O reconhecimento a mais um bom trabalho de Felipe Camarão

por Jorge Aragão

Este Blog, por várias vezes, já destacou o trabalho realizado pelo professor, advogado e procurador federal Felipe Camarão como gestor público, não só agora na gestão de Flávio Dino, como nas demais gestões que ele teve oportunidade de participar.

Só que esse reconhecimento a Felipe Camarão, pela sua passagem pela Educação, já ultrapassou as fronteiras do Maranhão e chegou a imprensa do sul do Brasil.

O site Jornalistas Livres, através da jornalista Kátia Passos, destacou o trabalho de Felipe Camarão à frente de uma pasta importante que é a Educação.

A jornalista, no texto “O antagonismo do Maranhão à educação de Alckmin em SP”, narrou um fato que ela presenciou, até mesmo sem querer, e fez uma comparação do trabalho realizado por Felipe Camarão com a gestão da Educação de Alckmin.

Indiscutivelmente um justo reconhecimento a um dos melhores gestores que o Maranhão possui, afinal independente do governo que ele trabalhe, sempre tem deixado o seu legado. Clique aqui para ler a reportagem na íntegra.

Uma justa homenagem para Felipe Camarão

por Jorge Aragão

A Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão realizou na manhã desta quinta-feira (13), no Plenário “Deputado Nagib Haickel”, sessão solene para homenagear o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, com a entrega da Medalha Manoel Beckman, iniciativa do deputado Marco Aurélio (PCdoB).

A homenagem, por tudo que já foi feito pelo gestor Felipe Camarão por todos os órgãos que teve oportunidade de passar desde 2001, foi extremamente justa.

“Agradeço a homenagem. Eu que sou carioca e que que também já fui consagrado por esta Casa, com o título de Cidadão Maranhense. Com esta medalha, além de ficar muito feliz, me sinto na responsabilidade de fazer cada vez mais pelo Maranhão. Vou procurar honrar essa medalha quando fazermos as andanças pelo interior do Maranhão, levando benefícios para o povo maranhense”, disse Felipe Camarão.

Perfil do homenageado – Felipe Camarão é natural do Rio de Janeiro, chegou criança ao Maranhão, onde cresceu e se estabilizou. Formado em Direito pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), é mestre em Direito pela mesma instituição. Aos 23 anos, iniciou sua carreira profissional dirigindo o Procon/MA, pela primeira vez, em 2005.

Foi aprovado, entre outros, nos concursos públicos para escrivão de polícia civil, analista judiciário do TJ/MA e para procurador federal, cargo em que foi empossado, em 2007, no município de Imperatriz, onde chefiou o escritório de representação da Advocacia-Geral da União e foi procurador-chefe da Procuradoria Seccional Federal do município.

No final de 2008, foi nomeado procurador-chefe da Procuradoria Federal no Maranhão. Em 2011, reassumiu a direção do Procon/MA, cargo que ocupou por mais nove meses, até retornar para a Procuradoria Federal. Exerceu ainda o cargo de procurador-chefe da Procuradoria Federal Especializada junto ao INSS (PFE/INSS) e o de subprocurador-chefe da UFMA.

A convite do governador Flávio Dino, no dia 1º de Janeiro de 2015 assumiu a Secretaria de Estado da Gestão e Previdência. Em agosto deste mesmo ano, foi empossado secretário de Estado da Cultura. Contribuiu, também, com a implantação da Secretaria de Governo. Atualmente é o titular da Secretaria de Educação, é um dos idealizadores do programa Escola Digna. É professor de Direito em cursos de pós- graduação e de graduação da UFMA e da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco (UNDB).

Inegavelmente foi uma justa homenagem.

A postura correta de Felipe Camarão

por Jorge Aragão

Nesta semana a SEDUC – Secretaria de Estado da Educação, na gestão Felipe Camarão – confirmou a rescisão do contrato de 20 gestores escolares, a informação foi criticada por alguns que acabaram se apressando, pois na verdade a decisão foi acertada.

Felipe Camarão decidiu pela rescisão correta pelo fato da ausência de prestação de contas de recursos da Caixa Escolar. Os gestores demitidos são de 20 escolas pertencentes às Unidades Regionais de Educação (URE’s) de Chapadinha, Itapecuru, Rosário, Viana e São Luís. Do total de contratos rescindidos, 13 são de gestores eleitos por meio do processo democrático e sete gestores indicados pela própria SEDUC, com base em critérios técnicos estabelecidos pelo edital de eleição de gestores.

