Novas mudanças no concurso da PM: seria cômico, se não fosse trágico

por Jorge Aragão

É impressionante a falta de capacidade que está demonstrando o Governo do Maranhão para organizar o concurso público para a Polícia Militar do Maranhão.

Depois de laçar no dia 27 de outubro um novo Edital, corrigindo o primeiro Edital, o Governo Flávio Dino resolveu, mais uma vez, fazer modificações importantes para o concurso.

De acordo com a página da própria CESPE, que ganhou a prerrogativa de organizar o concurso público para a Polícia Militar com uma vergonhosa dispensa de licitação, foram modificados o período de inscrição e a data da realização das provas.

As inscrições seriam de 16 de outubro a 16 de novembro, mas foram modificadas pelo segundo Edital, que determinou o novo período: 27 de outubro a 30 de novembro pelo site do CESPE, permitindo que o pagamento da taxa fosse feito até o dia 29 de dezembro de 2017, agora mudou e quem quiser se inscrever terá somente até o dia 27 de novembro.

A data das provas, de maneira absurda, também foram alteradas e devem prejudicar inúmeras pessoas. Inicialmente seria 21 de janeiro, mas foi modificada pelo segundo Edital, que determinou que as provas seriam realizadas no dia 28 de janeiro, mas simplesmente agora resolveram antecipar em mais de 40 dias e as provas serão realizadas em 17 de dezembro.

As modificações inexplicáveis e absurdas já foram alvos de crítica nas redes sociais e também da classe política. O deputado estadual Wellington do Curso, que também é proprietário de um cursinho preparatório para concursos, se manifestou contrário as modificações repentinas.

“Aja com bom senso, governador! Primeiro: por que mudaram a data agora de forma repentina? Onde está o planejamento do Governo do Estado? Vocês não o fizeram antes de lançar o edital? Por que tanta desorganização? Segundo: mudaram e não deram justificativa alguma para a população. As provas, agora, acontecerão 43 dias antes do previsto. Foi feita uma mudança, mas, mudança para prejudicar? Como fica a situação dos homens e mulheres que programaram seus estudos para a prova que seria em janeiro? Terceiro: entre as fases de inscrição e aplicação de provas os candidatos terão apenas 21 dias. Onde está a razoabilidade? Quarto: por que tanta pressa? Não quero acreditar que querem fazer desse concurso um objeto eleitoreiro. Senhor Governador, Vossa Excelência prejudicará homens e mulheres que sonham em ingressar na Polícia Militar do Maranhão. Em nome dos candidatos, solicitamos que mantenha a data da prova em janeiro, conforme divulgação inicial no edital. Seja coerente, já que não tem planejamento! Não prejudique a população”, disse o professor e deputado Wellington do Curso.

É muita desorganização e incompetência para um único concurso.

Abertas, enfim, as inscrições para o concurso da PM do Maranhão

por Jorge Aragão

A CEBRASPE, que ganhou a prerrogativa de organizar o concurso público para a Polícia Militar com uma vergonhosa dispensa de licitação, confirmou, através de um novo Edital, que as inscrições para o certame se iniciam nesta sexta-feira (27).

As inscrições, pelo primeiro Edital, seriam iniciadas no dia 16 de outubro, mas foram adiadas para algumas modificações, que se encontram nesse Edital de “retificação”.

O novo Edital (veja) apresenta algumas correções com relação ao primeiro Edital (reveja). A mais significativa delas, é a ampliação, longe do ideal, dos locais de provas. Num primeiro momento as provas e testes para o concurso da PM seriam realizados apenas na capital, mas agora, após inúmeras reclamações, a CEBRASPE acrescentou apenas mais duas cidades – Caxias e Imperatriz.

Além disso, a CEBRASPE não modificou a questão das vagas para o cargo de médico veterinário, alvo de reclamação do Conselho Regional de Veterinária e da OAB, que entendem que as mulheres estão sendo discriminadas no concurso para o cargo. A polêmica foi parar na TV Globo (reveja) e pode ainda ocasionar problemas para o certame.

