Governo “anuncia” serviço de Saúde inaugurado em 2014

por Jorge Aragão

A deputada Andrea Murad (PMDB) usou a tribuna da Assembleia para relembrar a criação do Centro Especializado em Reabilitação (CER) do Olho D’água, entregue à população em dezembro de 2014 pelo ex-secretário Ricardo Murad. Ontem (03), Flávio Dino esteve no local e “inaugurou” novamente o Centro para Assistência a Pessoas com Transtorno do Espectro do Autista dentro da estrutura do CER.

Para a deputada, um centro para autistas merecia estrutura própria ou novas unidades do CER, deixadas como referência pelo gestão de Ricardo Murad.

“Por que não mais um centro apenas para os autistas já que existem no Maranhão, segundo a Associação de Amigos dos Autistas, cerca de 7 mil pessoas com a síndrome? O Centro de Reabilitação é um modelo a ser implantado em todo estado, como foi feito em Coroatá e como deve ser feito em todas as regiões. E na capital, seguir sendo distribuídos pelos distritos de saúde. Ricardo Murad deu o ponta pé inicial, uma grande obra, uma grande conquista com uma estrutura física sem igual e proporcionando à população um serviço de qualidade, antes inacessível. Flávio Dino demorou quase 3 anos para oferecer um serviço que já fazia parte do Centro de Reabilitação inaugurado em dezembro de 2014 pelo ex-secretário.”, avaliou Andrea após sessão plenária.

Na gestão passada, o Centro Especializado de Reabilitação e Promoção Da Saúde foi entregue oferecendo alto padrão de qualidade em reabilitação física e intelectual, tanto para crianças quanto adultos. Andrea Murad explicou que o governo atual fez apenas remodelar um espaço para abrigar um Centro para Assistência a Pessoas com Transtorno do Espectro do Autista.

“Flávio Dino chegou ao cúmulo de inaugurar um centro que já tinha sido inaugurado e entregue à população. A única coisa que ele modificou foi dividir um espaço em cabines e adesivar com a logo do governo. Inaugurou como obra sua uma obra do ex-Secretário Ricardo Murad na maior cara de pau, como se aquilo tudo tivesse sido feito por ele. Ele até hoje não tem uma obra para mostrar e apela para esse tipo de situação. Não tem vergonha. Não trabalha e fica inaugurando obras dos outros que já foram inclusive inauguradas como é o caso do Centro que já contemplava o atendimento aos autistas”, disse a deputada.

Coroatá sitiada

por Jorge Aragão

coroataPor Ricardo Murad

Nem nos tempos mais obscuros da ditadura militar, medicine quando o medo e a repressão se sobrepunham aos mais elementares direitos dos cidadãos, Coroatá viveu momentos de terror e chantagem como os que estamos vivendo nesses dias que antecedem a eleição.

Sob o comando e as ordens diretas do governador Flávio Dino, violando a lei e a Constituição, estão impondo um clima de intimidação sobre o povo da nossa cidade, usando e abusando da força, recorrendo ilegalmente ao uso indevido de forças policiais, colocadas à disposição do ex-prefeito Luís Amovelar, um cidadão com seus direitos políticos suspensos, condenado pela Justiça a devolver mais de cinquenta milhões de reais desviados na sua gestão, e pelo presidente do PC do B, o famigerado Sebastião Araújo, mais conhecido como Ciba.

Os métodos fascistas utilizados pelas forças policiais que estão ocupando Coroatá e comprometendo a autonomia municipal e o próprio processo eleitoral serão denunciados, tanto no estado, como junto da Procuradoria Geral da República, do Tribunal Superior Eleitoral e Supremo Tribunal Federal por se tratar de uma ação ordenada pessoalmente pelo governador Flávio Dino.

É a liberdade e a democracia que estão em perigo. É um povo que está sendo vítima de um ataque miserável, covarde e inaceitável de quem, por detrás da força das armas e dos uniformes, quer a todo o custo e contra a vontade do povo inverter o rumo da história.

Vamos denunciar em todas as esferas essas manobras fascistas e ditatoriais de Flávio Dino e de seus lacaios. Coroatá não pode ser subjugada pela força e pela violência de um bando de irresponsáveis e ensandecidas criaturas que querem impor a sua vontade.

