Que coisa feia, meu caro Luciano Genésio…

por Jorge Aragão

Não foi só o governador Flávio Dino que teve sua gestão questionada pelo jornal A Folha, nesta terça-feira (26). Na mesma matéria que atingiu o governo comunista, a administração de Luciano Genésio em Pinheiro foi citada como exemplo de corrupção no Maranhão pela reportagem (Clique aqui). O Blog publica abaixo os trechos que alcançam Genésio, que é aliado político do governador.

Símbolo dessa realidade, a cidade natal de José Sarney, Pinheiro, derrotou o aliado da família do ex-presidente, Filuca Mendes (MDB), e elegeu Luciano Genésio (AVANTE) prefeito em 2016.

Logo nos dois primeiros meses de sua gestão, porém, foi identificada uma situação insólita pela Controladoria-Geral da União.

O pai, o irmão e o primo da mulher de Genésio receberam R$ 535 mil de salário do sistema municipal de saúde sem que o vínculo de cada um deles com as unidades tivessem sido comprovados em todos os casos.

O irmão da primeira dama recebeu de Pinheiro R$ 182 mil no período. O primo dela, R$ 162 mil. “Além de ter recebido por serviços prestados no SAMU e não ter vínculo com o estabelecimento”, anotou a CGU, o primo dela possui outros quatro contratos, um em Pinheiro, dois em Peri Mirim e outro em Mirinzal, totalizando 94 horas semanais, quase 19 horas diárias de trabalho.

O sogro do prefeito, sozinho, recebeu no período R$ 191 mil correspondente ao trabalho não demonstrado como médico em quarto unidades de saúde de Pinheiro.

Acontece que ele vem a ser vice-prefeito de outra cidade a 380 quilômetros dali, Chapadinha, que também o remunera pela suposta carga de 30 horas semanais (6 horas diárias) em outra unidade de saúde local.

Da mesma forma, o município de Brejo distante 450 quilômetros de Pinheiro, o remunera pela suposta 30 horas de trabalho semanal (seis horas diárias) como médico do sistema municipal.

“No Maranhão, no que tange às dificuldades no combate à corrupção, devem ser destacados o elevado grau de dependência do Governo Federal e as características sócio econômicas do Estado”, disse a CGU.

Ao Blog só resta dizer, que coisa feia, meu caro Luciano Genésio…

Parabéns a promotora Bianka Rocha e ao juiz Clésio Cunha pelas decisões

por Jorge Aragão

Infelizmente mais um caso de violência doméstica, perfeitamente enquadrado na Lei Maria da Penha, envolvendo pessoas públicas, ganhou notoriedade no fim de semana no Maranhão.

O empresário Lúcio André Silva Soares, irmão do prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, foi preso na noite de sexta-feira (11), após agredir e tentar atropelar a sua ex-esposa, a advogada Ludmila Rosa Ribeiro da Silva.

Só que apesar da gravidade do caso e do acusado já ter agredido a vítima ano passado, o delegado que estava de plantão, Válber do Socorro Andrade Braga, resolveu arbitrar fiança e Lúcio André, após o pagamento, foi posto novamente em liberdade.

O caso, que foi parar nas redes sociais, chocou a sociedade e o Ministério Público agiu rapidamente. A competente promotora Bianka Sekkef Sallem Rocha solicitou, mesmo no fim de semana, a prisão de Lúcio André.

O pedido foi parar no plantão e coube ao juiz Clesio Cunha tomar uma decisão. Além de pedir a prisão imediata de Lúcio André, o magistrado, também por solicitação do MP, ainda determinou que a Corregedoria da Polícia Civil apure a conduta do delegado Valter Braga por excesso de autoridade policial, já que, segundo a decisão, o delegado “arbitrou fiança fora dos padrões legais”.

Sendo assim, resta ao blog, em nome da sociedade maranhense, parabenizar a promotora Bianka Rocha e o juiz Clésio Cunha, pelas decisões rápidas e acertadas.

Repórter é agredido por subsecretário da equipe do prefeito Luciano Genésio

por Jorge Aragão

Utilizando as redes sociais e registrando um Boletim de Ocorrência, o repórter da nova TV Difusora de Pinheiro, Kelson Fróes Veloso, relatou que foi vítima de uma agressão covarde de um membro da equipe do prefeito Luciano Genésio.

O fato lamentável, revoltante e covarde, foi no fim da manhã da última terça-feira (07), em frente à Câmara Municipal de Pinheiro, após o Executivo ter resolvido, como já era esperado, arquivar o pedido de cassação do prefeito da cidade.