Serão disponibilizadas 1.171 vagas e formação de cadastro de reserva para o cargo de soldado da Polícia Militar do Estado do Maranhão e de 43 vagas e formação de cadastro para o cargo de 1ª Tenente do quadro de Oficiais de Saúde da PM/MA.

As inscrições serão de 27 de outubro a 30 de novembro pelo site do CEBRASPE. O pagamento da taxa poderá ser feito até o dia 29 de dezembro de 2017.

Para o cargo de soldado, podem concorrer candidatos entre 18 e 30 anos, que tenham concluído ensino médio ou formação técnica profissionalizante de nível médio. Para o cargo de Tenente do quadro de Oficiais de Saúde da PM/MA, podem se inscrever candidatos de até 35 anos, com formação superior na área solicitada.

As provas serão realizadas no dia 28 de janeiro, sendo que pela manhã será para os cargos de nível superior e na parte da tarde para nível médio.

CESPE adia inscrições para o concurso da PM do Maranhão

por Jorge Aragão

Depois de inúmeras críticas sobre o polêmico Edital do concurso para a Polícia Militar do Maranhão, a empresa CESPE, responsável pelo certame, informou nesta segunda-feira (16), que as inscrições estão adiadas.

As inscrições, de acordo com o Edital, seriam iniciadas nesta segunda-feira. Só que, um comunicado no site da CESPE, confirmou o adiamento das inscrições. A CESPE não deu mais detalhes sobre o adiamento e nem mesmo quando serão efetivamente abertas as inscrições. Veja abaixo o comunicado.

Pelo comunicado da CESPE, deveremos ter um Edital de retificação. Agora é aguardar e torcer para que os inúmeros erros sejam corrigidos no próximo.

Vale lembrar que além da CESPE ter ganho o direito de ser responsável pelo concurso através de uma dispensa de licitação, as outras principais críticas foram: a reclamação do Conselho Regional de Veterinária e da OAB, que entenderam que as mulheres estão sendo discriminadas no concurso para o cargo de médico veterinário e o fato do concurso só ser realizado em São Luís, o que demonstra a falta de respeito com os pretendentes do interior do Maranhão (reveja).

Se não tiver nenhuma mudança no Edital de retificação, serão disponibilizadas 1.171 vagas e formação de cadastro de reserva para o cargo de soldado da Polícia Militar do Estado do Maranhão e de 43 vagas e formação de cadastro para o cargo de 1ª Tenente do quadro de Oficiais de Saúde da PM/MA.

Polêmica sobre Edital do concurso da PM vai parar na TV Globo

por Jorge Aragão

Mais uma vez o Maranhão voltou a ser destaque negativo na imprensa nacional. Desta vez foi o polêmico Edital do concurso da Polícia Militar que ganhou espaço na TV Globo, no Bom Dia Brasil.

A reportagem, desta sexta-feira (06), abordou a questão da discriminação que está sendo feita no Edital do concurso para o cargo de médico veterinário, uma vez que as duas vagas existentes para o cargo são destinadas exclusivamente para o sexo masculino.

Por conta dessa discriminação, tanto o Conselho de Veterinária, quanto a Ordem dos Advogados do Brasil, já se posicionaram contrário ao Edital e assegurando que, caso não haja a correção, irão ingressar na Justiça.

Vale lembrar que além dessa situação, outras duas polêmicas já foram levantadas sobre o Edital do concurso para a PM no Maranhão. A primeira é o fato de que a empresa contratada para organizar o concurso, a CEBRASPE, ganhou essa prerrogativa com a comum, mas vergonhosa, dispensa de licitação.

A outra polêmica foi levantada pelo deputado estadual Wellington do Curso. O Edital prevê que as provas sejam realizadas apenas em São Luís, ou seja, candidatos de outras cidades do Maranhão que queiram fazer o concurso terão que se deslocar para a capital, o que demonstra a falta de respeito para com a população do interior maranhense.

Mesmo diante de todas essas polêmicas e apesar de alguns já defenderem o cancelamento do atual Edital, o governador Flávio Dino segue adotando um silêncio sepulcral e não omitiu nenhuma opinião a respeito do fato.

