Edivaldo entrega mais um Ecoponto em São Luís

por Jorge Aragão

O prefeito Edivaldo entregou na manhã deste sábado (13) o nono Ecoponto da cidade. O novo espaço funcionará na Avenida Ferreira Gullar, no bairro do São Francisco. A proposta do equipamento é eliminar pontos de descarte irregular de resíduos sólidos na cidade. Com a inauguração de mais esse Ecoponto, a Prefeitura de São Luís, por meio do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, reforça a política municipal de gestão dos resíduos sólidos e contribui para uma cidade ainda mais limpa.

Ao lado da primeira-dama, Camila Holanda, e do pai, o deputado estadual Edivaldo Holanda, prefeito enfatizou que a gestão tem cumprido o compromisso com a limpeza pública. “Temos desenvolvido uma série de ações na área da limpeza urbana com o objetivo de tornar nossa capital um exemplo para as demais cidades. Com a contribuição da população, temos avançado nessa área e vamos continuar trabalhando para que, de mãos dadas, possamos fazer nossa cidade cada vez mais limpa e melhor”, ressaltou.

O Ecoponto São Francisco segue o modelo dos demais já em funcionamento. Os equipamentos contam com instalações sanitárias, estacionamento, setores de recebimento e acondicionamento temporário dos materiais e área de manobra de equipamentos e veículos. Cada Ecoponto possui, ainda, quatro baias de alvenaria cobertas e sinalizadas, para a deposição do material coletado. Além do São Francisco, o Ecoponto vai atender moradores de bairros adjacentes como Ilhinha, alcançando uma população de cerca de 20 mil habitantes.

A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, explicou como o trabalho desenvolvido pelo comitê tem contribuído para fortalecer a política da limpeza pública. “Essa é uma área com grande incidência de descarte irregular na cidade, mesmo com a coleta domiciliar realizada de forma regular. Outro benefício do equipamento é que ele proporciona a inclusão das cooperativas de reciclagem nesse ciclo virtuoso de desenvolvimento sustentável e de geração de emprego e renda”, disse.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, também acompanhou a solenidade de inauguração do Ecoponto e enfatizou o impacto positivo da entrega em outras políticas públicas. “Um dos pontos fortes da gestão do prefeito Edivaldo é a transversalidade de suas ações. Uma ação como essa aparentemente apenas voltada para a limpeza abrange uma série de outras áreas como a da saúde pública. Uma cidade mais limpa é um lugar onde a população goza de melhor saúde. Ações como essa têm contribuído para a redução da incidência de doenças como Zika vírus, Chikungunya e Dengue”, contou.

Além do São Francisco, outros pontos estratégicos da cidade já foram contemplados com um Ecoponto. Os equipamentos estão localizados em bairros como Parque Amazonas, Angelim, Bequimão, Habitacional Turu, Jardim América, Jardim Renascença, Residencial Esperança e Cidade Operária. Os Ecopontos funcionam de segunda a Sábado, das 7h às 19h, e também recebem resíduos de áreas adjacentes.

Edivaldo vai entregar mais um Ecoponto em São Luís

por Jorge Aragão

Com oito Ecopontos em pleno funcionamento, a Prefeitura de São Luís segue fortalecendo a política municipal de gestão dos resíduos sólidos e conclui este mês a construção de um novo Ecoponto que irá funcionar no bairro São Francisco.

Já está em fase final a construção do Ecoponto no bairro São Francisco, o 9º a ser entregue pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

Desde o primeiro mandato o pedetista vem transformando a limpeza urbana de São Luís, unindo coleta eficiente, eliminação de pontos de descarte e conscientização da população.

O novo Ecoponto está sendo construído na Avenida Ferreira Gullar e atenderá principalmente à demanda dos bairros Ilhinha e São Francisco, acabando com pontos conhecidos pelo descarte irregular de resíduos sólidos da região, beneficiando cerca de 20 mil moradores da área.