Kelson relata que o subsecretário de Agricultura de Pinheiro, Lauber Viegas, que já havia feito várias ameaças, acabou lhe agredindo com uma forte pancada na cabeça de forma inesperada. O repórter da TV Difusora foi socorrido pelos colegas e o agressor se evadiu. Veja abaixo o relato e acima o Boletim de Ocorrência (clique para ampliar).

O Blog só espera que o prefeito Luciano Genésio não compactue com esse tipo de atitude na cidade de Pinheiro e tome as providências cabíveis, principalmente tendo sido praticado por alguém da sua equipe de governo.

Mais uma bronca para Luciano Genésio em Pinheiro

por Jorge Aragão

É impressionante como o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, não deixa de ser notícia negativa a cada semana no noticiário, mesmo com pouco tempo no comando da Prefeitura, dez meses.

A nova bronca de Genésio é um pedido de cassação contra o gestor que foi protocolado e lido na Câmara de Vereadores de Pinheiro. O pedido fora protocolado por alguns moradores da cidade, entre eles o suplente de vereador, Osmar Pacheco.

O pedido de cassação é baseado em supostos crimes praticados pela gestão de Luciano Genésio e que estavam contidos em dados divulgados pelo próprio Portal da Transparência, conforme o Blog divulgou (reveja).

Em junho, fora assinado Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com município de Pinheiro (MA) para adequação do Portal de Transparência. Depois de quatro meses do TAC, enfim os dados foram disponibilizados e pode se constatar muita coisa errada, que levaram a protocolar o pedido de cassação de Genésio.

O documento foi recebido pela Mesa Diretora da Câmara de Vereadores e lido pelo primeiro secretário da mesa, vereador Sandro Lima. O pedido agora será analisado pelo legislativo.

É bem verdade que Luciano ainda detém a maioria dos vereadores ao seu lado, mas de qualquer forma, o pedido poderá chamar a atenção do Ministério Público de Pinheiro que, infelizmente, parece seguir lento e desatento com a quantidade de atrocidades na gestão do prefeito Luciano Genésio.

Salários altos chamam a atenção na Gestão Luciano Genésio em Pinheiro

por Jorge Aragão

Dados coletados na última terça-feira (10), na página da Prefeitura de Pinheiro na internet (Portal da Transparência, seção Folha de Pagamento) apontam a existência de um time de super funcionários na gestão Luciano Genésio, detentores de remunerações que ultrapassam em alguns casos os vencimentos dos secretários municipais.

De um total de quase 670 nomes registrados na Folha de Pagamento referente ao mês de setembro, 168 colaboradores recebem salários acima de R$ 3.500,00. Destes, 36 têm remunerações no patamar de R$ 4.080,00, vencimento básico dos secretários municipais. E 72 deles, seletos ocupantes de cargos comissionados, são donos de super salários que chegam a R$ 9.306,00, contra a média salarial dos chamados “barnabés”, que varia entre R$ 934,00 e R$ 1.640,00.

Analisando-se os dados, observa-se que é nas secretarias de Saúde, de Educação, de Planejamento, Finanças e Tributos, na Contadoria do Município, Procuradoria Jurídica, Controladoria, Chefia de Gabinete e na estrutura de Licitações onde estão alojados a maioria desses casos.

Nas secretarias de Saúde e Educação, estranhamente todos os adjuntos recebem remunerações maiores que seus chefes, os secretários Raimundo Miranda e Augusto Miranda. Constituem exceções a essa distorção, profissionais de saúde e professores em final de carreira, que aparecem na folha com remunerações superiores a R$ 3.500,00.

Super salários – No grupo dos super salários, alguns casos chamam atenção. O primeiro deles vem justamente da família do prefeito Luciano Genésio (PP). Na chefia da Controladoria Geral do Município, está alojada a irmã do gestor, Karla Lucyana Soares Canto Costa, recebendo por mês R$ 9.360,00. Lotado na secretaria de Administração, Planejamento, Tributos e Finanças está Rogério da Silva Canto Costa, marido de Karla Lucyana, recebendo remuneração igual à da mulher, salário esse superior ao do titular da pasta, Magno Luís Mendes (R$ 4.080,00).

Também na folha, a mãe de Luciano, Maria da Graça Silva Soares, contratada da secretaria de Saúde como médica, recebendo R$ 14.223,92. Já do lado de Thaiza Hortegal, esposa do prefeito, a folha traz o pai, Talvane Hortegal recebendo como médico por três fontes da Saúde (Hospital Antenor Abreu, Materno Infantil e PSF), recebendo no mês de setembro quase R$ 149 mil reais. E, ainda, o irmão Kaio Hortegal, médico, recebendo por duas fontes (Antenor Abreu e Materno Infantil). Em setembro, o médico embolsou quase R$ 82 mil reais. Além destes, o primo Rafael Matos Hortegal, que recebeu R$ 49,4 mil. Mas este, conforme indicado na própria folha, foi desligado dos dois contratos, no Antenor Abreu e como médico do PSF, respectivamente em 01/08 e 01/06/17.

