Pedro Fernandes desmente factoide sobre Base de Alcântara

por Jorge Aragão

Nesta quarta-feira (11), na reunião da Comissão de Relações Exteriores, o deputado federal Pedro Fernandes (PTB) desmentiu o factoide criado sobre a Base de Lançamento de Alcântara, visitada na semana passada pelo presidente Michel Temer (PMDB).

Após a visita de Temer, oposicionistas ao Governo Federal criaram o factoide de que o Brasil estaria vendendo, outros afirmaram que já vendeu, a Base de Alcântara para os Estados Unidos.

Pedro Fernandes não só desmentiu a informação que foi difundida maldosamente por alguns, como também fez questão de destacar o objetivo e a importância da visita de Temer a Base de Alcântara.
 

Pedro Fernandes comandará audiência pública sobre CLA

por Jorge Aragão

O deputado federal Pedro Fernandes (PTB) solicitou e conseguiu viabilizar junto a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDEN), da Câmara Federal, a realização de uma audiência pública, nesta quarta-feira (07), para debater a importância e a potencialidade do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).

Desde que o ministro da Justiça, Raul Jungmann, confirmou que o governo brasileiro vai permitir inicialmente aos Estados Unidos o uso do Centro de Alcântara, para o lançamento de foguetes ao espaço, o debate sobre o CLA voltou à tona.

“A decisão do Governo Federal é acertada, pois Alcântara é um local ideal e barato em termos de lançamento de foguetes. Isso não será perda de soberania brasileira como alguns afirmam e nós vamos entrar num mercado que movimenta milhões de dólares, oportunizando o Brasil a ter uma receita extraordinária”, disse Pedro Fernandes.

Além do deputado Pedro Fernandes, a audiência contará com a participação de autoridades do Ministério da Defesa, do Comando da Aeronáutica, da Agência Espacial Brasileira (AEB), do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (CTA) e do colaborador da Frente Parlamentar para Modernização do CLA.

É aguardar e conferir.

Deputados maranhenses apoiam exploração do CLA pelos EUA

por Jorge Aragão

André Fufuca, Pedro Fernandes e Juscelino apoiam proposta; Rubens Júnior é contrário

O Estado – A bancada maranhense na Câmara Federal deve, por maioria dos membros, apoiar a proposta do Governo Michel Temer (PMDB) de dar permissão a outros países, a exemplo dos Estados Unidos da América (EUA) – um dos interessados -, para exploração integral do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) situado na cidade de Alcântara, no Maranhão.

A proposta será formalizada por meio de um Projeto de Lei, que deverá ser encaminhado pelo Poder Executivo ao Congresso Nacional no mês de maio. A estimativa do Governo é para uma receita anual de até US$ 1,5 bilhão, o equivalente a R$ 4,5 bilhões levando em consideração o câmbio da última quarta-feira.

Dos sete parlamentares ouvidos por O Estado, apenas um se posicionou de forma contrária à iniciativa. Trata-se do deputado Rubens Pereira Júnior, do PCdoB.

Eleito coordenador da bancada no início da semana, ele ponderou ainda não ter tratado do tema com o colegiado, mas manifestou-se contra a proposta. “Não falo como coordenador da bancada, porque ainda não discutimos o tema na bancada. Pessoalmente sou contra. Nosso Centro é estratégico para o desenvolvimento do nosso país. Não pode ser cedido, ainda mais sem compartilhamento de tecnologias. O CLA é o melhor lugar no mundo para lançamentos. Daí o interesse dos outros em apenas usar”, disse.

André Fufuca (PEN) se posicionou favorável à proposta, com a condição de que haja benefícios para as comunidades acadêmicas do estado. “Excelente, desde que o acordo seja feito de forma a garantir transferência de tecnologia. De preferência com convênios entre as Universidades do Maranhão”, enfatizou.

O deputado Pedro Fernandes (PTB), também defendeu investimento e cursos de nível superior ligados à atividade espacial. “Quando da F1 em Interlagos ninguém pode entrar nos box das equipes é isso que ocorrerá quando do lançamento. A área específica ficará restrita. Por outro lado a bancada federal está trazendo o ITA para Alcântara para formar pessoal para desenvolver tecnologia, no próximo ano já teremos com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), curso de engenharia espacial. Estou agora na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional para defender o CLA e a Segunda Esquadra Naval [da Marinha]”, disse.

