Sérgio Frota não “crava” saída do PSDB com chegada de Roberto Rocha

por Jorge Aragão

Único deputado estadual do PSDB em Plenário na Assembleia Legislativa do Maranhão, Sérgio Frota, que também é presidente do Sampaio, preferiu não se posicionar se permanecesse ou não no partido, diante da eventual chegada do senador Roberto Rocha a legenda.

Em entrevista na manhã desta quarta-feira (20), Frota, apesar de dizer que a chegada de nomes aos partidos faz parte do processo democrático, deixou claro que não foi ouvido sobre a chegada de Roberto Rocha e que o partido integra a base do Governo Flávio Dino.

“Dentro do processo democrático, isso faz parte da vida dos partidos. Não fui consultado. Não sei se deputado estadual é importante no PSDB. Mas a minha postura no Maranhão é de apoio ao Governo Flávio Dino”, afirmou.

Sobre sua permanência no PSDB, Sérgio Frota preferiu não se manifestar ainda, pois entende que só deve fazer quando o fato (chegada de Roberto Rocha) efetivamente acontecer. Frota optou pela prudência, até para não se arrepender amanhã do quem for dito hoje. O parlamentar também reconheceu a importância de Roberto Rocha.

“Não trabalho com condicional, sou homem de decisão. Eu não fui ouvido, acho que não acharam necessário. É um senador da República, não tenha dúvida que é um político de peso, mas nós temos no Maranhão uma conjuntura diferente do resto do Brasil. Vamos aguardar o desdobramento, o PSDB é um partido democrático. Eu desde que entrei na política estou no PSDB e acharia salutar ser ouvido, mesmo que não seja decisivo. Vamos esperar o desdobramento para tomar uma decisão”, finalizou.

Ou seja, é melhor aguardar e conferir.

Comitiva do PSDB oficializa convite a Roberto Rocha

por Jorge Aragão

Uma comitiva de dirigentes do PSDB esteve hoje (13) no gabinete do senador Roberto Rocha, em Brasília, para lhe fazer um convite de retorno aos quadros do partido.

Liderada pelo presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), integraram a comitiva os senadores Antonio Anastasia (MG), Ricardo Ferraço (ES), Paulo Bauer (SC), Cássio Cunha Lima (PB) e os deputados Silvio Torres, secretário-geral do partido e Ricardo Trípoli (SP), líder do partido na Câmara.

O senador Tasso lembrou dos serviços prestados por Roberto Rocha ao partido e assegurou pleno apoio ao projeto político que será liderado pelo senador no Maranhão, destacando ainda a participação da liderança histórica de Sebastião Madeira, ex-prefeito de Imperatriz.

O senador Anastasia elogiou a consistência dos projetos do senador no Senado e o senador Ferraço destacou que a chegada de Roberto Rocha ao PSDB corrigiria uma distorção no quadro atual de alianças políticas no Maranhão.

Cassio Cunha Lima lembrou da velha amizade que vem dos tempos de deputado e acentuou as raízes nordestinas que unem os dois parlamentares.

Paulo Bauer, líder do partido no Senado, destacou que a presença de Roberto Rocha viria reforçar a qualidade da bancada tucana no Senado.

O senador Roberto Rocha agradeceu o convite, reafirmando que sempre manteve as melhores relações com o PSDB e seus líderes, e que se sentia como que voltando à própria casa. Nos próximos dias o partido marcará uma data para a assinatura de filiação, que terá a presença dos líderes tucanos, assim como do governador Geraldo Alckmin, que foi um interlocutor permanente nas discussões sobre a volta de Roberto Rocha ao ninho tucano.

“Atitude de insanidade”, diz vereador sobre expulsão de Roberto Rocha

por Jorge Aragão

O vereador de São Luís do PSB, Estevão Aragão, se manifestou nesta quarta-feira (13), na Câmara de Vereadores sobre a decisão da direção estadual do seu partido de expulsar da legenda o senador Roberto Rocha.

