As observações de Joaquim Haickel sobre a situação de Zé Reinaldo

por Jorge Aragão

O ex-deputado e analista político, Joaquim Haickel, utilizando as redes sociais, fez algumas observações pertinentes sobre a situação do deputado federal José Reinaldo Tavares (PSB), que tem trabalhado para ser candidato ao Senado, com o apoio do governador Flávio Dino (PCdoB).

Apesar de ter sido fundamental na primeira eleição de Dino, ainda em 2006, quando o comunista virou deputado federal, Zé Reinaldo segue com dificuldades para viabilizar seu nome na chapa do governador.

Com o nome do também deputado federal Weverton Rocha (PDT), sendo praticamente favas contadas na chapa ao Senado, resta apenas uma vaga, que está sendo disputada por Zé Reinaldo, mais dois deputados federais – Waldir Maranhão (Avante) e Eliziane Gama (PPS), isso sem falar no PT, que quer espaço na chapa majoritária do comunista.

Joaquim Haickel questiona inicialmente com quem Zé Reinaldo tem mais identificação, se com José Sarney ou Flávio Dino??? Depois pergunta quem tem uma dívida maior com Zé Reinaldo, José Sarney ou Flávio Dino???

Na sequência, Haickel além de assegurar que um dos grandes erros de José Sarney foi permitir a saída de Zé Reinaldo do seu grupo político, afirma que o ex-governador é destemido e que sabe fazer o jogo político.

Por fim, Haickel deixa um recado que pode servir para muita gente na política. A falta de fidelidade a aliados verdadeiros pode ser crucial e decisiva num embate eleitoral.

Agora é oficial: José Reinaldo está fora da Lava Jato

por Jorge Aragão

Definitivamente o deputado federal, José Reinaldo Tavares (PSB), está fora da Lava Jato. O Supremo Tribunal Federal arquivou o inquérito aberto contra ex-governador do Maranhão.

A decisão foi do ministro Roberto Barroso, que apenas atendeu ao pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que manifestou-se pelo arquivamento do inquérito aberto no âmbito da Operação Lava Jato.

Sendo assim, José Reinaldo Tavares foi mais um político maranhense que inicialmente teve seu nome arrolado em delações, sofreu desgaste político, para só depois ter seu inquérito arquivado.

Com o arquivamento, José Reinaldo terá agora mais tranquilidade para viabilizar sua candidatura ao Senado Federal, muito provavelmente na chapa encabeçada pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

José Reinaldo também deverá ficar fora da Lava Jato

por Jorge Aragão

Depois de Sarney, Roseana, Flávio Dino e Waldir Maranhão, foi a vez de mais um político maranhense comemorar uma nova decisão no desdobramento da Operação Lava Jato.

O deputado federal José Reinaldo comemorou a decisão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que manifestou-se pelo arquivamento de um inquérito aberto contra o ex-governador no âmbito da Operação Lava Jato.

“Considerando que as penas máximas cominadas aos delitos sob investigação variam de 6 (seis) a 12 (doze) anos, normalmente prescreveriam em 12 (doze) ou 16 (dezesseis) anos, respectivamente, nos termos do art. 109, incisos II e III, do Código Penal. Com a diminuição decorrente da idade do Deputado Federal José Reinaldo Carneiro Tavares, tais lapsos cronológicos caem para 6 (seis) e 8 (oito) anos. Como os fatos em apuração remontam aos anos de 2006 e 2007, é forçoso reconhecer a prescrição da pretensão da punitiva do Estado em relação a José Reinaldo Carneiro Tavares”, despachou Janot.

O deputado federal José Reinaldo foi denunciado por executivos da Odebrecht como suposto destinatário de propina paga em 2006, quando ele era então governador do Maranhão. O dinheiro teria sido repassado ao então procurador-geral do Estado, Ulisses César Martins de Sousa – em contas no exterior -, para a liberação de valores que a empreiteira tinha direito de receber do Governo do Maranhão.

Já sobre o advogado Ulisses Martins de Sousa o caso sairá do STF, pela ausência de foro privilegiado, mas seguirá sendo analisado normalmente.

O parecer de Rodrigo Janot foi encaminhado ao ministro Roberto Barroso, que ainda não decidiu sobre o caso.

Juscelino Filho assegura “portas abertas” do DEM para José Reinaldo

por Jorge Aragão

O deputado federal e presidente do DEM no Maranhão, Juscelino Filho, contestou a Nota “Portas fechadas” do Estado Maior, do Jornal O Estado do Maranhão, que tratava sobre a possível ida do deputado federal José Reinaldo para o DEM.