Estratégica – Juscelino Filho (DEM) destacou o potencial do CLA e defendeu a possiblidade de desenvolvimento de tecnologias. “A Base é estratégica para o Brasil. É um poderoso instrumento científico e geopolítico do qual o país deve se beneficiar. Parcerias feitas com absorção de tecnologia são bem vindas, preservando a soberania nacional”, ponderou.

Victor Mendes defendeu parceria, com a condição de que seja adotado o mesmo modelo praticado entre o Brasil e a Ucrânia. “Se for outra modalidade, teremos que ver quais são os ganhos para o país em troca dessa parceria. O certo é que nós temos um grande potencial, pela localização estratégica de Alcântara e hoje está sem nenhuma perspectiva, um espaço ocioso sem cumprir a sua finalidade”, disse.

Hildo Rocha (PMDB) afirmou apenas que ainda não conhece a proposta do Governo e acrescentou que o CLA “não pode continuar da forma como se encontra”, disse.

João Marcelo (PMDB) apontou benefícios para o país, caso seja firmada parceria com os EUA. “A exploração do espaço aéreo a partir da Base de Alcântara colocará o Brasil em evidência perante os países em desenvolvimento do mundo, visto que estes satélites, lançados a partir de lá, beneficiarão uma parcela significativa da população das Américas”, concluiu.

Saiba Mais

No Governo Fernando Henrique Cardoso, um Tratado de Salvaguardas garantiu aos americanos o uso do espaço com direito a total sigilo de seu equipamento. O PT reagiu. Já no Governo Luiz Inácio Lula da Silva um negócio foi firmado com a Ucrânia para o lançamento de modelos Cyclone 4. Após o projeto ter fracassado, Dilma Rousseff (PT) cancelou o contrato.

Pedro Fernandes e o Transporte Hidroviário

por Jorge Aragão

Por Pedro Fernandes – Recentemente apresentei, na câmara dos deputados, três indicações ao ministério dos transportes. Elas tratam da melhoria da infraestrutura de transporte de carga e passageiros no estado do maranhão, buscando, especificamente, a implantação da hidrovia do rio Parnaíba, no trecho Ribeiro Gonçalves a Timon/Teresina, num total de 569 km; da hidrovia do Mearim, no trecho Barra do Corda a São Luís com 470 km; e a construção dos terminais flutuantes do espigão costeiro em São Luis e Alcântara, além da conclusão e atualização das eclusas de boa esperança.

A nossa iniciativa junta-se a outras que venho trabalhando no sentido de melhorar a infraestrutura de transporte no maranhão. Tudo começou logo no primeiro mandato, ocasião em que iniciamos o processo para duplicação da BR 135 de Miranda a são luís, obra já em andamento e que, apesar das dificuldades que enfrentamos, já é uma realidade de curto prazo. Vale ressaltar que a nossa bancada federal tem atuado de forma decisiva nessa empreitada. Outras lutas referem-se à duplicação da BR-316 de Caxias a Timon, a duplicação da BR 010 de Imperatriz a Açailândia, e o transporte ferroviário de passageiros de Itapecuru a São Luís, que o Dnit sinalizou a sua viabilidade recentemente. Destacando ainda que estamos desenvolvendo estudos para beneficiar a bacia do rio Itapecuru.

Segundo o diretor de infraestrutura aquaviária do Ministério dos Transportes, Erick Medeiros, as obras pretendidas deverão fomentar o desenvolvimento turístico, o transporte de passageiros e cargas, o comércio local e a melhoria das condições de vida das populações ribeirinhas.

Conforme parecer do Ministério dos Transportes, o estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental – Evtea já demonstra a viabilidade da hidrovia no trecho Timon a Ribeiro Gonçalves no primeiro momento e, à medida em que as operações forem se consolidando e com a conclusão do porto de Luís Corrêa – PI, a hidrovia poderá ser estendida. Só nesse primeiro trecho pretendido, a sua influência abrangerá os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Tocantins e Bahia. Daí a sua importância estratégica para o país.