“Todos estes gestores foram demitidos por não terem prestado contas de recursos do caixa escolar, o que penaliza toda a escola, que fica impossibilitada de receber recursos, como Fundo Estadual de Educação (FEE) e do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), essenciais para o seu bom desempenho administrativo e até pedagógico da escola”, explicou o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão.

É através do Caixa Escolar que são repassados diretamente à escola recursos como: Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e o Fundo Estadual de Educação, que podem ser destinados à aquisição de material, manutenção, pequenas construções e conservação de instalações e equipamentos necessários ao processo de ensino e aprendizagem, entre outras necessidades básicas. Em contrapartida, os gestores escolares devem prestar conta detalhada de como os recursos foram gastos. Porém, muitos deixam de cumprir a lei, ficando com o Caixa Escolar inadimplente.

O gestor geral ou adjunto da escola assume a responsabilidade de presidente da Caixa Escolar e é o responsável pela boa aplicação dos recursos públicos repassados à escola e pela periódica prestação de contas. A função é exercida por profissionais efetivos da rede, com função gratificada, os quais assinam um contrato de gestão e, periodicamente, tem os seus desempenhos nos aspectos pedagógicos, administrativo e financeiro avaliados.

Ao longo de 2016, a SEDUC realizou diversas capacitações regionalizadas com gestores escolares e também outros profissionais interessados sobre procedimentos de prestação de contas. A demissão dos gestores foi a última medida adotada pela Secretaria, após todos os gestores terem sido capacitados e notificados sobre a necessidade da prestação de contas.

“Há um problema histórico de inadimplência das caixas escolares que, na maioria dos casos, os gestores não tinham conhecimento adequado de como proceder com a prestação de conta. Atualmente, temos um setor específico voltado para orientar os gestores e esse número de inadimplência vem diminuindo, contudo, nossa meta é que todas as caixas estejam adimplentes. Antes de proceder com a exoneração, todos os gestores foram notificados para regularizar a situação”, esclareceu o secretário Felipe Camarão.

Foi rescindido o contrato de gestão escolar de gestor geral e/ou auxiliar das seguintes escolas:
URE Chapadinha – C.E. Maria Luiza Novais Viana;
URE Itapecuru – C.E. Nina Rodrigues, C.E. Major Ericio Gomes Braga, C.E. Raulina Sousa Silva, C.E. Santos Dumont e C.E. Newton Neves;
URE Rosário – C.E. Estado do Acre e C.E. Mons. Dourado;
URE Viana – C.E. Cidade de Arari, C.E. Gregório Praseres e C.E. Acrisio Figueiredo;
URE São Luís – C.E. Pires Collins, C.E. Paulo VI, C.E. Desembargador Sarney, C.E. Dr. Antônio Jorge Dino, C.E. Estado do Amazonas, C.E. Estado de Ceará, U.I. José Giorcelli Costa, C.E. Juvêncio Matos e U.I. Raimundo Correa.

Sendo assim, é impossível criticar quem está agindo pelo cumprimento das normas e da lei. A decisão acertada de Felipe Camarão, apenas demonstra, mais uma vez, sua postura correta como gestor público.

“Saí para entregar alguns ônibus, mas já voltei”, diz Felipe Camarão

por Jorge Aragão

O secretário de Educação do Maranhão, Felipe Camarão, respondeu com ironia a notícia veiculada nas redes sociais que estaria deixando a Educação e se transferindo para a Secretaria de Saúde.

Em contato com o Blog, Camarão negou que exista essa possibilidade e que seguirá seu trabalho na Educação tentando melhorar os índices do Maranhão. Ao desmentir sua saída, Camarão demonstrou senso de humor e que o trabalho segue firme e a todo vapor.

“Sai da SEDUC apenas para entregar mais alguns ônibus aos municípios maranhenses em companhia do governador Flávio Dino, mas já voltei”, respondeu sorrindo.

Camarão se referiu a entrega de mais transporte escolar aos municípios do Maranhão. Na quarta-feira (06), mais sete cidades foram contempladas, totalizando até agora 71 ônibus e duas lanchas já entregues na gestão de Felipe Camarão à frente da SEDUC.

Sendo assim, factoide desfeito e Felipe Camarão segue seu trabalho na Secretaria de Educação.

