O eterno e incoerente “dois pesos e duas medidas” de Flávio Dino

por Jorge Aragão

É claro que muita gente já compreendeu qual a verdadeira intenção do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), em sair, quase que diariamente em defesa do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) e, simultaneamente, atacar o juiz federal Sérgio Moro.

O comunista entende que, mesmo sendo arriscado a atitude de defender Lula, se colocará no debate nacional e idealiza, para o futuro próximo, ser um via da esquerda nacionalmente. Além disso, Dino sabe que será uma eleição com Lula e outra totalmente diferente sem o ex-presidente, e aposta que o seu apoio poderá ser determinante para sua reeleição.

Logo nas primeiras horas desta quarta-feira (24), data do julgamento de Lula, Flávio Dino voltou a se manifestar, repetindo a mesma ladainha de sempre, ou seja, inocentando Lula e atacando Moro. Veja abaixo.

Entretanto, para os mais esclarecidos, a atitude de Flávio Dino é apenas mais uma demonstração inconteste da incoerência política do comunista, afinal se fosse um adversário jamais o governador teria esse posicionamento.

Nunca é demais lembrar que o próprio Flávio Dino, em outros momentos, quando atendeu seus interesses, rasgou elogios para decisões do juiz Sérgio Moro, que depois que condenou Lula, passou a ser “persona non grata” para o comunista.

Só que isso também não é novidade nos atos de Flávio Dino. Por quantas vezes não se observou o comunista rasgar elogios para as ações da Polícia Federal no combate ao desvio de dinheiro público???

Só que bastou a Polícia Federal desbaratar uma quadrilha no seu governo, prender membros da sua equipe, no desvio de R$ 18 milhões da Saúde, para que Flávio Dino começasse a duvidar da “idoneidade” e “imparcialidade” do órgão que a população brasileira mais acredita.

E assim segue Flávio Dino, sempre com dois pesos e duas medidas, mas ainda bem para o Brasil, mas infelizmente para o Maranhão, que o comunista abandonou a carreira no Judiciário e resolveu ingressar na política, junto com a sua eterna incoerência.

Clique aqui para acompanhar o julgamento do ex-presidente Lula no TRF-4.

Flávio Dino tirou mesmo a Polícia Federal para “palito”

por Jorge Aragão

Definitivamente o governador do Maranhão, Flávio Dino, elegeu a Polícia Federal, a instituição de maior credibilidade no Brasil, segundo recente pesquisa, para ser o seu alvo de número 2, só perdendo, obviamente, para o sobrenome Sarney, afinal, como o Blog já demonstrou, essa é uma paixão doente e inexplicável (reveja).

Depois da Operação Pegadores, que atingiu em cheio a sua gestão, descobrindo o desvio de mais de R$ 18 milhões na área da Saúde, o governador Flávio Dino não para de voltar sua artilharia para a Polícia Federal.

Só que agora, as críticas a Polícia Federal não ficaram restritas apenas a Operação Pegadores, Flávio Dino também estendeu as investigações da PF sobre o caso do ex-presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva.

Utilizando as redes sociais, local preferido de ataque a PF pelo comunista, Flávio Dino voltou a mentir sobre a Operação Pegadores e também assegurou que Lula é um inocento no caso do apartamento tríplex. Para o comunista, o Estado Policial acha que pode tudo. Veja abaixo.

Pelo visto só pode ser mesmo o desespero de Flávio Dino, pelas proximidades das eleições, essa á única explicação plausível para tanta insanidade e tolice.

Entretanto uma coisa é certa, Flávio Dino tirou mesmo a Polícia Federal para “palito”.

Nova superintendente da PF no MA rebate tolas críticas de Flávio Dino

por Jorge Aragão

Nesta semana, de maneira oficial, a nova superintendente da Polícia Federal no Maranhão, delegada Cassandra Parazi, tomou posse e, em entrevista ao jornal O Estado, respondeu as tolas críticas do governador Flávio Dino.

O comunista não admite que a Polícia Federal tenha descoberto o desvio de mais de R$ 18 milhões na sua gestão na área de Saúde. Desde a deflagração da Operação Pegadores, que atingiu em cheio o governador tem atacado a instituição de maior credibilidade no Brasil.

