Uma justa homenagem a Arnaldo Melo

por Jorge Aragão

arnaldo12O plenário da Assembleia Legislativa conferiu na manhã de hoje uma homenagem ao ex-presidente da Casa e ex-governador do Estado, medical Arnaldo Melo (PMDB).

A homenagem ocorreu por meio da aprovação – subscrita por todos os deputados presentes na sessão -, de um requerimento de autoria da deputada Nina Melo (PMDB), filha de Arnaldo, para o encaminhamento de mensagem de congratulações ao ex-parlamentar, pela sua nomeação no cargo de diretor executivo da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

O primeiro a pedir para subscrever o requerimento foi o líder do Governo na Casa, deputado Rogério Cafeteira (PSC). Ele foi acompanhado por Roberto Costa (PMDB), Alexandre Almeida (PTN) e Eduardo Braide (PMN), até o presidente da Casa, deputado Humberto Coutinho (PDT), sugerir a subscrição de todos os deputados presentes na sessão.

Unanime, os líderes de blocos e de partidos aprovaram a proposta e efetuaram assim, a homenagem a Arnaldo Melo.

Um reconhecimento à atuação democrática e plural de Melo enquanto esteve no comando do Poder Legislativo…

Arnaldo Melo assume a direção nacional da Funasa

por Jorge Aragão
Até o ano passado, <a href=

story Melo presidiu a Assembleia Legislativa, shop antes de assumir o Executivo” width=”280″ height=”298″ /> Até o ano passado, cialis Melo presidiu a Assembleia Legislativa, antes de assumir o Executivo

O ex-presidente da Assembleia Legislativa e ex-governador do Maranhão, Arnaldo Melo (PMDB), assumiu a diretoria nacional da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

A articulação que garantiu a sua condução ao cargo, foi coordenada por deputados federais do PMDB e do PEN.

Arnaldo Melo ocupou a cadeira de deputado estadual por seis mandatos consecutivos. Nos últimos quatro anos – 2010 a 2014 -, atuou como presidente do Poder Legislativo do Maranhão. Ele também governou o estado após a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) renunciar o seu mandato, em novembro do ano passado.

“Tenho certeza de que ele irá desenvolver um excelente trabalho. Sua experiência e competência já comprovadas, será fundamental”, afirmou o deputado federal André Fufuca (PEN).

Em tempo: O ex-diretor geral do Detran, André Campos, foi quem assumiu o comando da Funasa no Maranhão [reveja aqui].

Sobre a indireta…

por Jorge Aragão
Arnaldo deseja o Governo

Arnaldo deseja o Governo

O presidente da Assembleia Legislativa, cialis deputado Arnaldo Melo (PMDB), pharm deu mostras ontem, thumb pela primeira vez, do que realmente pretende em relação a uma eventual eleição indireta de governador no Maranhão. Ao frisar várias vezes que tem apoio incondicional dos colegas que o elegeram ao comando da Casa, demonstrou também desejo de assumir o governo até dezembro, em caso de afastamento da governadora Roseana Sarney (PMDB). Mas frisou que não conversou sobre o assunto com a governadora Roseana bem com o secretário de estado da Infraestrutura, Luis Fernando Silva (PMDB). 

Da coluna Estado Maior, de O Estado

“Sou homem de compromisso”, diz Arnaldo Melo sobre a indireta

por Jorge Aragão
Arnaldo Melo e Roseana Sarney

Arnaldo Melo e Roseana Sarney

De O Estado – O presidente da Assembleia Legislativa, decease deputado Arnaldo Melo (PMDB), drugs assegurou ontem após sessão ordinária, que cumprirá tudo aquilo que for acertado por seu grupo político em relação a eleição indireta na Casa, numa eventual renúncia da governadora Roseana Sarney (PMDB).

Melo assegurou que jamais ouviu da governadora a confirmação de que ela sairá do Executivo para disputar uma vaga no Senado Federal, e informou estar tranquilo em relação ao processo que se aproxima. O peemedebista explicou que confia em seu grupo e rechaçou ruptura política com a chefe do Executivo.

Visivelmente tranquilo, Arnaldo Melo explicou que aguardará a decisão de Roseana em relação a possível candidatura ao Senado, para somente então editar junto aos demais deputados e em seguida colocar em votação no Plenário da Casa, a Resolução Legislativa que regulamentará os trâmites da eleição indireta. É na resolução que ficará estabelecido as regras gerais e específicas para o registro de candidatura, eventuais impugnações, votação e data do pleito.

Perguntado se existe algum tipo de impasse ou divisão na base governista em relação à eleição indireta, na qual ele figura como um dos cotados para a disputa, assim como o secretário de estado da Infraestrutura e pré-candidato ao Governo na eleição de outubro, Luis Fernando Silva (PMDB), Melo negou, e disse estar tranquilo em relação à linha sucessória no Executivo.