Os Ecopontos foram criados na gestão Edivaldo e, por meio desses equipamentos, 10 mil toneladas ganharam a destinação adequada, de maio de 2016 a dezembro de 2017. O prefeito já entregou Ecopontos nos bairros Parque Amazonas, Angelim, Bequimão, Habitacional Turu, Jardim América, Jardim Renascença, Residencial Esperança e Cidade Operária.

Esses equipamentos da Prefeitura de São Luís estão deixando a cidade mais bonita e melhorando a vida dos moradores, além de contribuem para a diminuição dos criadouros do mosquito Aedes aegypti e, por consequência, das doenças causadas pelo inseto, como zika vírus, chikungunya e dengue.

“Estamos tendo grandes avanços na limpeza urbana de São Luís e, sem dúvida, os Ecopontos são um dos protagonistas desse novo momento que a cidade está vivendo. O impacto tem sido muito positivo em todas as esferas envolvidas: moradores, catadores, carroceiros e toda a cadeia de reciclagem.

Vamos continuar trabalhando para garantir cada vez mais qualidade de vida, desenvolvimento sustentável e geração de emprego e renda”, afirma o prefeito Edivaldo.

As intervenções feitas na limpeza urbana colocam São Luís como pioneira no cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS – (Lei nº 12.303/2010), um gargalo nas grandes cidades e que, em São Luís, era motivo de grande preocupação em gestões anteriores a de Edivaldo. Agora, a tendência é seguir avançando e deixando a cidade cada vez mais limpa.

FINALIDADE – O projeto de criação dos Ecopontos foi uma determinação do Prefeito Edivaldo e foi desenvolvido para atender os geradores e transportadores de pequena quantidade de resíduos, com volumes inferiores a 2m³, transportados por veículos como pick-up, carrinhos de mão ou carroças. Os condutores de veículos de tração animal são os grandes usuários destas unidades, pois têm como principal atividade o transporte de resíduos.

Na medida em que oferecem alternativas ao descarte irregular, esses equipamentos também contribuem para a diminuição dos criadouros do mosquito Aaedes aegypti e, por consequência, das doenças causadas pelo inseto, como o zika vírus, o chikungunya e a dengue.

Localização dos Ecopontos
– Ecoponto Parque Amazonas
Avenida dos Africanos, s/nº, Bairro de Fátima, entrada do Parque Amazonas;

– Ecoponto Angelim
Rua 27, s/nº (antes do Makro, próximo ao Restaurante Chico Noca);

– Ecoponto Bequimão
Avenida 1, s/nº, Bequimão, ao lado do CRAS

– Ecoponto Habitacional Turu
Travessa G, s/nº, Habitacional Turu, próximo ao antigo Mateus Supermercados

– Ecoponto Jardim América
Avenida 03, s/nº, Jardim América, ao lado da União de Moradores

– Ecoponto Jardim Renascença
Rua Netuno, próximo à Paróquia de São Paulo Apóstolo

– Ecoponto Residencial Esperança
Rua Doutor Ribeiro, s/nº, Residencial Esperança

– Ecoponto Cidade Operária
Avenida Este 203, s/nº, Cidade Operária, próximo ao Campo do Real

Que materiais são recebidos nos Ecopontos?
ELETRÔNICOS: televisão, monitores, celular, impressoras, mouses, teclados, etc – até três unidades
ENTULHO: resíduos de construção civil, como tijolos, telhas, gessos etc – até 2m³ (volume de uma caixa d’água de 2 mil litros)
MADEIRAS: até 2m³ (volume de uma caixa d’água de 2 mil litros)
ÓLEO DE COZINHA: até 5 litros
PNEUS: até 4 unidades
PODAS DE ÁRVORE E RESTO DE CAPINA: até 2m³ (volume de uma caixa d’água de 2 mil litros)
RECICLÁVEIS: plástico, papel, isopor, metais, vidros, etc (até 300 litros – 3 sacos grandes)
VOLUMOSOS: móveis, sofás, colchão etc (até dois volumes)
*Quantidades por pessoa/dia

São Luís ganha mais um Ecoponto

por Jorge Aragão

A Prefeitura de São Luís entregou, nesta segunda-feira (4), o Ecoponto Cidade Operária. Localizado na Avenida Este 203, próximo do Campo do Real, este é o oitavo equipamento do tipo entregue pela Prefeitura de São Luís à população. O bairro, que já é atendido pelo Ecoponto Jardim América, agora tem um espaço próprio para o descarte de material reciclável, restos de construção civil e capina. Na ocasião, crianças atendidas por um projeto de educação ambiental do bairro participaram de um plantio de mudas de árvores.