Cassandra assegurou que a Polícia Federal investiga os fatos, independentemente de qualquer coisa. “Infelizmente o governo acredita que nós fizemos uma perseguição política. Não é isso o que fazemos. A Polícia Federal tem como função precípua investigar fatos”, afirmou.

A nova superintendente da PF foi mais além e deixou claro que se existem crimes, quem os praticou será punido.

“Nós chegamos a pessoas e a determinadas funções de governo, posições de destaque, por conta dos fatos em que as pessoas estão envolvidas. Nós apuramos fatos, se as pessoas praticaram crimes, infelizmente elas vão responder pelos fatos”, destacou.

A delegada Cassandra Parazi também comentou o fato do Governo Flávio Dino, mais uma vez tentar desqualificar a Operação Pegadores. Depois de dizer que os desvios eram de outra gestão (foi desmentido), depois de dizer que não existia a lista dos fantasmas (lista foi entregue), agora a ideia é afirmar que a PF não possui competência para investigar os desvios de recursos públicos da Saúde do Maranhão.

Inicialmente é bom dizer que quem não deve não teme. O Governo Flávio Dino, se fosse realmente probo e transparente, como apregoam, jamais iria a Justiça para barrar uma operação da Polícia Federal, mas de qualquer forma, como foi, a nova superintendente comentou o assunto.

“Na verdade nós fomos demandados pelo Ministério Público Federal a apurar esses fatos. No curso das investigações, o Governo do Estado tem destacado que não há desvio de recursos federais, mas isso certamente vai ser decidido pela Justiça, pelo Tribunal [Regional Federal], que vai definir a competência de quem vai julgar esses fatos lá na sequência, na ação penal”, finalizou.

Uma pena que o governador Flávio Dino não pense assim, afinal seria a melhor maneira de demonstrar a seriedade, que ele jura existir, da sua gestão.

Operação Pegadores: que coisa feia, meu caro Flávio Dino…

por Jorge Aragão

Definitivamente o governador Flávio Dino parece disposto a tudo para continuar no Palácio dos Leões, inclusive omitir da população maranhense uma informação muito importante sobre a Operação Pegadores, da Polícia Federal, que atingiu em cheio a gestão comunista, confirmando o desvio de mais de R$ 18 milhões na Saúde, no período entre 2015 e 2017.

Flávio Dino e seus asseclas tentaram de tudo para se desvincular da Operação Pegadores. Mentiram dizendo que a operação era do Governo Roseana, mas foram desmascarados pela própria Polícia Federal, depois agrediram os órgãos de controle, sugerindo que foi uma operação política orquestrada pelo ex-presidente José Sarney, mas ninguém acreditou nessa sandice.

Por último, Flávio Dino cobrou por diversas vezes, nas redes sociais, da Polícia Federal a lista com o nome dos mais de 400 fantasmas. Apesar de nos diálogos, que a imprensa teve acesso, ficar comprovado que o atual secretário de Saúde, Carlos Lula, tinha conhecimento da lista, o comunista tentava jogar a Polícia Federal contra a população dizendo que a PF não disponibilizava tal lista. De maneira até cínica, Dino chegou a questionar a existência da lista.

Só que essa foi mais uma estratégia que não vingou. Nesta quinta-feira (30), em entrevista à Rádio São Luís, ao jornalista Rogério Silva, o secretário Carlos Lula confirmou que já tem a lista com mais de 400 nomes. Lula disse que agora o Governo do Maranhão estará passando um “pente fino” para detalhar cada um dos nomes da lista encaminhada pela Polícia Federal.

Só que o mais curioso disse tudo, é que ninguém viu, ouviu ou leu o governador Flávio Dino confirmar o recebimento da tal lista com os nomes dos supostos fantasmas da folha complementar. Ora, se o comunista cobrava quase que diariamente essa lista, por dever de justiça e retidão, Flávio Dino deveria ter vindo a público confirmar o recebimento do que tanto pedia.

Resta saber se foi canalhice ou esquecimento do comunista, mas de qualquer forma, resta ao blog dizer e lamentar: que coisa feia, meu caro Flávio Dino…

E assim, lá se vai mais um factoide criado pelos comunistas e que foi desmontando sobre a Operação Pegadores da Polícia Federal.

