De olho no PSDB

por Jorge Aragão

O senador Roberto Rocha (PSB) deu, na última semana, uma clara demonstração de que pretende contar com o PSDB na eleição para o Governo do Estado em 2018.

O socialista votou em favor do arquivamento do processo contra o senador Aécio Neves (PSDB), no Conselho de Ética do Senado, e ajudou a impedir – junto aos colegas -, a cassação do mandato do tucano por quebra de decoro parlamentar.

Mas, a estratégia de Roberto Rocha não é filiar-se ao PSDB para a disputa das eleições 2018. Ele quer ser candidato do PSB, com o apoio do PSDB, numa eventual formação de chapa.

Atento aos movimentos de Rocha, o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) tem mantido contato  constante com membros da direção nacional da sigla.

O objetivo do tucano é manter o PSDB alinhado ao projeto do governador Flávio Dino (PCdoB).

Até a eleição, contudo, muita coisa ainda pode acontecer…

Flávio Dino vai defender Aécio Neves?

por Jorge Aragão

É bem verdade que coerência jamais foi um ponto forte do político Flávio Dino, muito ao contrário disso, mas mesmo assim algumas atitudes de Dino ainda chegam a surpreender.

Com uma paixão sem limites pelo ex-presidente da República, José Sarney, Flávio Dino, utilizando as redes sociais, iniciou o dia cobrando do desafeto que defendesse o atual presidente Michel Temer.

Entretanto, Flávio Dino não escreveu uma linha sobre a prisão do procurador Ângelo Goulart Villela, assessor de seu irmão, como bem destacou O Antagonista, e também não comentou a prisão, em São Luís, do advogado Willer Tomaz, que possui ligações com políticos pertencentes ao seu grupo.

Só que a incoerência não para por aí, ainda tem o pior. Dino cobrou e sugeriu que Sarney defendesse Temer, mas esqueceu de pelo menos se solidarizar com um dos candidatos que ele apoiou nas eleições de 2014, o senador Aécio Neves (PSDB). Dino também não cobrou que o seu vice-governador, Carlos Brandão (PSDB), defendesse o colega de partido.

Se Sarney deveria defender Temer, por qual motivo Flávio Dino não deveria ter defendido Aécio Neves?

Isso sem falar que, pelo que já foi apresentado até agora, é Aécio Neves quem está mais precisando de defesa e solidariedade, mas pelo visto não irá contar com um dos seus apoiadores em 2014.

Esse Flávio Dino…

O recuo de Carlos Brandão…

por Jorge Aragão

O vice-governador do Maranhão e presidente reeleito do PSDB no Estado, Carlos Brandão, acabou recuando e diminuindo o tom de suas declarações sobre uma possível reedição da aliança com o PCdoB do governador Flávio Dino para as eleições de 2018.

Logo após a sua reeleição para o comando do partido no Maranhão, no último fim de semana, inclusive com a presença do próprio Dino, Brandão deixou claro sua ideia de reeditar a aliança e deu a entender que a sua vitória seria uma garantia para que esse cenário político acontecesse.

“Nós temos que ter a humildade de saber o que é melhor para o nosso estado. Então, time que tá ganhando não se mexe. O time do Flávio Dino, do governo PCdoB/PSDB, está dando certo. Então temos que continuar avançando. Antes de estarmos alinhados com o PCdoB tínhamos oito prefeitos. Depois da aliança, aumentamos para 30 prefeitos. Com a aliança, passamos para 20 vice-prefeitos. Portanto, é uma aliança que deu certo”, disse Brandão logo após sua reeleição.

Entretanto, após a suposta declaração do presidente Nacional do PSDB, Aécio Neves, afirmando que o partido no Maranhão iria construir um caminho próprio no Maranhão, rejeitando assim a reedição da aliança com o PCdoB (reveja aqui), Brandão diminuiu o tom das declarações sobre o assunto.

“O PSDB maranhense trabalha para cumprir as metas estabelecidas. Assim, fomos o diretório que, proporcionalmente, mais cresceu no país. Entendo que a aliança foi importante para que isso ocorresse. De qualquer forma, vamos aguardar o posicionamento oficial da executiva nacional. Vejo que esse debate sobre alianças, e isso vale para qualquer partido, só deve ocorrer mesmo quando as regras do jogo forem definidas, ou seja, após a discussão sobre a reforma política. O certo é que o PSDB do Maranhão respeitará a decisão da executiva”, disse.

