“Atitude de insanidade”, diz vereador sobre expulsão de Roberto Rocha

por Jorge Aragão

O vereador de São Luís do PSB, Estevão Aragão, se manifestou nesta quarta-feira (13), na Câmara de Vereadores sobre a decisão da direção estadual do seu partido de expulsar da legenda o senador Roberto Rocha.

Aragão lamentou o fato de não ter sido convidado para o encontro e que o debate deveria ter sido mais amplo e não um “jogo de cartas marcadas”.

“Num ambiente democrático de um partido político, esse debate deveria ser mais amplo e todas as alas convidadas para participar, até para se fazer um confronto de ideias e saia uma decisão amadurecida fruto da decisão da maioria. Só que infelizmente não foi isso que aconteceu, já que eu não fui convidado, os deputados federais do partido não foram e muito menos o senador do partido”, afirmou.

O vereador classificou como uma atitude de insanidade do deputado estadual Bira do Pindaré, idealizador da proposta de expulsão de Roberto Rocha, e que o objetivo é ajudar o PCdoB a seguir com o seu projeto de poder.

“Foi uma atitude de insanidade, já que o PSB perde um senador apenas para ajudar a manutenção de poder do PCdoB, um partido infinitamente menor que o nosso”

Estevão Aragão finalizou afirmando que a expulsão foi apenas um factoide criado, já que Roberto Rocha irá aceitar o convite de retornar ao PSDB.

“Apenas criaram um factoide, já que Roberto Rocha deve deixar o partido por livre vontade, atendendo a um convite do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para retornar ao PSDB”, finalizou.

Resta saber se agora, depois dessas declarações, Estevão Aragão também não será expulso do PSB, afinal já ficou claro que o partido agora tem dono e, pior, o proprietário é de outra legenda.

Roberto Rocha comenta decisão do PSB: “aluguel camarada”

por Jorge Aragão

O senador Roberto Rocha (PSB) comentou, nas redes sociais, a decisão da direção estadual do seu partido de pedir a sua expulsão da legenda. Rocha atribuiu a iniciativa ao governador Flávio Dino, que estaria tentando mais uma vez realizar o já tradicional “aluguel camarada” do governo comunista.

Roberto Rocha lembrou ainda uma das características marcantes de Flávio Dino, a incoerência. O senador disse que Dino criticou a intervenção no PT para apoiar Roseana Sarney em 2010, mas agora, em 2018, intervém no PSB para lhe expulsar do partido. Veja abaixo o que disse o senador Roberto Rocha nas redes sociais.

Roberto Rocha segue trabalhando em duas frentes

por Jorge Aragão

O senador Roberto Rocha (PSB) segue trabalhando em duas frentes visando as eleições de 2018, quando deseja disputar o Governo do Maranhão. Rocha vai conseguindo abrir a porta para um eventual retorno ao PSDB, mas também não desistiu de permanecer e ser candidato pelo seu partido.

Durante a semana, mais curta pelo feriado, Roberto Rocha conseguiu avançar bem nas duas frentes.

No PSB, depois de perder o comando da legenda em São Luís para o deputado estadual Bira do Pindaré, Roberto Rocha agora conseguiu assumir o comando do partido no Senado Federal.

Rocha assume o posto do senador Fernando Bezerra Coelho, que trocou o PSB pelo PMDB para disputar o Governo de Pernambuco. Com essa modificação, Roberto Rocha passou a ser o novo Líder do PSB no Senado.

Além disso, a saída de Fernando Bezerra pode interferir na eleição interna do PSB, já que a ala do partido em Pernambuco acaba perdendo força e quem ganha mais força é a ala do partido em São Paulo, cujo candidato é Márcio França, vice-governador de São Paulo e bem mais próximo de Roberto Rocha.

Apesar de ver novamente a possibilidade de ser candidato ao Governo do Maranhão pelo PSB, Roberto Rocha também segue escancarando as portas do PSDB para um eventual retorno.