Wellington volta a destacar atuação da Polícia Federal no Maranhão

por Jorge Aragão

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão para enaltecer o trabalho que tem sido desenvolvido pela Polícia Federal. O motivo do posicionamento do deputado Wellington é em virtude da recente operação da Polícia que investiga os desvios de verbas públicas federais destinadas à sáude no Maranhão.

Ao fazer uso da palavra, o deputado Wellington disse acreditar na imparcialidade da Polícia Federal e assegurou que espera que os políticos criminosos sejam, de fato, punidos.

“A impunidade é o motivo pelo qual os corruptos sempre se incentivam a continuar com as velhas práticas. Desviam recursos porque acreditam que não serão punidos. Eu parabenizo o relevante trabalho que tem sido desenvolvido pela Polícia Federal. Acredito na imparcialidade e espero que os criminosos envolvidos no desvio de recursos públicos na saúde do Maranhao sejam, de fato, punidos”, disse Wellington.

Ainda ao se pronunciar, Wellington mencionou o último despacho da Juíza que responde pela 1ª Vara Criminal do TRF que faz menção direta ao Palácio dos Leões, de onde supostamente, sairiam as autorizações para que Rosângela Curado, alvo de investigação, desviasse recursos.

“Não estamos aqui para analisar a relação do Governador Flávio Dino com a ex-secretária adjunta de saúde, até porque é de conhecimento geral que era uma relação bem íntima, pautada na confiança. Isso é irrelevante, por ora. O que nem a população nem eu consegue entender é como que, em 03 anos, o Governador e o Secretário de Saúde não fizeram nada para acabar com o desvio de dinheiro público? Afinal, Rosângela era apenas adjunta. Não possuiria autonomia para decidir sem a ciência do titular. De acordo com as informações, houve sim um suposto aval por parte do Palácio dos Leões para que os desvios continuassem. Isso será apurado! Os envolvidos têm que ser punidos. Eu acredito na imparcialidade da Polícia Federal”, afirmou o deputado.

Dino volta a cobrar lista fantasma e parte novamente para cima da PF

por Jorge Aragão

Utilizando as redes sociais, nesta terça-feira (21), o governador Flávio Dino comentou mais uma vez sobre a Operação Pegadores da Polícia Federal, deflagrada na semana passada e que atingiu em cheio a sua gestão.

O comunista partiu novamente para o ataque contra a Polícia Federal e voltou a cobrar a divulgação da lista de servidores fantasmas, que, segundo a PF, seriam algo em torno de 400 pessoas.

Dino volta a insinuar que a investigação foi política e midiática. O governador também afirmou que a “sorveteria” foi inventada e questiona se a tal lista também não teria sido inventada pela Policia Federal.

Sobre a lista, o governador afirmou já ter oficialmente pedido duas vezes e ainda não recebeu. Vale lembrar que a juíza federal Paula Souza Moraes, respondendo pela 1ª Vara Criminal do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, já deferiu o pedido feito pela Procuradoria Geral do Estado (PGE). Só que estranhamente, segundo o próprio governador, a tal lista não chegou no Palácio dos Leões.

É aguardar e conferir o desdobramento das Operação Pegadores, pois para o azar do governador, o empresário Antonio Nogueira, sócio-proprietário da Quality Serviços Médicos Ltda – uma das empresas alvo da Operação Pegadores, já confirmou o pagamento a servidores fantasmas e funcionamento de empresas de fachada, como divulgou o jornalista Gilberto Leda em seu blog (veja aqui).

Pelo visto, Flávio Dino parecer ter cutucado a onça, no caso a Polícia Federal, com vara curta.

O ataque dos comunistas e asseclas não se restringe apenas a PF

por Jorge Aragão

Ao tentar, como de costume, atacar e denegrir quem denúncia a gestão Flávio Dino, os comunistas e seus asseclas partiram para cima da Polícia Federal. De maneira tola e simplória, eles querem incutir na cabeça das pessoas que a Operação Pegadores da PF foi uma operação política e com a ordem do ex-presidente José Sarney.