Ou seja, se respeitará a decisão nacional, a aliança com o PCdoB está descartada.

Simples assim.

“O PSDB vai construir um caminho próprio no MA”, diz Aécio Neves

por Jorge Aragão

A Coluna Diário do Poder, assinada pelo jornalista Cláudio Humberto, desta quinta-feira (11) assegura que o PSDB não irá apoiar a tentativa de reeleição do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

A afirmação, segundo Cláudio Humberto, foi feita pelo próprio presidente nacional do PSDB, Aécio Neves. O Tucano afirma que o PSDB vai procurar construir seu próprio caminho no Maranhão. Veja abaixo.

Pelo visto a tal pluralidade no palanque do comunista definitivamente não deverá contar com o PSDB em 2018.

Resta saber agora como ficará o vice-governador e reeleito presidente do PSDB no Maranhão, Carlos Brandão.

É aguardar e conferir.

Dino tucano

por Jorge Aragão

O discurso do governador Flávio Dino (PCdoB) no encontro estadual do PSDB – no qual foi reconduzido à presidência da legenda o vice-governador, Carlos Brandão –deixaria qualquer cidadão em dúvida sobre o partido a que pertence o governador maranhense.

Em discurso cheio de agradecimento, Dino rasgou tantos elogios à legenda que chegou a depositar na conta dos tucanos os louros da vitória nas eleições de 2014. Não parece o mesmo comunista que durante o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) acusou vários partidos, incluindo o PSDB, de colocar em prática um golpe no país.

Mas incoerência é uma prática já comum para o governador do Maranhão. Aos mais atentos, essa postura de Dino não é novidade.

Mas além de ter posturas contraditórias, Dino demonstrou para todos que não quer deixar o PSDB de fora de sua campanha eleitoral pela reeleição. O comunista, sem falar dos cenários políticos nacionais, deixou claro que se depender de sua vontade, os tucanos estarão em sua chapa em 2018.

Flávio sonha em repetir no próximo ano o que conseguiu em 2014 quando se disse neutro na campanha presidencial e, claro, fortalecendo o PSDB, principal adversário do PT, partido que é o aliado histórico do PCdoB, legenda de Dino.

Ele tentará fingir que não há problema – nem ideológicos e nem de postura – em ter em seu palanque adversários nacionais. Será tudo pelo “bem do Maranhão”, que na verdade, é pelo bem de seu projeto de poder, que não vê cor partidária e nem ideologias.

É o velho Flávio Dino agindo de forma diferente de seu discurso, que nos últimos episódios também muda de acordo com os benefícios que podem vir.

Contestação – Carlos Brandão foi reconduzido ao comando do PSDB estadual, mas seus adversários internos prometem buscar posição definida da direção nacional da legenda para enquadrar o presidente.

A intenção é não deixar Brandão solto para negociar e amarrar o PSDB ao PCdoB. E para agilizar isso, o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, está em Brasília.

Ele disse que se reunirá com membros da direção nacional, como Aécio Neves, e cobrará definição da postura a ser adotada pelos tucanos no Maranhão.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

PSDB à deriva

por Jorge Aragão

Em meio aos debates sobre as eleições de 2018, o PSDB maranhense segue seu rumo indefinido quanto ao processo de escolha de representantes para a chapa majoritária. Controlado pelo vice-governador Carlos Brandão, que não tem o apoio nem das lideranças nem das bases, a legenda é cobiçada também por líderes de outros partidos.

O ex-governador José Reinaldo (recém-saído do PSB), o senador Roberto Rocha (ainda no PSB), o deputado estadual Eduardo Braide (PMN), o prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PSDB) e a ex-deputada Maura Jorge (PTN) são alguns dos nomes cotados para a disputa.

Todos eles, de uma forma ou de outra, já conversaram ou ouviram conversas de interesses da cúpula nacional tucana. Mas todos concordam com o ex-prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira, que defende uma decisão ainda em 2017, para que se ganhe tempo nas articulações eleitorais.