Durante a semana, Roberto Rocha teve um importante almoço com Geraldo Alckmin, governador de São Paulo e o nome mais forte para disputar a presidência da República pelo PSDB. O senador maranhense não só fez questão de postar o encontro, como também já antecipou seu voto para as eleições de 2018 para presidente do Brasil.

E assim Roberto Rocha segue trabalhando em duas frentes, mas com uma única certeza, quer mesmo disputar o Governo do Maranhão.

Roberto Rocha em “desgraça” no PSB do Maranhão

por Jorge Aragão

O senador Roberto Rocha (PSB) segue com o firme propósito de disputar o Governo do Maranhão, mas pelo visto é cada vez mais improvável que saia candidato pelo seu atual partido.

No fim do mês passado, Roberto Rocha perdeu o comando do PSB em São Luís, já que seu filho, o ex-vereador Roberto Júnior, foi substituído pelo deputado estadual Bira do Pindaré, que passou a comandar a legenda na capital maranhense.

Agora foi a vez do presidente do PSB no Maranhão, o prefeito de Timon Luciano Leitoa, se manifestar sobre a permanência de Roberto Rocha no PSB.

“Infelizmente, temos um senador em nosso partido, que ajudamos a eleger. Mas se Deus quiser, ele não ficará no PSB”, disse Leitoa, em evento na cidade de Pedreiras em apoio a candidatura do deputado federal Weverton Rocha (PDT) ao Senado.

Pelo visto, pelo menos para o PSB do Maranhão, Roberto Rocha já parece ser uma persona non grata.

Te cuida Roberto Rocha…

por Jorge Aragão

Definitivamente o senador Roberto Rocha se quiser mesmo ser candidato ao Governo do Maranhão terá que procurar outro partido para sair candidato em 2018 contra o seu ex-aliado, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Na semana passada, Rocha, que já não detinha o controle do PSB estadual, perdeu o controle do partido na capital maranhense, já que seu filho, o ex-vereador Roberto Júnior, foi substituído pelo deputado estadual Bira do Pindaré, desafeto de Rocha dentro da legenda.

Nesta semana foi a vez do próprio governador se movimentar. Flávio Dino foi visitar a sede nacional do PSB e foi recebido pelo presidente nacional do partido, Carlos Siqueira e pelo secretário Milton Coelho.

Na visita de cortesia é óbvio que o assunto eleições 2018 foi tratado e pela alegria de todos na foto, o caminho realmente do PSB deverá ser marchar novamente ao lado de Flávio Dino em 2018. Dino ainda fez um afago público ao partido.

“Na visita ao presidente Siqueira, agradeci a grande contribuição que o PSB tem dado ao nosso governo e dialogamos sobre conjuntura do Brasil”, declarou o comunista.

Desta forma, só resta dizer: te cuida Roberto Rocha…

“Quero ser candidato pelo PSB com apoio do PSDB”, diz Roberto Rocha

por Jorge Aragão

Nesta semana o senador maranhense do PSB, Roberto Rocha, foi surpreendido com a notícia, nada agradável, que perdeu o controle do seu partido na capital maranhense.

Roberto Rocha tinha o filho, o ex-vereador Roberto Júnior, como presidente da legenda em São Luís, mas, por determinação da Direção Nacional do PSB, uma nova comissão provisória foi criada e será presidida pelo deputado estadual Bira do Pindaré, desafeto político de Rocha dentro do partido.

Ao que parece, a medida do comando nacional do PSB seria uma retaliação pela postura do senador maranhense quando da votação da reforma trabalhista. Rocha foi favorável a Proposta de Emenda a Constituição (PEC) da Reforma Trabalhista, quando a maioria do seu partido era contrário.

Em entrevista ao jornal O Estado do Maranhão, o senador Roberto Rocha disse que deve satisfação ao seu partido, mas o seu compromisso prioritário é com o povo maranhense.

“Respeito a posição do partido e não questiono. Votei de acordo com a minha convicção e não aceito questionamentos. Devo lealdade ao partido, mas obediência eu devo ao povo maranhense e ao povo brasileiro”, afirmou Rocha.