ESCUTEC: o reconhecimento ao trabalho de Felipe Camarão

por Jorge Aragão

Este Blog já destacou por inúmeras vezes a qualidade do gestor Felipe Camarão, que por onde já passou demonstrou competência, seriedade e serenidade, deixando assim bons trabalhos. Trabalhos estes que já começam a ser reconhecidos pela população maranhense.

O Blog também já deixou claro que é cada dia mais evidente o sentimento da população de querer um gestor técnico e não um político para o comando do Executivo. E A pesquisa ESCUTEC, divulgada na quarta-feira (21), foi mais uma prova inconteste dessas afirmações.

Sem ao menos ser filiado a partido político, sem jamais ter disputado uma eleição e sem nunca ter sinalizado uma disputa eleitoral, o nome de Felipe Camarão foi a grande surpresa na pesquisa ESCUTEC.

No levantamento para o Governo do Maranhão, na pesquisa espontânea, onde não são apresentados nomes de candidatos, onde o entrevistado apenas diz em quem pretende votar para governador, Felipe Camarão apareceu pontuando na pesquisa.

Felipe Camarão foi citado por 0,1% dos entrevistados, o mesmo patamar do senador Roberto Rocha (PSB) que já alardeia ser candidato ao Governo do Maranhão desde o início do ano, e do também senador João Alberto (PMDB), que já foi governador do Estado.

A aparição de Felipe Camarão é indiscutivelmente um reconhecimento ao seu trabalho como gestor no Maranhão e a demonstração da necessidade de renovação na política do Maranhão.

Se Felipe Camarão disputará um dia a Prefeitura de São Luís ou o Governo do Maranhão, isso apenas o tempo irá dizer, mas ao que parece, a convocação e a sinalização para que isso aconteça já está sendo feita.

É aguardar e conferir.

A interessante sugestão de Joaquim Haickel para o grupo de Dino

por Jorge Aragão

Depois de fazer uma análise realista sobre o momento político no Maranhão, inclusive reproduzido pelo Blog (reveja), o ex-deputado Joaquim Haickel levantou uma outra possibilidade interessante para as próximas eleições.

Está cada vez mais claro que a população quer experimentar mais gestores técnicos e/ou gestores políticos de uma nova geração para comandar o Executivo. Por conta desse sentimento, Joaquim Haickel leva ao debate uma situação que já estava sendo comentada apenas nos bastidores.

O ex-deputado sugere o nome de Felipe Camarão para o Executivo do Maranhão, iniciando como candidato a vice-governador e posteriormente como candidato a governador do Estado, no grupo comandado por Flávio Dino (PCdoB).

Haickel chega a afirmar que a única possibilidade, mesmo que remota, de votar em Flávio Dino em 2018 seria a indicação de Felipe Camarão para compor chapa com o comunista, pois assim seria o nome de Camarão o mais forte para as eleições de 2002.

A seriedade, credibilidade e competência demonstrada por Felipe Camarão por todas as pastas em que teve a oportunidade de desenvolver seu trabalho, suscitam esse debate.

Uma ala menos alienada e mais consciente do desgaste dos políticos do grupo de Flávio Dino já levantam essa possibilidade, chegam até mesmo a cogitar a ideia de que Felipe Camarão já possa disputar logo a Prefeitura de São Luís em 2020, sendo o sucessor de Edivaldo Júnior.

Entretanto, a ida do nome de Felipe Camarão para as urnas, para ser testado, estava apenas sendo tratada nos bastidores, mas com a repercussão que deve tomar a sugestão de Haickel, o assunto ganhará os debates políticos.

Resta saber se a ciumeira de alguns recalcados no grupo comunista, principalmente por ter sido publicizada a ideia por um ‘adversário político’, permitirá que a escolha seja técnica, como almeja a população, ou se será meramente politiqueira.

Uma coisa é certa, a estrada que já foi construída por Felipe Camarão lhe credencia, caso deseje, a ter a oportunidade de disputar cargos no Executivo, independente de grupo político. A prioridade, fatalmente, deve ser no grupo comunista, mas isso não é uma obrigatoriedade, afinal o trabalho desenvolvido por Camarão é técnico e não político.

É aguardar e definir.

“Escola denunciada por Wellington é municipal”, diz Felipe Camarão

por Jorge Aragão

O secretário de Educação do Maranhão, Felipe Camarão, entrou em contato com o titular do Blog para, de maneira respeitosa, corrigir algumas informações sobre a denúncia formulada pelo deputado estadual Wellington do Curso, na manhã desta terça-feira (06), na Assembleia Legislativa.