Carlos Brandão não abre mão da aliança com o PCdoB, de Flávio Dino, mesmo contrariando recomendação das lideranças nacionais. Mas não avança sequer para garantir sua vaga de vice, porque não consegue reunir tucanos em torno de si. A exceção é o deputado estadual Neto Evangelista, fechado com o vice – desde que ele não decida concorrer à Câmara, onde pretende chegar em 2018.

Mesmo com tantas lideranças interessadas ou de interesse da própria legenda, o PSDB não consegue se posicionar como partido de ponta. E corre o risco de ficar à deriva no ano que vem, a mercê do resgate de outras legendas.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Juventude Tucana deve declarar apoio a Madeira para comandar PSDB

por Jorge Aragão

A militância da Juventude do PSDB estará realizando importante evento, nesta sexta-feira (31), no Plenarinho da Assembleia Legislativa. O encontro “Democracia Tucana: o PSDB que a gente quer”, deve ser marcado por intenso debate e fatalmente irá abordar a destituição de Samuel Jorge do cargo de presidente estadual da Juventude do PSDB, após solicitação do presidente estadual do partido no Maranhão, o vice-governador Carlos Brandão.

O evento, que inicialmente foi organizado pelos jovens tucanos Marcos Morais e Maxsuell Macedo, ganhou corpo e agora deverá contar com a presença de praticamente todos os municípios maranhenses, onde a Juventude do PSDB possua representante.

O Blog já conseguiu a informação que a tendência é que desse encontro, entre outras decisões, seja oficializado o apoio da Juventude Tucana do PSDB ao ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, para comandar a legenda no Maranhão.

É aguardar e conferir.

Tucanos divergem de Brandão sobre aliança com o PCdoB

por Jorge Aragão

Pelo menos dois membros importantes do PSDB do Maranhão, divergiram sobre o posicionamento do vice-governador e presidente do partido, Carlos Brandão, diante de uma eventual aliança com o PCdoB para as eleições de 2018.

O ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, no horário do próprio PSDB na televisão, deixou claro que a legenda tem que assumir uma postura de destaque no Maranhão.

“Chegou a hora e a vez de o PSDB assumir seu destino de grande partido. Agregando novos quadros, convidando novos líderes para que, enfim, o partido assuma o seu papel na política do estado”, afirmou Madeira, que deseja disputar uma vaga ao Senado nas próximas eleições.

Já o presidente do diretório do PSDB em São Luís e suplente de senador, Pinto Itamaraty, também contestou o posicionamento de Carlos Brandão, que segue querendo repetir a aliança com o PCdoB.

Pinto da Itamaraty classificou a declaração de precipitada e que o posicionamento de Brandão não tem sustentação política na base da legenda.

“Acredito que o presidente não soube se explicar. Há quem realmente queira manter [o PSDB] no Governo, mas há muitos outros que querem caminhos próprios”, declarou Pinto da Itamaraty, que destacou que o partido só começara a discutir efetivamente o rumo da legenda a partir do segundo semestre deste ano.

O secretário­geral da Juventude do PSDB no Maranhão, Caio Carvalhal, também desmentiu o vice­governador sobre o suposto apoio do partido ao governo comunista.

“Surpreso com a declaração do presidente do PSDB no Maranhão, Realmente não conhece as bases do nosso partido. Faço um desafio a ele: que seja feita uma eleição, em que todos os filiados participem e opinem se querem ou não continuar com Flávio Dino em 2018. O PSDB é muito maior do que a aliança com qualquer governo”, enfatizou.

Carlos Brandão seguirá no comando do PSDB até dezembro deste ano e segue afirmando que “mais de 90% do PSDB prefere Flávio Dino em 2018”.

Agora é aguardar e conferir, afinal ainda tem muito “água para rolar” no ninho Tucano.

O “troco” de Carlos Brandão em Maura Jorge

por Jorge Aragão

O vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSDB), parece ter dado um xeque-mate na ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PTN), na disputa pelo comando da Juventude do PSDB no Maranhão.