Ainda segundo o Ministério, os rios onde se pretende construir as hidrovias já constam do plano nacional de viação e isso facilita o encaminhamento das ações necessárias para a implantação. O valor estimado para todas as obras da hidrovia do Parnaíba é da ordem de 800 milhões de reais, abrangendo os terminais multimodais em Timon e Ribeiro Gonçalves, integrando a hidrovia ao Porto do Itaqui através da ferrovia. Do total estimado para a obra, 340 milhões de reais deverá ser feito contratos através de Parceria Público Privada – PPP. Os projetos e os estudos complementares demandarão 3,5 milhões de reais.

Na semana retomaremos os trabalho buscando o engajamento nessas indicações da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT e da Agência Nacional de Transporte Aquaviário – Antaq, instituições fundamentais para viabilização dos projetos em conjunto com o ministério dos transportes. Tais agências contribuirão muito para a efetivação das PPP’s, já que estão em permanente contato com o mercado e indicam a existência de muitos investidores interessados em investir em infraestrutura no Brasil. O técnico da Antt, Ednailton Rodrigues, já se prontificou em ajudar o maranhão no âmbito dessas agências.

Para a hidrovia do rio Mearim ainda deverá ser realizado o estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental – Evtea, que indicará, não somente a sua viabilidade, mas também a necessidade dos projetos de melhorias como: dragagem, derrocamento, balizamento, sinalização, etc.

A construção dos terminais flutuantes de Alcântara e o do espigão costeiro em São luís integrará um conjunto de ações de suporte a vinda já assegurada do instituto de tecnologia da aeronáutica – ita para alcântara além de dinamizar o fluxo turístico e de passageiros.

A questão parece complexa. Mas, muito mais do que complexidade, é a sua importância para a economia, mobilidade e desenvolvimento do maranhão. É preciso abrir horizontes e aproveitar o potencial que o estado nos apresenta.

Pedro Fernandes é deputado federal do PTB do Maranhão

Pedro Fernandes pede retomada da implantação da Hidrovia do Parnaíba

por Jorge Aragão

O líder do PTB em exercício, deputado Pedro Fernandes (MA), solicitou ao Ministério dos Transportes que retome os estudos para a implantação da Hidrovia do Parnaíba, com a conversão dos rios Parnaíba e Balsas em rotas de transporte fluvial no Maranhão e no Piauí.

Segundo o parlamentar, o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) e os projetos básico e executivo da hidrovia já foram feitos pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

“Existe um trecho muito bom, de mais de 600 quilômetros, pelo qual podemos transportar toda a nossa safra de soja. Essa hidrovia não apenas vai melhorar o transporte de cargas, mas também revitalizar o rio, principalmente agora que está chovendo bastante no Maranhão e no Piauí e as águas desse rio estão num nível muito bom para a navegação. Isso vai baratear bastante o preço da soja”, prevê Pedro Fernandes.

De acordo com o deputado, a Hidrovia do Parnaíba possibilitará o escoamento de commodites para outras regiões brasileiras e a exportação para diversos países, utilizando a interconexão com as rodovias e ferrovias e com os terminais portuários do Itaqui (MA), Pecém (CE) e o futuro Porto de Luís Correa (PI).

“A situação geoestratégica do Rio Parnaíba, numa perspectiva do transporte de soja para o Hemisfério Norte e China, faz com que seja a via mais curta para transformar a soja brasileira em uma das mais competitivas do mundo”, afirmou.

Pedro Fernandes confirma visita de Jovair Arantes ao Maranhão

por Jorge Aragão

O presidente do Diretório Estadual do PTB/MA, deputado federal Pedro Fernandes, confirmou que neste sábado (21), o líder do PTB na Câmara e candidato a presidência da Casa, deputado Jovair Arantes (PTB-GO) estará na capital maranhense.

O encontro com a Bancada Federal e outros políticos maranhenses será realizado às 16h na sede do PTB-MA na rua do Sol, 665, Centro e contará com a presença também de correligionários.

Durante visita à capital maranhense, Jovair Arantes, tratará das atividades da legenda para o exercício de 2017 além de buscar apoio a sua candidatura. O parlamentar também cumprirá agenda política com o governador do Maranhão, Flávio Dino e com o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior.

Jovair Arantes teve uma notícia que pode reforçar a sua candidatura à presidência da Câmara Federal. O juiz federal substituto Eduardo Ribeiro de Oliveira, da 15ª Vara Federal de Brasília, decidiu nesta sexta-feira impedir o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de concorrer à reeleição.