O Blog do Jorge Aragão já demonstrou claramente que a estratégia é risível (reveja aqui). O deputado estadual Wellington do Curso foi sarcástico ao comentar essa tolice dos comunistas nas redes sociais.

Entretanto, a estratégia é mais arriscada e ousada do que possa parecer, afinal os comunistas e seus asseclas não agridem e atacam apenas a honra da Polícia Federal, uma instituição proba e de maior credibilidade na população brasileira, mas sim outros órgãos importantes do Brasil.

A Operação Pegadores não foi exclusiva da Polícia Federal. Foi uma ação em conjunta da Controladoria Geral da União – CGU e Ministério Público Federal – MPF. Ou seja, agredindo a PF, afirmando que foi uma operação política orquestrada por José Sarney, também agridem e atacam órgãos como a CGU e MPF. Veja abaixo o desabafo de um membro da CGU nas redes sociais, após essas agressões descabidas.

Além disso, os ataques também alcançam obviamente o Judiciário, afinal foram pedidas as prisões de 14 pessoas e, em sã consciência, ninguém sai mandando prender 14 pessoas aleatoriamente, ainda mais uma juíza federal.

O resumo desse absurdo é que a tese dos comunistas e seus asseclas é a seguinte: a Polícia Federal agiu sob o comando de José Sarney para prejudicar Flávio Dino, e agiu em conluio com a CGU, MPF e o Judiciário.

Só sendo muito inocente ou serviçal ao extremo para acreditar numa sandice dessas.

O sempre previsível Governo Flávio Dino

por Jorge Aragão

Sempre que se encontra acuado diante de um escândalo ou denúncia, e olha que não foram poucos, o Governo Flávio Dino mantém uma estratégia carcomida baseada em três pilares: 1 – responsabilizar os outros pelos erros; 2 – atacar e desqualificara quem faz a denúncia; 3 – divulgar uma pesquisa eleitoral com alto índice de popularidade do governador.

Na Operação Pegadores, deflagrada na última quinta-feira (16), que atingiu em cheio o Governo Flávio Dino, a estratégia foi exatamente a mesma.

Inicialmente os comunistas, até de maneira cínica, tentaram transferir a culpa pelo desvio de R$ 18 milhões, segundo a Polícia Federal, para o Governo Roseana. Entretanto, a estratégia não surtiu o efeito desejado, pois os próprios delegados da PF deixaram claro que a investigação foi iniciada em 2015 e as prisões de Rosângela Curado (ex-secretaria adjunta da Secretaria de Saúda na gestão Flávio Dino) e Luiz Júnior (anteriormente condenado no TCE a devolver R$ 7milhões por irregularidades na Saúde de Coroatá), entre outros, deixaram claro como e onde começou a corrupção apontada pela PF.

O segundo passo foi mais ousado e bem mais arriscado, mas com uma cara de pau sem limites, a estratégia seguiu o já conhecido rito e sobrou para a Polícia Federal. Isso mesmo, os comunistas e asseclas tiveram a coragem de insinuar que a Operação Pegadores foi política e com a chancela do ex-presidente José Sarney. Para seguir a estratégia à risca, eles não pouparam nem mesmo uma instituição séria, proba e considerada pela população brasileira a de maior credibilidade.

Para concluir a estratégia falta apenas a divulgação de uma pesquisa eleitoral, demonstrando os altos índices de popularidade de Flávio Dino e que o governador se elege com facilidade no 1º Turno. A ideia é tentar demonstrar que a denúncia e/ou escândalo não atingiu o inabalável Governo Flávio Dino.

Tão previsível que é fácil antecipar os passos da gestão comunista. O curioso é que, apesar de seguir a carcomida estratégia, o Governo Flávio Dino só não se preocupa com uma coisa: dar uma satisfação séria e honesta para a sociedade maranhense.

Operação Pegadores: mais dois foram presos nesta sexta-feira

por Jorge Aragão

A Polícia Federal, que agora virou alvo dos comunistas e seus asseclas, confirmou no início da noite desta sexta-feira (17), que mais duas pessoas foram presas, ainda em consequência da Operação Pegadores, deflagradas na manhã de quinta-feira e que atingiu em cheio o Governo Flávio Dino.

