com o apoio de muitas lideranças e a união da oposição, ficamos na casa dos 38 mil votos, então não tenho dúvidas que o futuro está se abrindo para a nossa geração.

O prefeito reeleito acusa a oposição de promover um segundo turno através da justiça eleitoral. O que o Senhor tem a dizer sobre isso?

É impressionante como o prefeito sempre foge da verdade. Se o candidato eleito está com algum problema na justiça eleitoral, porque recebeu quase três mil doações irregulares, isso nada tem a ver com a oposição, e sim com a forma que ele utilizou para financiar sua campanha. Esse processo nasceu por iniciativa da própria justiça eleitoral, que analisando a prestação de contas do candidato eleito identificou essas irregularidades. Então, se o candidato já está preparando seu grupo para alguma decisão judicial, que ele seja honesto em dizer por que está nessa situação, e não venha politizar um assunto muito sério, como esse que ele está envolvido. Nos depoimentos colhidos pela justiça eleitoral tem um cidadão que é doador, é cadastrado no Bolsa Família e ainda é empregado na prefeitura recebendo mais de R$ 2 mil reais. Isso é muito grave. Esse é um depoimento, de centenas que estão sendo colhidos, que confirmam captação ilícita de recursos.

Clique aqui e continue lendo

Que coisa feia, meu caro Rafael Leitoa

por Jorge Aragão

decisao-2O juiz da 94ª Zona Eleitoral de Timon, illness Francisco Soares Reis Júnior, nurse determinou por meio de decisão judicial que o suplente de deputado estadual Rafael Leitoa (PDT) retire imediatamente de suas redes sociais um vídeo em que o mesmo fala sobre o deputado estadual e candidato a prefeito de Timon Alexandre Almeida (PSD), cheap onde o suplente apresenta “informações sem qualquer embasamento, trazendo suas suposições particulares, uma vez que não traz a verdade dos fatos”, informou o juiz em sua decisão.

O suplente de deputado Rafael Leitoa postou em sua página pessoal em uma rede social um vídeo com conteúdo difamatório contra o deputado estadual e candidato a prefeito de Timon, Alexandre Almeida. A mensagem postada na página do suplente contém somente afirmações vazias e mentirosas sobre o candidato Alexandre Almeida, como a informação de que Alexandre não trouxe emendas para Timon e que o mesmo havia pedido a cassação do mandato do governador Flávio Dino.

decisao-1Em seu vídeo o suplente alega que “o deputado Alexandre não trouxe qualquer emenda para Timon”, no que o juiz desmente a afirmação do mesmo em sua decisão e afirma “tal fato é inverídico, vez que o deputado trouxe várias obras para o município, com destaque para o videomonitoramento no valor de R$ 1.150.000,00 (hum milhão e cento e cinquenta mil reais), conforme se pode demonstrar através de vários sites pela internet”, destacou. O magistrado classifica ainda que as afirmações do suplente Rafael Leitoa têm o objetivo de repassar informações inverídicas e de caráter difamatório contra Alexandre Almeida para a população timonense. Clique nos documentos ao lado para ampliar.

Em sua decisão o juiz concluiu que a mensagem postada por Rafael Leitoa é mentirosa. “Entendo que a notícia veiculada na página do facebook do Representado difunde uma mensagem inverídica, causando danos à imagem do candidato a prefeito da Coligação Representante”, afirma a decisão. A determinação do juiz sobre a retirada do vídeo deve ser cumprida de forma imediata, sob pena de pagamento de multa no valor de R$ 10 mil (dez mil reais).

Justiça Eleitoral apura indícios de irregularidades em doações para Luciano Leitoa

por Jorge Aragão

doacoeslucianoO atual prefeito e candidato à reeleição em Timon, doctor Luciano Leitoa (PSB), sale pode ter seu registro de candidatura cassado caso tenha recebido doações de campanha irregulares. Entre as doações ilegais recebidas por Leitoa estariam quatro feitas por beneficiários do Bolsa Família, cialis o que é vedado pela atual legislação eleitoral. Ao todo a Justiça Eleitoral identificou 2899 doações com indícios de irregularidades na campanha de Luciano Leitoa.

A Justiça Eleitoral identificou cinco tipos diferentes de doações ilegais que teriam sido efetuadas em prol do candidato: Doador inscrito em programas sociais do governo, quatro casos; Doador cuja renda conhecida é incompatível com o valor doado, dois casos; Doador sem vínculo empregatício conhecido nos últimos 60 dias anteriores à data da doação, sete casos; Fornecedores com relação de parentesco com candidato ou seu vice, revelando indícios de suspeita de desvios de recursos, 2816 casos; e concentração de doadores em uma mesma empresa, revelando indícios de doação empresarial indireta, 70 casos. Clique no documento ao lado para ampliar.

O juiz da 19ª Zona Eleitoral de Timon, Rogério Monteles da Costa está desde a semana passada intimando estes doadores para que esclareçam as doações e apresentem os documentos que comprovem capacidade financeira para fazer doações e cópia dos últimos registros de contrato de trabalho. Caso sejam comprovadas as irregularidades, o prefeito Luciano Leitoa e seu vice, João Rodolfo podem ter a sua prestação de contas reprovada, assim como a cassação do registro de candidatura ou diploma, além de sanção de inelegibilidade por oito anos.

Não é a primeira vez que beneficiários de programas sociais se envolvem em polémicas no governo de Luciano Leitoa. No final de 2015 a tesoureira da Secretaria de Desenvolvimento Social (Semdes) da Prefeitura de Timon, Márcia Araújo da Silva, foi flagrada como beneficiária de forma ilegal do Programa Bolsa Família. A funcionária pediu desligamento voluntário do Programa, quando a notícia foi veiculada em jornais e blogs de todo o Maranhão, mas acabou sendo exonerada de seu cargo pouco tempo depois.

É aguardar e conferir.