Só não vai poder reclamar depois se o concurso for parar mais uma vez na Justiça, afinal o Governo Flávio Dino, com esse Edital, tem se esforçado para que isso aconteça.

Clique aqui e acompanhe a reportagem na TV Globo.

E tome reclamações contra o Edital do concurso da Polícia Militar

por Jorge Aragão

E as reclamações não param com relação ao Edital lançado pelo Governo Flávio Dino para o concurso da Polícia Militar.

Depois da revelação absurda que a empresa que organizará o concurso público para a Polícia Militar do Maranhão foi contratada com dispensa de licitação, e a reclamação do Conselho Regional de Veterinária e da OAB, que entendem que as mulheres estão sendo discriminadas no concurso para o cargo de médico veterinário, foi a vez do deputado estadual Wellington do Curso destacar mais um absurdo do edital.

Na manhã desta quinta-feira (05), o deputado estadual Wellington do Curso (PP) se posicionou em defesa da população de Imperatriz e de outros municípios do Maranhão. O posicionamento foi feito em defesa dos que desejam realizar as provas do concurso da Polícia Militar. A solicitação é para que haja a descentralização dos polos para aplicação das provas e realização das demais etapas do concurso, já que, pelo Edital, até o presente momento, somente São Luís seria ponto de aplicação.

Ao se pronunciar, Wellington mencionou as solicitações de moradores de vários municípios, que serão prejudicados caso a aplicação de provas seja apenas em São Luís, a exemplo das mais de 100 solicitações oriundas de Imperatriz tanto de sub judice quanto de candidatos que ainda farão o concurso.

“Recebemos solicitações de homens e mulheres que sonham em ingressar nos quadros da Polícia Militar do Maranhão, mas que serão prejudicados caso apenas São Luís seja ponto de aplicação de provas e demais etapas do concurso. O candidato terá que sair de sua cidade, fazer a prova, depois o teste físico, o curso de formação e, durante todo esse período, arcará com suas despesas com alimentação, estadia, passagens, entre outros. Há casos em que o candidato precisa fazer rifa para se manter. Há outros em que o candidato até desiste por não possuir condições financeiras. Sabendo disso, apresentamos indicação, solicitando que o governador descentralize a ampliação de vagas e, então, coloque a cidade de Imperatriz e outros municípios como polos das provas”, afirmou o professor e deputado Wellington.

A solicitação do deputado Wellington foi encaminhada ao governador Flávio Dino e ao secretário de Estado de Gestão e Previdência, solicitando, em caráter de urgência, que modifiquem o edital da PM e incluam a cidade de Imperatriz e outros municípios como polos.

Pelo visto, o tão aguardado concurso da Polícia Militar no Maranhão já começa a polemizar antes mesmo da sua realização, afinal os erros grosseiros do Edital são muitos e cada dia aumentando.

Mais bronca sobre o Edital do concurso da Polícia Militar

por Jorge Aragão

Se já não bastasse o absurdo de que a empresa que organizará o concurso público para a Polícia Militar do Maranhão foi contratada com dispensa de licitação, o edital do certame está sendo questionado por alguns órgãos de classe.

A reclamação, diga-se de passagem pertinente, é pelo fato de que o Edital do concurso para a Polícia Militar não disponibiliza vagas para mulheres no cargo de médico veterinário. Isso mesmo, por mais absurdo que possa parecer, as duas vagas que estão disponibilizadas são exclusivamente para o sexo masculino.

Por conta dessa estranha situação, tanto o Conselho Regional de Veterinária, quanto a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), estão questionando o Governo Flávio Dino. Segundo as entidades, o edital é inconstitucional e discriminatório.

O Conselho de Veterinária assegurou que dentro da medicina veterinária existem mais de 40 áreas de atuação, mas em nenhuma existe distinção de sexos na hora de assumir os cargos. Ainda de acordo com o conselho, no Maranhão dos 1.500 profissionais veterinários, 44% são mulheres. Além disso, a maioria dos alunos que estão atualmente ingressando no curso de veterinária da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), são do sexo feminino.

Agora o Conselho de Veterinária, que ingressou com uma ação administrativa, aguarda, em até cinco dias, um posicionamento do Governo Flávio Dino.