Juscelino Filho, através das redes sociais, assegura que o DEM no Maranhão terá autonomia para decidir o caminho do partido no Estado nas próximas eleições e que estará ao lado de José Reinaldo nesta semana para dialogar com o presidente Nacional do DEM, José Agripino. Veja abaixo.

José Reinaldo anuncia saída do PSB, destino ainda incerto

por Jorge Aragão

O deputado federal e ex-governador, José Reinaldo Tavares, confirmou que está deixando o PSB, mesmo as vésperas de confirmar oficialmente que disputará uma das duas vagas do Maranhão para o Senado.

O anúncio veio nesta segunda-feira (1º), onde justificou sua saída pelo fato da cúpula do PSB não debater com a bancada do partido as decisões importantes que precisam ser tomadas na Câmara Federal.

“Eu estou saindo do PSB exatamente porque resolveu fechar questão contra as reformas trabalhista e previdenciária sem ouvir as bancadas da Câmara e do Senado”, destacou José Reinaldo, que foi de encontro a decisão do partido e votou favorável a Reforma Trabalhista.

José Reinaldo deve lançar no próximo sábado (06), em Tuntum, cidade administrada por Cleomar Tema, que também é presidente da FAMEM e um dos principais incentivadores da sua candidatura ao Senado, a sua pré-candidatura.

Resta agora saber por qual partido José Reinaldo irá disputar as eleições de 2018. As duas legendas mais cotadas são PSDB e DEM, mas ambas podem lhe distanciar ainda mais do governador Flávio Dino (PCdoB), que ao que parece tem compromisso de apoiar a candidatura do também deputado federal Waldir Maranhão ao Senado. Isso sem falar que outro aliado, de primeira hora de Dino, o deputado federal Weverton Rocha (PDT) também irá disputar o Senado.

Resta aguardar e conferir, mas uma coisa é certa, José Reinaldo irá mesmo disputar o Senado, com ou sem o apoio de Flávio Dino.

Dois maranhenses entre os políticos que aguardam decisão do STF

por Jorge Aragão

joseejoao

O jornal Folha de São Paulo fez levantamento sobre os políticos que estão na fila aguardando que suas ações penais, mind das quais são réus, order sejam julgadas pelo STF – Supremo Tribunal Federal.

De acordo com o levantamento, são 84 ações penais contra 53 políticos que possuem foro privilegiado. Na relação existem dois deputados federais do Maranhão, João Castelo (PSDB) e José Reinaldo (PSB).

Os dois políticos maranhenses, ambos aliados e pertencentes ao grupo do governador Flávio Dino, são os únicos maranhenses que estão na lista, segundo levantamento da Folha de São Paulo (veja aqui).

João Castelo responde por Crimes de Responsabilidade e sua ação tramita desde 2014. Já José Reinaldo responde por Crimes da Lei de Licitação, corrupção passiva e corrupção ativa e sua ação já está tramitando desde 2006.

O que impressiona, e é destacado na reportagem, é a falta de celeridade do STF para esses casos, até uma tartaruga com câimbra consegue ser mais rápida.

Somente Zé Reinaldo e Rubens Júnior, meu caro Flávio Dino?

por Jorge Aragão

flavidinoPelo visto o prestígio do governador Flávio Dino com a classe política segue arranhado. Engana-se quem imagina que as críticas e os descontentamentos estejam apenas entre os deputados estaduais, ampoule os deputados federais também estão bem distantes do comunista.

Flávio Dino cumpriu importante agenda política em Brasília, see chegando a visitar alguns ministérios e se reunir com alguns ministros, discount como o da Defesa, Aldo Rebelo, que é do seu partido, da Saúde, Marcelo Castro; de Planejamento, Valdir Simão; e de Minas e Energia, Eduardo Braga.

Entretanto, o que chamou atenção foi que apenas dois dos 18 deputados federais do Maranhão se predispuseram a acompanhar o governador na sua agenda oficial em Brasília. Somente Rubens Júnior (PCdoB) e José Reinaldo Tavares (PSB) acompanharam Flávio Dino, os demais não deram importância a visita do governador.

Talvez a postura dos parlamentares seja apenas uma simples resposta ao Governo Flávio Dino pelo tratamento recebido a classe política como um todo, e os deputados federais, pelo visto, não são exceção.

Além disso, uma das solicitações feitas pelo governador ao ministro Aldo Rabelo, a instalação da 2ª Esquadra da Marinha no Maranhão, é uma luta que foi iniciada pelo desafeto político de Flávio Dino, o ex-presidente da República, José Sarney, conforme destacou o deputado federal Victor Mendes (reveja).

Além disso, por questão de justiça, o blog precisa destacar e relembrar o empenho de Victor Mendes na instalação dessa 2ª Esquadra da Marinha no Maranhão, conforme o blog já destacou anteriormente (reveja aqui).

