Presidente do PMDB defende candidatura de Roseana no Maranhão

por Jorge Aragão

O presidente Nacional do PMDB, o senador Romero Jucá, defendeu a candidatura de Roseana Sarney ao Governo do Maranhão para o ano que vem. A declaração exclusiva foi dada ao Blog do Robert Lobato em Brasília.

Jucá assegurou que o PMDB virá forte nas eleições do ano que vem e que a intenção do partido e fazer um grande número de governadores, senadores, deputados federais e estaduais em todo o Brasil.

O presidente do PMDB também confirmou a filiação do senador Fernando Bezerra, que disputará o Governo de Pernambuco. Romero Jucá também assegurou que o partido voltará a ser chamado de MDB – Movimento Democrático Brasileiro.

 

 

 

A cara de pau sem limites dos comunistas maranhenses

por Jorge Aragão

A cara de pau dos comunistas maranhenses parece mesmo não ter limites. Depois de comemorarem a decisão da Procuradoria Geral da República e do STJ, sobre o arquivamento da denúncia de recebimento de propina contra o governador Flávio Dino, os auxiliares e asseclas do comunista mor agora entendem que quem destacou o assunto tem que pedir desculpas públicas.

A “vitória” obtida hoje por Flávio Dino, já foi obtida anteriormente pela ex-governadora Roseana Sarney. Será que os comunistas esqueceram que em novembro do ano passado, o próprio procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu o arquivamento contra a suposta participação de Roseana na Lava Jato ???? (reveja). Alguém leu, ouviu ou viu algum comunista se desculpando com a ex-governadora ???

Além da Lava Jato, Roseana, por inúmeras vezes, foi acusada também pelos comunistas de desviar dinheiro público na área da Saúde durante sua gestão. Só que em março deste ano, a Justiça absolveu a ex-governadora de qualquer participação em suposto desvio de verbas da Saúde do Maranhão (reveja). Alguém leu, ouviu ou viu algum comunista se desculpando com a ex-governadora ???

Também Roseana foi acusada, por diversas vezes, pelos comunistas e asseclas de ter, recebido propina no polêmico Caso Constran. Só que em julho deste ano, a Justiça também negou o envolvimento da ex-governadora no caso (reveja). Alguém leu, ouviu ou viu algum comunista se desculpando com a ex-governadora ???

Sendo assim meus caros comunistas e asseclas, se tem que existir um pedido de desculpas, ele precisa ser recíproco e fiquem à vontade para começar.

No mais, exigir desculpas ao comunista mor, sem antes se desculpar com a ex-governadora Roseana é apenas, mais uma, demonstração de uma cara de pau sem limites.

Roseana comanda recondução de João Alberto a presidência do PMDB

por Jorge Aragão

Num clima de muita tranquilidade e principalmente de esperança de dias melhores, vários peemedebistas se reuniram na manhã desta sexta-feira (04), para reconduzir o senador João Alberto a presidência do PMDB do Maranhão.

O encontro foi comandado pela ex-governadora Roseana Sarney, que apesar de não confirmar sua candidatura ao Governo do Maranhão em 2018, segue cada vez mais envolvida com o cenário político.

Roseana fez um duro discurso criticando a atual gestão, chegando a dizer que o governador Flávio Dino tem mentido bastante, se apropriado de todas as obras deixadas pela gestão do PMDB e utilizado os recursos do empréstimo do BNDES, empréstimo que a época foi criticado pelo grupo do comunista, chegando inclusive a buscar a Justiça para evitar o desenvolvimento do Maranhão, afinal a política adotada era do “quanto pior, melhor”.

Sobre a sua decisão de disputar as eleições em 2018, Roseana novamente deixou suspense, mas o Blog tem informações que em dezembro deste ano ou no mais tardar janeiro do ano que vem, a ex-governadora tomará uma decisão.

Também “quebrou a cara” quem imaginava que o senador João Alberto chutaria o “pau da barraca”, após o ministro e deputado federal Sarney Filho ter lançado sua pré-candidatura ao Senado e o senador Edison Lobão ter dito que irá disputar a reeleição.

João Alberto, mais uma vez, demonstrou que é um político de grupo e deixou claro que jamais criou embaraços e não irá criar, mas só vai se posicionar eleitoralmente sobre 2018 após a reforma política no Congresso Nacional.

Pelo visto o PMDB, bem como a Oposição ao Governo Flávio Dino, devem vir forte e unido para 2018.