Candidatura – Roberto Rocha é pré-candidato ao Governo do Maranhão e para isso precisa ter o apoio integral do seu partido. Por conta dessa decisão, que colocou Bira do Pindaré, um dos principais aliados do governador Flávio Dino (PCdoB), para comandar o PSB em São Luís, voltou a se cogitar uma saída do senador maranhense para outra legenda, o caminho mais provável seria o PSDB, partido que Rocha já esteve.

Apesar das dificuldades e da proximidade do pleito, Roberto Rocha negou que esteja pensando em deixar o partido e reafirmou que quer disputar a eleição de 2018 pelo PSB e, se possível, com o apoio do PSDB.

“Pretendo ser candidato ao Governo do Maranhão pelo PSB e com apoio do PSDB”, disse Roberto Rocha.

Resta saber se a Direção Nacional do PSB também pensa assim ou se vai entregar de bandeja o partido para apoiar a reeleição de Flávio Dino. Uma coisa é certa, Bira do Pindaré deverá trabalhar insistentemente para que o partido apoie o comunista.

É aguardar e conferir.

Roberto Rocha aguarda decisão sobre comando nacional do PSB

por Jorge Aragão

A permanência ou não do senador Roberto Rocha no PSB dependerá de quem ficará com o comando do partido: Pernambuco ou São Paulo.

Se for o primeiro, o mais lógico é que em 2018 o PSB se coligue com o PT para uma eventual candidatura do ex-presidente Lula.

E nesse caminho o mais provável é que Rocha deixe o PSB, apesar de a ele ser garantido pelos socialistas alinhados com Pernambuco o direito de ser candidato a governador do Maranhão.

Escanteio – Se o PSB ficasse nas mãos dos pernambucanos, Flávio Dino mais uma vez teria de lutar para ter o PT ao seu lado na eleição.

Explica-se: o PSB deverá ir com Lula, mas quer Rocha candidato. Com isso, amarraria o PT maranhense à candidatura do senador maranhense e deixaria Dino de lado.

E há quem garanta que, se tiver de escolher, Lula não vai com Flávio Dino em 2018 assim como não quis em 2010 e 2014. E que só deixou o PT em 2008 com Dino devido a pedido do presidente do Senado na época.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

O enfraquecimento do PSB no Maranhão

por Jorge Aragão

O PSB começa a se enfraquecer aqui no Maranhão e muito se deve ao comando do partido no Estado. Presidido pelo prefeito de Timon, Luciano Leitoa, que jamais conseguiu uma unidade da legenda, o PSB viveu uma eterna disputa interna.

O pior é que os dois principais causadores dessa disputa interna, o senador Roberto Rocha e o deputado federal José Reinaldo, ambos devem deixar o PSB, deixando a legenda enfraquecida no Maranhão.

José Reinaldo já confirmou sua saída do PSB e deve ter como caminho natural o DEM, partido mais próximo do Governo Flávio Dino. Durante a semana José Reinaldo deverá se reunir com o presidente estadual do partido, o também deputado federal Juscelino Filho. O ex-governador quer ter a garantia de disputar a eleição para o Senado em 2018.

Já Roberto Rocha, que também não se sente seguro no PSB para almejar voos mais altos, também deve deixar a legenda. Rocha tende a se transferir para o PSDB, pois almeja uma disputa para o Governo do Maranhão em 2018 e quer um partido que lhe assegure esse direito.

Com a saída de Roberto Rocha e José Reinaldo, o PSB fica bastante enfraquecido no Maranhão, se resumindo a apenas um deputado federal, no caso Luana Costa, que só assumiu a vaga após o falecimento de João Castelo (PSDB), mas que dificilmente conseguirá renovar tal mandato.

Na Assembleia Legislativa são três deputados estaduais, Rogério Cafeteira, Bira do Pindaré e Edson Araújo, sendo que os dois primeiros tendem também a deixar o partido antes do pleito do ano que vem.