Pela manhã, utilizando a Tribuna da Casa, o parlamentar afirmou que o Governo Flávio Dino teria construído recentemente uma quadra em uma escola estadual abandonada em Paraibano. Segundo a denúncia de Wellington, a escola seria o Centro de Ensino Edson Lobão (reveja).

Entretanto, Felipe Camarão afirmou ao blog que a escola não é mais estadual, já foi transferida para a gestão municipal. Também salientou que o nome da escola é Centro de Ensino Gonçalves Dias e que a construção da quadra foi feita pela própria Prefeitura de Paraibano.

O secretário de Educação  fez as correções e as observações nas redes sociais, como uma resposta respeitosa ao deputado Wellington do Curso.

Ao Blog do Jorge Aragão, Felipe Camarão voltou a reiterar que está à disposição dos parlamentares, inclusive os oposicionistas, para dirimir qualquer dúvida existente com relação a Educação do Maranhão.

“As nossas dificuldades são muitas, o déficit é enorme, mas estamos conseguindo melhorar essa realidade mesmo nesse momento de crise financeira em todo o Brasil. Volto a me colocar à disposição dos nossos deputados, pois sabemos que ainda existem alguns problemas e estamos prontos para corrigir os erros que porventura ainda existirem. O governador Flávio Dino está tratando a Educação como uma prioridade e estamos levando mais dignidade aos nossos alunos”, finalizou Camarão.

Felipe Camarão comparece na AL e presta esclarecimentos

por Jorge Aragão

Depois da Mesa Diretora, inexplicavelmente e de maneira desnecessária, ter negado na semana passada a aprovação de um simples requerimento do deputado Wellington do Curso que pedia informações sobre as escolas construídas e/ou reformadas, o secretário de Educação do Governo do Maranhão, Felipe Camarão, esteve pessoalmente nesta segunda-feira (15), na Assembleia Legislativa.

Felipe Camarão esteve acompanhado de seus secretários adjuntos e além de ter levado em mãos as informações que estavam sendo solicitadas, acabou também fazendo uma rápida explanação sobre as ações de sua pasta.

“ Fiz questão de vir pessoalmente, como forma de respeito, inclusive aos deputados de Oposição que contribuem também, e para demonstrar a transparência de nossa gestão. A vinda aqui é para prestar esclarecimentos sobre o Programa Escola Digna que vai sendo desenvolvendo em todo o Maranhão, trouxe os nomes das escolas com os respectivos endereços das escolas construídas e reformadas, como foi pedido”, destacou Felipe Camarão.

O secretário deixou claro que segue a disposição da Assembleia Legislativa e pediu o apoio dos deputados para uma campanha de conscientização que está sendo iniciada pela Secretaria de Educação.

“Continuamos à disposição dos deputados para prestar quaisquer esclarecimentos. Também aproveitamos a nossa vinda para pedir apoio dos deputados para uma campanha de preservação das nossas escolas, pois infelizmente algumas escolas já reformadas, sofrem atos de vandalismo externos e internos. O apoio da Assembleia Legislativa nessa campanha de conscientização será muito importante.

O Líder do Governo na Assembleia, Rogério Cafeteira, destacou na Tribuna a ida de Camarão e pediu desculpas aos deputados que solicitaram informações pela demora na resposta.

“O secretário Felipe Camarão fez questão de vir pessoalmente trazer todas as informações solicitadas e aqui estão elas, que eu vou encaminhar a todos os deputados e para a Comissão de Educação. Peço desculpas pela demora em nome do secretário e dizer que qualquer parlamentar é bem-vindo na Secretaria de Educação, como bem deixou claro o secretário”, informou Cafeteira.

Como o Blog destacou desde o início, o principal erro foi ter recusado um simples requerimento de informações, principalmente informações que o próprio governo estava fazendo questão de divulgar.

O Blog realmente não esperava outra postura e outra atitude do secretário Felipe Camarão.

Líder do Governo assegura ida de Felipe Camarão na AL

por Jorge Aragão

Conforme o Blog antecipava, até pela própria postura adotada pelo atual secretário de Educação do Governo do Maranhão, Felipe Camarão, ao longo de sua vida pública, o gestor deverá comparecer à Assembleia Legislativa para dirimir qualquer dúvida existente com relação a sua pasta aos deputados estaduais.

A confirmação foi feita pelo Líder do Governo na Assembleia, o deputado Rogério Cafeteira, e acontece logo após uma negativa desnecessária da Mesa Diretora da Casa em rejeitar o requerimento do deputado Wellington do Curso pedindo o nome e o endereço das escolas reformadas e/ou construídas pelo Governo Flávio Dino (reveja aqui).