Agora é aguardar e conferir.

Waldir Maranhão é o deputado maranhense mais faltoso em Brasília

por Jorge Aragão

Novamente o traquino deputado federal Waldir Maranhão (PP) volta a ser destaque negativo. Depois de protagonizar uma patacoada durante o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), Waldir Maranhão aparece como o parlamentar maranhense mais faltoso na Câmara Federal.

Somando todos os deputados que compõe a bancada maranhense, chega-se a 290 faltas em 2016, isso de acordo com o levantamento feito pelo Congresso em Foco.

Já Waldir Maranhão é o mais faltoso, alcançando 37 faltas, mas todas posteriormente justificadas. O falecido João Castelo (PSDB) aparece em segundo lugar com 35 faltas, todas também justificadas. Na terceira colocação aparece o apagado Júnior Marreca (PEN), com 31 faltas e três não justificadas.

O curioso é que em 2015, novamente Waldir Maranhão e Júnior Marreca foram os maranhenses mais faltosos, tanto que estavam no ranking nacional entre os 30 deputados do Brasil mais faltosos. Para não mostrar que foi apenas coincidência, os dois novamente estão entre os mais faltosos.

Na contramão de Waldir Maranhão e Júnior Marreca, estão Cleber Verde (PRB) e Pedro Fernandes (PTB), que das 94 sessões realizadas, respectivamente, eles estavam presentes em 90 e 89 delas.

O corpo a corpo de Pedro Lucas

por Jorge Aragão

pedrolucasFaltando um mês para as eleições municipais, pharm os candidatos estão acelerando o ritmo de campanha para conquistar o voto do eleitor, clinic principalmente daquele indeciso, story afinal é menos complicado assegurar o voto do indeciso do que fazer um eleitor mudar o voto.

O vereador e candidato à reeleição pelo PTB, vereador Pedro Lucas, iniciou o dia novamente no corpo a corpo. Além de seguir o bom exemplo do pai na política, o deputado federal Pedro Fernandes, Pedro Lucas também faz sua campanha no mesmo estilo. Clique na figura ao lado para ampliar.

O Blog destacou em setembro de 2014 uma ação semelhante de Pedro Fernandes, na postagem “O corpo a corpo de Pedro Fernandes”. Depois de dois anos, agora é vez de Pedro Lucas buscar o apoio popular para voltar a desempenhar seu bom trabalho na Câmara Municipal.

Vale lembrar que, no mês junho, a TV Guará/Exata divulgou uma pesquisa onde 61% do eleitorado não sabia ainda em quem votar para vereador. Como os candidatos a vereador perderam espaço no horário eleitoral gratuito, fazer o eleitor saber quem são os candidatos passou a ser o primeiro desafio. Acertou Pedro Lucas em ir novamente para o corpo a corpo e deve colher os frutos daqui a um mês.

 

O “tiro no pé” de Hildo Rocha

por Jorge Aragão

Hildo RochaO deputado federal Hildo Rocha (PMDB), see que tem feito um bom mandato na Câmara Federal, cometeu um erro grosseiro, primário e que saiu como um verdadeiro “tiro no pé”.

Hildo Rocha que é vice-presidente da CPI do CARF – instalada para apurar a corrupção em julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, órgão vinculado à Receita Federal – afirmou ao GLOBO que um empresário contou a ele ter sido procurado por parlamentar que, em troca de pagamento de propina, prometia evitar sua convocação pela comissão. Segundo Rocha, o empresário não quer ter o nome revelado, com medo de represálias.

“O empresário disse que estava sendo chantageado por um deputado. Eu pedi que ele, junto comigo, fizesse a denúncia, e perguntei se eu poderia mencionar o nome dele e o do deputado. Ele disse que não”, afirmou Rocha. Clique aqui para ver a matéria do Globo.

O problema é que ao publicizar tal denúncia gravíssima, Rocha coloca todos os colegas em xeque e a reação foi imediata.

O presidente da CPI do CARF, o deputado federal Pedro Fernandes (PTB-MA), não gostou da declaração do colega maranhense que não citou os nomes do empresário e nem do deputado federal que teria acharcado o empresário.