Zé Reinaldo segue na contramão de Flávio Dino

por Jorge Aragão

eliziane

Chega até impressionar a postura política adotada pelo ex-governador José Reinaldo Tavares com relação ao atual governador Flávio Dino.

Ao que parece se Dino vai para o norte, drug Zé Reinaldo segue para o sul, cure apenas para demonstrar que é contrário ao pensamento de sua “cria”, healing afinal para muitos o ex-governador seria o “criador político” do atual governador.

Zé Reinaldo por duas vezes insistiu no “Pacto Pelo Maranhão”, mesmo sabendo que Dino não quer jamais aproximação com o ex-presidente José Sarney, pode até querer ser ele, mas não quer aproximação, afinal o ódio não permite.

Depois, num outro artigo, foi exatamente de encontro a defesa de Flávio Dino a presidenta Dilma Rousseff. O artigo, apesar de expressar a opinião do ex-governador, pareceu desnecessário e que apenas quis demonstrar publicamente o pensamento contrário.

O mais recente exemplo de caminhos opostos entre Zé Reinaldo e Flávio Dino foi o almoço com a colega deputada federal Eliziane Gama, na sexta-feira (14) e que também contou com a presença do vice-presidente da Câmara Federal, o enrolado Waldir Maranhão.

O ex-governador sabe que Dino apoiará a reeleição de Edivaldo Júnior, até mesmo pela continuidade da confiança mútua e do trabalho que está sendo bem feito em São Luís, também graças a parceria entre ambos, mas Zé Reinaldo já vai deixando claro que, novamente, está na contramão do que pensa Flávio Dino.

Assim como fez em 2012, Zé Reinaldo novamente se posicionará em lado oposto ao de Flávio Dino nas eleições de São Luís.

O problema é que a cada demonstração pública que seguirá o contrário do que pensa Dino, Zé Reinaldo sabe, afinal tem experiência suficiente para isso, que a já estremecida relação com a “cria” ficará ainda mais desgastante.

Zé Reinaldo segue na contramão do pensamento de Flávio Dino

por Jorge Aragão

zereinaldoO deputado federal José Reinaldo Tavares (PSB) segue na contramão do que pensa o governador Flávio Dino (PCdoB). Cria e criador, remedy Zé Reinaldo e Dino, não estão definitivamente falando a mesma língua.

Depois de propor o Pacto Pelo Maranhão, ignorado pelo governador, Zé Reinaldo, no artigo desta terça-feira (11), no Jornal Pequeno, foi de encontro ao que pregou Flávio Dino no encontro com a presidenta Dilma Rousseff. Veja abaixo na íntegra o artigo do deputado federal e ex-governador do Maranhão.

Hoje a palavra que mais se ouve no Brasil é “pacto”. Coincidência ou percepção da real situação do país? Será que alguém ainda duvida de que a crise econômica, social e política é de tal proporção que há uma sensação generalizada de que o governo não tem mais controle da situação, de que não se tem mais recursos para nada e que cada dia é pior do que o anterior? Até onde chegaremos assim?

Vejam que essa situação levou o senador José Serra a dizer que vivemos um momento pior do que 1964. O fato é que no congresso podemos sentir a gravidade do momento e é notório que o governo não tem mais quase ninguém com quem contar. Até o próprio PT, antes tão aguerrido, vem cada vez mais votando contra os interesses do governo.

A presidente Dilma parece que não sabe muito bem mensurar o que está acontecendo. Ela prefere partir para a briga a lançar um projeto de conciliação nacional. Seu temperamento forte parece não deixar que ela tenha humildade para reconhecer seus erros e chamar a todos para ajudar sem rancor. Ela prefere brigar mesmo, chegando à beira do abismo, com apenas 8 por cento de aprovação. Ou seja, apenas oito brasileiros em cada cem aprovam o seu governo, enquanto que setenta e um em cada cem o rejeitam. Mesmo assim, ela parte para a briga, desdenha do panelaço, desdenha da realidade do momento em que vivemos.

Algo precisa ser feito! Em apenas sete meses já ultrapassamos a meta de inflação proposta para o ano inteiro! Para os pobres, a inflação já passou dos dez por cento, ou seja, as classes menos favorecidas economicamente, que são a maioria do povo brasileiro, são as que recebem o pior da crise, além do desemprego crescente.

Se o julgamento das contas do governo da presidente pelo TCU for pela desaprovação destas e se ela for enquadrada na Lei de Responsabilidade Fiscal, está tudo pronto na Câmara para iniciar um processo cujo desfecho pode ser, de acordo com a lei, o seu afastamento. Nesse caso, assumiria o vice-presidente Michel Temer para cumprir o restante do seu mandato.

