Que coisa feia, meu caro Luciano Genésio

por Jorge Aragão

É impressionante a cara de pau do prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio (PP). O gestor parece não ter limite para alcançar a mídia, mesmo que seja distorcendo ou maquiando informações para a população.

Luciano Genésio, que alguns garantem que apesar de apenas quatro meses de trabalho na Prefeitura de Pinheiro estava de ‘férias’ em São Paulo e Rio de Janeiro (inclusive acompanhando o jogo do Flamengo), aprontou mais uma em pleno Dia do Trabalhador.

Com poucas ações na sua gestão, Luciano Genésio anunciou que iria inaugurar nesta segunda-feira (1º) o Restaurante Popular de Pinheiro para a população da cidade, principalmente a mais carente. A tal inauguração é o ponto alto da homenagem do prefeito ao trabalhador pinheirense.

Até aí aparentemente tudo bem, se não fosse um pequeno detalhe. O tal restaurante que será inaugurado já existia. Isso mesmo, o Restaurante Popular de Pinheiro, que está sendo inaugurado com pompas por Genésio, na verdade foi inaugurado na gestão de Filuca Mendes.

O restaurante que será inaugurado por Luciano Genésio é o mesmo “Lugar Bom de se Comer”, inaugurado pelo ex-prefeito Filuca e que atendia em média 350 pessoas por dia, tendo sido idealizado, construído e mantido com recursos exclusivos da Prefeitura de Pinheiro.

O Restaurante Lugar Bom de se Comer funcionou durante dezoito meses, ou seja, até dezembro do ano passado, mas foi fechado assim que o prefeito Luciano Genésio assumiu a Prefeitura de Pinheiro.

O titular do Blog esteve pessoalmente em Pinheiro acompanhando ano passado a inauguração do Parque Ambiental do Pericumã, que mais tarde ficou denominado Parque Ambiental Maneco Paiva, e conheceu de perto o Restaurante Lugar Bom de se Comer.

Segundo denúncias do Blog do Vandoval Rodrigues (veja aqui), essa tem sido uma prática reiterada da gestão de Luciano Genésio.

Ao Blog só resta mais uma vez lamentar e dizer, que coisa feia, meu caro Luciano Genésio.

Suspeita de fraude em licitação da Prefeitura de Pinheiro

por Jorge Aragão

A CGC Contabilidade Ltda – ME (CNPJ.º 10.889.585/0001-04) será responsável pela realização de serviços de auditoria contábil ao município de Pinheiro.

A empresa foi declarada vencedora do Pregão Presencial nº 009/17, destinado à execução de ‘auditagem de natureza contábil’, supostamente a fim de ‘verificar a conformidade/regularidade de todos os atos praticados nos exercícios financeiros de 2013 a 2016’.

Estimado em R$ 200 mil reais, o contrato foi fechado em R$ 180 mil, conforme extrato publicado no Diário Oficial do Estado, seção de Terceiros, página 63, do último dia 09/02 Até aí, nenhuma irregularidade!

Entretanto, documentos aos quais o Blog teve acesso mostram algumas surpresas. Cópia do Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral da empresa junto à Receita Federal (Consulta do Cadastro no CNPJ), emitido em 31/01/2017, mostra que a CGC naquele momento operava no Coroadinho, na Rua Vicente da Mata, 17, conjunto Dom Sebastião, local reconhecido não exatamente como um pólo de prestação de serviços contábeis na capital.

Outro dado curioso. Naquela ocasião, os dados cadastrais da empresa não incluíam serviços de Auditoria nem como atividade econômica principal ou secundária do empreendimento, aberto em 12 de junho de 2009. Ou seja, até 31 de janeiro, a CGC Contabilidade atuava como um simples escritório de contabilidade não possuindo a qualificação técnica exigida para a execução dos serviços de auditoria pedidos no Edital da Licitação da Prefeitura de Pinheiro.

Após ser declarada vencedora da licitação, estranhamente a CGC processa alteração em seu cadastro na Jucema, acrescentando no rol de atividades econômicas para as quais está supostamente habilitada, as atividades de consultoria e auditoria contábil e tributária. A alteração foi processada no dia 01/02/2017, conforme certidão da Junta Comercial.

