Flávio Dino segue atacando Sérgio Moro em defesa de Lula

por Jorge Aragão

Mesmo de férias fora do Maranhão, quem sabe até do Brasil, o governador Flávio Dino segue, desnecessariamente, atacando o juiz Sérgio Moro na defesa do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.

Recentemente Flávio Dino criticou o juiz Sérgio Moro em entrevista a Folha de São Paulo (reveja). O curioso é que o comunista sempre age da mesma forma, quando alguém pensa igual a ele, é fenomenal, mas quando atinge seus interesses, passa a ser alvo de seus ataques.

Nesta quinta-feira (04), Flávio Dino utilizou as redes sociais para criticar a decisão do juiz Sérgio Moro, no caso do polêmico Triplex de Guarujá envolvendo o ex-presidente Lula. Veja abaixo.

As declarações do governador geraram polêmica e Flávio Dino foi alvo de duras críticas. O Blog publica apenas algumas, das inúmeras postagens criticando a postura do comunista de atacar o juiz federal Sérgio Moro em defesa de Lula.

Apenas um doutrinador esquerdista… Que usa a máquina governamental para impor suas convicções políticas…Nada mais. Totalmente parcial!!

Eu não consigo acreditar na sua capacidade de defender bandido. A propósito, o senhor como juiz federal conseguiu condenar algum bandido? #RidículoFD!

Prezado governador favor largue osso do Lula dentro do processo. Vá trabalhar no estado Maranhão que povo precisa de hospital, educação e trabalho. Lembrando que o povo votou e cumpre a sua promessa e chega de criticar aos juízes e vc não tem nada a ver. Deixa Lula se virar.

Ele foi eleito pra governar ou magistrar? Tá certo que tanto numa coisa como na outra ele faz bosta..Mas melhor fazer uma merda só do que duas kkkkkkkk

Incrível ver uma pessoa “abrir mão” da própria inteligência em nome de uma ideologia derrotada!😪 Por isso tu não te reelegerá, Flávio.

O engraçado é que os únicos juristas que falam a verdade são os que defendem Lula… O outro lado é político. Interessante isso… Um Juiz Federal, Desembargadores, Ministros do Stj e Stf, todos negando liminares e recursos de Lula e quem sabe de tudo é o governador do Maranhão.

Toma vergonha na cara seu safado, as dezenas de depoimentos de pessoas que atuaram neste esquema, muitos se auto incriminando são irrefutáveis.

Continua defendendo essa corja, para ver onde vc vai parar, deixe os bandidos com justiça, vá cuidar do do povo do seu estado, preocupe-se mais com a segurança, saúde e educação do seu eleitorado.

Vc não deve ter o que fazer? Teu estado não tem nenhum problema? Faz isso larga p governo deixa o vice governa. Vai pra São Paulo ajudar o advogado do Lula! Mas abre mão de seus benefícios….

Depois ninguém sabe porque é um dos Estados mais fodidos do país, olha a ideia de quem comanda o estado

Lembrando que o julgamento de Lula em 2ª Instância, e que pode lhe tornar inelegível, acontecerá no dia 24 de janeiro.

É aguardar e conferir.

Flávio Dino volta a criticar Sérgio Moro por causa de Lula

por Jorge Aragão

Em entrevista ao jornal A Folha, publicada nesta terça-feira (26), o governador do Maranhão, Flávio Dino, voltou a defender Lula, criticar Sérgio Moro e a Operação Lava Jato. O comunista classificou como “monstruosidade jurídica”, a decisão de Moro contra o ex-presidente da República. Veja abaixo.

Flávio Dino, em sua entrevista, também deixou claro que quer novamente um palanque “eclético”, insinuando que pode ter três candidatos à Presidência da República e só disse que votará na candidata do seu partido quando a jornalista da Folha o “pressionou”.

IBGE – O curioso é que a entrevista de Flávio Dino saiu no mesmo dia em que o jornal A Folha apresentou uma reportagem nada agradável para a gestão do comunista.

Na matéria (veja aqui), baseada em dados do IBGE de 2016, é demonstrado que o Maranhão, no ano de 2016 (Governo Flávio Dino), foi o único Estado do Brasil onde a maioria da população viveu em situação de pobreza. Os números apontam que o PIB do Maranhão caiu na gestão comunista, a queda no acumulado 2015 e 2016 foi de 8%, um dos piores do Brasil.

Para complicar ainda mais a situação do Governo Flávio Dino, os dados do IBGE afirmam que a extrema pobreza avançou no Maranhão em 2% nos últimos três anos da gestão comunista.

Com certeza Flávio Dino não curtiu essa reportagem.

Flávio Dino “detona” decisão de Sérgio Moro sobre Lula

por Jorge Aragão

O governador Flávio Dino, que antes de se tornar político era juiz federal, utilizou as redes sociais para criticar a decisão do juiz Sérgio Moro, que nesta quarta-feira (12) condenou o ex-presidente Lula a nove anos e meio de prisão.