Em nota, a Secretaria Estadual de Gestão e Previdência alegou que a lei prevê a reserva de apenas 10% das vagas para as mulheres. E que no Edital não existem vagas suficientes para essa reserva.

A desculpa não foi acatada pela OAB, que assegura que o Edital fere a Constituição Federal e a convenção internacional que trata das formas de discriminação contra a mulher. A OAB também irá aguardar um posicionamento oficial, antes que tome qualquer medida judicial contra o edital.

O assunto, pela questão polêmica, acabou indo parar na TV Mirante, no JMTV 2ª Edição. Clique aqui e veja a reportagem completa.

Até aqui??? Concurso para PM será feito com dispensa de licitação

por Jorge Aragão

É impressionante como fica difícil entender, aceitar e principalmente elogiar, mesmo que se tenha boa vontade, o Governo Flávio Dino.

Já na noite de sexta-feira (29), enfim foi publicado, por meio da Secretaria de Estado da Gestão e Previdência (SEGEP), o tão aguardado edital para o concurso da Polícia Militar do Maranhão.

Entretanto, uma atitude que deveria ser digna apenas de elogio, infelizmente é merecedora de críticas pela incompetência e/ou a maneira como o Governo Flávio Dino tem tratado as verbas públicas, ou seja, o dinheiro do povo.

Desde o dia que assumiu o Governo do Maranhão, em 1º de janeiro de 2015, Flávio Dino reafirmou uma promessa de campanha e assegurou que deixaria o cargo de governador dobrando o efetivo de policiais militares.

Além de estar longe de cumprir essa promessa, o que mais espanta é que mesmo sabendo que teria que fazer concurso para a Polícia Militar, Flávio Dino e sua equipe não quiseram e/ou não tiveram a capacidade de organizar um concurso público dentro do zelo e da moralidade que a sociedade espera e que ele se dizia defensor.

O concurso público irá ser realizado, mas a empresa que organizará o certame fará com dispensa de licitação. Por mais absurdo que possa parecer, a realidade é exatamente essa. Mesmo tendo dois anos e nove meses para organizar o concurso, o tão esperado certame custará aos cofres públicos quase R$ 6 milhões que serão pagos a empresa CEBRASPE que ganhou o direito de realizar a prova sem a devida licitação.

O episódio é serve para ratificar a maneira como Flávio Dino está conduzindo o Maranhão, bem parecido com o que sempre foi e muito distante do que ele propagava.

Concurso – Serão disponibilizadas 1.171 vagas e formação de cadastro de reserva para o cargo de soldado da Polícia Militar do Estado do Maranhão e de 43 vagas e formação de cadastro para o cargo de 1ª Tenente do quadro de Oficiais de Saúde da PMMA.

As inscrições serão de 16 de outubro a 16 de novembro pelo site do CEBRASPE e o concurso terá duas etapas, com as provas sendo realizadas em São Luís e Região Metropolitana.

Para o cargo de soldado, podem concorrer candidatos entre 18 e 30 anos, que tenham concluído ensino médio ou formação técnica profissionalizante de nível médio. Para o cargo de Tenente do quadro de Oficiais de Saúde da PMMA, podem se inscrever candidatos de até 35 anos, com formação superior na área solicitada.

Clique aqui para ler todo o Edital.

Deputado admite “vexame” ao ter carro apreendido em blitz

por Jorge Aragão

O deputado estadual Vinicius Louro (PR), membro da base do Governo Flávio Dino (PCdoB) admitiu ter passado por situação vexatória, no último fim de semana, em decorrência da apreensão de seu veículo, por falta de pagamento do IPVA, durante uma blitz realizada pela Polícia Militar na Avenida Litorânea.

A declaração do parlamentar foi dada ao jornalista Diego Emir [veja aqui].

“Tive o carro recolhido, pois não paguei os impostos desse ano. O IPVA do meu carro é um pouquinho salgado. Mas já mandei resolver essa questão, para não passar mais por esse vexame”, disse. Ele negou ter sido pefo no teste do bafômetro.

O veículo apreendido é um BMW, de cor preta.