Dentre os aliados, destaque para o médico Francisco de Assis Pires de Sarmento, pai do ex-vereador e candidato a prefeito Leonardo Sá (PCdoB), que em setembro embolsou a quantia de R$ 103.948,06.

Caminhão – Dentre os comissionados, chama atenção também o caso de Fernando Pinheiro, conhecido como Caminhão, motorista do prefeito. Pinheiro é lotado na secretaria de Administração, Planejamento, Tributos e Finanças, com uma remuneração de R$ 9.360,00 pouco maior do que, por exemplo, à do Procurador do município, o advogado Tibério Mariano Martins Filho, que a título de remuneração recebe R$ 9.284,49.

Na secretaria onde está alojado o motorista marajá, aliás, todos os comissionados que aparecem na folha recebem remunerações superiores ao teto dos secretários municipais.

Quem também é dono de situação privilegiada é o vice-prefeito Stélio Cordeiro que em setembro embolsou R$ 13.441,07, recebendo como professor, como vice-prefeito e comissionado lotado na Chefia de Gabinete. A remuneração como comissionado, de pouco mais de R$ 8 mil no mês em análise, parece ser decorrente de substituição do prefeito nas ausências recorrentes para descanso. Na cota do vice-prefeito, filha e sobrinha também integram o trem da alegria em que se transformou a Prefeitura de Pinheiro.

A Procuradoria do Município também não escapa. Composta por um time de 21 profissionais dentre indicados de aliados e até parentes de desembargadores, a Procuradoria paga salários de, em média, R$ 4.200,00 (excetuando-se assistentes e pessoal administrativo).

Dentre os aquinhoados está João Jorge de Weba Lobato, ex-prefeito de Santa Helena, que garante uma boquinha mensal de R$ 9.360,00.

O órgão acolhe ainda o advogado Carlos Renato Almeida Marinho, filho de José Carlos Marinho, ex-secretário de Infraestrutura que recentemente desligou-se da administração por não rezar a cartilha dos Genésios. Amigo de Luciano, Carlos Renato recebeu em setembro R$ 6.273,66, embora esteja impedido de advogar, com o registro suspenso da OAB/MA. Também na folha, a irmã de Carlos Renato, Caroline Almeida Marinho, com remuneração de R$ 6.223,92, contratada como enfermeira.

A folha é também abrigo pessoas como a cunhada do vereador Lucas do Beiradão, Daciane Pereira Fernandes, ironicamente lotada na Secretaria de Transparência para exercício de cargo comissionado com patamar salarial de secretário municipal.

Em tempo: Os dados foram coletados no dia 10/11 no Portal da Transparência. Desde quarta-feira, 11/10, a página foi tirada do ar. No local consta a informação “Em construção”. Entretanto, o Blog já possui toda documentação que foi publicada. O Blog também assegura o espaço à Prefeitura de Pinheiro caso queira se posicionar sobre o assunto, mas lembrando que todas as informações acima divulgadas, foram baseadas em dados divulgados pela própria gestão de Luciano Genésio.

“Gestão caótica e irresponsável”, diz ex-secretário de Luciano Genésio

por Jorge Aragão

Definitivamente, a fraca gestão de Luciano Genésio em Pinheiro não tem agrado, nem mesmo os aliados, e sempre em volta de denúncias e escândalos.

Nesta sexta-feira (29), veio a público mais um fato que envergonha a atual gestão. O ex-secretário de Infraestrutura da própria administração de Luciano Genésio, José Carlos Marinho, divulgou, através das redes sociais, uma mensagem aos vereadores da cidade sobre a sua saída do cargo.

Marinho classificou a gestão de Genésio como caótica e irresponsável. Além disso, assegurou que foi alvo de perseguição. Veja abaixo a mensagem.

Meus caros vereadores,

Dirijo-me aos senhores para comunicar a minha decisão de me afastar hoje do governo Luciano. Desde o início da minha gestão, sempre fui alvo de perseguições por parte da família do Prefeito e também nunca tive o apoio necessário da administração que, sempre dificultou a minha atuação.

Os senhores sabem disso. Ficava chateado em não poder atender aos senhores quando me solicitavam. Sou acostumado a realizar e isso me incomodava quando não podia fazer.

