CPI do BNDES: Roberto Rocha quer ouvir Lula

por Jorge Aragão

Às vésperas da chegada do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva ao Maranhão, a Coluna Painel da Folha de São Paulo destaca que o senador maranhense, Roberto Rocha, relator da CPI do BNDES, quer ouvir o petista.

Rocha quer explicações tanto de Lula, quanto do ex-ministro Guido Mantega, sobre os empréstimos feitos pelo BNDES.

É aguardar e conferir.

As voltas que o mundo dá, meu caro Flávio Dino…

por Jorge Aragão

Que o governador Flávio Dino é um poço de incoerência, absolutamente ninguém, nem mesmo os seus asseclas, tem mais dúvidas. Como o Blog recentemente postou, Dino é refém de suas próprias palavras.

Agora, mais uma vez, Dino se encontra em uma situação exatamente idêntica ao que ele criticava. Perto de terminar seu mandato como governador, o comunista corre contra o tempo para conseguir viabilizar a quantia de R$ 431.641.242,72 junto ao BNDES.

O dinheiro é fruto de um empréstimo viabilizado pelo Governo do Maranhão, na gestão Roseana Sarney, mas que ainda não foi liberado.

O curioso é que Flávio Dino e seus aliados, à época na Oposição, não só foram contra, como trabalharam para que esse empréstimo não fosse viabilizado.

Só que agora, três anos depois, Dino não só demonstra ser favorável ao tal empréstimo como quer utilizá-lo às vésperas da eleição. E exatamente aí está outra incoerência, já que uma das desculpas do comunista para ser contra ao empréstimo em 2013, foi justamente por ser no ano que antecedia as eleições de 2014.

Realmente o mundo dá muitas voltas, meu caro Flávio Dino…

CPI do BNDES: uma preocupação a mais para Flávio Dino

por Jorge Aragão

Pelo visto o governador Flávio Dino terá mais um grande problema para se preocupar. Foi oficialmente instalada no Senado Federal, na quarta-feira (02), a Comissão Parlamentar de Inquérito do BNDES.

A CPI é uma proposição do senador Roberto Rocha, que também será o relator, e foi criada para investigar irregularidades nos empréstimos concedidos pelo BNDES. A comissão foi criada com o apoio de 37 senadores e Rocha foi escolhido de maneira unânime o relator da CPI.

Vale lembrar que no ano passado, tanto deputados estaduais quanto federais do Maranhão, denunciaram irregularidades na execução das obras do Governo Flávio Dino com recursos provenientes do empréstimo contraído junto ao BNDES.

No fim do ano passado alguns parlamentares vieram pessoalmente acompanhar o andamento das obras no Maranhão (reveja). Já em maio deste ano, o deputado federal Hildo Rocha chegou a solicitar uma auditoria no BNDES para apurar a aplicabilidade dos recursos contraídos pelo Governo do Maranhão (reveja).

Agora é aguardar e conferir.

Roberto Rocha irá protocolar CPI do BNDES no Senado

por Jorge Aragão

Utilizando o Plenário do Senado Federal, o senador maranhense Roberto Rocha (PSB) confirmou que ainda nesta quarta-feira (24) irá protocolar requerimento solicitando a criação de uma CPI (comissão parlamentar de inquérito) para investigar irregularidades nos empréstimos concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Roberto Rocha quer apurar os créditos concedidos pelo BNDES. Um desses créditos permitiu aos irmãos Wesley e Joesley Batista, donos da JBS, internacionalizar a empresa a partir de 2007. Além do financiamento à empresa, o BNDES comprou uma participação na JBS por meio da BNDESpar – braço do banco estatal que compra participações em empresas.

Roberto Rocha afirmou já ter conseguido 35 assinaturas para apresentação do requerimento. Para ser criada uma CPI são necessárias as assinaturas de 27 senadores.

É aguardar e conferir.