Tramita na Assembleia Legislativa, um projeto de lei de autoria do deputado estadual Wellington do Curso (PP), que veta apreensão de veículos em todo o território maranhense por causa de débitos de IPVA. O projeto, contudo, segue parado na CCJ da Casa.

Promessa furada

por Jorge Aragão

No dia de sua posse no governo do Maranhão, talvez levado pela empolgação da popularidade que tinha naquele momento, o governador Flávio Dino (PCdoB) jogou em seu discurso uma promessa sabidamente impossível de cumprir:  dobrar o efetivo da Polícia Militar do Maranhão nos quatro anos de mandato. O pior é que esta promessa foi reafirmada pelo comunista mesmo depois dos questionamentos quanto à inviabilidade do seu projeto. Mas ele se manteve irredutível.

Na última semana, Flávio Dino anunciou a posse de outros cerca de mil policiais militares. Na soma de 2015 e 2016, já são cerca de 2 mil PMs efetivados na gestão comunista. Ocorre que, neste período, outros 2 mil policiais pediram aposentadoria ou faleceram, o que acaba por levar o projeto comunista à estaca zero.

Para cumprir a meta proposta entusiasticamente à população, Flávio Dino teria que nomear pelo menos 3 mil policiais a cada ano do seu mandato, já que a PMMA tinha uma tropa com 12 mil homens ao fim de 2014, quando ele preparava sua posse. E precisaria, ao mesmo tempo, evitar evasões, seja por aposentadoria ou por outra circunstância. Ocorre que é impossível selecionar, treinar e efetivar 3 mil homens em apenas um ano.

Só um concurso público para provimento de vagas nas policiais dura ao menos seis meses, se for levado a cabo em ritmo de toque-de-caixa – e sem risco de judicialização do processo. Após a seleção, esses homens precisariam de um mínimo de outros seis meses para serem treinados, com contingente máximo de 300 homens por turma, já que é impossível treinar 3 mil homens de uma só vez. Só após este ano de seleção e treinamento os jovens soldados estarão prontos para o exercício do dever.

Os 2 mil PMs efetivados até agora não representam nem 20% da tropa da PMMA registrada em 2014. E é menos do que a governadora Roseana Sarney (PMDB) efetivou ao longo dos anos do seu último mandato.  Mesmo assim Flávio Dino continua a sustentar o discurso feito em janeiro de 2015.

Ao mesmo tempo

Uma denúncia grave ronda o atual comando da Polícia Militar do Maranhão.

De acordo com documentos em circulação nos bastidores da tropa – e já em poder do Ministério Público – o sub-comandante apresentou tempo extra de serviço para se aposentar.

Ocorre que este período – em que era assessor da Câmara Federal – é o mesmo em que ele deveria estar, exclusivamente, em treinamento na Academia de Polícia.

Da coluna Estado Maior, do jornal O Estado do Maranhão

Olha aí Flávio Dino: Piauí fará concurso em 2017 para a PM

por Jorge Aragão

Enquanto o governador Flávio Dino (PCdoB) não confirma a realização de um concurso para o Polícia Militar, mesmo o Maranhão tendo o menor efetivo do Brasil (relação população/policiais), o vizinho Piauí já confirmou que ainda este ano terá um concurso para a PM.

A confirmação foi feita através do secretário de Segurança Pública do Piauí, Fábio Abreu, que assegurou que o concurso para a Polícia Militar já foi autorizado pelo governador piauiense, Wellington Dias (PT).

O concurso será feito ainda este ano, faltando apenas finalizar a programação, definindo datas e divulgação do edital que deve sair no máximo no início de março. A expectativa é que sejam ofertadas 400 vagas para a Polícia Militar do Piauí.

No Maranhão, o último concurso feito para a Polícia Militar foi no Governo Roseana Sarney com duas mil vagas, onde foram chamados aproximadamente 1.400 aprovados.

O governador Flávio Dino tem garantido a realização de um concurso, mas por enquanto sem data prevista de ser realizado. Isso sem esquecer que uma das promessas de campanha do governador foi de dobrar o efetivo da Polícia Militar do Maranhão, o que dificilmente acontecerá.

É aguardar e conferir.