Sou um cara sério, a maioria dos senhores conheceu a minha família e, me conhece também, jamais admitiria ser capacho de ninguém. Vim para ajudar a minha cidade que, um dia sonhei fazer isso.

Trabalhei em uma empresa de status internacional sempre em cargos gerencias e acostumado a ser destaque por onde passei. Fiz meu nome na maior ferrovia de carga pesado do mundo.

Agora vou me diminuir numa administração irresponsável e caótica? Nunca. Quero agradecer aos senhores a sempre cortês acolhida em todas as ocasiões. Tenho o maior carinho e respeito pelos senhores. Que tenham uma feliz legislatura e que saibam discernir o joio do trigo.

Felicidade a todos e um grande abraço.

Além disso, boa partes dos servidores públicos municipais de Pinheiro estão em pânico. É que alguns estão sendo demitidos, inclusive recebendo a informação através de um comunicado, conforme destacou o Blog do Vandoval Rodrigues.

E assim segue a trágica gestão de Luciano Genésio em Pinheiro.

Othelino critica última peraltice de Luciano Genésio

por Jorge Aragão

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) repercutiu, na sessão desta segunda-feira (18), fato lamentável envolvendo o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, que, em represália à população de Presidente Sarney, por ter sido criticado por um radialista, ameaçou suspender atendimento dos hospitais a pacientes daquele município (reveja). Segundo o parlamentar, a crítica foi pontual à gestão e não se admite que isso sirva de pretexto para punir o povo, como se atender as pessoas fosse um favor à cidade vizinha.

Após ser criticado num programa de rádio, Luciano Genésio se zangou e mandou um áudio ao comunicador, informando que se o mesmo continuasse questionando a administração dele, a partir desta segunda-feira (18), os Hospitais Antenor Abreu e Materno Infantil estariam fechados para a população de Presidente Sarney como uma vingança à população. “Coisa de quem não sabe ouvir uma crítica e de gente que não tem equilíbrio para governar uma cidade do tamanho e da importância da cidade de Pinheiro”, frisou.

Othelino lamentou, na tribuna, a atitude de Luciano Genésio e disse que os hospitais são pólos e remunerados para atender a população de Pinheiro e de outros municípios da região, incluindo Presidente Sarney. “Creio que aquilo foi um rompante de raiva do prefeito, mas ficou muito feio, porque esse áudio, certamente, as pessoas ouviram e se envergonharam de ver um gestor dizer uma besteira daquelas em razão de uma simples crítica feita num veículo de comunicação, apenas porque a emissora tem ligação com o ex-deputado Penaldon Jorge, hoje superintendente estadual de Articulação Política da Baixada Maranhense. Perdeu a oportunidade de ficar calado. Deveria se concentrar mais em cuidar da cidade”, comentou.

O deputado disse que há informações de que setores da Prefeitura de Pinheiro já estão, há três meses, com os salários atrasados. “Ao invés de ficar dando chilique e mandando áudio para um radialista que o criticou, Luciano deve procurar se concentrar em cuidar mais da cidade, afinal de contas foi eleito para esta finalidade. A população deu um voto de confiança para que ele faça um bom trabalho, para que promova a mudança e não para que fique em confusões e com declarações agressivas com relação à população do município vizinho e nem atrasando salários”, disse.

Segundo Othelino Neto, a crítica feita por ele na tribuna se justifica porque a população de Presidente Sarney merece respeito. De acordo com ele, quando os profissionais dos hospitais Antenor e Materno Infantil atendem as pessoas, estão cumprindo com o seu dever, porque são servidores públicos remunerados para essa finalidade.

“O prefeito não é dono de hospital. Ele é apenas o gestor. E, aliás, é bom que pague o salário dos servidores em dia, porque todos merecem e precisam dos seus vencimentos para honrar as suas contas e prover o seu sustento e de seus familiares”, concluiu.

Luciano Genésio, um prefeito incorrigível

por Jorge Aragão

Uma coisa ninguém pode negar, o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, tem o dom de conseguir se superar nas peripécias. Depois de cobrar ingresso para um setor de um show pago com dinheiro público (reveja), agora de maneira ditatorial ele ameaça fechar os hospitais de Pinheiro para a população de Presidente Sarney por conta de críticas a sua gestão.

O Blog teve acesso a um áudio encaminhado através de WhatsApp pelo prefeito Luciano Genésio ao radialista Herasmo Leite. No áudio, o prefeito de Pinheiro volta a confundir o público com o privado e, de maneira absurda, ameaça toda a população de Presidente Sarney por eventuais críticas que o radialista estaria fazendo a sua gestão. Luciano Genésio ainda atribui as críticas ao ex-deputado estadual Penaldon Jorge, esposo da prefeita de Presidente Sarney, Valéria Castro.