BNDES deverá fazer auditorias em obras do Maranhão

por Jorge Aragão

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB) confirmou que em reunião com dirigentes do BNDES denunciou a falta de esclarecimentos acerca do modo como o Governo do Maranhão está aplicando os recursos do financiamento do empréstimo obtido junto a instituição financeira.

“Desde o ano passado que estamos tentando obter informações, mas o Governo do Estado nunca respondeu e os dados fornecidos pelo BNDES são incompletos, não respondem aos questionamentos que por diversas vezes encaminhamos ao órgão. O Governo do Maranhão e o BNDES estão nos impedindo de realizar uma das atribuições dos parlamentares que é a de fiscalizar a aplicação de recursos públicos”, disse Hildo Rocha.

O deputado, que várias irregularidades foram encontradas em obras financiadas pelo BNDES no Maranhão, aposta que com a mudança na diretoria do BNDES, as informações necessárias serão efetivamente repassadas e salientou a possibilidade real de uma auditoria.

“Esse conjunto de anormalidades caracteriza crimes de responsabilidade, pois são recursos públicos investidos sem que, de fato, gerem os melhoramentos que deveriam produzir em favor da sociedade. É dinheiro desperdiçado, impostos que os cidadãos pagam e não são revertidos em benefícios para a sociedade. Agora a instituição tem nova diretoria e a presidente, Maria Silvia Bastos, nos garantiu que irá fazer auditoria com a finalidade de apurar as graves denúncias que formalizamos com base em irregularidades constatadas pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, da Câmara Federal”, disse o peemedebista.

É aguardar e conferir.

Deputados vão fiscalizar obras financiadas pelo BNDES

por Jorge Aragão
Adriano Sarney e Andrea Murad participarão de agenda

Adriano Sarney e Andrea Murad participarão de agenda com deputados federais

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) da Câmara Federal, and com o auxílio de deputados estaduais do Maranhão, drug irá fiscalizar hoje as obras financiadas com recursos do BNDES em São Luis, Chapadinha e na cidade de Imperatriz. Os deputados estaduais Adriano Sarney (PV); Andréa Murad (PMDB) e Léo Cunha (PSC) participarão da agenda.

A visita busca explicações para o descumprimento dos cronogramas de execução das obras e outras questões referentes ao cumprimento dos termos do empréstimo contraído junto ao BNDES.

De acordo com o deputado federal Hildo Rocha, que é quem está à frente do colegiado, o objetivo é verificar a aplicação dos recursos públicos.

“O pedido de fiscalização decorre da falta de transparência que tem caracterizado o governo Flávio Dino [PCdoB]. Em dois anos, as obras não avançam quase nada e existem fortes evidências de irregularidades na aplicação dos recursos. São desconfianças que precisam ser esclarecidas”, explicou.

A inspeção será iniciada na cidade de Imperatriz onde os parlamentares irão vistoriar a Rodovia do Arroz (MA-386) trecho entre Imperatriz e Cidelândia; a Unidade de Segurança Comunitária; o Centro Socioeducativo; a Maternidade e o Batalhão da Polícia Militar.

Em seguida deputados e demais integrantes da comitiva embarcarão para São Luis de onde seguirão para Chapadinha onde farão visita técnica ao Hospital Regional e Centro de Hemodiálise.

De volta à capital do Estado, os integrantes da Comissão irão inspecionar as obras do Farol da Educação Gonçalves Dias, no bairro Felipinho; a implantação e ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário do Vinhais; o Centro de Ensino Paulo Freire; a duplicação do trecho da Avenida do Holandeses e o lote 1 do CRAS, no Bequimão.

Governo Flávio Dino prestará informações sobre empréstimo do BNDES

por Jorge Aragão

andreaQuase que de forma unânime os deputados aprovaram requerimento do deputado Adriano Sarney que pede informações ao chefe da Casa Civil, link Marcelo Tavares, sobre as obras financiadas pelo BNDES. Já é a segunda vez que deputados buscam informações sobre o andamento dos projetos, a primeira a solicitar foi a deputada Andrea Murad (PMDB) que há 10 meses oficiou na Casa Civil um pedido de esclarecimentos que até hoje não foi respondido. Na época, a parlamentar também entregou nas mãos do presidente da Assembleia, deputado Humberto Coutinho, um relatório completo das obras do BNDES no Estado.