Clique aqui e continue lendo a matéria no Blog do Vandoval Rodrigues.

Um jogo de cartas marcadas em Pinheiro???

por Jorge Aragão

O prefeito Luciano Genésio (PP), que até agora não disse a que veio, ao que parece resolveu botar as garras de fora.

Foram publicadas no Diário Oficial do Estado dos dias 10 e 16 de janeiro as convocações para onze licitações (Pregões Presenciais de 01 a 09/17 e Tomadas de Preço nº 01 e 02/17), visando a contratação de serviços de interesse do Município, necessários, portanto, para o funcionamento da máquina administrativa.

Até aí, tudo tranquilo. É o prefeito exercendo a função para qual foi eleito – administrar o município em estreita observância às regras e normas de uma administração pública séria, eficiente e responsável. Pelo menos assim se supõe.

Bem aí é que o bicho pega. Já circulam – e sem carimbo de segredo – os nomes das empresas vencedoras de algumas destas licitações convocadas por Luciano, antes mesmo do certame, num jogo de cartas e regras marcadas para beneficiar os chamados “amigo do rei”.

O Pregão Presencial nº 004, convocado para a contratação de empresa especializada na Prestação de Serviços de Assessoria Contábil para a Prefeitura, quem deve levar é a Alencarreto Assessoria Contábil Ltda – ME, CNPJ13.751.908/0001-89, cujo nome fantasia é Instituto de Contabilidade e Planejamento do Maranhão – ICPM.

Também programado para amanhã às 10h, o Pregão 002/17 traz uma curiosidade. Destina-se à contratação de empresa especializada para organização e realização do Carnaval 2017 na Praça José Sarney. Sobre ele, dois dados curiosos. Será que a festa, que se espalhava pelos quatro cantos de Pinheiro, desta vez ficará circunscrita à Praça Sarney? E os demais circuitos da folia não estão nos planos da administração?

O outro dado curioso é que a licitação é dada como favas contadas. Deve ser destinada à empresa Gajo Entretenimento, a mesma que assumiu o evento de uma marca de cerveja na capital, que terminou numa confusão entre a Secretaria de Meio Ambiente e os promotores e acabou sendo transferido da Lagoa para o Cohatrac.

A Gajo, desde novembro passado, em seu perfil no Instagram (veja as imagens) anuncia a contagem regressiva para o Carnaval 2017, em Pinheiro. No mínimo estranho, quando a licitação competente só ocorre agora.

Espera-se que o Ministério Público e os órgãos de controle estejam de olho, afinal não vai valer dizer, assim como vive dizendo o Governo Flávio Dino, que foi apenas coincidência.

O início preocupante de Luciano Genésio em Pinheiro

por Jorge Aragão

luciano-genesioOs primeiros atos do prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio (PP), já sinalizam o tom da gestão. Enquanto a maioria de seus colegas prefeitos lutam para montar uma equação que permita equilibrar receitas e despesas, enxugar a máquina pública, reduzir gastos sem sacrificar a prestação dos serviços ao cidadão, sob o comando dos Genésios, Pinheiro trafega na contramão.

Uma análise rápida da reforma administrativa preparada por Genésio Filho e já aprovada pela Câmara Municipal revela para onde caminha a lógica da nova gestão: a ordem é inchar a estrutura administrativa. O projeto traz como ‘novidade’ estratégias requentadas que, na prática, não passam de “cabide de emprego”, garantindo uma boquinha para aliados e amigos do “rei”. E o séquito é grande.

O Poder Executivo, por exemplo, funcionará com 19 secretarias [Administração, Planejamento e Finanças, Governo e Articulação Política, Transparência, Educação, Ciências e Tecnologia, Saúde e Saneamento Básico, Infraestrutura, Esporte, Juventude e Lazer, Comunicação, Assistência Social, da Criança, do Adolescente, do Idoso, e do Emprego e Renda, Da Mulher e Igualdade Racial, Meio Ambiente, Cultura e Turismo, Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico, Agricultura, Pesca, Abastecimento e Agropecuária, Segurança Alimentar e Nutricional, Segurança, Trânsito e Mobilidade Urbana, Representação Institucional e Comunitária, Urbanismo e Habitação e a Procurador Geral, que ganha status de secretaria].