 Alguma coisa pode salvá-la desse desfecho? Especula-se que ela só conseguirá evitá-lo, se algo inusitado acontecer. Por exemplo, se o PSDB se juntar ao PT. É incrível, mas pode acontecer. E ocorrendo mesmo, o PSDB está arriscando a sua credibilidade política, talvez de forma definitiva.

Vamos analisar o que estou dizendo: A solução que descrevo acima dará o governo ao PMDB, pois Michel Temer assume. E isso o PSDB parece não querer. Teme que uma vez instalados no governo, seja difícil retirá-los de lá, pois jogam muito pesado.

O PSBD não escapará da acusação de protagonizar um enorme casuísmo, já que o partido, que até agora incentivava o ‘Fora, Dilma!’, pedindo o impeachment – que lhes era conveniente, porque nesse caso haveria nova eleição para presidente e eles têm o candidato que está na frente das pesquisas – mude de ‘fora, Dilma!’ para ‘Fica, Dilma!’, porque, se ela sair, Michel Temer é que vai assumir.

Preferem deixar Dilma no governo, isolada e detestada pelo povo, sem poder de reação – portanto, teoricamente mais fácil de vencer – a enfrentar a turma pesada do PMDB. No entanto, dão a entender que estão relativizando sua maneira de atuar e perdem credibilidade. A fim de tentar encontrar uma saída política para a confusão, inventaram uma proposta sem pé nem cabeça, que não tem amparo em nenhuma lei e nem na Constituição e pedem novas eleições, como se estivéssemos no sistema parlamentarista. Isto só dá mais força ao PT para denunciar uma pretensa tentativa de golpe.

Agindo assim, terão que se explicar a todo o momento, dando razão a sua antiga fama de não se decidir e de viver em cima do muro.

 Na verdade, a única pessoa que poderia criar as condições para ficar no governo e cumprir o seu mandato é a própria Dilma, se lançasse ao debate um projeto de conciliação nacional, se desculpando pelos erros cometidos, enxugando o governo, chamando gente competente para ajudá-la, não precisando mais atrair apoio a todo o custo em nome da governabilidade e lançando ao debate uma pauta de projetos que, pela sua importância, pudessem mudar o rumo do país, que hoje está em queda livre.

Mas não acredito que ela faça sequer uma coisa parecida com isso. Parece que ela quer é liquidar adversários e a oposição, parece querer é brigar mesmo, em um momento que não tem força suficiente para enfrentar o grande antagonismo da população e do Congresso incentivados por sua maneira de governar.

Mesmo porque se ela propusesse algo marcante, não poderia ser apenas “da boca para fora”, não poderia ser apenas retórica, teria que ser sincero e ela teria que levar o governo até o fim dessa maneira.

Pelo que conheço dela, por seu temperamento guerreiro, ela jamais teria humildade suficiente para se entregar a essa tarefa.

Resta saber quem tem razão no posicionamento com relação ao Governo Dilma Rousseff, a cria ou o criador.

“O criador acha que a criatura é incapaz”, diz Andrea Murad

por Jorge Aragão

andreanovaNa reabertura dos trabalhos na Assembleia Legislativa, nurse na tarde desta segunda-feira (03), chamou a atenção a analise da deputada estadual Andrea Murad (PMDB), sobre o tal Pacto Pelo Maranhão, proposto recentemente em dois artigos, pelo ex-governador José Reinaldo Tavares.

Andrea Murad foi taxativa em afirmar que a proposta de união de forças da classe política, inclusive convocando o ex-presidente da República José Sarney para o pacto, é uma clara demonstração que José Reinaldo, denominado por ela de criador, não acredita mais na competência da criatura, que para a deputada seria o governador Flávio Dino.

“Não é à toa que o criador do Flávio Dino fez um artigo no jornal pedindo socorro a José Sarney, pedindo pelo amor de Deus nos ajude Sarney, porque o governador Flávio Dino é incapaz, ou seja, o criador não acredita mais na criatura”, afirmou Andrea Murad.

A deputada ainda lembrou que mesmo alguns dentro do grupo político comandado por Flávio Dino demonizarem José Sarney, foi a ele que José Reinaldo foi pedir ajuda.

“Devemos refletir, pois aquele homem tão demonizado por muitos, inclusive por muitos deputados desta Casa, que sobem nesta tribuna para demonizar o ex-presidente Sarney, e é a esse mesmo homem que o criador José Reinaldo foi pedir socorro, porque a sua criatura não está conseguindo governar o Estado”, finalizou.

No mínimo interessante a análise da deputada estadual Andrea Murad.