Uma chapa forte, experiente e com muito “recall político”

por Jorge Aragão

O senador Edison Lobão (PMDB), atualmente presidindo a Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal, esteve em São Luís acompanhando o ministro da Saúde Ricardo Barros, e aproveitou para conversar com a imprensa e definir seu futuro político para 2018.

Lobão confirmou que, ao contrário do que estava sendo especulado, irá sim disputar a reeleição para o Senado Federal. O senador assegurou que foi uma decisão tomada em família, uma vez que se especulava que o senador Lobão Filho é que poderia disputar uma vaga para o Senado.

Além de confirmar que buscará a reeleição, Edison Lobão confirmou que a ex-governador Roseana Sarney será mesmo candidato ao Governo do Maranhão. Lobão disse que Roseana terá um papel importante na reconstrução do Estado.

Ou seja, caso as declarações de Lobão se confirmem, é inegável que a Oposição terá uma chapa forte, experiente e com muito “recall político”, uma vez que terá Roseana Sarney para disputar o Governo do Maranhão, e o senador Edison Lobão e o deputado federal e ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, disputando as duas vagas para o Senado Federal.

Pelo lado do governador Flávio Dino, o comunista ainda não definiu o nome dos seus dois candidatos ao Senado, mas quatro deputados federais almejam formalizar a chapa com Dino, são eles: Weverton Rocha, Waldir Maranhão, Eliziane Gama e José Reinaldo.

Já o senador Roberto Rocha e a ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, que confirmam que também irão disputar o Governo do Maranhão, ainda não sinalizaram com os seus respectivos nomes para a disputa pelo Senado.

Pelo visto a disputa será mesmo interessante e acirrada. É aguardar e conferir.

O tempo demonstra, mais uma vez, o erro absurdo da prisão de João Abreu

por Jorge Aragão

Mais uma vez a Justiça do Maranhão demonstrou que foi um erro absurdo a prisão do empresário e ex-secretário da Casa Civil do Governo Roseana Sarney, João Guilherme de Abreu, preso em 2015 por conta do Caso CONSTRAN.

Nesta segunda-feira (31), João Abreu conseguiu outra importante vitória pessoal. Depois de ter conquistado outras vitórias na Justiça, João Abreu foi absolvido das acusações no Caso CONSTRAN. A decisão que absolveu João Abreu foi do juiz Clésio Cunha, respondendo pela 3ª Vara Criminal de São Luís.

O magistrado deixou claro que João Abreu não tinha como ter cometido os crimes que lhes foram imputados. “…era impossível ao acusado cometer o crime de corrupção passiva, uma vez não tinha atribuição para encetar extrajudicial ou judicial com a construtora Constran/ UTC, fato sob reserva da Procuradoria Geral do Estado”, afirmou Clésio Cunha em sua decisão.

É claro que nada fará apagar da memória o constrangimento desnecessário a que foi submetido João Abreu, mas mais uma vez o tempo se encarrega de demonstrar que a prisão do empresário foi um erro absurdo, para muitos um ato político.

A própria ex-governadora Roseana Sarney fez questão de emitir na época uma Nota se solidarizando a João Abreu e criticando o ato, considerado político também por ela (reveja).

Além de João Abreu, foram também absolvidos no Caso CONSTRAN: Alberto Youssef, Adarico Negromonte, Rafael Angulo e Marco Antônio Ziegert.

A perseguição implacável do Governo Flávio Dino…

por Jorge Aragão

O Blog já relatou recentemente a campanha sórdida e torpe que está sendo desenvolvida contra a desembargadora Nelma Sarney (reveja), mas nada se compara ao que o Governo Flávio Dino tem feito contra a ex-governadora Roseana Sarney, principalmente no Caso SEFAZ.

Nesta semana veio a público mais uma prova de como age o Governo Flávio Dino contra aqueles que não leem na sua cartilha.

A Procuradoria Geral do Estado decidiu recorrer da decisão das Câmaras Criminais Reunidas do Tribunal de Justiça, que decidiram desbloquear os bens da ex-governadora. Entretanto, apesar do próprio Ministério Público não ter recorrido, o Governo Flávio Dino através da PGE resolveu recorrer, mas amargou mais uma derrota.

Desta vez foi o próprio presidente do TJ, desembargador Cleones Cunha, que rejeitou o recurso interposto pela PGE. Esta foi a terceira decisão do TJ favorável a Roseana Sarney.

O presidente do TJ, em sua decisão, deixou claro que não foi conseguido comprovar qualquer conexão entre a aquisição dos bens a serem bloqueados e a alegada “ação ilícita praticada”.