A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, destaca que a entrega do Ecoponto Cidade Operária faz parte das ações de fortalecimento das políticas públicas na região colocadas em prática na gestão do prefeito Edivaldo. “A área já tem o Ecoponto Jardim América, que recebe uma grande demanda diária de resíduos sólidos descartados. Agora, parte desta demanda vai ser concentrada no Ecoponto Cidade Operária. Para 2018, planejamos o Ecoponto Cidade Olímpica. Em função do grande contingente populacional, a região gera grande quantidade de resíduos sólidos descartados irregularmente. Com os Ecopontos vamos melhorar a limpeza urbana na área”, afirma Carolina Moraes Estrela.

Desde o início das obras, a comunidade da Cidade Operária começou a ser mobilizada por meio de reuniões para apresentar o projeto dos Ecopontos, informar sobre sua finalidade, o porquê da escolha da área entre outras informações. Também foram feitas ações porta a porta em parceria com entidades do bairro.

A estrutura do Ecoponto Cidade Operária segue o modelo dos demais já em funcionamento. Cada Ecoponto conta com instalações sanitárias, estacionamento, setores de recebimento e acondicionamento temporário dos materiais e área de manobra de equipamentos e veículos, além da parte administrativa. O espaço conta ainda com quatro baias de alvenaria cobertas e sinalizadas, para a deposição do material coletado. As placas de identificação seguem os padrões definidos de coleta seletiva: amarelo para metal, azul para papel, vermelho para plástico e verde para vidro.

O projeto de criação dos Ecopontos foi uma determinação do prefeito Edivaldo e foi desenvolvido para atender os geradores e transportadores de pequena quantidade de resíduos, com volumes inferiores a 2m³, transportados por veículos como pick-up, carrinhos de mão ou carroças. Os condutores de veículos de tração animal são os grandes usuários destas unidades, pois têm como principal atividade o transporte de resíduos.

Na medida em que oferecem alternativas ao descarte irregular, esses equipamentos também contribuem para a diminuição dos criadouros do mosquito Aaedes aegypti e, por consequência, das doenças causadas pelo inseto, como o zika vírus, chikungunya e a dengue.

E tome Ecopontos em São Luís…

por Jorge Aragão

O prefeito Edivaldo entregou, nesta segunda-feira (18), mais um Ecoponto, em São Luís. O equipamento do Residencial Esperança é o sétimo a ser posto em funcionamento em pouco mais de um ano pela Prefeitura de São Luís, via Comitê Gestor de Limpeza Urbana e vai atender a 11 bairros da região, beneficiando uma população estimada de 40 mil habitantes. Os Ecopontos são uma forma eficaz de combater pontos de descarte irregular na cidade, recebendo de forma ambientalmente adequada o descarte de resíduos não recolhidos na coleta domiciliar, reforçando a política municipal de tratamento de resíduos sólidos.

Segundo o prefeito Edivaldo – que estava acompanhado da primeira-dama Camila Holanda e do vice-prefeito Julio Pinheiro, além de secretários municipais – o Ecoponto Residencial Esperança representa mais um importante passo da Prefeitura no combate ao descarte irregular de resíduos. “Este terreno onde foi construído o Ecoponto era uma área onde os resíduos eram descartados de forma irregular, prejudicando a saúde pública e a qualidade de vida dos moradores. Agora, a área está pronta para receber de forma adequada esses resíduos, trazendo melhorias para a região. Executamos o projeto dos Ecopontos de forma integrada com as cooperativas de reciclagem de lixo, que recebem todo o material reciclável coletado nos Ecopontos, promovendo, assim, o trabalho e a geração de renda entre os cooperativados”, frisou Edivaldo.