“O que for acertado comigo eu cumprirei. E tenho a certeza de que o grupo também cumprirá o que for acertado comigo. Portanto, vejo isso com muita tranquilidade”, afirmou.

 Prazos – Caso a governadora Roseana Sarney opte por renunciar o comando do Executivo para disputar a eleição de outubro, Arnaldo Melo é quem assume automaticamente o Governo do Estado. Nesta condição, ele tem a obrigação constitucional de realizar num prazo de 30 dias a eleição indireta para os cargos de governador e vice-governador.

Mas, como o prazo de desincompatibilização de cargos para quem pretende disputar a eleição de outubro acaba no dia 5 de abril, desde ontem, aquele que assumir o comando do Executivo como governador-tampão, estará inelegível para qualquer outro cargo, ou seja, poderá disputar somente a reeleição para o Governo.

Em relação a essa questão, Arnaldo também disse nada temer. “Essa questão do prazo de 30 dias não inviabiliza nada, essa é a verdade. Por exemplo, se um deputado assumisse hoje [ontem] o Governo, ele teria 29 dias para realizar a eleição, a não ser que ele não quisesse. Mas há prerrogativas constitucionais e regimentais para isso. No entanto, tudo é especulação, até porque não se pode dar um passo sobre esse projeto em razão de ser uma decisão unilateral e de foro íntimo da governadora. Somente podemos entrar nessa discussão se a governadora decidir deixar o Governo. Não há nenhum desconforto em relação a esse estreitamento de prazos”, disse.

Arnaldo reafirmou que aguardará a definição de Roseana e disse que caminhará junto a seu grupo político numa eventual eleição indireta. “Sou um homem de palavra e compromisso. Tenho 24 anos de mandato como deputado estadual, e durante todo esse tempo jamais mudei algum posicionamento meu. Sempre mantive o mesmo posicionamento, até nos momentos mais difíceis. Portanto, se eu assumir um mandato tampão ou qualquer outra coisa de acordo com o meu grupo, aquilo que estiver acertado com o grupo eu cumpro”, finalizou.

A maldição de recusar a cadeira principal do Palácio dos Leões

por Jorge Aragão

Talvez poucos cidadãos maranhenses recusariam a honra de governar o Maranhão, mind mas este ano, cheap três autoridades recusaram a honraria e parecem que foram abatidos pela “maldição de recusar a cadeira principal do Palácio dos Leões”.

Em abril, physician a governadora Roseana Sarney integrou a comitiva da presidenta Dilma Rousseff em viagem para os Estados Unidos e encontrou “dificuldades” para achar o seu substituto, pois os três primeiros na ordem sucessória estavam de olho nas eleições 2012 e se assumissem o Governo do Maranhão iriam abdicar da disputa. Os três optaram pelas eleições e talvez não tenham feito a melhor escolha, pois as urnas ou a “maldição” os castigaram.

O vice-governador Washington Oliveira abdicou do posto para disputar a prefeitura de São Luís. Entrou na disputa com possibilidades de brigar para chegar ao 2º turno, mas terminou somente na quarta posição.

Com a recusa de Washington, o governador seria o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo. Sonhando em ver sua filha prefeita de Colinas, Melo também abdicou do posto. Após o sacrifício do pai, Nina Melo foi para a disputa, mas com chances remotas, no meio da campanha desistiu e apoiou outra candidatura.

Com a recusa de Arnaldo Melo, o posto deveria ter sido ocupado pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Guerreiro Júnior. Desejoso de ver a esposa comandar a prefeitura de Guimarães, Guerreiro Júnior também abdicou do posto. Resultado: a “maldição” também deu as caras em Guimarães, pois uma eleição que todos diziam estar ganha, Mary Guerreiro perdeu para uma candidata que surgiu 48 horas antes da votação.

Vale ressaltar que a decisão de Guerreiro Júnior foi a mais difícil de ser tomada, pois os outros dois – Washington Oliveira e Arnaldo Melo – já haviam sentido o gostinho de governar o Maranhão, já Guerreiro Júnior teve a oportunidade pela primera vez e dificilmente terá outra chance de comandar o Estado.

O governador Marcos Caldas

Com a recusa de Guerreiro Júnior, a cadeira principal do Palácio dos Leões veio de bandeja para o deputado estadual Marcos Caldas, 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa. No entanto, o irmão do deputado, Augusto Caldas, era pré-candidato a vereador de São Luís, mas ao contrário dos demais, Marcos Caldas não pensou duas vezes e decretou.