“Acho que é um desserviço e já disse isso na CPI, não me contem seus segredos, porque se vocês não são capazes de guardar seus segredos, eu também não guardarei. Então vou cobrar dele o nome do empresário, pois assim acaba prejudicando os trabalhos da CPI e todos os deputados, afinal agora todos são suspeitos”, declarou Pedro Fernandes.

O jornal O Extra já apresentou declarações de vários líderes de partidos criticando a infeliz declaração de Hildo Rocha. Para eles, a denúncia publicada hoje pelo GLOBO é gravíssima e o interesse público deve vir em primeiro lugar.

“É uma denúncia gravíssima e tem que ser investigada pelos órgãos da República. É o que os brasileiros exigem são que os nomes têm que ser revelados”, disseo líder do PSDB, Antonio Imbassahy (BA).

“Ele disse que o empresário não quer se identificar, mas isso é de interesse público. Ninguém procura um deputado para fazer esse tipo de denúncia e fica no ar, sem prova material. Sabemos o histórico da Câmara em outras CPIs, é importante que tudo se esclareça”, declarou o líder do PSOL, Ivan Valente (SP).

O líder do DEM, Pauderney Avelino (AM), também reforça o coro dos que querem que Hildo Rocha revele os nomes: “Os nomes precisam ser revelados sob pena de colocar todos da comissão sob suspeita”. Clique aqui e veja a reportagem completa.

Indiscutivelmente um erro tolo e primário de um político experiente como Hildo Rocha.

Carta de apoio ao deputado federal e ‘pai’ Pedro Fernandes

por Jorge Aragão

pedrofernandesnova“Pai, story

Eu não gostaria de ter o direito de votar contra ou a favor do impeachment hoje, click ou seja, estar no seu lugar. Para mim, seria difícil.

Difícil para mim, por conta da pressão da maioria e do pensamento autoritário e ignorante do cidadão/mídia, ou qualquer outro ator político, que acredita que quem pensa diferente é porque tem interesse ou tem a mesma natureza de quem está sendo julgado.

Difícil para mim, porque talvez tenha herdado uma habilidade de liderança com a qual brigo diariamente. Ao mesmo tempo em que lidero pessoas no dia a dia, gostaria de não ser alvo; foco; ser exposta -coisas que naturalmente vêm da opção de liderar.

Acho muito oneroso. Pesa muito. E o processo decisório é solitário.

Ao mesmo tempo, não consigo deixar de ter opinião e decidir na minha rotina. Então vivo nessa briga interna, entre ser de um jeito e não querer ser.

Voltando ao ponto. Acho que a Presidenta vai cair e acho que não se tem que votar só porque a maioria vai votar; e sim por nossas, no caso, suas convicções.

Acho que o mais correto seria ela terminar o mandato dela e que o que o povo decidiu deveria ser mantido.

Quero crer que a democracia sairá mais forte deste processo constitucional (não acredito em golpe; afinal, nossos representantes decidirão, com base em processo definido constitucionalmente se ela vai ficar ou não), mas tenho dúvidas disso.

Tenho dúvidas porque muita coisa precisa mudar em nós como cidadão brasileiro. Tenho dúvida porque não sei se o cidadão brasileiro vai passar a ter autocrítica e tentar agir corretamente e com ética por conta disso.

Tenho dúvida porque a base da nossa cultura tem que mudar para que a política seja mais limpa como desejamos.

Então, acho que na segunda, vamos acordar com um gosto amargo de quem sonhou, idealizou e não compreendeu que não adianta só sonhar, tem que corrigir os erros (os nossos como indivíduos, que somos partes de um todo) diariamente; então vamos acordar com os mesmos problemas que dormimos no domingo.

Mas, infelizmente, sabemos, o processo também não será julgado pelo que consta nos autos e sim por uma série de eventos somados.

Fico feliz de estar bem representada no Congresso, liderada por um Homem que faz valer suas convicções; independente de eu concordar ou não com algumas delas, até porque nem sei se discordo desta e estou grata por não ter que decidir!

Sendo assim, peço a Deus então que lhe ilumine e lhe dê sabedoria, não apenas para essa decisão, mas para todas as outras, e, especialmente, para driblar a pressão e a incompreensão dos demais.

Por Liza Fernanda Fernandes”