Aragão lamentou o fato de não ter sido convidado para o encontro e que o debate deveria ter sido mais amplo e não um “jogo de cartas marcadas”.

“Num ambiente democrático de um partido político, esse debate deveria ser mais amplo e todas as alas convidadas para participar, até para se fazer um confronto de ideias e saia uma decisão amadurecida fruto da decisão da maioria. Só que infelizmente não foi isso que aconteceu, já que eu não fui convidado, os deputados federais do partido não foram e muito menos o senador do partido”, afirmou.

O vereador classificou como uma atitude de insanidade do deputado estadual Bira do Pindaré, idealizador da proposta de expulsão de Roberto Rocha, e que o objetivo é ajudar o PCdoB a seguir com o seu projeto de poder.

“Foi uma atitude de insanidade, já que o PSB perde um senador apenas para ajudar a manutenção de poder do PCdoB, um partido infinitamente menor que o nosso”

Estevão Aragão finalizou afirmando que a expulsão foi apenas um factoide criado, já que Roberto Rocha irá aceitar o convite de retornar ao PSDB.

“Apenas criaram um factoide, já que Roberto Rocha deve deixar o partido por livre vontade, atendendo a um convite do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para retornar ao PSDB”, finalizou.

Resta saber se agora, depois dessas declarações, Estevão Aragão também não será expulso do PSB, afinal já ficou claro que o partido agora tem dono e, pior, o proprietário é de outra legenda.

Roberto Rocha comenta decisão do PSB: “aluguel camarada”

por Jorge Aragão

O senador Roberto Rocha (PSB) comentou, nas redes sociais, a decisão da direção estadual do seu partido de pedir a sua expulsão da legenda. Rocha atribuiu a iniciativa ao governador Flávio Dino, que estaria tentando mais uma vez realizar o já tradicional “aluguel camarada” do governo comunista.

Roberto Rocha lembrou ainda uma das características marcantes de Flávio Dino, a incoerência. O senador disse que Dino criticou a intervenção no PT para apoiar Roseana Sarney em 2010, mas agora, em 2018, intervém no PSB para lhe expulsar do partido. Veja abaixo o que disse o senador Roberto Rocha nas redes sociais.

Graça Paz defende Roberto Rocha e cutuca Flávio Dino

por Jorge Aragão

A deputada estadual Graça Paz (PSL), logo depois de ouvir o colega parlamentar Bira do Pindaré (PSB) comentar sobre a decisão de expulsar o senador Roberto Rocha do PSB, resolveu subir à Tribuna em defesa do senador maranhense e aproveitando para cutucar o governador Flávio Dino (PCdoB), que seria o idealizador dessa iniciativa.

Graça Paz iniciou lamentando a atitude do PSB maranhense e questionando que perigo ele poderia representar. A deputada, que já esteve ao lado de Flávio Dino, cutucou o comunista quando afirmou que Roberto Rocha não existe nada contra o senador na Lava Jato, fazendo uma alusão a citação do governador maranhense em delações.

“Só fico imaginando e lamentando a atitude do PSB maranhense ao expulsar o senador Roberto Rocha deste partido. Por qual motivo querem expulsar o senador Roberto Rocha do PSB? Será que ele é um perigo para a política do Maranhão? Será que ele é um perigo para a candidatura do atual governador em 2018? Será que pensam isso? Eu acho que não tem nenhuma razão de ser. Porque o senador Roberto Rocha, tendo condição de ser candidato a governador, ele será candidato a governador, nada lhe impede. Ele não tem o nome sujo. Ele não recebeu duzentos mil, quatrocentos mil de ninguém. Pelo menos até agora nada apareceu contra o Senador Roberto Rocha”, declarou Graça Paz.

A parlamentar ainda salientou que o senador Roberto Rocha tem recebido inúmeros convites de outros partidos, inclusive do PSDB e lamentou que ele não tenha saído ainda do PSB, para evitar essa situação.

Graça Paz concluiu afirmando que Roberto Rocha é um nome respeitado no Maranhão e que ao contrário de alguns, outra cutucada, não manda recado e nem contrata ninguém para dizer o que pensa, ele mesmo diz diretamente. A deputada afirmou que tem gente que não suporta ver o sucesso do senador maranhense.