Vale destacar que a solicitação de Wellington foi baseada na própria propaganda institucional do Governo Flávio Dino, que assegura que mais de 500 escolas em todo o Maranhão estão passando por reformas e outras 300 estão sendo construídas. O parlamentar quer apenas o nome e endereço das escolas para verificar in loco a informação.

Cafeteira, que não estava na Sessão Ordinária durante a negativa da Mesa Diretora, acredita que deve ter acontecido algum ruído na comunicação, mas afirmou que Felipe Camarão já se colocou à disposição para comparecer na Assembleia Legislativa.

“Talvez tenha acontecido algum ruído na comunicação. O próprio secretário Felipe Camarão pediu que o requerimento nem fosse votado, para que ele pudesse ir pessoalmente responder aos questionamentos. Ele já garantiu que irá a Assembleia Legislativa, vamos só agendar uma data”, afirmou Cafeteira.

A negativa do simples requerimento chegou a levantar dúvidas sobre as informações propagadas pelo Governo Flávio Dino, afinal quem não deve, não tem motivo para temer. Como bem destacou o deputado César Pires, ficou a impressão de que nem os deputados governistas acreditam na mídia que está sendo divulgada.

Para finalizar, é bom lembrar que tanto as reformas quanto as construções de escolas no Maranhão não são de competência da Secretaria de Educação, mas sim da Secretaria de Infraestrutura, cujo titular da pasta é Clayton Noleto.

Entretanto, se o questionamento feito é apenas com relação aos nomes e endereços das escolas reformadas e/ou construídas, indiscutivelmente essa informação o secretário Felipe Camarão pode e deverá sim disponibilizar aos deputados estaduais.

É aguardar e conferir.

AL rejeita simples pedido de informação de Wellington do Curso

por Jorge Aragão

Depois de aprovar a convocação do secretário de Agricultura Familiar do Governo Flávio Dino, Adelmo Soares, a Mesa Diretora da Assembleia, nesta quarta-feira (10), negou um simples pedido de informação do deputado estadual Wellington do Curso.

O parlamentar apresentou um requerimento para que o Governo Flávio Dino disponibilizasse o nome e endereço das escolas que estão sendo reformadas e/ou construídas, como o próprio governo comunista alardeia nas propagandas institucionais, mas estranhamente o simples pedido foi rejeitado.

“Fiquei perplexo com essa negativa, pois foi algo simples. Queremos apenas comprovar que as informações que estão sendo divulgadas são de fato verdadeiras, pois o Governo Flávio Dino tem dito que reformou e/ou construiu mais de 500 escolas e queremos acompanhar isso in loco, através do projeto de Olho nas Escolas, mas infelizmente não conseguimos aprovar o requerimento pedindo apenas o endereço e nome dessas escolas”, declarou Wellington do Curso, que recorreu ao Plenário da Casa, que terá que se posicionar na sessão de quinta-feira (11).

A decisão da Mesa Diretora acabou repercutindo negativamente no Plenário e muitos deputados criticaram a rejeição do simples requerimento de Wellington do Curso.

“A Casa fica tão minúscula com uma discussão dessa, onde um deputado faz um apelo para que a Mesa Diretora autorize um pedido de informação de endereço e nome de escolas que o governo diz que reformou. Isso é lamentável e ainda acredito que o secretário de educação, Felipe Camarão, não se negará a informar esses dados”, destacou Edilázio.

“É um simples pedido de informação ou de informações a respeito daquilo que é produzido pelo próprio Governo, nada mais do que isso. Ontem a Mesa se recusou a aprovar, porque nem mesmo a Mesa acreditava na mídia que estava sendo feita pelo Governo Flávio Dino. Eu tenho certeza, pelo que eu conheço do Felipe Camarão, um cara sério, correto, jamais se negaria a isso. Se nós não temos mais o direito de pedir uma informação da própria mídia que o Governo faz, fica impossível continuarmos assim”, declarou César Pires.

O Plenário da Casa deverá se posicionar sobre o simples pedido do deputado Wellington do Curso na quinta-feira, mas acredito que o próprio secretário Felipe Camarão, assim que tiver conhecimento da solicitação, deverá encaminhar à relação ao parlamentar ou mesmo ao Líder do Governo, Rogério Cafeteira.

É aguardar e conferir.