“Não tem problema não Herasmo, pode ficar batendo no governo, já que foi orientação de Penaldon nesse caso, porque eu entendo que tudo indo para uma rádio de Penaldon, a orientação é dele para você bater no governo. Não tem problema não, a partir de segunda-feira as portas dos hospitais estão todas fechadas para Presidente Sarney viu. Eu já passei uma mensagem para Penaldon e Wellington essa semana sai da TV e volta para BAND, um abraço”, afirmou Luciano Genésio. Clique no fim do texto para ouvir o áudio.

E assim Luciano Genésio segue na Prefeitura de Pinheiro, sempre confundindo o público com o privado e agora mostrando o seu lado ditador e ameaçando prejudicar toda a população de Presidente Sarney.

Resta saber se Luciano Genésio terá coragem de ainda pisar em Presidente Sarney para pedir votos para seus candidatos em 2018, será ????

CEMAR confirma tentativa de corte em prédios da Prefeitura de Pinheiro

por Jorge Aragão


Enquanto a Prefeitura de Pinheiro se prepara para realizar uma “festa de arromba” com a presença de grandes nomes da música brasileira, inclusive cobrando ingresso para o setor de camarote, mesmo a festa sendo bancada com dinheiro público (reveja), as contas de energia de alguns prédios da prefeitura estão em atraso.

E o fato do prefeito Luciano Genésio não pagar as contas de alguns prédios da Prefeitura de Pinheiro, levou a CEMAR a tentar efetuar o corte da energia na última quinta-feira (31), no prédio da Guarda Municipal.

Só que os funcionários da CEMAR foram impedidos de fazer o corte, justamente pelos guardas municipais da gestão Luciano Genésio. Ou seja, além de não pagar as contas, também não quer ter a interrupção da energia, será que o prefeito quer energia gratuita???

O fato foi revelado em primeira mão pelo Blog do Vandoval Rodrigues (veja aqui) e confirmado através de uma Nota emitida pela CEMAR. Veja abaixo.

Nota de Esclarecimento

A Cemar esclarece que a Prefeitura Municipal de Pinheiro possui débitos relativos ao consumo de energia elétrica de alguns prédios da administração pública.

Após tentativas de negociação das dívidas em atraso junto ao Município de Pinheiro a Companhia emitiu reaviso de corte.

Ao tentar efetuar a suspensão do fornecimento a equipe foi impedida por Guardas Municipais. Logo em seguida as faturas foram pagas parcialmente e foi agendada uma reunião com o gestor Municipal para tratar do assunto. A Companhia não concluiu a suspensão.

Por fim, a Cemar destaca que todo o procedimento de cobrança vem sendo conduzido de acordo com o princípio da isonomia estabelecido na legislação e que, tão logo seja realizado o pagamento da dívida, o fornecimento de energia será restabelecido.

Assessoria de Imprensa da Cemar.

E assim segue a gestão de Luciano Genésio, adotando a política do “pão e circo”.

Luciano Genésio: um prefeito sem limites

por Jorge Aragão

Apesar da crise econômica e das inúmeras dificuldades que atravessa a cidade de Pinheiro, principalmente na área da Saúde, onde até o salário de alguns servidores estão atrasados, a gestão Luciano Genésio irá fazer uma “festa de arromba”, com o dinheiro público, para comemorar o aniversário da cidade, inclusive levando atrações do porte de Léo Santana e a dupla Matheus e Kauan.

Só que até aí, por mais absurdo que pareça, está tudo bem, afinal é uma questão de prioridade e muda de gestor para gestor. Alguns priorizam áreas mais importantes, como Saúde, Infraestrutura e Educação, e em datas festivas preferem entregar obras e benefícios efetivos para a população, enquanto outros preferem a política do “pão e circo”.

Entretanto, o que mais tem chamado a atenção e gerado reclamações, é que os shows, que o anúncio confirma que estão sendo bancados pela Prefeitura de Pinheiro, terá um setor que o ingresso será vendido.

Tanto nas emissoras de rádio de São Luís, que estão anunciando a festa, como nos banners, confirmam que em dois locais, um na capital e outro em Pinheiro, estão vendendo ingressos para o setor de camarote.

 

Só que alguns questionamentos precisam ser feitos:

Será que um show bancado com o dinheiro público, ou seja, do povo, pode se cobrar ingressos para entrar?
Para onde vai o dinheiro que a população pagará para assistir ao show no camarote?
Onde anda o Ministério Público de Pinheiro?

Definitivamente, Luciano Genésio é um prefeito sem limites.