“Não se justifica a constrição, nos moldes indiscriminados requeridos e efetivados pelo juízo de primeiro grau, se não demonstrado pelo Ministério Público um nexo fático mínimo entre o proveito da ação ilícita praticada e a aquisição dos bens, nos termos do que dispõe o art. 126 do CPP”, completou.

O curioso é que essa destreza e zelo pelos bens públicos de órgãos do Governo Flávio Dino só aparecem quando os supostos acusados são adversários políticos do governador.

Tanto que aqueles que estavam no Governo Roseana, mas que se renderam ao modus operandi do Governo Flávio Dino, simplesmente não sofrem perseguição alguma e não respondem por absolutamente nenhum ato de improbidade. Já aqueles que mantiveram a coerência política, são os alvos principais dos comunistas.

E isso sem comentar dos inúmeros casos de denúncias de suposta corrupção dentro do próprio Governo Flávio Dino, pois nesses episódios os órgãos fiscalizadores do governo simplesmente adotam um silêncio sepulcral.

E assim segue a perseguição implacável do Governo Flávio Dino…

Os momentos bem distintos de Roseana e Flávio Dino

por Jorge Aragão

Enquanto a ex-governadora Roseana Sarney segue conseguindo sucessivas vitórias na Justiça (reveja), o seu maior crítico, o atual governador Flávio Dino, segue vendo de perto seu governo ser alcançado por várias operações da Polícia Federal.

Somente neste ano de 2017, o Governo Flávio Dino já foi atingido por pelo menos três operações da PF. As operações apontaram para desvios de recursos públicos no Sistema Penitenciário, na Saúde e na Administração Portuária.

O primeiro caso aconteceu na operação Turing, cujo objetivo inicial era a apuração de vazamentos de informações da própria PF, mas depois avançou e apontou uma movimentação suspeita de mais de R$ 37 milhões no Sistema Penitenciário. A operação culminou com a prisão do servidor público, que era lotado na Secretaria de Estado da Administração Penitenciária do Governo Flávio Dino, Danilo dos Santos Silva.

Logo depois foi a vez da operação Rêmora, onde o objetivo era a investigação de desvios de recursos públicos na Saúde. O alvo principal da operação foi o IDAC – Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania, que teve contrato assinado e aditado pelo Governo Flávio Dino, mesmo diante de suspeitas apontadas pela própria Secretaria de Transparência.

Segundo a PF, os desvios na Saúde beiravam os R$ 18 milhões, que deveriam ter sido aplicados na administração de hospitais maranhenses. Além disso, a própria PF confirmou que no Governo Dino o IDAC, com a saída de outros institutos, ganhou destaque e ampliou seu leque de ‘trabalho’ no Maranhão.

Por último, a terceira operação que alcançou o Governo Flávio Dino foi a operação Draga, que teve como objetivo apurar fraudes em obras no Porto do Itaqui. Nesta operação a PF cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de dois servidores da EMAP, nomeados no Governo Flávio Dino. O alvo principal foi o diretor de Engenharia, José Eugênio Mendonça de Araújo Cavalcante, que foi inclusive suspenso da função por 90 dias.

Inegavelmente Roseana e Flávio Dino vivem momentos bem distintos, pois enquanto a ex-governadora vai se livrando de denúncias de corrupção, o atual governador vê seu governo e seu próprio nome citado na Lava Jato, envolvidos em supostos esquemas de corrupção.

E tudo isso no ano que antecede as eleições de 2018.

Justiça nega inclusão de Roseana Sarney no caso Constran

por Jorge Aragão

A ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney, conseguiu mais uma vitória na Justiça. Depois de ter arquivada no STF uma denúncia referente a operação Lava Jato, agora Roseana está livre também do caso Constran.

Em maio deste ano, o promotor de Defesa do Patrimônio Público e Probidade Lindonjohnson Gonçalves, aditou a denúncia do “Caso Constran” para tentar incluir o nome da ex-governadora Roseana Sarney e da ex-procuradora geral do Estado, Helena Haickel, na ação que ganhou notoriedade graças a prisão do Alberto Youssef.

Entretanto, o juiz da 3ª Vara Criminal Terceira Vara Criminal de São Luís, Clésio Coelho Cunha, absolveu sumariamente tanto Roseana Sarney quanto Helena Haickel, negando a inclusão de ambas no caso Constran.

O magistrado em sua decisão deixa claro que o Ministério Público não apresentou nenhum fato novo que pudesse justificar o aditamento da denúncia e por esse motivo julgou inepto o pedido.