O projeto prevê a reorganização da administração direta do Município, criando quatro subprefeituras nos povoados de Bom Viver, Pacas, Paraíso e Gama.

Para que se tenha uma ideia, só com salários e encargos de secretários e subprefeitos (terão status e vencimentos de secretários), a nova administração vai consumir cerca de R$ 150 mil reais por mês.

Se considerarmos apenas o número de secretarias anunciadas por Genésio, isso sem contar assessorias e com a estrutura de órgãos auxiliares e imaginando-se que cada secretaria tenha pelo menos dois secretários adjuntos [há casos em que se supõe até seis, a julgar pela nomenclatura das pastas, como por exemplo a Secretaria de Assistência Social, da Criança, do Adolescente, do Idoso, e do Emprego e Renda], o montante de recursos destinado ao pagamento de salários, encargos e vantagens apenas desse grupo deverá ficar acima de R$ 350 mil/mês. Estima-se que no total Genésio Filho deve empregar cerca de 600 comissionados.

Comparação – Uma visita rápida aos sites de prefeituras de municípios do porte de Pinheiro dão a real dimensão da reforma administrativa de Luciano. Basta comparar. Bacabal, por exemplo, tem em sua estrutura administrativa apenas 12 secretarias; Codó, oito secretarias; Coroatá, 16; Pedreiras, seis secretarias e duas divisões, duas assessorias e o Serviço Autônomo de Águas e Esgotos – SAAE; Imperatriz, 15 secretarias integrando uma estrutura que, no total, soma 22 órgãos e assessorias.

Municípios como Caxias, Timon, São José de Ribamar e São Luís são detentores de perfis administrativos que rivalizam com o de Pinheiro. Em Caxias, numa estrutura total de 28 órgãos públicos, 21 tem status de secretarias; Timon, tem 19 secretarias integrando um conjunto que inclui uma Agência de Desenvolvimento Municipal, sete coordenadorias, dois departamentos, duas fundações, um instituto, uma superintendência, além de Ouvidoria e Procuradoria.

Já São Luís detém 25 secretarias com suas subdivisões e órgãos auxiliares. E São José de Ribamar, dez secretarias, com 20 adjuntos e mais duas extraordinárias, dois departamentos, três assessorias e cinco coordenações.

Resta saber é se, na prática, essa fartura de órgãos e cargos em Pinheiro vai redundar em trabalho efetivo. Isso talvez explique o caos dos primeiros dias. A nova equipe, quem sabe por falta de espaço, anda batendo cabeça. Mais preocupada em gerar factoide do que descer do palanque. O duro é que toda lua de mel que se preze tem prazo de validade. Em outras palavras, uma hora acaba.

É aguardar e conferir.

Cara de pau: Genésio quer bloquear recurso da repatriação de Pinheiro

por Jorge Aragão

lucianogenésio2A recente onda de bloqueio de fundos e afastamento de prefeitos, que atinge o Maranhão, tenta chegar a Pinheiro. Nesta quarta-feira (28), o prefeito diplomado da cidade de Pinheiro, ajuizou um pedido de liminar solicitando o bloqueio dos recursos da Saúde e da multa da repatriação, alegando caos administrativo e falta de transição no município de Pinheiro.

Este mesmo Blog já noticiou que a transição de Pinheiro, estava sendo feito dentro dos princípios legais e tudo ocorria dentro da normalidade (reveja). Este mesmo Blog também entende que a Justiça e o Ministério Público precisam estar atentos a situações onde os gestores, que foram derrotados nas eleições, abandonaram os municípios e querem desaparecer com o dinheiro (reveja), o que não é o caso de Filuca Mendes em Pinheiro.