Em discurso nesta terça-feira (07), Andrea disse que espera uma resposta imediata do governo encaminhando as informações completas sobre as obras.

“Espero que o governo cumpra imediatamente o pedido desta casa. Em agosto do ano passado oficiei a Casa Civil, entreguei aqui o relatório e não nos deram retorno. Então, vamos aguardar todas as informações atualizadas, constatar, de fato, onde estão os principais erros cometidos e para que nós possamos fiscalizar in loco cada obra que está em andamento no Maranhão”, disse.

Andrea Murad criticou ainda a ausência de dados durante a reunião com técnicos do BNDES no Rio de Janeiro e ressaltou um dos pontos questionados na área da saúde sobre hospitais prontos e que ainda não foram inaugurados, cuja justificativa foi o pedido de aditivos aos projetos pelo governo Flávio Dino.

“O fato é que aquela reunião onde os próprios técnicos não tinham absolutamente nenhum documento em mãos, nenhuma informação concreta, sem dados que a gente pudesse discutir ali, não fez o menor sentido. Tudo que se perguntava eles pediam que enviassem a pergunta por ofício. O fato é que os técnicos do BNDES, não sabe sequer que há sim obras prontas para inaugurar, equipadas e estão abandonadas. Um dos fatos afirmados pelos técnicos do BNDES para justificar o atraso na inauguração de hospitais é que o governo pediu para todos os macrorregionais que eles não inauguraram, que estavam todos prontos, inclusive com equipamentos, pediram aditivos e agora estão aí esperando a aprovação dos aditivos. Algo me intrigou nessa informação. O governo não achou que a saúde gastou tanto e agora eles vão pedir mais aditivos? Voltarei a tratar desse assunto assim que tiver os dados exatos. Mas o fato é que são centenas de obras paradas pelo Maranhão, hospitais que já eram para estar inaugurados e que hoje estão destruídos. E isso não se justifica, é um verdadeiro absurdo o governador deixar que isso aconteça”, discursou a deputada.

As obras paralisadas no Maranhão

por Jorge Aragão

adrianosarneyAs obras que estão paralisadas no Maranhão, prostate financiadas com recursos do BNDES, tadalafil voltou a ser assunto nesta quarta-feira (02), na Assembleia Legislativa.

O deputado estadual Adriano Sarney (PV) comentou as declarações do presidente do BNDES, Luciano Coutinho, na CPI do BNDES, onde afirmou claramente que as obras estão paralisadas por determinação unilateral do Governo Flávio Dino.

“Eu ouvi, atentamente, os pronunciamentos, nesta semana sobre a questão das obras paralisadas do BNDES, mas ficou claro para todos quando o presidente do BNDES disse em bom tom que as obras estão paradas porque o atual governador decidiu parar as obras para remanejamento e reorganização dos valores e da destinação dos créditos”, declarou.

Adriano Sarney ainda sugeriu uma audiência com os representantes do BNDES e lamentou a demora para que as obras sejam retomadas, prejudicando assim milhares de maranhenses que seriam beneficiados com as obras.

“É importante que fique claro que para o BNDES liberar crédito, precisa que os técnicos examinem a fundo aquele projeto. No entanto, o atual governo pode até questionar, mas demorar tanto tempo é prejudicar quem poderia se beneficiar com essas obras. Agora se o atual governo não quer esses recursos, basta devolver os créditos, mas não fará isso, pois são estes recursos que ainda estão salvando esse governo”, finalizou.

Lista – Durante a semana, a deputada estadual Andrea Murad (PMDB) apresentou uma lista com a relação de mais de 500 obras paralisadas no Maranhão. A parlamentar pediu a Mesa Diretora da Assembleia que a lista fosse encaminha ao Governo Flávio Dino.