“Verifico que a peça acusatória de adição é inepta por ser genérica e não individualizar quais as condutas praticadas pelas denunciadas que se amoldariam aos tipos penais descritos no aditamento da denúncia. A narrativa é vazia. Indícios não são meras conjecturas. Há de se descrever minuciosamente as condutas criminosas apontadas pelo Ministério Público. No que concerne ao crime de lavagem de dinheiro, não se aponta qual teria sido o ato concreto apto a caracterizar tal crime. Não se demonstrou um ato sequer que pudesse ser atribuído às denunciados com o intuito deliberado de dissimular a origem de recursos”, decidiu Clésio Cunha.

O magistrado ainda lembrou que a decisão tomada pela ex-governadora estava respaldada pela PGE e pela própria Justiça, que homologou pareceres referente ao pagamento de precatórios para a Constran.

“O simples fato de à época ser Chefe do Poder Executivo Estadual, não a torna responsável universal por todos os atos praticados pela Administração Pública, mormente quando o ato é antecedido por pareceres da Procuradoria Geral de Justiça e homologado pelo próprio Poder Judiciário, através de acordo judicial”, completou.

Esta é a segunda tentativa do promotor Lindonjohnson Gonçalves de incluir o nome de Roseana em ações que tramitam na Justiça, mas em ambas acabou tendo seus pedidos negados. Anteriormente, o próprio juiz Clésio Cunha já havia absolvido Roseana da acusação de desvio de recursos da Saúde.

Inegavelmente é mais uma vitória de Roseana na Justiça do Maranhão.

Uma análise governista nada favorável a Flávio Dino

por Jorge Aragão

Por incrível que possa parecer, a pesquisa ESCUTEC divulgada na semana passada ainda continua sendo o centro dos debates políticos e no feriado de São Pedro, o titular do Blog, em conversa com um governista, ouviu uma análise que em nada favorece a reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB).

O amigo governista questionava os números apresentados pela ESCUTEC do deputado estadual Eduardo Braide (PMN), que na pesquisa para o Governo do Maranhão apareceu na terceira colocação com 11,5% e mesmo sem ter dito em momento algum que desejaria disputar o Executivo, já surgiu a frente de dois candidatos declarados, a ex-prefeita Maura Jorge (Podemos) e o senador Roberto Rocha (PSB).

O governista alegou que o desempenho tão bom de Braide seria apenas pelo fato de que a maioria dos eleitores ouvidos era de São Luís e que isso seria reflexo da disputa eleitoral municipal no ano passado. O governista não acredita que Braide tenha esse recall no interior do Maranhão para uma disputa do Governo do Estado.

É claro que não deixa de ser uma possibilidade, apesar de não podermos desconsiderar que uma disputa em São Luís tem reflexo em todo o Maranhão e que o papel de destaque ocupado por Braide na Assembleia deve fatalmente lhe render votos em todo o Estado, numa eventual disputa para o Executivo.

Entretanto, por mais que a tese do amigo governista esteja correta, ela é extremamente desfavorável à reeleição do governador Flávio Dino. O comunista na pesquisa aparece na segunda posição com 25,9%, sete pontos percentuais atrás da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) que surge com 32,9%.

Se a pesquisa ouviu mais eleitores da capital, consequentemente ouviu menos no interior maranhense, a tendência é que a diferença entre Roseana e Dino seja ainda maior, afinal é justamente em São Luís a maior rejeição da peemedebista, onde seu grupo político jamais conseguiu vencer uma disputa para a Prefeitura de São Luís. Na contramão da capital, é justamente no interior maranhense a maior aceitação de Roseana.

Logo se a ESCUTEC ouviu mais eleitores no reduto de Dino, numa eventual disputa com Roseana, e menos eleitores no reduto da peemedebista, a tendência natural é que a diferença entre ambos seja ainda maior.

Ou seja, no cenário proposto, com uma candidatura forte na capital maranhense (Eduardo Braide) e outra com recall em todo o Maranhão (Roseana Sarney), a situação pode sim se complicar e ameaçar a reeleição de Flávio Dino.

No entanto, é bom deixar claro que são apenas conjecturas, pois nem Braide e muito menos a ex-governadora confirmaram que irão disputar as eleições para o Governo do Maranhão em 2018.

De qualquer forma, o amigo governista que tentou desconstruir o crescimento espantoso de Braide, saiu foi mais preocupado da conversa, afinal se ficar, o bicho pega, e se correr, o bicho come.

É aguardar e conferir.