O prefeito ressaltou ainda a necessidade de apoio da população na melhoria da limpeza urbana. “A Prefeitura está fazendo sua parte, mantendo a coleta regular, entregando Ecopontos, fortalecendo a coleta seletiva, mas a população também precisa fazer a sua parte que é não descartar lixo em locais indevidos”, ressaltou o gestor municipal.

O Ecoponto Residencial Esperança fica localizado na Rua Doutor Ribeiro, s/nº, Residencial Esperança, e vai atender à demanda dos bairros Vila Fialho, Cohama, Cantinho do Céu, Conjunto Manoel Beckman, Vila 07 de Setembro, Vila Regina, Residencial Primavera Turu, Vila Cruzado, Vila União e Recanto Fialho.

Os Ecopontos integram as ações desenvolvidas pela Prefeitura de São Luís, executadas por meio do Comitê Gestor de Limpeza Urbana. Os equipamentos visam dar destinação adequada aos resíduos produzidos na cidade e contribuir para a proteção da saúde pública e a qualidade ambiental por determinação do prefeito Edivaldo para profissionalizar a gestão de resíduos sólidos em São Luís, política que teve como marco o fechamento do Aterro da Ribeira, em julho de 2015.

Os Ecopontos são espaços disponibilizados à população para entrega voluntária de materiais descartáveis e inservíveis que não são recolhidos pela coleta convencional de lixo. O espaço recebe todo tipo de resíduos que não entram na coleta diária, como entulhos da construção civil, utensílios domésticos e móveis velhos, por exemplo.

O projeto dos Ecopontos começou a ser desenvolvido em 2015 com estudos técnicos sobre este tipo de equipamento e as vantagens que eles trariam para o sistema de limpeza do município.

O primeiro Ecoponto foi inaugurado em maio de 2016, na Avenida dos Africanos. Após isso, foram inaugurados Ecopontos nos bairros Bequimão, Angelim, Turu e Jardim América. No dia 6 deste mês, como parte das comemorações pelos 405 anos de São Luís o prefeito Edivaldo entregou o Ecoponto Jardim Renascença e agora entrou em funcionamento também o Ecoponto Residencial Esperança. “Nossa meta é encerrar o ano com 10 Ecopontos em funcionamento. Já temos outros dois licenciados para iniciarmos a construção. Eles ficarão localizados nos bairros Cidade Operária e Cohatrac”, informou Edivaldo.

Edivaldo entrega o sexto Ecoponto na capital maranhense

por Jorge Aragão

O prefeito Edivaldo entregou, nesta quarta-feira (6), o sexto Ecoponto para descarte adequado de material reciclável na capital. A entrega do mais novo equipamento público de limpeza urbana, localizado no bairro Jardim Renascença, integra a programação de comemoração do aniversário de 405 de São Luís. Com a abertura deste espaço, a Prefeitura de São Luís soluciona mais um problema de deposição irregular de lixo há anos verificado nessa área, fortalecendo a gestão de resíduos sólidos na cidade e promovendo mais qualidade ambiental à população.

Além do Ecoponto do Jardim Renascença, a Prefeitura de São Luís já entregou outros cinco equipamentos nos bairros Turu, Angelim, Bequimão, Jardim América e Avenida dos Africanos. “Nossa meta é fechar 2017 com 10 Ecopontos entregues na capital e iniciar no próximo ano um novo planejamento de execução desse importante projeto, para que possamos disponibilizar à comunidade uma nova leva de equipamentos de coleta seletiva de resíduos, estendendo a ação para novas áreas da cidade”, afirmou o prefeito Edivaldo, que estava acompanhado da primeira-dama, Camila Holanda.