“O Augusto Caldas entenderá o meu momento. Este é um momento ímpar na minha carreira política e do meu município, pois será a primeira vez que um brejense assumirá o Governo do Maranhão e eu não poderia desperdiçar por causa de uma eleição de vereador. Ele é novo, terá ainda novas oportunidades em outras eleições”, afirmou Marcos Caldas à época.

Caldas assumiu o Governo do Maranhão por quase dez dias e encerrou o ano tendo o prazer de ter sido governador, já os outros três, alcançados pela “maldição”, foram castigados nas urnas e devem prensar melhor da próxima vez antes de recusar a cadeira principal do Palácio dos Leões.

Arnaldo Melo também defende unificação das eleições

por Jorge Aragão

Presidente da AL, salve Arnaldo Melo

Em entrevista ao Blog, link o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, stomach deputado Arnaldo Melo (PMDB), também defendeu a proposta da UNALE – União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais de unificar as eleições no Brasil.

A UNALE, conforme afirmou o deputado estadual Jota Pinto, irá tentar apresentar um Projeto de Lei de iniciativa popular para a unificação das eleições. Ou seja, ao invés de termos eleições de dois em dois anos, as eleições passariam a ser apenas de quatro em quatro anos e o eleitor de uma única vez votarias nos candidatos à presidente, senador, governador, deputado federal, deputado estadual, prefeito e vereador.

“É um tema que a UNALE está totalmente empenhado, pois iremos realizar uma Frente Nacional para unificar as eleições através de uma iniciativa popular. Em todos os aspectos, o Brasil não suporta mais eleições de dois em dois anos”, afirmou Arnaldo Melo.

O presidente do parlamento maranhense ainda salientou que o eleitor brasileiro nas eleições gerais só não vota apenas em dois cargos.

“Só temos dois votos fora da eleição geral, que são os de prefeitos e vereadores que ainda estão desvinculados. Sendo assim, não vejo dificuldades para essa tão sonhada unificação”, finalizou.

No início de dezembro, tanto Arnaldo Melo quanto Jota Pinto, irão participar de uma nova reunião da UNALE para definir a estratégia a ser adotada para começar a colher as assinaturas do Projeto de Lei de iniciativa popular e como seria feita essa unificação das eleições no Brasil.

“A decisão do TJ não tem efeito nenhum”, diz Arnaldo Melo sobre Resolução da AL

por Jorge Aragão

Melo insiste na antecipação da eleição

Depois da decisão do Tribunal de Justiça (TJ), ambulance que julgou procedente a ação direta de inconstitucionalidade ajuizada pela OAB/MA contra a Resolução da Assembleia Legislativa (AL) que estabelecia critérios para a criação de novos municípios, salve somente nesta quarta-feira (1º), stomach na reabertura dos trabalhos do legislativo, foi que o presidente da AL, deputado Arnaldo Melo se posicionou.

Para Arnaldo Melo a ADIN foi um equívoco da OAB, mas mesmo assim o presidente garante que a decisão do Tribunal de Justiça não tem efeito nenhum.

“Foi um equivoco da OAB, a nossa Resolução não cria novos municípios, mas de qualquer maneira a resolução já alcançou seu objetivo que era regulamentar os recebimentos dos processos das localidades que desejam se transformar em municípios, por esse motivo essa decisão do Tribunal de Justiça não tem nenhum efeito” assegurou.

Arnaldo Melo ainda antecipou com exclusividade para o Blog que já está sendo trabalhada uma nova Resolução ainda para o mês de agosto.

“A Resolução antiga não tem mais importância, já estamos trabalhando e vamos criar agora ainda em agosto uma outra Resolução, para o que interessa daqui pra frente”, finalizou.

Pelo visto deveremos ter mais novidades sobre a criação de novos municípios no Maranhão ainda no mês de agosto.

A correção de Roseana, Ricardo, César e Cafeteira

por Jorge Aragão

Pires agiu como líder do Governo

Se no início do processo que culminará com a reeleição do deputado Arnaldo Melo nesta quinta-feira (12), stuff para a presidência da Assembleia Legislativa, click Melo devia muito para o Bloco União Democrática (bloquinho) e Oposição, cialis na reta final os agradecimentos precisam mudar de endereço ou no mínimo, serem estendidos.

Arnaldo Melo será reconduzido a Mesa Diretora do parlamento maranhense para o biênio 2013/2014, graças a postura correta e equilibrada da governadora Roseana Sarney, do secretário de Saúde, deputado Ricardo Murad, do líder do Governo, deputado César Pires e do deputado Rogério Cafeteira.

Depois de uma movimentação, digamos equivocada de Arnaldo Melo, tanto o bloquinho quanto a Oposição, começaram a duvidar da postura do atual presidente e do cumprimento de acordos futuros. Por conta disso, juntos os dois blocos chegaram a viabilizar uma terceira via para a eleição e não mais votar favorável a reeleição de Melo.

