“É uma honra ser processado pelo PT”, afirma Max Barros

por Jorge Aragão

As delações da JBS, incluindo o presidente da República, Michel Temer (PMDB) e o senador e presidente do PSDB, Aécio Neves, foi o principal assunto na última sessão desta semana na Assembleia Legislativa.

Muitos deputados utilizaram a Tribuna da Assembleia para comentar o assunto, mas o clima acabou esquentando entre os deputados Max Barros (PSD) e Zé Inácio (PT).

Barros foi à Tribuna para dizer que as graves denúncias deixam como insustentável a permanência de Michel Temer no cargo, mas também criticou quem estaria utilizando o episódio para ‘santificar’ os ex-presidentes da República, Lula e Dilma Rousseff, ambos do PT.

“É quase insustentável a permanência do Presidente Temer à frente da Nação. E, acima de tudo, porque quem comete irregularidades tem que ser punido. Agora, dizendo isso, não posso concordar com quem foi contra o impeachment da presidenta Dilma, porque a presidenta Dilma comandou o maior esquema de corrupção do mundo, não tem precedente no mundo o que aconteceu no Brasil sob o comando da presidenta Dilma. Então, se nós queremos passar a limpo o Brasil, nós não podemos colocar nada para debaixo do tapete. Se o Temer cometeu crime, ele tem que ser punido e tem que sair da Presidência da República. Agora nós não podemos passar a mão também na Dilma, porque ela roubou. Nós não podemos passar a mão no Lula, porque ele roubou, porque são corruptos. E se nós queremos um Brasil novo, um Brasil coerente, nós temos que passar por esse momento difícil”, destacou.

O deputado Zé Inácio, derrotado na disputa estadual do PT no Maranhão, resolveu sentir as dores dos colegas petistas e rebateu as declarações do deputado Max Barros, chegando a chamar o parlamentar de irresponsável, de querer ser o Moro do Maranhão e insinuou que só fazia tal afirmação pelo fato de ter imunidade na Tribuna.

Max respondeu a altura a tola intervenção do petista, afirmando que reafirmava o que havi dito e que abria mão da imunidade parlamentar.

“Todas as afirmações que eu faço estão baseadas no manto do Direito que nós temos de pronunciar o que disser e não ser processado. Então eu queria dizer que, quando eu afirmei que houve corrupção por parte do presidente Lula e da presidente Dilma, eu faço também como cidadão. Então em relação a essas afirmações eu abro mão da minha imunidade parlamentar. Se precisar fazer por escrito, eu faço e ratifico o que eu disse no meu pronunciamento anterior”, respondeu firme.

Zé Inácio disse que sendo assim, iria solicitar ao PT que representasse contra o deputado. Max Barros não titubeou e responde de imediato, encerrando o assunto.

“É uma honra ser processado pelo PT”, finalizou.

É bem verdade que poderia ter ficado sem essa o petista Zé Inácio, que talvez ainda esteja tonto, depois da derrota do último final de semana no PED do PT.

PT deve apoiar reeleição do prefeito Edivaldo Júnior

por Jorge Aragão

EDIVALDOPT1

O Partido dos Trabalhadores pode mesmo apoiar a reeleição do prefeito de São Luís, order Edivaldo Júnior, prescription pelo menos foi o que garantiu o deputado estadual petista Zé Inácio.

Ao conceder entrevista ao Blog do Clodoaldo, healing o petista deixou claro que defende a atual gestão e uma aliança petista nas eleições em 2016. Zé Inácio também fez questão de lembrar que Edivaldo foi a rua em apoio a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

“Tenho reconhecimento pelo prefeito por ter apoiado a presidente Dilma diante de todas as circunstâncias e hoje, sem termos um nome para disputar a Prefeitura de São Luís, vejo a candidatura de Edivaldo como a melhor opção e defendo esta tese. Claro, que o coletivo do partido que irá decidir”, deixou claro Zé Inácio.

Uma aliança com o PT em São Luís pode ser decisiva para o prefeito Edivaldo Júnior. Além do nome forte do partido, o PT agregaria um tempo enorme no horário eleitoral durante a campanha das eleições de 2016.

Além disso, com o PT no seu palanque, Edivaldo asseguraria de vez o apoio do governador Flávio Dino (PCdoB) à sua reeleição, já que sua principal oponente, a deputada federal Eliziane Gama (PPS) faz oposição ao governo petista.

Isso sem falar na possibilidade real de que a estrela mais forte do PT, o ex-presidente Lula possa vir a capital maranhense participar da campanha eleitoral, afinal ele muito provavelmente será o candidato do PT em 2018 e precisará fazer sua ‘base eleitoral’ em 2016.

E ninguém duvida da força eleitoral de Lula em São Luís.