PSDB está acéfalo no Maranhão

por Jorge Aragão

Se o PSDB não consegue se organizar nacionalmente, imagina no Maranhão. Neste momento, pela decisão recente do presidente Nacional em exercício, Alberto Goldman, o PSDB maranhense está acéfalo, ou seja, sem comando.

Goldman confirmou a extinção do Diretório Estadual do PSDB, que era comandado pelo vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, mas também deixou claro que a Comissão Interventora, comandada pelo senador Roberto Rocha, deixou de existir.

Ou seja, neste instante o PSDB do Maranhão está sem comando e a realidade aqui, retrata bem o momento em que o partido vive nacionalmente.

A decisão foi comemorada por Carlos Brandão nas redes sociais. Só que até para comemorar uma decisão interna do seu partido, Brandão, infelizmente, demonstrou, mais uma vez, subserviência ao Palácio dos Leões. Veja abaixo.

Alberto Goldman determinou ainda que a Comissão Executiva Nacional crie uma Comissão Provisória para o Maranhão, essa comissão é que irá organizar o PSDB maranhense.

A expectativa é que a Comissão Provisória seja confirmada até o fim da semana, Roberto Rocha e Carlos Brandão seguem trabalhando nos bastidores para ver quem leva a melhor e fica com o comando do PSDB no Maranhão.

É aguardar e conferir.

Senador afirma que Mais Sarney foi instituído no Governo Flávio Dino

por Jorge Aragão

O senador Roberto Rocha (PSDB) utilizou as redes sociais, para, no dia em que se comemora a Proclamação da República, reafirmar o fracasso do Governo Flávio Dino.

Rocha assegura que nos regimes totalitários, se costuma criar o “ismo” para justificar o fracasso administrativo e o projeto de poder. Além disso, o senador demonstra uma das semelhanças entre a gestão comunista no Maranhão e a gestão de Nicolas Maduro na Venezuela.

“Nesses regimes totalitários, é prática comum criar um ‘ismo’ para justificar o projeto de poder e o fracasso administrativo. Bem ali, na Venezuela, o Maduro usa o imperialismo. Aqui, no Maranhão, não tão maduro ainda, Flavio Dino usa o sarneysismo”, escreveu.

Roberto Rocha ainda fez questão mais uma vez de dizer que Flávio Dino criou o Programa Mais Sarney, já que se esforçou para ressuscitar o grupo político, sempre olhando para o retrovisor, jamais para frente. Por fim, afirmou que Roseana Sarney foi a maior obra da gestão comunista.

“Programa Mais Sarney: Flávio Dino se esforça para tentar fazer a população olhar apenas no retrovisor eleitoral, numa disputa do passado. Mas vamos admitir, o sucesso do PROGRAMA MAIS SARNEY produziu a maior obra desse governo: Roseana Sarney”, finalizou.

Fatalmente o chilique será grande entre os comunistas e seus asseclas.

Resultados eleitorais desmentem asseclas de Flávio Dino

por Jorge Aragão

Os asseclas do governador Flávio Dino tentam, em vão, desvirtuar a realidade dos fatos e principalmente dos números eleitorais. A ideia é passar a imagem de que o arrogante e prepotente comunista é um verdadeiro espoca urna, mas a realidade é bem diferente, como será demonstrado agora.

Depois que o senador Roberto Rocha rompeu com Flávio Dino, os asseclas tentam, a toda postagem crítica de Rocha contra o comunista, dizer que o senador é ruim de voto e que o governador um espoca urna. Além de atribuir a eleição de 2016 de Rocha a Dino.

Entretanto, na única eleição que ambos disputaram o mesmo cargo eletivo, em 2006, quando os dois foram candidatos a deputado federal, o resultado mostra exatamente o contrário do que apregoam os asseclas do comunista.

Naquela eleição, Flávio Dino, graças aos apoios fundamentais do então governador José Reinaldo e do então prefeito de Caxias Humberto Coutinho, obteve 123. 597 votos, foram quase 16 mil votos a menos que Roberto Rocha, que foi o deputado federal mais votado com 139.294 votos. Ou seja, no único embate entre ambos, foi Roberto Rocha quem levou a melhor e mostrou ser bom de voto.

Outra crendice dos asseclas de Flávio Dino é atribuir a eleição do prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior, ao comunista. Os tolos fazem questão de esquecer que Edvaldo, ao contrário de Dino, jamais perdeu uma eleição. Foi o vereador mais votado de São Luís, na sua reeleição em 2008 e o deputado federal mais votado na capital em 2010.

Os asseclas afirmam, levianamente, que sem Flávio Dino, Edivaldo não venceria João Castelo na disputa pela Prefeitura de São Luís em 2012. Só que não conseguem explicar como o “espoca urna” do Flávio Dino foi derrotado para o mesmo Castelo em 2008. Ora, se Flávio Dino não conseguiu derrotar Castelo em condições de igualdade, como seria capaz de ser determinante para a vitória de Edivaldo contra João Castelo, sentado na cadeira de prefeito??? Ou seja, quem é bom de votos, tanto que jamais perdeu uma eleição é Edivaldo.

Por fim, os asseclas dizem que Roseana Sarney não será párea para o espoca urna Flávio Dino no ano que vem. Só que, mais uma vez, os tolos esquecem que na única disputa direta entre ambos, que aconteceu em 2010, quem venceu foi Roseana e venceu logo no 1º Turno. Ou seja, num confronto direto, quem demonstrou ter votos foi Roseana, não o comunista.

Por fim, vale lembrar que as duas únicas vitórias de Flávio Dino aconteceram em 2006, já destacada na postagem, e 2014. A vitória de 2014, para quem não tem memória ou faz questão de esquecer, o comunista derrotou Lobão Filho, um candidato que jamais havia disputado nenhuma eleição anteriormente e que, corajosamente, entrou na disputa eleitoral na reta final em substituição a Luis Fernando, que desistiu do pleito.

Sendo assim, quem efetivamente precisa mostrar que é bom de voto é Flávio Dino e não quem os asseclas querem diminuir eleitoralmente para agradar o comunista, afinal contra fatos e números, não existem argumentos.

Roberto Rocha no PSDB: ainda precisam de mais alguma coisa???

por Jorge Aragão

É impressionante como alguns asseclas do governador Flávio Dino e do vice-governador Carlos Brandão, ainda tentam criar factoides sobre a ida do senador Roberto Rocha ao PSDB.

Para evitar definitivamente qualquer outra nova mentira sobre o episódio, a Assessoria de Comunicação do senador Roberto Rocha encaminhou à imprensa um farto material que comprova a decisão da Direção Nacional do PSDB e o retorno de Rocha ao partido.

Entre os documentos encaminhados está o protocolo do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) confirmando que o senador Roberto Rocha está sim filiado ao PSDB, desde o dia 4 de outubro, conforme ficha abonada pelo senador Tasso Jereissati e o governador de São Paulo Geraldo Alckmin.

Em 31 de outubro, o cartório eleitoral da 76ª Zona Eleitoral, em São Luís, recebeu ofício que dá ciência da filiação do senador maranhense. No documento, assinado por advogados-delegados da executiva nacional do partido, comunicava a juíza Maria José França Ribeiro, e solicitava ainda, que o nome de Roberto Rocha fosse incluído na relação dos filiados da legenda.

De igual modo, a comissão provisória foi oficialmente comunicada para que fosse incluído o nome do senador na relação dos filiados e encaminhado ao juízo da 76º Zona Eleitoral. Logo, o procedimento de filiação do senador Roberto Rocha atendeu todas as exigências da lei.

Cabe a comissão provisória do PSDB em São Luís incluir na base de dados a filiação do senador junto ao TSE. A ausência temporária do nome dele não implica que Roberto Rocha não esteja filiado ao partido.

Sendo assim, Roberto Rocha, como novo comandante do PSDB, mais do que comprovado, decidiu cancelar a Convenção Estadual do partido, que estava marcada para este sábado (11).

Agora é torcer para que os asseclas de Flávio Dino e Carlos Brandão não precisem de mais alguma coisa para aceitarem o óbvio ululante: Roberto Rocha está de volta ao PSDB e será candidato ao Governo do Maranhão pelo partido, afinal contra fatos, não existem argumentos.

Roberto Rocha é o novo presidente do PSDB no Maranhão

por Jorge Aragão

Como era esperado, o senador Roberto Rocha (PSDB) é o novo presidente do PSDB no Maranhão. O ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, confirmou a informação em entrevista à Rádio Difusora AM.

Sebastião Madeira havia ingressado junto a Direção Nacional do PSDB, na semana passada, solicitando a intervenção do partido no Maranhão, até então comandado pelo vice-governador Carlos Brandão. A decisão da Direção Nacional aconteceu na noite de segunda-feira (06).

Ficou definido que além do senador Roberto Rocha assumir interinamente a presidência do PSDB, o partido no Maranhão terá ainda como membros da Comissão Provisória: Sebastião Madeira, Afonso Salgado, Maria do Carmo Souza, Augusto Lago, Zesiel Ribeiro e Ezequiel Soares.

Vale lembrar que Sebastião Madeira pediu a intervenção da Direção Nacional pelo fato de que o atual presidente, Carlos Brandão, insistia na reedição da aliança com o PCdoB de Flávio Dino para 2018. Como o projeto do PSDB para o Maranhão é outro, a solicitação de Madeira foi acatada.