“Roberto Rocha é um nome respeitado neste Maranhão. Roberto não contrata ninguém para dizer aquilo que ele quer, o que ele quer ele diz pessoalmente, diz diretamente. O Roberto Rocha é assim, é afoito, eu sei que é. Destemido, eu sei que é, mas é corajoso. Ele não é covarde. E tem gente que não tolera isso, não aceita ver o senador Roberto Rocha subindo degraus, não sei por que”, finalizou.

Direção do PSB no Maranhão aprova expulsão de Roberto Rocha

por Jorge Aragão

Mesmo depois de se tornar Líder do PSB no Senado Federal, o senador Roberto Rocha segue com problemas com a legenda no Maranhão. No último fim de semana, a direção estadual do PSB aprovou, por unanimidade, um pedido de expulsão do senador dos quadros do partido.

A sugestão foi feita pelo deputado estadual Bira do Pindaré, que é o presidente do PSB em São Luís. Bira chegou a convidar Roberto Rocha para sair, mas como ele não aceitou o convite, Bira agora quer a expulsão do senador maranhense do PSB.

Bira defende a expulsão de Roberto Rocha pelo fato de entender que o senador não tem seguido a orientação do partido. Roberto Rocha ainda não se posicionou sobre a decisão do PSB do Maranhão, mas para aliados próximos assegura que a decisão não tem nenhum efeito prático, pois por ser senador somente a direção nacional poderia expulsá-lo.

Além da expulsão de Roberto Rocha, a direção estadual reconduziu o prefeito de Timon, Luciano Leitoa, para a presidência do PSB do Maranhão, e decidiu, desde já, apoiar a reeleição de Flávio Dino para o Governo do Maranhão.

O senador Roberto Rocha tem demonstrado tranquilidade diante da situação. Sendo assim, é melhor aguardar e conferir.

Solidariedade a André Fufuca e a juventude

por Jorge Aragão

Por Roberto Rocha

Sinto-me no dever de trazer a esta casa a manifestação solidária, como parlamentar e como amigo, ao atual presidente da Câmara dos Deputados, deputado André Fufuca.

Talvez pelo nome, que incorporou um apelido carinhoso de família, talvez pelo aspecto juvenil, no ardor dos seus 28 anos, o fato é que de uma hora para outra a presença do jovem parlamentar maranhense destampou a sanha preconceituosa que nós, nordestinos, estamos acostumados a sofrer na pele.

Ninguém procurou ver a trajetória que levou o jovem a percorrer a espinhosa senda política até alcançar o cargo que ocupa legítima e merecidamente.

Médico de formação, com apenas 21 anos foi eleito o deputado estadual mais jovem do Brasil. Durante seu primeiro mandato presidiu a Comissão de Assuntos Municipais e Desenvolvimento Regional, assim como a Comissão de Saúde.

Isso o credenciou a disputar o mandato federal, conquistado com mais de 56 mil votos. Nesse cargo, ainda no primeiro ano de mandato assumiu a relatoria da CPI da Máfia das Órteses e Próteses no Brasil.

No segundo ano de mandato tornou-se o mais jovem coordenador de bancada da história do Brasil. Demonstrou assim, ter a confiança de seus pares e espírito de liderança.

As tentativas de transformá-lo numa piada política não passam de manifestação preconceituosa, que seria tolerável no espaço anárquico das redes sociais, mas não pode ser aceito quando é encabeçada por veículos de comunicação.

Antes mesmo de tomar qualquer decisão, o presidente interino da Câmara é julgado não pelo que fez ou deixou de fazer, mas simplesmente pela aparência.

Mas André Fufuca já deu provas de que é um deputado de posição, que tem brilho próprio e isso ficará demonstrado ao longo de sua breve interinidade.