Sem atacar Moro diretamente, Flávio Dino deixa claro que a decisão do magistrado foi bem mais política que jurídica e insinua que estejam querendo, através da Justiça e da Lei da Ficha Limpa, evitar que Lula seja candidato a Presidência da República em 2018.

Dino diz que não existem provas consistentes para a condenação, que é apenas uma tentativa de forçar a inelegibilidade de Lula. O governador diz ainda que a atitude não é compatível com a Constituição e com as leis.

Uma declaração muito forte, principalmente para quem já foi um juiz federal.

Sérgio Moro condena Lula a nove anos e meio de prisão

por Jorge Aragão

Como já era esperado, o juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, condenou nesta quarta-feira (12) o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão, por conta do polêmico caso do apartamento do tríplex de Guarujá.

Esta é a primeira vez, desde a Constituição de 1988, que um ex-presidente é condenado criminalmente. Lula foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, mas o ex-presidente poderá recorrer em liberdade.

Apesar de ter sido condenado, o ex-presidente Lula, que lidera as pesquisas eleitorais para a Presidência da República em 2018, não está inelegível, pois sua condenação foi por apenas um magistrado, ou seja, na primeira instância. A Lei da Ficha Limpa impede que os candidatos condenados em segunda instância não possam disputar eleições.

Clique aqui e veja a condenação de Lula na íntegra.

Oposição pede renúncia e impeachment de Michel Temer

por Jorge Aragão

Ao que parece a situação do presidente da República, Michel Temer (PMDB), após a revelação de que foi filmado dando aval à compra do silêncio do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, está extremamente delicada.

Dois deputados federais, Alessandro Molon (Rede-RJ) e João Henrique Caldas (PSB-AL), entraram na noite de quarta-feira (17) com um pedido de impeachment. Além disso, o líder do PDT na Câmara Federal, Weverton Rocha, apresentou uma carta em nome dos partidos que fazem oposição ao Governo Michel Temer pedindo a renúncia do presidente e a convocação imediata de eleições diretas.

Para piorar ainda mais a situação de Temer, até mesmo deputados da base aliada já começam a defender abertamente a sua saída da presidência da República. O peemedebista segue negando que tenha negociado o silêncio de Cunha e demonstra que não está disposto a renunciar ao cargo.

Lula – Já o ex-presidente Lula, utilizou as redes sociais para publicar fotos do juiz Sergio Moro com os dois principais acusados na delação dos donos da JBS, publicizada na noite de quarta-feira pelo jornal O Globo, Michel Temer e o presidente do PSDB, Aécio Neves. Lula tenta fazer uma ilação entre o juiz Sergio Moro, juiz responsável pela condução da Operação Lava Jato, e os dois denunciados na delação da JBS.

Clima segue tenso em Brasília e tudo pode acontecer nas próximas horas, inclusive nada.

É aguardar e conferir.

O ódio fidagal de Sérgio Moro por Flávio Dino

por Jorge Aragão

moro

Sérgio Moro (foto) vem se afastando da presidência da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), buy de quem era próximo quando o presidente era seu colega na Justiça Federal no Paraná Antônio César Bochenek.

Mas o distanciamento de Moro também tem a ver com a proximidade do atual presidente, Roberto Veloso, com ex-presidente da Ajufe, Flávio Dino. Moro tem ódio figadal de Flavio Dino desde que o maranhense, em defesa de Dilma no Palácio do Planalto, atacou “toga supostamente imparcial e democrática” de “grupos inorgânicos sem líderes e em busca de um fuhrer”.

Coluna do Lauro Jardim de O Globo

Por determinação de Moro, Cunha é preso em Brasília

por Jorge Aragão

cunhaO juiz federal Sérgio Moro, capsule responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça, here determinou na terça-feira (18) a prisão do ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O pedido é de previsão preventiva, ou seja por tempo indeterminado.

Ele foi preso em Brasília nesta quarta (19), segundo a GloboNews. A previsão da Polícia Federal (PF) é de que ele chegue a Curitiba no fim desta tarde.

O peemedebista perdeu o mandato de deputado federal em setembro, após ser cassado pelo plenário da Câmara. Com isso, ele perdeu o foro privilegiado, que é o direito de ser processado e julgado no Supremo Tribunal Federal (STF).

Continue lendo aqui.

A cautela de Sérgio Moro de hoje, não foi a mesma de ontem

por Jorge Aragão

moroNesta segunda-feira (28), help o juiz federal Sérgio Moro enviou as investigações de duas fases da Operação Lava Jato para o Supremo Tribunal Federal. Foram encaminhadas ao STF as investigações referentes as operações Acarajé e Xepa.