Viva Coroatá Sempre Livre e Soberano.

Dr. Júnior realiza grande comício em Peritoró

por Jorge Aragão

PERITORO2

O médico e candidato à Prefeitura de Peritoró pelo PP, prescription Dr. Júnior, pill realizou no último domingo (04) um grande comício para marcar oficialmente o início da sua campanha eleitoral com a abertura do Comitê Eleitoral.

Na abertura da campanha eleitoral de Dr. Júnior, store a recepção da população foi espantosa e calorosa. Além do comício e abertura do comitê, um arrastão do bem que passou pelas ruas de Peritoró foi outro ponto alto do “ponta pé” inicial da campanha do candidato do PP.

PERITORO

A presença de diversas autoridades políticas no comício de Dr. Júnior, entre eles o ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, foi mais uma prova inconteste da força da candidatura de Dr. Júnior em Peritoró.

A coligação “Somos Todos Peritoró”, encabeçada pela candidatura do Dr. Júnior, conta com os partidos PP, PEN, PRB, REDE, PR, PPS, PMB, PTdoB e PSC.

Edilázio Júnior e Ricardo Murad criticam postura de Flávio Dino

por Jorge Aragão

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) e o ex-secretário de Saúde do Maranhão, seek Ricardo Murad (PMDB), ask não pouparam críticas, nas redes sociais, a postura adotada pelo governador Flávio Dino.

As críticas são provenientes da postura adotada por Dino e seus asseclas. Quando algo está errado na sua gestão, a resposta é imediata: “culpa do Governo Roseana que deixou uma herança maldita”, mas se acontece algum acerto, a resposta também é imediata: “O Governo Flávio Dino é o melhor de todos os tempos”.

Entretanto, para restabelecer a verdade dos fatos, o deputado estadual Edilázio Júnior fez questão de deixar claro que, até agora, o legado de Flávio Dino foi inaugurar obras do Governo Roseana. Veja abaixo.

edilazioedilazio1

Já Ricardo Murad também não poupou críticas. Disse que o governador era um “boca-rota” e desdenhou do tão propagado sistema de água inaugurado em Santa Inês por Flávio Dino.

“Sempre o mesmo boca-rota…Flávio se vangloria de um Hospital Macrorrregional em Santa Inês que nós construímos para atender a alta complexidade de toda a região do Vale do Pindaré, rebaixando-o à categoria de hospitais municipais. De quem dorme e acorda só planejando como perseguir e maltratar os outros, não se poderia esperar outra coisa. E vocês sabem qual o sistema de água que ele diz ter inaugurado em Santa Inês? Um poço artesiano. Parece piada, mas não é. Ele não tem noção do que diz e está a cada dia destruindo o maior programa de saúde pública da história recente do nosso país”, escreveu Ricardo Murad.

Sermão aos Peixes: Ricardo Murad não foi denunciado pelo MPF

por Jorge Aragão

ricardomuradQuando da deflagração da Operação Sermão aos Peixes, sickness alguns asseclas do Governo Flávio Dino chegaram, até de maneira irresponsável, a dizer que o ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad teria sido preso, quando na realidade, conforme o Blog demonstrou (reveja), ele foi conduzido coercitivamente, de maneira desnecessária, para prestar depoimento.

Entretanto, um ano depois da operação, Ricardo Murad não foi relacionado pelo Ministério Público Federal (MPF) na denúncia formulada com relação a Operação Sermão aos Peixes.

O procurador da República Régis Richael Primo da Silva, respondendo pelo 8º Ofício de Combate ao Crime e à Improbidade, do MPF, ofereceu denúncia contra 18 investigados por desvios na Saúde do Maranhão.

No despacho à Justiça Federal, o MPF aponta que 17 dos 18 investigados cometeram crime de peculato e por isso pede suas condenações – o 18º listado no processo, Clidenor Plácido, identificado como “administrador de fato da empresa Minerva”, foi denunciado por falsificação de documentos públicos.

Em relação aos indicados que deixaram de ser denunciados, como o caso de Ricardo Murad, o procurador da República explica que faltaram “elementos suficientes para acusa-los”, mas deixa em aberto a possibilidade de aditar a denúncia após o recebimento de material ainda sob análise da Polícia Federal.