E assim segue o PSB no Maranhão, caminhando para um enfraquecimento que pode ser extremamente perigoso para a sua sobrevivência no cenário eleitoral brasileiro.

José Reinaldo anuncia saída do PSB, destino ainda incerto

por Jorge Aragão

O deputado federal e ex-governador, José Reinaldo Tavares, confirmou que está deixando o PSB, mesmo as vésperas de confirmar oficialmente que disputará uma das duas vagas do Maranhão para o Senado.

O anúncio veio nesta segunda-feira (1º), onde justificou sua saída pelo fato da cúpula do PSB não debater com a bancada do partido as decisões importantes que precisam ser tomadas na Câmara Federal.

“Eu estou saindo do PSB exatamente porque resolveu fechar questão contra as reformas trabalhista e previdenciária sem ouvir as bancadas da Câmara e do Senado”, destacou José Reinaldo, que foi de encontro a decisão do partido e votou favorável a Reforma Trabalhista.

José Reinaldo deve lançar no próximo sábado (06), em Tuntum, cidade administrada por Cleomar Tema, que também é presidente da FAMEM e um dos principais incentivadores da sua candidatura ao Senado, a sua pré-candidatura.

Resta agora saber por qual partido José Reinaldo irá disputar as eleições de 2018. As duas legendas mais cotadas são PSDB e DEM, mas ambas podem lhe distanciar ainda mais do governador Flávio Dino (PCdoB), que ao que parece tem compromisso de apoiar a candidatura do também deputado federal Waldir Maranhão ao Senado. Isso sem falar que outro aliado, de primeira hora de Dino, o deputado federal Weverton Rocha (PDT) também irá disputar o Senado.

Resta aguardar e conferir, mas uma coisa é certa, José Reinaldo irá mesmo disputar o Senado, com ou sem o apoio de Flávio Dino.

Roberto Rocha Júnior mantém “mistério” sobre destino do PSB

por Jorge Aragão

robertojunior

Apesar do presidente estadual do PSB no Maranhão, remedy o senador Roberto Rocha, ambulance ter praticamente afirmando que o caminho da legenda será mesmo apoiar a reeleição do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), physician o presidente municipal do partido, vereador Roberto Rocha Júnior optou pelo “mistério”.

Em declaração nas redes sociais, Rocha Júnior, que inclusive é o mais cotado para ser o candidato a vice-prefeito de Edivaldo, disse que o partido segue ainda indefinido.

“Estive esta semana conversando com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, acompanhado do senador Roberto Rocha. Nosso partido em São Luís segue discutindo o melhor caminho para seu fortalecimento nestas eleições de 2016”, afirmou.

Rocha Júnior disse que o presidente nacional quer o fortalecimento do partido e que seu pai, Roberto Rocha, demonstrou simpatia pela pré-candidatura de Edivaldo a reeleição. Entretanto, deixou claro que segue conversando com todos.

“Carlos Siqueira quer que o PSB se fortaleça para as eleições presidenciais de 2018. Roberto Rocha revelou sua simpatia pela candidatura à reeleição do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, de quem ele foi vice e teve o apoio para senador da República. Na condição de vereador da cidade, único eleito pelo partido, e principalmente de presidente municipal do PSB, sigo conversando com as diversas lideranças de São Luís, sem decisão ainda sobre candidatura própria ou coligação, na expectativa de um caminho que atenda o interesse municipal, estadual e nacional”. Tarefa nada fácil”, finalizou.

Alguns correligionários do deputado estadual Bira do Pindaré (PSB), que sonha em ser candidato à Prefeitura de São Luís, chegaram a comemorara declaração, afinal Rocha Júnior deu “novas esperanças” ao parlamentar.

Entretanto, quem conhece de política e quem conhece o modo de pensar política do senador Roberto Rocha, aposta que para Bira do Pindaré essa foi a “melhora da morte”.

Ou seja, o PSB pode até não seguir com Edivaldo Júnior, algo pouco provável, mas, se depender dos Rochas, Bira do Pindaré não será jamais o candidato do partido.