Agora caberá a Roberto Rocha e Sebastião Madeira reestruturarem o PSDB no Maranhão e fazer com que o partido venha forte nas eleições de 2018.

Já Carlos Brandão, vai ter que buscar um novo partido e torcer para que Flávio Dino lhe ajude, e muito, a conseguir um mandato de deputado federal.

Roberto Rocha reafirma, no Senado, acusações a Flávio Dino

por Jorge Aragão

Engana-se quem imaginava que o senador Roberto Rocha (PSDB) iria recuar, após duras e graves acusações contra o governador Flávio Dino, na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da JBS.

Durante o depoimento do empresário Ricardo Saud, Roberto Rocha questionou quem seriam os 16 governadores eleitos que receberam propina da JBS. Após o silêncio do empresário, o senador do PSDB foi categórico em afirmar que Flávio Dino era um desses governadores e que teve seu nome protegido pelo irmão Nicolao Dino, à época, braço direito do ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot.

Nesta quarta-feira (02), o senador Roberto Rocha foi mais longe e ampliou sua acusação, já que desta vez utilizou a Tribuna do Senado Federal para reafirmar tudo o que disse na CPMI da JBS. Veja abaixo.

E tudo isso, até o momento, diante de um silêncio sepulcral de Flávio Dino.Roberto

O silêncio sepulcral de Dino sobre as declarações de Roberto Rocha

por Jorge Aragão

É no mínimo estranho, o silêncio do governador Flávio Dino, após as duras e graves acusações do senador Roberto Rocha, na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da JBS.

Durante o depoimento do empresário Ricardo Saud, Roberto Rocha questionou quem seriam os 16 governadores eleitos que receberam propina da JBS. Após o silêncio do empresário, o senador do PSDB foi categórico em afirmar que Flávio Dino era um desses governadores e que teve seu nome protegido pelo irmão Nicolao Dino, à época, braço direito do ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot (reveja).

Mesmo sendo usuário ao extremo das redes sociais, inclusive acostumado a responder outras denúncias e acusações, Flávio Dino resolveu, desta vez, optar pelo silêncio sepulcral e não quis comentar as afirmações feitas por Roberto Rocha.

Aliados e asseclas do governador tentaram sair em defesa do comunista, mas o próprio Dino, estranhamente, não comentou o assunto.

A gravidade do fato, e por esse motivo o Blog entende que deveria ter tido uma resposta do governador, é que foi uma afirmação pública, de um senador da República, durante uma CPI.

De qualquer forma, o silêncio é um direito que é assegurado a todos, mas como já dizia meu avô, “quem cala, consente”.

Madeira quer intervenção nacional do PSDB no Maranhão

por Jorge Aragão

Desde a chegada do senador Roberto Rocha ao PSDB, boa parte dos tucanos maranhenses ligados ao comunista Flávio Dino seguem atordoados e sem saber ao certo o que fazer.

Já chegou a ser cogitada a possibilidade de que o partido no Maranhão, ainda sob o comando do vice-governador Carlos Brandão, em reunião estadual solicitasse a expulsão de Roberto Rocha. A ideia, mesmo sabendo que não terá jamais o amparo da Direção Nacional, seria apenas para desgastar o desafeto de Flávio Dino.

Entretanto, quem saiu na frente nesta disputa foi o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira. Aliado de Roberto Rocha, e mais um enganado por Flávio Dino, Madeira nesta semana solicitou junto à Direção Nacional a intervenção do partido no Maranhão.

Madeira demonstrou a verdade sobre o atual comando do PSDB no Maranhão. Para o ex-prefeito, o partido segue sem vida própria e apenas sendo conduzido, como uma canoa, pelas ordens do governador Flávio Dino.

“É nocivo para o PSDB a influência que o PCdoB do Maranhão exerce, relegando nosso Partido ao papel de figurante”, argumentou Madeira em documento encaminhado a Direção Nacional do PSDB.

Além disso, Madeira também pediu que a convenção estadual do PSDB, que deveria fazer retaliação a chegada de Roberto Rocha, seja suspensa.

Agora é aguardar e conferir, mas a tendência é que Carlos Brandão saia bem menor do que entrou e fique na dependência de Flávio Dino para conseguir se eleger em 2018.

CPI JBS: Rocha cita envolvimento de Flávio Dino em propina

por Jorge Aragão

O senador Roberto Rocha (PSDB) citou textualmente o envolvimento do governador do Maranhão, Flávio Dino, com um dos 16 governadores que receberam propina da JBS.

A afirmação do senador foi durante depoimento de Ricardo Saud, na tarde desta terça-feira (31), na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da JBS.

Roberto Rocha ainda afirmou que Flávio Dino estaria sendo protegido pelo irmão Nicolao Dino, então “homem forte” do procurador geral da República, Rodrigo Janot. Veja abaixo as fortes declarações do senador maranhense.