O nome escolhido era de total agrado do Palácio dos Leões, mas coube a Roseana Sarney, Ricardo Murad, César Pires e Rogério Cafeteira evitarem o pior para Arnaldo Melo.

A governadora assim que soube da movimentação, desautorizou qualquer deputado da base governista a aceitar tal proposta e exigiu que fosse mantido o “acordo” feito na terça-feira (10), com Arnaldo Melo.

Cafeteira foi o escolhido pelos Leões

Ricardo Murad da mesma forma não aceitou mais voltar atrás e declarou abertamente apoio a Arnaldo Melo e para evitar maiores especulação se candidatou a 1º vice-presidente.

César Pires, que jamais utilizou o cargo de líder do Governo no processo, garantiu a Arnaldo Melo que cumpriria a determinação da governadora e que se necessário fosse, nesse caso com a autorização da própria governadora, usaria a liderança do Governo para deixar claro o posicionamento de Roseana Sarney.

Rogério Cafeteira foi o deputado escolhido pela governadora para tranquilizar Arnaldo Melo, pois o Palácio dos Leões não iria permitir naquele momento o descumprimento do acordo celebrado. Além disso, também coube a Cafeteira, mais uma vez a pedido da governadora, informar a decisão aos colegas do bloquinho e desfazer o mal-estar criado pelo próprio Arnaldo Melo.

O curioso é que todos inicialmente defendiam a candidatura de Murad, mas no final foram decisivos para a reeleição de Arnaldo Melo. Coisa dos bastidores da eleição que acontecerá às 12h, no Plenário da Assembleia Legislativa.

Confirmado: eleição da AL será mesmo na quinta-feira

por Jorge Aragão

Eleição acontece na quinta-feira

13h59 – O Blog confirma com exclusividade: a eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa para o biênio 2013/2014 será realizada nesta quinta-feira (12), malady na última Sessão Ordinária desta semana.

A decisão aconteceu durante reunião entre o atual presidente da Assembleia, deputado Arnaldo Melo e os blocos de Oposição, liderado por Marcelo Tavares, e União Democrática (bloquinho), liderado por Eduardo Braide.

Além de definirem a data, os dois blocos confirmaram apoio total a reeleição de Arnaldo Melo, que contando ainda com o apoio de pelo menos quatro deputados do Bloco Parlamentar pelo Maranhão – Edilázio Junior, Manoel Ribeiro, Hemetério Weba e Raimundo Cutrim – são a maioria e tudo caminha para a reeleição tranquila do atual presidente por mais dois anos.

A reunião prossegue sendo realizada na Assembleia Legislativa e agora a definição é pelos cargos da Mesa Diretora no biênio 2013/2014. Sobre o acordo celebrado pela manhã para a votação da antecipação da eleição, tanto o presidente da Casa, como os dois líderes dos blocos de apoio a Arnaldo Melo, dizem desconhecer a informação.

E ainda dizem que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar.

Arnaldo Melo aceita proposta e eleição somente em agosto

por Jorge Aragão

Arnaldo Melo e o “recuo” estratégico

Acabou agora uma longa reunião na Assembleia Legislativa e ficou definido que o Projeto de Resolução que prevê a antecipação da eleição da Mesa Diretora do parlamento maranhense será mesmo votado na Sessão Ordinária desta terça-feira (10), view mas a eleição só acontecerá após o recesso parlamentar.

Na verdade a intenção do presidente Arnaldo Melo seria aprovar a antecipação e realizar a votação antes do recesso parlamentar, click que será iniciado no dia 17 de julho, cialis mas a repercussão negativa, fez ele recuar, principalmente depois que perdeu inclusive o apoio dos deputados do Bloco União Democrática (Bloquinho), um dos responsáveis pela sua eleição.

Tanto Bloquinho quanto a Oposição, informaram na segunda-feira (09) a Arnaldo, que só votariam favorável a antecipação da eleição, se a nova eleição para o biênio 2013/2014 acontecesse somente após o recesso eleitoral.

Pressionado, Arnaldo Melo só teria duas alternativas, retirar da pauta o Projeto de Resolução e sepultar a antecipação ou aceitar as condições impostas pelo Bloquinho. Depois da longa reunião, Arnaldo Melo optou pela segunda alternativa.

Com isso, o Projeto de Resolução já foi votado, mas a eleição para o biênio 2013/2014, só deverá ser realizada em agosto, na volta do recesso parlamentar.

Agora é aguardar o posicionamento do Palácio dos Leões, se manterá a candidatura do deputado estadual Ricardo Murad, como chegou a ser anunciado, ou de repente, apoia a reeleição de Arnaldo Melo. De qualquer forma, Melo ganha aproximadamente 15 dias para tentar convencer os colegas e os “Leões”, que é a melhor opção.