CPI do BNDES: Roberto Rocha quer ouvir Lula

por Jorge Aragão

Às vésperas da chegada do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva ao Maranhão, a Coluna Painel da Folha de São Paulo destaca que o senador maranhense, Roberto Rocha, relator da CPI do BNDES, quer ouvir o petista.

Rocha quer explicações tanto de Lula, quanto do ex-ministro Guido Mantega, sobre os empréstimos feitos pelo BNDES.

É aguardar e conferir.

Senado: Roberto Rocha comenta arquivamento da denúncia de Dino

por Jorge Aragão

Na tarde desta quinta-feira (31), o senador Renan Calheiros utilizou a Tribuna para criticar a postura de “dois pesos e duas medidas” que vem sendo adotada pelo procurador-geral República, Rodrigo Janot.

Renan Calheiros, inclusive, citou a celeridade para o arquivamento da denúncia do governador do Maranhão, Flávio Dino, enquanto que em outros casos a PGR e Janot não tiveram a mesma destreza.

Quando Calheiros citou o caso do arquivamento de Flávio Dino, o senador maranhense Roberto Rocha, solicitou um aparte e emitiu sua opinião sobre o assunto.

Ao entrar neste plenário agora eu vi que Vossa Excelência fazia uma exposição com relação a atuação do Ministério Público e falava no caso do governador do Maranhão. O governador do Maranhão que foi denunciado, e que ontem o procurador geral da República pede o arquivamento da sua denúncia. Eu me recordo que a pouco tempo atrás, o procurador geral Rodrigo Janot, disse uma frase um tanto quanto infeliz mas disse, disse que enquanto houvesse bambu não ia faltar flecha. Parece que nesse caso está muito claro que o bambu do Janot serve para uns como flecha mortal, mas para outros como flecha em cupido, pelas razoes e pelas ligações que Vossa Excelência disse dele com o próprio irmão do governador seu subprocurador e seu candidato a própria sucessão”, afirmou Roberto Rocha.

Flávio Dino e seus asseclas fatalmente não curtiram.

Madeira descarta aliança com Dino e assegura Roberto Rocha no PSDB

por Jorge Aragão

O ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB), que foi um dos fundadores da legenda no Maranhão, concedeu entrevista a emissoras de rádio na Região Tocantina onde fez um verdadeiro desabafo sobre o Governo Flávio Dino e sobre o caminho que o PSDB deve tomar nas eleições 2018 no Maranhão.

Madeira classificou a gestão comunista como um desastre político e que Flávio Dino só não é “apedrejado” por conta do dinheiro que ficou do Governo Roseana Sarney.

“O Governo Flávio Dino é um desastre político. Em todo o lugar que ele faz obra, não serve para melhorar a avaliação dele, pois ele faz desconsiderando as lideranças da cidade. Digo mais, o governador Flávio Dino ainda pode andar nas ruas de algumas cidades sem ser apedrejado, pelo fato do Governo Roseana ter deixado R$ 2 bilhões do empréstimo do BNDES e é com esse dinheiro que está fazendo alguma coisa”, afirmou.

O ex-prefeito de Imperatriz descartou a possibilidade de novamente está lado a lado com o comunista. Madeira ainda reclamou do tratamento que ele e a cidade de Imperatriz receberam.

“Se quando eu fui prefeito da segunda maior cidade do Maranhão eu não recebi o apoio do governador Flávio Dino, agora é difícil. Toda hora tenho recebido recado e convites, mas o momento de me conquistar como aliado já passou, pois foi quando eu era prefeito”, declarou.

Madeira finalizou afirmando que o PSDB não irá com Flávio Dino, disse que apenas tolos pensam assim e que o candidato do PSDB será o senador Roberto Rocha, atualmente no PSB.

“O Roberto Rocha vai sair do PSB e virá para o PSDB, eu continuarei aqui no PSDB, afinal sou um dos fundadores do partido. O Roberto virá para cá e sairá candidato pelo nosso partido. Só quem não sabe avaliar política acha que o PSDB vai ficar com Flávio Dino”, finalizou.

Ou seja, o cenário político eleitoral para 2018 começa a definitivamente clarear.