No que diz respeito a gestão de Filuca, todos os salários estão sendo pagos em dia e a folha da Saúde que estava com um mês em aberto, foi regularizada. Não há caos político, pelo contrário, o prefeito de Pinheiro acabou de inaugurar uma grande obra no centro da cidade, o Shopping Popular, com participação de centenas de pessoas.

Tudo corre normal, a prova disso, é que a juíza de base, Lavinia Helena Coelho, negou a o pedido de liminar solicitado pelo futuro prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, ao negar a tutela pretendida, a própria juíza, que conhece o dia – a- dia da cidade, afasta o suposto clima de caos que o futuro prefeito tenta instalar.

O pagamento dos recursos de repatriação, ajudarão os prefeitos, aquele que tem compromisso com a população, à quitarem os pagamentos dos salários dos servidores. Além disso, o repasse é um reparo que o Governo Federal está fazendo com os gestores municipais, que foram massacrados durante os últimos anos.

Cabe a responsabilidade de cada julgador, em analisar a realidade de cada um dos municípios, não se pode generalizar e sair bloqueando aleatoriamente recursos e fazendo interferência direta no poder Executivo, lesando assim à ordem Pública.

O problema é que o futuro prefeito já está tocando foguetes na cidade, dizendo que a juíza da comarca negou, mas que o mesmo conseguira no TJ de qualquer jeito.

É aguardar e conferir, apesar de não querer acreditar que o Tribunal de Justiça compactue com qualquer armação prévia nesse sentido.

Genésio classifica como imoral o reajuste de salários em Pinheiro

por Jorge Aragão

genesioO prefeito eleito de Pinheiro, viagra Luciano Genésio, case em contato com o Blog, remedy classificou como imoral a tentativa da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Pinheiro em reajustar o salário de prefeito, vice-prefeito e secretários municipais a partir de 2017.

“Eu, João Luciano Silva Soares, Prefeito Eleito da Cidade de Pinheiro-MA para o exercício 2017-2020, venho publicamente afirmar que sou contra o reajuste salarial que é legal, porém, não é moral, tendo em vista a grave crise financeira que vem assolando os municípios e o país. Diante do exposto afirmo que manterei os compromissos e propostas assumidos durante o período eleitoral. Onde estimo ESPERANÇA de dias melhores!!!”, afirmou.

O problema é que, pela denúncia do vereador de Pinheiro Augusto Vinícius, mais conhecido como Guto, o “autor intelectual” da imoralidade é justamente o vereador e vice-prefeito eleito Stélio Cordeiro, que já assinou o referido Projeto de Lei (reveja).

Nunca é demais lembrar que, pela proposta feita, será justamente o salário do vice-prefeito o que sofrerá o maior reajuste.

Pelo visto nem começou a gestão de Luciano Genésio e a relação já vai ficar estremecida, afinal a confiança não deverá mais ser a mesma, pois se o prefeito eleito não estava ciente de tal artimanha, como demonstrou publicamente, é bom ficar de olhos bem abertos com o que assina e autoriza o seu futuro vice-prefeito.

Justiça suspende pesquisa suspeita em Pinheiro

por Jorge Aragão

luciano-novoEm flagrante desrespeito à Justiça e a decisão da juíza Lavínia Helena Macedo Coelho, stuff titular da 106ª Zona Eleitoral de Pinheiro, rx o candidato a prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio – PP, divulgou pesquisa embargada pela Justiça em seu programa eleitoral desta segunda-feira, dia 26. O pedido de embrago atendeu a uma solicitação da coligação Pinheiro de Todos Nós, encabeçada por Leonardo Sá (PCdoB).

Curiosamente a pesquisa foi contrata pela Jakarta Publicidade, do empresário paulista Janderson Landim, ligado à campanha de Genésio Filho, processado por estelionato e conhecido no Maranhão por golpes em “consultas de vistas” gratuitas.

A suposta pesquisa continha questionamento cristalino para “inflar” o candidato Luciano Genésio. “E se o Dr. Leonardo Sá não for candidato e o quadro de candidaturas for o seguinte, em quem o (a) senhor(a) votaria?”, indaga a levantamento, excluindo o candidato do governador Flávio Dino, o comunista Sá.