Além de destacar a importância da instalação desses equipamentos urbanos para a melhoria da qualidade ambiental da cidade, o prefeito Edivaldo ressaltou ainda os avanços conquistados na área do saneamento. O prefeito pontuou ações pioneiras implantadas com vistas ao cumprimento das metas estabelecidas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), a exemplo do novo Aterro da Ribeira. O local hoje se destaca no gerenciamento de resíduos sólidos e orgânicos e em nada mais lembra o cenário de degradação humana e ambiental verificado anteriormente.

“Realizamos a ação de forma integrada com as cooperativas de reciclagem de lixo, que recebem todo o material reciclável coletado nos Ecopontos, promovendo, assim, o trabalho e a geração de renda entre os cooperativados”, frisou Edivaldo.

O Ecoponto do Jardim Renascença fica localizado na Rua Netuno, próximo à Paróquia de São Paulo Apóstolo, e vai atender à demanda de sete bairros da região: São Francisco, Renascença, Ponta do Farol, São Marcos, Jaracati, Calhau e Conjunto São Marcos.

Os Ecopontos integram as ações desenvolvidas pela Prefeitura de São Luís, executadas por meio do Comitê Gestor de Limpeza Urbana. Os equipamentos visam dar destinação adequada aos resíduos produzidos na cidade e contribuir para a proteção da saúde pública e a qualidade ambiental.

Os Ecopontos são espaços disponibilizados à população para entrega voluntária de materiais descartáveis e inservíveis que não são recolhidos pela coleta convencional de lixo. O espaço recebe todo tipo de resíduos que não entram na coleta diária, como entulhos da construção civil, utensílios domésticos e móveis velhos, por exemplo.

Intervenção – O prefeito Edivaldo também esteve vistoriando nesta quarta-feira mais uma importante intervenção no trânsito de São Luís que a Prefeitura já iniciou.

“Vistoriamos a obra de intervenção viária que estamos executando na região do São Cristóvão, e que vai solucionar o problema histórico de grandes congestionamentos na área. Já começamos a trabalhar na retirada da rotatória que fica no cruzamento da Avenida Guajajaras com a Lourenço Vieira da Silva, nas proximidades do Supermercado Mateus. Além da mudança geométrica da via, iremos instalar um conjunto semafórico de dois tempos”, afirmou Edivaldo.

Mais um Ecoponto em São Luís

por Jorge Aragão

O bairro Jardim América e as comunidades adjacentes contam com um espaço adequado para descarte dos resíduos que não são recolhidos pela coleta domiciliar regular. A Prefeitura de São Luís entregou oficialmente o Ecoponto do bairro, nesta quarta-feira (22). O equipamento recebe materiais de grande volume que não são recolhidos na coleta convencional, diminuindo, assim, os pontos de descarte irregular de resíduos. O espaço também envolve diretamente a comunidade conscientizando quanto ao descarte regular e a entrega voluntária dos itens.

A coordenadora do Comitê de Limpeza Urbana, Carolina Estrela, destacou a importância de mais esta ação da Prefeitura de São Luís. “Os Ecopontos são uma iniciativa da gestão do prefeito Edivaldo, que contribuem para melhorar a qualidade de vida da população e também tem papel importante na execução de práticas sustentáveis para a cidade. Este é um bairro de grande fluxo de população e que era bastante demandado por um espaço deste tipo”, disse. A coordenadora destacou ainda que nos bairros onde já funcionam ecopontos, tanto catadores, quanto população vem se conscientizando do melhor manejo dos resíduos.

O Ecoponto do Jardim América tem capacidade para receber 100 toneladas de resíduos por mês, podendo variar de acordo com a demanda. “Os Ecopontos proporcionam a revitalização de áreas abandonadas ou terrenos baldios, onde o descarte irregular contribui para a disseminação de doenças. O resultado é um bairro mais limpo e com saúde”, completou Carolina Estrela.

O espaço conta com área administrativa, incluindo instalações sanitárias, estacionamento, áreas de recebimento e acondicionamento temporário dos materiais e área para manobra de equipamentos e veículos, em espaço total de 1100 metros quadrados. Para recebimento do material, são quatro baias de alvenaria cobertas e sinalizadas nas cores especificadas pela Resolução Conama n° 275/2001 – amarelo para metal, azul para papel e papelão, vermelho para plástico e verde para vidro.