Brandão, como presidente do PSDB do Maranhão, resolveu destituir da presidência da Juventude do PSDB no Maranhão o atual presidente Samuel Jorge. O vice-governador inclusive chegou a “nomear” Aristeu Nunes, que é secretário municipal em Presidente Dutra. A decisão, ocorrida no início de fevereiro, teria sido política, pois Samuel Jorge é sobrinho de Maura Jorge, ex-prefeita de Lago da Pedra, e um dos maiores incentivadores da tia para a disputa do Governo do Maranhão em 2018.

Só que uma semana depois a decisão de Brandão “caiu”. Samuel Jorge foi a Brasília e se reuniu com o secretário geral do PSDB, deputado federal Sílvio Torres. O encontro resultou na permanência de Samuel no comando da Juventude do PSDB do Maranhão e uma Nota dura da Juventude Nacional do PSDB que classificou como arbitrária a decisão tomada por Carlos Brandão.

Entretanto, Brandão parece ter dado o “troco” definitivo. A assessoria do PSDB no Maranhão distribuiu release e ofício (veja acima clicando para ampliar) confirmando a mudança no comando da Juventude do PSDB.

“Recentemente, o PSDB do Maranhão atravessou um cenário em que a sua presidência da Juventude (JPSDB) perdia representatividade política. Isto porque o então presidente Samuel Jorge, declarava precocemente e a vários meios de comunicação o seu apoio a um nome para a pré-candidatura ao governo do Estado, já para as eleições de 2018.

Diz-se precocemente porque nada havia sido discutido e sequer definido pela cúpula nacional sobre o tema, tampouco pela cúpula estadual. O agravante é que o nome defendido por Samuel Jorge é atualmente filiado a outro partido. Sendo assim, a solução encontrada pelo presidente da Executiva Nacional da Juventude do PSDB, Henrique Vale, foi a de destituir Samuel Jorge da presidência da JPSDB do Maranhão”, diz trecho do release distribuído.

“O que Samuel cometeu foi a infidelidade partidária. A perda da sua função na JPSDB maranhense é algo previsto em nosso Estatuto Partidário, em seus artigos 44 e 47, e no artigo 6º, inciso II do Regimento da Juventude do PSDB”, contextualizou Henrique Vale.

Sendo assim, Carlos Brandão terminou mesmo vencendo o embate com Maura Jorge.

Brandão desmoralizado e sem espaço no PSDB

por Jorge Aragão

Clique para ampliar

Se a situação de Carlos Brandão, vice-governador do Maranhão, já estava delicada no PSDB, isso em virtude das eleições de 2018 e sua aliança com o PCdoB, agora ficou ainda mais.

No início da semana, Carlos Brandão, como presidente do PSDB do Maranhão, resolveu destituir da presidência da Juventude do PSDB no Maranhão o atual presidente Samuel Jorge. O vice-governador inclusive chegou a “nomear” Aristeu Nunes, que é secretário municipal em Presidente Dutra.

A decisão de trocar o comando da Juventude do PSDB no Maranhão por Brandão teria sido política, pois Samuel Jorge é sobrinho de Maura Jorge, ex-prefeita de Lago da Pedra, e um dos maiores incentivadores da tia para a disputa do Governo do Maranhão em 2018.

Entretanto, o “tiro” de Brandão saiu pela culatra e o vice-governador foi desmoralizado no episódio e demonstrou fraqueza junto ao seu próprio partido.

Samuel Jorge esteve em Brasília e se reuniu com o secretário geral do PSDB, deputado federal Sílvio Torres. O encontro, articulado pelo deputado federal Aluisio Mendes (PTN), resultou na permanência de Samuel no comando da Juventude do PSDB do Maranhão.

“É hora de novos ares, e da efetiva participação da juventude na política partidária, sem retaliações a lideranças”, declarou Aluisio Mendes.

Além disso, a reunião resultou em uma Nota dura da Juventude Nacional do PSDB que classificou como arbitrária a decisão tomada por Carlos Brandão.

Pelo visto o caminho de Brandão é mesmo deixar o PSDB ou continuar como Rainha da Inglaterra, afinal o próximo passo será a negativa da aliança com o PCdoB para 2018, como sonha o vice-governador.

É aguardar e conferir.