Outro dado que chama atenção é que a divulgação acontece após a carreata realizada sábado último, 24, pelo candidato da coligação “Pelo Bem de Pinheiro”, Filuca Mendes.

“Há dias estamos alertando os pinheirenses para essa estratégia da divulgação de pesquisas forjadas e de fatos dúbios para confundir o eleitor nessa reta final, explicou Filuca Mendes, que avalia tratar-se de “desespero” do adversário. “Pinheiro assistiu, no último sábado, a maior carreata já realizada na história política da nossa cidade; mais de 20 quilômetros de carreata, que sinalizam a confiança do povo de Pinheiro na nossa vitória no dia 2 de outubro e a certeza de que o trabalho que estamos fazendo, vai continuar”, explicou o peemedebista.

“Nosso time está mobilizado e preparado para esses ataques e para a avalanche de boatos comuns na guerra eleitoral”, explicou o candidato, que se prepara para um encontro com a juventude de Pinheiro, nesta noite. “No dia 28 anunciaremos a nossa pesquisa, contratada junto à Escutec, cujos procedimentos de registro estão em curso no Tribunal Regional Eleitoral”, adiantou Filuca Mendes.

Sobre o caso, agora no início da noite, a juíza Lavínia Helena Macedo Coelho concedeu medida liminar suspendendo a veiculação da propaganda eleitoral do candidato, como medida corretiva. De acordo com o advogado da Coligação Pelo Bem de Pinheiro, Diego Moura, a liminar limita a veiculação por um lado, mas não evita, por exemplo, nas redes sociais e carros de som utilizados também como mecanismo dessa divulgação. “Vamos buscar a reparação devida e as medidas corretivas para cada um desses casos”, garantiu o advogado.

Que coisa feia, meu caro Luciano Genésio

por Jorge Aragão

landim

Janderson Landim (ao centro na foto acima), illness empresário de São Paulo, recipe conhecido no Maranhão por denúncias de aplicação de golpes em diversos municípios como Santa Luzia, cialis Chapadinha e Olha D’Água das Cunhãs, noticiados pelo Blog do Gilberto Léda desde 2012 (reveja aqui), tem sido apontado como o principal financiador da campanha do candidato a prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio (PP-MA).

Entre os possíveis esquemas do paulista, o mais conhecido é o de patrocinar campanhas eleitorais em troca de serviços às prefeituras, como o de “consultas oftalmológicas” gratuitas, com alto faturamento nas lentes produzidas por suas empresas. Em alguns casos, o próprio Janderson, sem qualificação para o ofício, realiza o atendimento e as consultas, em flagrante exercício ilegal da Medicina. No histórico do empresário, consta a fundação de uma ONG suspeita, a APS Saúde, para a realização de “consultas de vista” gratuitas, sem o suporte de um profissional habilitado para tal, o oftalmologista.

Coincidentemente, Luciano Genésio já anunciou em seu programa eleitoral a criação de um Centro Oftalmológico no município, em parceria com a iniciativa privada, com o objetivo de “cuidar da saúde dos olhos dos pinheirenses”.

Clique aqui, continue lendo e vendo vídeo sobre a grave e preocupante informação

Flávio Dino fez o que Luciano Genésio não teve coragem de fazer

por Jorge Aragão

lucianogenésio2Definitivamente a cada dia o suplente de deputado estadual Luciano Genésio, nurse pré-candidato à Prefeitura Municipal de Pinheiro, discount fica mais desacreditado.

Desde o fim do ano passado, pill Luciano Genésio se envolveu numa polêmica enorme dentro do Governo Flávio Dino.

Inicialmente, no dia 29 de dezembro, Luciano Genésio foi desmoralizado após ter tentado negar que havia dito que iria deixar o Governo Flávio Dino pela exoneração de sua esposa, por ela ter denunciado um suposto esquema na Hemomar (reveja).