A lista foi oficialmente entregue ao secretário da Casa Civil, Marcelo Tavares, na terça-feira (01). Resta saber se o Governo Flávio Dino terá mesmo interesse em responder ou se preferirá ficar apenas no discurso político partidário.

O relatório das obras paralisadas de Andrea Murad

por Jorge Aragão

andrea

As declarações do presidente do BNDES, link Luciano Coutinho, afirmando que as diversas obras no Maranhão estão paralisadas por decisão do Governo Flávio Dino, repercutiu na Assembleia Legislativa.

Enquanto o governador e seus asseclas tentam, em vão é verdade, contestar a informação de Luciano Coutinho na CPI do BNDES, a deputada estadual Andrea Murad não ficou apenas no discurso.

Além de cobrar explicações sobre a paralisação das obras, Andrea Murad encaminhou uma lista de obras executadas com recursos do BNDES e que foram suspensas.

“Ele e Márcio Jerry estão impressionados com o número de 500, então que provem que não são 500 obras. Tanto que é todo mundo dizendo que, no município tal, a estrada está paralisada; em outro, o CRAS e assim por diante. O governador recebeu obras licitadas, recebeu obras com recursos garantidos e por nenhum motivo essas obras poderiam estar paralisadas. Total de obras: 685. E o levantamento que recebemos é que existem mais de 500 obras paralisadas. Então, que o governador prove, inclusive vou ter que dar a relação porque parece que ele não sabe, vejam só, o governador não sabe nem as obras que estão paralisadas, que ele mesmo mandou paralisar. E explicar por que paralisou, por que suspendeu obras e por que não está concluindo o que recebeu”, discursou.

Andrea Murad encaminhou ao governador Flávio Dino, através do presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho, a relação das obras que estão paralisadas por decisão unilateral do novo governo.

“A verdade é que o seu ódio político está transformando o Maranhão em um cemitério de obras sem justificativa nenhuma”, finalizou.

O Blog teve acesso ao relatório e disponibiliza a quantidade de obras e as secretarias/órgãos que elas estão relacionadas.

CAEMA (37) – SES (45) – FUNAC (8) – SEDES (159) – SSP (43) – SEJAP (9) – SINFRA (270) – SEDUC (110) – SEDINC (4). Total de obras paralisadas: 685;

E tome obras paralisadas

por Jorge Aragão

flaviodino

As declarações do presidente do BNDES, try Luciano Coutinho, case na CPI do BNDES, afirmando que as obras do Maranhão estão paralisadas por determinação do Governo Flávio Dino (reveja), acabaram repercutindo negativamente no Estado.

O governador ainda tentou desqualificar a informação nas redes sociais, mas foi repreendido por alguns internautas que confirmaram inúmeras obras paralisadas (reveja).

O Blog teve acesso a um relatório de algumas obras importantes que estão paralisadas. As obras são referentes a pasta da Secretaria de Segurança do Maranhão.

A empresa tem contrato com a SSP para construção de várias obras na capital e interior, como delegacias, quartéis e Unidades de Segurança Comunitárias (USC). Todas as obras estavam sendo construídas com recursos do BNDES, mas foram paralisadas.

A informação repassada ao Blog é que a referida empresa está com mais de oito meses sem receber e as obras paradas. Vale destacar que foi essa mesma empresa que construiu as Unidades de Segurança Comunitárias da Vila Luizão e Coroadinho, o Quartel do Batalhão Florestal, o complexo policial de Bom Jesus das Selvas e várias outras unidades.

A maioria das obras paralisadas estão com quase 80% concluídas, mas abandonadas por falta de pagamento. Agora imagina se a Segurança do Maranhão não estivesse na crise em que se encontra.

O Blog vai disponibilizar as fotos e os nomes de algumas das obras paralisadas para o tal remanejamento que vai sendo feito a passo de cágado.

USC de Imperatriz

Obrasimperatriz
USC de Santa Inês

obrassantaines
USC de Açailândia

obrasacailandia
Delegacia Regional de Santa Inês

obrassantainesdelegacia