O Ecoponto do Jardim América conta ainda com baia específica para resíduos de poda e capina, além de depósito para descarga de entulhos da construção civil. Estes podem ser depositados diretamente nas caixas estacionárias, evitando riscos de acidentes aos condutores de veículos e carroças, assim como aos animais que as tracionam. São sete caixas deste tipo no local.

O trabalho diário e incansável da Prefeitura de São Luís

por Jorge Aragão

O assunto já foi abordado outras vezes pelo Blog, mas é sempre bom lembrarmos, afinal é necessário também um trabalho de conscientização da sociedade.

O descarte irregular de resíduos sólidos causa uma série de problemas que vão desde riscos à saúde humana até prejuízos irreparáveis ao meio ambiente. Na capital maranhense, o volume de resíduos nessa situação, infelizmente, tem aumentado. Até o final do ano passado à Prefeitura de São Luís recolhia, em média, 230 toneladas por dia de resíduos irregularmente descartados – correspondente a 19% do total da coleta realizada na capital. Nos primeiros meses deste ano, porém, esse volume cresceu para cerca de 300 toneladas diárias. Na prática, isto significa que um quarto dos resíduos coletados diariamente em São Luís foi descartado em locais indevidos, como canteiros e terrenos baldios.

A Prefeitura tem intensificado o serviço de coleta. Além dos caminhões que fazem o recolhimento dois resíduos, o município garante também a remoção manual e mecanizada dos resíduos, nos casos necessários. A ação integra a política de gestão de resíduos sólidos, implantada pela Prefeitura de São Luís desde a primeira gestão do prefeito Edivaldo e que incluiu, entre outras ações, a desativação do Aterro da Ribeira e a implantação dos primeiros Ecopontos.

De acordo com o Comitê de Limpeza Pública de São Luís, na capital, há cerca de 400 pontos onde são feitos descartes de forma irregular. A situação piora no período chuvoso, com impactos na saúde pública e no funcionamento do sistema de drenagem. Entre os problemas causados estão entupimento de bueiros e alagamentos de vias, já que as águas das chuvas arrastam os detritos; proliferação de vetores como o mosquito aedes aegypit – transmissor da dengue, zika vírus e da febre chikungunya – além de ratos, baratas e outros insetos; e poluição ambiental, pois resíduos podem ser levados para rios, mangues e praias.

“São problemas que poderiam ser evitadas com atitudes simples. O espaço urbano é um bem coletivo e é dever de todos preservá-lo e mantê-lo limpo”, ressalta a coordenadora do comitê, Carolina Estrela.

Cidade Operária, Olho d’Água e Jardim São Cristóvão estão entre os bairros com maior volume de resíduos recolhidos nessa situação, conforme levantamento feito pelo Comitê de Limpeza Pública. Na Cidade Operária, por exemplo, foram mais de 3,9 mil toneladas recolhidas durante o ano de 2016.

Uma das estratégias da Prefeitura de São Luís no combate ao descarte irregular é a implantação de Ecopontos. A iniciativa é pioneira para a capital maranhense e opera em conjunto com cooperativas de reciclagem. Os Ecopontos são espaços destinados à entrega voluntária de materiais de grande volume, como restos de poda, entulho resultante da construção civil, madeiras e móveis velhos, entre outros itens.

Cada Ecoponto tem capacidade de armazenamento de 100 toneladas de resíduos por mês, podendo variar com a demanda. A estrutura é padrão e possui setor administrativo, instalações sanitárias, estacionamento, áreas de recebimento e acondicionamento temporário dos materiais, área de manobra de equipamentos e veículos.

As baias de depósito são de alvenaria, cobertas e sinalizadas. O equipamento possui depósito específico para resíduos de poda, capina e da construção civil. Os Ecopontos recebem materiais que não são recolhidos no serviço diário de coleta. Em sua maioria são entulhos da construção civil, itens não recicláveis e alguns, que não servem à cadeia recicladora (resíduos sanitários, resíduos considerados perigosos como produtos químicos, porcelana, papel encerado, parafinado, plastificado, metalizado, etc).