No dia 30 de dezembro, um dia depois de ter passado vergonha, Luciano Genésio concedeu uma entrevista voltando a afirmar que estava deixando o Governo Flávio Dino e demonstrou até insatisfação com o cargo que ocupava, o de superintendente regional de Articulação Política do Governo Flávio Dino em Pinheiro (reveja).

Entretanto, ao que tudo indica, foi mais um engodo de Luciano Genésio, pois o governador Flávio Dino ficou aguardando três meses a decisão anunciada, mas que nunca foi efetivada.

Como Luciano Genésio não desapegou do cargo, coube ao governador exonera-lo do cargo. A exoneração aconteceu no dia 17 de março e foi publicado agora no Diário Oficial do Maranhão.

exoneracao

Mais uma vez Luciano Genésio perdeu uma oportunidade de sair de cabeça erguida, mas optou, como de costume, em sair pela porta dos fundos.

Após pressão, Luciano Genésio deixa o Governo Flávio Dino

por Jorge Aragão

LUCIANOgenesioDepois de ter negado que havia afirmado que deixaria o Governo Flávio Dino, pilule Luciano Genésio, link após pressão e ser desmentido publicamente (reveja), find voltou atrás novamente e confirmou que está fora da equipe de governo do governador comunista.

Em entrevista a uma emissora de televisão na cidade de Pinheiro, na terça-feira (29), Luciano Genésio, bastante queixoso, confirmou que não é mais o superintendente regional de Articulação Política do Governo Flávio Dino em Pinheiro. Genésio havia decidido que deixaria a equipe do comunista após a exoneração de sua esposa, a médica Thaiza Hortegal, do Hemomar.

Genésio, que garante ter sido aliado de primeira hora de Flávio Dino, se queixou da ausência do comunista na sua campanha eleitoral e chegou a dizer que sua eleição para deputado estadual não foi consumada por culpa do próprio governador.

“Fui aliado de Flávio Dino de primeira hora, mas mesmo assim ele não subiu no meu palanque. Faltaram alguns poucos votos, se ele tivesse subido no meu palanque talvez tivesse sido eleito”, declarou.

Demonstrando um apego a cargos públicos incrível, Luciano Genésio admitiu a frustração de não ter sido chamado para o primeiro escalão do Governo Flávio Dino.

“Fiquei na expectativa de ser nomeado secretário. Eu vejo hoje que tem secretários que nunca suaram a camisa e sequer levantaram uma bandeira na rua”, lamentou.

Genésio, na sua entrevista, demonstrou como estava sendo ‘tratado’ no Governo Flávio Dino. Ele afirmou que esperava que a esposa, a médica Taiza Hortegal, fosse ser a Diretora Geral da Hemomar, mas aceitou ocupar outro cargo, mas lamentou a maneira como ela foi exonerada. Genésio também afirmou que não conseguiu emplacar nomes de sua preferência no Hospital Macrorregional de Pinheiro.

“Esse era um ano de espera de paciência para gente, mas a exoneração de minha esposa, que estava em Brasília representando o Hemomar, sem sequer nos comunicar, nos pegou de surpresa, fomos surpreendidos”, disse Genésio.

Apesar de todo esse tratamento ‘VIP’, Luciano Genésio, que confirmou sua saída do Governo Flávio Dino, ainda acenou com a possibilidade de sua esposa assumir outro cargo no mesmo governo comunista.

O curioso é que durante a entrevista Luciano Genésio não comentou sobre as supostas irregularidades encontradas pela sua esposa no Hemomar e que teriam sido denunciadas ao secretário de Assuntos Políticos do Governo Flávio Dino, Márcio Jerry, sem que nenhuma providência fosse realmente tomada.

O afastamento de Luciano Genésio, demonstra a força do deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) junto a cúpula do Palácio dos Leões, afinal o parlamentar tem defendido, desde o início, a candidatura do vereador Leonardo Sá como candidato do Governo Flávio Dino contra o atual prefeito de Pinheiro, Filuca Mendes, que buscará a reeleição.

Já Luciano Genésio, esse segue perdido na sua eterna crise de identidade.