Entretanto, o que mais chamou atenção foi a cautela que está tomando hoje o juiz federal Sérgio Moro, depois de uma lista com nomes de vários políticos veio a público, não foi a mesma que tomou “ontem” quando atropelou a própria Constituição Federal no caso da presidente Dilma Rousseff (PT).

O juiz Sérgio Moro afirmou, neste momento, que “é prematura qualquer conclusão quanto à natureza destes pagamentos”. As listas trazem nomes de mais de 200 políticos. Moro afirma que seria preciso aprofundar as apurações para remeter os processos apenas diante de indícios mais concretos, mas que a cautela recomenda submeter desde logo ao STF.

“De todo modo, considerando a apreensão e identificação de tal planilha com Benedicto Barbosa da Silva Júnior [presidente da Construtora Odebrecht], que retratam pagamentos do Grupo Odebrecht a autoridades com foro privilegiado, talvez lícitos, é o caso de remeter este processo”, argumentou o juiz.

O problema é que a acertada cautela de hoje, não foi a mesma de “ontem” e é exatamente por esse motivo que o juiz Sérgio Moro tem sido alvo de algumas ilações, principalmente dos que defendem a presidente Dilma e o ex-presidente Lula.

A aula gratuita de Teori Zavascki

por Jorge Aragão

teoriA decisão do ministro Teori Zavascki, store do Supremo Tribunal Federal, viagra sale em determinar que o juiz federal Sérgio Moro envie para o STF as investigações da Operação Lava Jato que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi uma verdadeira aula.

A decisão de Teori Zavascki seguiu a jurisprudência do Supremo, pois se durante investigação de crime de uma pessoa sem foro, surgiram conversas com autoridades com foro, o caso precisa subir para o STF.

Conforme o Blog já havia dito, mesmo sendo criticado, as principais e duras lições de Teori Zavascki foram com relações a divulgação do grampo ilegal envolvendo a presidente Dilma Rousseff.

Teori escreveu que “embora a interceptação tenha sido voltada a pessoas que não tinham foro privilegiado, o sigilo foi suspenso imediatamente, sem as cautelas exigidas em lei, e que a análise feita por Sérgio Moro do conteúdo das conversas não competia ao juiz”.

O ministro enfatizou que no Supremo Tribunal Federal é reiterado o entendimento de que apenas o tribunal e não qualquer outro juiz pode decidir sobre a divisão das investigações envolvendo autoridades com prerrogativa de foro. E que, como neste caso, não houve decisão prévia do tribunal sobre a separação ou não da investigação, fica esboçada pelo menos, a probabilidade de violação da lei.

Em momentos diferentes, Teori Zavascki diz que Sérgio Moro agiu indevidamente, como no caso da suspensão do sigilo dos grampos. No trecho, o ministro afirma que a decisão foi ilegítima porque foi emitida por um juiz que era reconhecidamente incompetente para a causa e porque a divulgação pública das conversas comprometeu o direito fundamental à garantia de sigilo previsto na Constituição, que apenas permite a interceptação em situações excepcionais.

Sérgio Moro tem dez dias para apresentar explicações sobre a atuação dele. Depois, o ministro Teori Zavascki vai pedir para o procuradoria-geral da República se manifestar.

Foi uma aula gratuita e bem dada, tudo pela precipitação do juiz Sérgio Moro.

Flávio Dino volta a criticar postura do juiz Sérgio Moro

por Jorge Aragão

dinoJuristas, seek advogados, find promotores e defensores públicos participaram nesta terça-feira (22), no Palácio do Planalto, de um ato de apoio à presidente Dilma Rousseff e em defesa da “legalidade”. O evento foi organizado para demonstrar contrariedade a ações recentes do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, como a divulgação de áudio de conversa telefônica entre Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na condição de ex-presidente da Associação Nacional de Juízes Federais (Ajufe), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), foi o primeiro a discursar no evento de apoio à presidente. Diante de Dilma, ele afirmou que, na avaliação dele, a divulgação dos grampos telefônicos que interceptaram uma conversa da petista foram “absolutamente ilegais”.

“Estamos assistindo a um crescimento dramático de posições de porte fascista representadas pela violência cometida por grupos inorgânicos sem líderes e em busca de um fuhrer [expressão alemã usada para designar um líder ou um chefe], de um protetor. Ontem, as Forças Armadas. Hoje, a toga supostamente imparcial e democrática”, discursou Dino, sendo ovacionado pela plateia convidada pelo governo.

“Judiciário não pode mandar carta para passeata. E se o juiz, o procurador quiser fazer passeata: há um caminho. Basta pedir demissão do cargo. Aliás, quero dizer que adoro fazer passeata. Mas não use a toga para fazer política porque isso destrói o Poder Judiciário”, afirmou Dino em referência à divulgação de interceptações telefônicas envolvendo a presidenta Dilma, sem a autorização do Supremo Tribunal Federal.

Com informações do G1 e clique aqui para ver um trecho do vídeo de Flávio Dino