Dois dos três foragidos da Operação Pegadores se entregaram à Polícia Federal. Paulo Curado, ex-marido de Rosângela Curado, ex-secretária ajunta da Secretaria de Saúde, se entregou pela manhã na sede da Polícia Federal em Imperatriz.

Já o médico e ex-prefeito de Amarante, Miguel Marconi Duailibe Gomes, proprietário da Clínica H.M Duailibe Gomes LTDA, uma das empresas beneficiárias do esquema, segundo relatório da Polícia Federal, se entregou em São Luís.

Sendo assim, apenas Péricles Silva Filho, segue sendo foragido da Polícia Federal. Entretanto, advogados dele já informaram que ele está fora do Maranhão acompanhando um familiar que passa por uma cirurgia, mas que durante o fim de semana se apresentará na Polícia Federal.

Atacar a Polícia Federal é mais um equivoco dos asseclas do comunista

por Jorge Aragão

Pelo visto o governador Flávio Dino e seus asseclas seguem tontos e desorientados, diante da repercussão da Operação Pegadores da Polícia Federal, na última quinta-feira (16), que confirmou a existência de corrupção na gestão comunista.

Depois de tentarem, como de costume, transferir a responsabilidade de seus erros, agora Flávio Dino, indiretamente, e seus asseclas diretamente, querem, de maneira absurda, atacar e atingir a honra da Polícia Federal, uma instituição séria e considerada pela população brasileira a mais respeitada e proba no País.

De maneira irresponsável e tola, os asseclas do comunista agora surtaram e insinuam que a Operação Pegadores da Polícia Federal teria sido ordenada pelo ex-presidente José Sarney. A insinuação é pelo fato de que Sarney, algo negado pelo ex-presidente, poderia ter indicado o novo comandante do órgão no Brasil, Fernando Segóvia, que inclusive já foi superintendente da PF no Maranhão.

Inicialmente deixar claro que essa possibilidade é risível e demonstra o tamanho do desespero dos comunistas. E caberá, mais uma vez, ao Blog do Jorge Aragão demonstrar o motivo de que não tem como a tese prosperar.

Logo de cara, a calúnia dos asseclas do comunista é absurda, e pelo simples fato de que Segóvia assumiu o comando da Polícia Federal no dia 10 de novembro de 2017, ou seja, seis dias antes da Operação Pegadores.

Quem em sã consciência vai acreditar nessa sandice??? Afinal o novo comandante, que ainda está se adaptando ao novo cargo, não teria, por mais que quisesse, tempo suficiente para realizar e organizar uma operação desse porte.

Depois, para derrubar de vez a tese irresponsável dos asseclas do comunista, a Operação Pegadores foi iniciada em 2015, com gravações interceptadas, com autorização da Justiça, e com o monitoramento dos servidores do Governo Flávio Dino que participaram desse ato de corrupção. Ou seja, a participação de Segóvia na operação é zero.

Pior é que o governador Flávio Dino retuitou uma dessas afirmações absurdas, demonstrando concordar com a tese, mas por falta de coragem, outra peculiaridade do comunista, não emitiu sua opinião diretamente.

Ou seja, pelo que demonstra Flávio Dino, com essa ação de retuitar essa aberração, é que a Polícia Federal está a serviço de José Sarney e que não existiu nenhuma corrupção na sua gestão.

Será que Flávio Dino imagina que a Polícia Federal criou toda essa situação em apenas seis dias??? Será que Flávio Dino esqueceu que, por diversas vezes, elogiou publicamente as ações da Polícia Federal??? Será que a desconfiança de Flávio Dino é pelo fato da Polícia Federal, pela primeira vez na história, está sendo comandada por uma mulher no Maranhão??? Será que Flávio Dino imagina que todos os diálogos divulgados foram montados???

Pelo visto, para o governador Flávio Dino a Polícia Federal só age com isenção quando realiza operações que atinjam seus adversários políticos, mas quando atinge alguém de sua relação ou seu próprio governo, aí o conceito muda da “água para o vinho”.

Como sempre incoerente e cada vez mais perdido.