A Prefeitura mantém ainda coleta regular periódica do resíduo produzido pela população. O serviço cobre toda a capital e é realizado diariamente ou em dias alternados da semana, a depender da localidade.

Agora é fundamental a ajuda e conscientização da população, caso contrário ficará um serviço semelhante a enxugar gelo.

Edivaldo entrega mais um Ecoponto em São Luís

por Jorge Aragão

edi

O novo Ecoponto entregue pelo prefeito Edivaldo na manhã desta terça-feira (8), rx no Angelim, physician vai incentivar a coleta seletiva de material no bairro, ocupando com qualidade uma área que há décadas servia como ponto de descarte irregular de resíduos. A unidade é a quinta do tipo a entrar em funcionamento em São Luís: além deste, já estão operando os Ecopontos do Parque Amazonas, Bequimão, Turu e Jardim América. Os Ecopontos têm como objetivo receber materiais recicláveis e resíduos inservíveis não coletados pelo serviço convencional de limpeza urbana.

“Os Ecopontos são um importante meio de desenvolvimento sustentável e de geração de trabalho e renda, movimentando a cadeia produtiva relacionada à coleta seletiva e à reciclagem, uma vez que trabalhamos de forma articulada com as cooperativas. Com os Ecopontos, a Prefeitura de São Luís insere catadores, carroceiros e outros profissionais dessa área no processo de desenvolvimento da cidade, ao mesmo tempo em que conscientiza a população e combate o descarte irregular”, avaliou o prefeito.

O Ecoponto do Angelim tem capacidade para receber 100 toneladas de resíduos por mês. Cada unidade conta com instalações sanitárias, estacionamento, setores de recebimento e acondicionamento temporário dos materiais e área de manobra de equipamentos e veículos, além da parte administrativa. O espaço conta ainda com quatro baias de alvenaria cobertas e sinalizadas, para a deposição do material coletado. As placas de identificação seguem os padrões definidos de coleta seletiva: amarelo para metal, azul para papel, vermelho para plástico e verde para vidro.

A unidade conta ainda com depósito específico para resíduos de poda, capina e da construção civil. A estrutura garante segurança aos condutores de veículos e carroças, assim como dos animais que as tracionam, durante o manejo dos resíduos. São sete caixas estacionárias para esse fim.

ecoponto

“Os Ecopontos têm dado muito certo nesse processo de melhoria da limpeza pública da cidade. Temos registrado grandes avanços nesse setor. No caso do Angelim, quando fizemos os estudos de impactos de vizinhança percebemos que o projeto seria positivo não apenas para o bairro, mas também para as comunidades adjacentes, por conta do depósito irregular de lixo que nosso levantamento verificou em muitos pontos dessa região”, explicou Carolina Estrela, presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana.

Além do bairro do Angelim, o Ecoponto entregue nesta terça-feira atenderá bairros adjacentes, como Novo Angelim, Altos do Angelim, Piquizeiro, Pão de Açúcar e Anil. Os espaços funcionam das 7h às 19h, de segunda a sábado.

Os Ecopontos são uma iniciativa da Prefeitura de São Luís para diminuir os pontos de acúmulo de resíduos em locais inadequados na capital. Na medida em que oferecem alternativas ao descarte irregular, esses equipamentos também contribuem para a diminuição dos criadouros do mosquito Aaedes aegypt e, por consequência, das doenças causadas pelo inseto, como o zika vírus, o chikungunya e a dengue.

Os Ecopontos também garantem mais dignidade à rotina de trabalho dos carroceiros. Antes hostilizados por descartar os resíduos em coletados em locais inapropriados, esses profissionais agora podem exercer a sua atividade de forma legal e planejada, evitando o acúmulo de lixo em áreas impróprias e a degradação do meio ambiente. Todo o material coletado nos Ecopontos volta para o ciclo produtivo, por meio da ação das cooperativas de reciclagem, gerando renda para as pessoas envolvidas no processo.