Por essa os asseclas do Governo Flávio Dino não esperavam.

Constituinte já, impeachment ou ingovernabilidade?

por Jorge Aragão

constituintejáPor Ricardo Murad

Dilma e Lula precisam parar e pensar realisticamente a respeito da situação do governo. A questão não é se vai ou não ter impeachment, clinic como afirmam os oposicionistas, ou golpe, como querem dizer os governistas. A realidade é a realidade e o fato que não se pode desconhecer é a perda total, com Lula ou sem Lula, do atual governo continuar. Falta-lhe o essencial: crédito.

Se aqueles que pretendem tirar a presidente não conseguirem os 342 votos necessários, obtiverem, vamos dizer, 300, como a presidente vai governar com minoria no Congresso, com uma base minoritária formada por pequenos partidos e parlamentares, que ficaram com o governo em troca de cargos e favores? A crise econômica e política vai se agravar e o país entrará numa espécie de anarquia de consequências trágicas. Um país onde a grande maioria exige o fim do governo e um “governo” sem a menor capacidade de governar.

Se Temer é a solução ou não, se deveria ter vazado o pronunciamento ou não, dando já como certa a decisão da Câmara pelo impeachment, também não faz muita diferença porque o que está posto é a falência do atual modelo. Com Dilma ou com Temer o modelo faliu. Tanto um quanto outro não conseguirão governar sem apontar uma solução radical que demonstre à população um novo horizonte e para isso não há outra forma que não a convocação imediata de uma constituinte para proceder às reformas que o país necessita.

Dilma ou Temer no governo, nos moldes atuais, ambos com a credibilidade ferida de morte, governando o país na maior crise de sua história, com as instituições fragilizadas e corrompidas, com um Congresso fisiologista e sem qualquer credibilidade, nenhuma diferença fará: a crise só vai se agravar. Por isso, para apontar um novo tempo para o país, somente uma providência drástica e imediata, sob a inciativa de qualquer dos dois, como a eleição de uma constituinte exclusiva já eleita em outubro, com prazo certo até as eleições de 2018, poderá unir a nação e dar ao governo o caráter de salvação nacional pelo tempo que ainda lhe resta.

Ricardo Murad é ex-presidente da Assembleia Legislativa e ex-secretário de Saúde do Maranhão

Reconquistar a esperança

por Jorge Aragão

dilmaPor Ricardo Murad

Falemos claro: o atual ciclo político chegou ao fim! Por incompetência, shop por falta de credibilidade, por possuir uma visão meramente mercantilista da política, o governo Dilma cavou sua própria sepultura.

Com mais de 70 por cento da população pedindo sua saída, com um País em ruptura, independentemente do resultado da votação que ditará, ou não, o seu impeachment à presidente Dilma, só resta um caminho digno: a renúncia.

Só assim, o Brasil terá condições para ultrapassar a crise política, econômica e moral em que se encontra mergulhado e que compromete seu futuro. Só assim estarão criadas as condições para fazer a reforma política e constitucional que se impõe e que permita recolocar o nosso País nos trilhos da estabilidade política, do desenvolvimento e progresso.

Renunciando, Dilma teria a grandeza própria dos políticos que sabem colocar o interesse nacional por diante dos meros interesses políticos e pessoais e ficaria certamente na nossa história como alguém que, com essa atitude digna, daria o primeiro passo do imprescindível processo de reconciliação nacional. Um processo que não bastará apenas com a eleição de um novo presidente, mas sim com a eleição de uma Constituinte que crie as bases da indispensável reforma do nosso sistema político.

Se essa reforma profunda não ocorrer, se não colocarmos um ponto final na instabilidade em que o Brasil vive há quase dois anos, o País caminhará para um poço sem fundo, onde um iminente confronto se afigurará como inevitável.

É isso que temos a todo o custo evitar, é isso que temos de impedir custe o que custar. O ódio tem de dar lugar à reconciliação nacional, o consenso tem que derrotar os extremismos e a paz tem que tomar conta de uma Nação que começa a se enfrentar nas ruas.

Só assim o Brasil se reencontrará, só assim nós, brasileiros, poderemos juntos reconquistar a esperança que nos roubaram.

Ricardo Murad é ex-secretário de Saúde do Maranhão e ex-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão