O apelo de Andrea Murad

por Jorge Aragão

A deputada estadual, Andrea Murad, utilizou as redes para pedir urgência na transferência da pequena Maria Vitória, nascida em 31 de outubro de 2016 e desde então está internada no Hospital Macrorregional de Coroatá.

A filha de Suanne Lopes foi diagnosticada com cardiopatia congênita e ainda em novembro todo o histórico de exames foi encaminhado para os hospitais de referência em São Luís, solicitando ainda a transferência da recém-nascida. Foi preciso a justiça intervir para obrigar a transferência que até hoje não teve a ordem cumprida. Segundo a deputada, essa espera pode ser fatal para Maria Vitória de apenas 2 meses.

“Não posso acreditar que a SES não tenha providenciado, até hoje, um leito e a transferência imediata dessa pequena paciente que luta pela vida. A Secretaria de Saúde só justifica que espera a disponibilidade de leito do Materno Infantil, um hospital federal, que é referência para o tratamento. Ora, se não tem leito no Materno Infantil que se transfira para um particular ou outro estado. O caso é urgente. O que não pode é deixar a criança, com um problema grave, apenas esperando a boa vontade do governo Flávio Dino, que esta sabemos que não vai chegar”, escreveu a parlamentar.

Deputada acionará MP para apurar falta de oxigênio em UPAs

por Jorge Aragão

Através das redes sociais, a deputada estadual Andrea Murad (PMDB) confirmou que estará solicitando junto ao Ministério Público a apuração da denúncia da falta de oxigênio em UPAs na capital maranhense.

A peemedebista disse que a informação que recebeu é quem em três UPAs – Parque Vitória, Vila Luizão e Itaqui-Bacanga – os pacientes estariam sofrendo com a falta de oxigênio nessas unidades de saúde.

“Vamos comunicar oficialmente a Promotoria de Saúde quanto a denúncia repercutida na imprensa sobre a falta de oxigênio em 3 UPA’s de São Luís, em específico as unidades da Vila Luizão, Itaqui Bacanga e Parque Vitória, de onde foram transferidos pacientes da UTI por conta de problemas no sistema de oxigênio. Em novembro do ano passado, já denunciamos e protocolamos também uma Representação denunciando a falha no sistema de oxigênio que pode ter causado a morte de 8 pacientes no Hospital Presidente Vargas, casos que já estão sendo investigados pelo Ministério Público”, destacou.

Agora é aguardar e conferir.

Andrea Murad protocola ação contra “aluguel camarada” da FUNAC

por Jorge Aragão

A deputada estadual Andrea Murad (PMDB), conforme o blog antecipou, protocolou uma Representação contra o “aluguel camarada” da FUNAC, no bairro da Aurora.

A parlamentar confirmou a iniciativa nas redes sociais, um dia após ter ido pessoalmente visitado o prédio que está sendo utilizado como Unidade de Ressocialização.

“Protocolada hoje mais uma Representação na Procuradoria Geral de Justiça de autoria da deputada Andrea Murad denunciando o escândalo do prédio alugado pela FUNAC na Aurora. O documento, além da denúncia sobre o contrato de aluguel do imóvel pertencente a um filiado do PC do B, onde funcionou comitê de campanha em 2014, traz o relato da vistoria dá deputada ontem, constatando in loco que a unidade de internação da Aurora não está pronta para as atividades socioeducativas, mesmo com internos já presentes na casa. A Representação é um importante reforço à denúncia da comunidade da Aurora”, destacou.

Agora é aguardar e conferir.

Em tempo: vale destacar que o governador Flávio Dino ainda não disse qual o resultado da sua análise jurídica, após a confirmação de que o proprietário do prédio, Jean Carlos Oliveira, é servidor da EMAP.

Caso FUNAC: MP irá investigar o “aluguel camarada”

por Jorge Aragão

Depois de ser “provocado” por uma ação da Associação de Moradores da Aurora, o Ministério Público instaurou Ação Civil Pública para apurar o contrato de aluguel da Unidade de Ressocialização da FUNAC, no bairro da Aurora.

De acordo com a denúncia, o contrato foi assinado pelo Governo Flávio Dino e já rendeu mais de R$ 170 mil ao proprietário do imóvel, Jean Carlos Oliveira, que é filiado ao PCdoB e funcionário contratado da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP). O detalhe é que todo esse dinheiro foi pago sem efetivamente o prédio funcionar com unidade da FUNAC, o que aconteceu apenas na semana passada.

O inquérito, segundo a assessoria de comunicação do Ministério Público, foi instaurado pelo promotor Lindonjonson Gonçalves de Sousa, da 1ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa.

Mais um – A deputada estadual Andrea Murad, que esteve pessoalmente visitando o prédio da FUNAC, também já anunciou que está concluindo a Representação para que o Ministério Público apure a denúncia considerada grave por se tratar de atos de improbidade administrativa praticados por agentes públicos. Além disso, a parlamentar aguarda o cumprimento dos pedidos feitos via ofício à FUNAC sobre todo processo de contratação de aluguel desse imóvel.

Andrea Murad assegurou ainda que o prédio não está pronto da FUNAC não está pronto, mesmo depois de um ano e seis meses, para realizar atendimento socioeducativo.

“Os internos ficam no térreo, são 4 quartos com portões de ferro, dois pequenos espaços e um deles para refeições com uma mesa de plástico e bebedouro. Em cima é tipo um galpão onde não tinha nada, apenas goteiras, vários furos no forro e algumas salas nesse primeiro andar que a presidente da FUNAC e o secretário da SEDIHPOP disseram que nesse espaço ainda iam ocorrer as atividades escolares, de assistência social, da área da saúde, então, foi constatado que nada do que prevê o SINASE estava funcionando. Vale ressaltar a fragilidade do forro que dá acesso à cobertura no pavimento superior. Também não tinha circuito interno de câmeras, ainda estavam preparando, fiação estava exporta na parte externa da casa. E na área aberta mesmo não tinha nada que favorecesse os internos, apenas obras como o muro sendo aumentado e material de construção pelo terreno o que comprova que só agora o governo está realizando as adaptações que diz estar fazendo há mais de um ano. E mais, não há cumprimento à norma de acessibilidade a todos os ambientes de atendimento, também não tem gerador de emergência, conforme citado nos ‘Parâmetros Arquitetônicos para Unidades de Atendimento Socioeducativo’”, avaliou Andrea Murad.

Andrea Murad também questionou a presidente da FUNAC, Elisângela Cardoso, e o Secretário da SEDIHPOP, Chico Gonçalves, sobre os critérios para a locação do imóvel, justamente no bairro Aurora que já sofre com uma unidade prisional. A parlamentar disse ainda que nada justifica o prédio ficar parado por um ano e meio, sendo pago mais de 17 aluguéis, cerca de R$ 172 mil reais ao proprietário e a casa ainda não está nos padrões e nem funcionando como exige o SINASE.

“Tudo que vi aqui na casa não contempla em nada os internos e muito menos a comunidade pela questão da segurança. Questionei a todos sobre quais critérios para alugar este imóvel e só justificaram dizendo que precisavam de uma casa ampla com tantos quartos ou salas para funcionar a unidade. E ainda disseram que a casa por esse preço estava em conta, R$ 12 mil reais por mês. Então diante de todas as constatações, ficou mais que claro que houve sim uma locação para beneficiar um filiado do PC do B, que fez do imóvel em 2014 comitê de campanha e agora está sendo recompensado pelo governo. E mais, funcionário comissionado de um órgão do governo estadual”, disse.

Pelo visto se Flávio Dino não recuar logo, além de ter outros alugueis sendo questionados, poderá ser obrigado a recuar, afinal será impossível que a Justiça não se manifestar diante da repercussão do caso.

Andrea Murad confirma nova visita ao prédio da FUNAC

por Jorge Aragão

caminhao

Depois de ter sido barrada na porta do prédio da FUNAC, na Aurora, a deputada estadual Andrea Murad confirmou que fará uma nova visita para verificar as condições do imóvel.

A parlamentar disse ainda que durante os últimos dois dias a movimentação de veículos pesados, principalmente na parte da noite, tem sido constante no local.

“Esta manhã eu recebi um telefonema de um aliado do governo confirmando a minha visita à Unidade de Internação que agendei para amanhã às 14h30 onde irei verificar as condições do imóvel para abrigar os internos. Mesmo com toda a movimentação de veículos pesados na unidade ontem à noite e debaixo de chuva, como vemos nas fotos, o tempo é muito curto para tentar ajustar o que em quase dois anos não se fez naquele imóvel para receber os internos. É lamentável que só depois de toda a repercussão negativa do governo Flávio Dino sobre o impedimento de visitar a unidade da FUNAC na Aurora, voltaram atrás e resolveram reconhecer o erro ao impedir um deputado de exercer suas atividades, entre as principais de agente fiscalizador”, ressaltou.

caminhao1

Andrea Murad finalizou dizendo que durante a semana estará ingressando com uma representação para que a Justiça possa apurar as irregularidades cometidas na locação do imóvel, como o fato de um colaborador da EMAP alugar prédio ao Governo do Maranhão.

“Em paralelo e ainda esta semana, vou protocolar uma Representação na Procuradoria Geral de Justiça para apurar os atos de improbidade praticados pelos agentes públicos, em que pesa o fato de que por mais de 1 ano foi pago o aluguel do imóvel de propriedade de um filiado do PCdoB sem utilizar o espaço”, finalizou a deputada.

É aguardar e conferir.

Andrea Murad visita a realidade da FUNAC da Aurora

por Jorge Aragão

img-20170108-wa0008

Durante a manhã do último domingo (8), a deputada Andrea Murad encontrou com os moradores do bairro Aurora que reivindicam a retirada da unidade da FUNAC no local onde já sofrem com a presença de um Centro de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ do Anil) e as fugas de detentos. A parlamentar bateu no portão da Unidade de Atendimento Socioeducativo mas ninguém atendeu. Segundo Andrea Murad, a intenção da visita é ver se as instalações para abrigar os internos estão de acordo com o SINASE (Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo) e de acordo com as declarações emitidas pelo Governo.

“Dois seguranças foram vistos, batemos no portão e um deles nos comunicou que foram orientados a não abrir. Sou deputada, fiscal das ações do estado, dos recursos que o governo aplica, tenho prerrogativa para visitar mas infelizmente, não só eu, mas os moradores que me convocaram foram desrespeitados. E isso não se justifica. Se o imóvel está em conformidade como as notas que o Governo emite, não há motivo para impedir a visita de uma deputada ao local. Mesmo assim, tentei chegar o mais próximo possível das instalações e o que pude ver é que a casa alugada pelo governo não é o ideal, não recebeu os reparos e nem as adequações necessárias e ainda assim está com menores internos sem qualquer segurança. O que reforça mais ainda que a locação do imóvel nada mais foi que um contrato para beneficiar um filiado comunista, onde já se sabe funcionou até como comitê de campanha em 2014”, declarou Andrea Murad.

A deputada comunicou a sua presença na unidade para a assessoria da FUNAC, mas até a saída da equipe, ninguém da Fundação deu retorno ou qualquer satisfação para a parlamentar. Andrea teve que subir pelo prédio em construção ao lado da unidade da FUNAC, por onde se verificou um terreno despreparado e uma casa sem estrutura para aplicar qualquer ação socioeducativa para menores.

“Muro baixo demais, ausência de cerca elétrica, janelas sem grades, não vi aqui um imóvel que nem mesmo beneficie os menores com ações socioeducativas, sem quadra poliesportiva como prevê o próprio ECA e o SINASE, espaços que garantam um trabalho eficaz de ressocialização. Então, além de ser um verdadeiro desgaste, preocupação e insatisfação dos moradores com essa unidade aqui, ela não está no padrão que as entidades nacionais e internacionais recomendam”, completou.

img-20170108-wa0021

Providências – Andrea Murad está solicitando uma série de informações sobre o funcionamento da unidade, sobre a reforma citada pelo Governo do Estado e adiantou que ingressará na justiça para que sua prerrogativa de parlamentar, fiscal das ações do governo, seja respeitada.

“Vou recorrer à justiça para que eu entre e vistorie o imóvel alugado pelo governo que desde já considero um crime contra administração pública porque o imóvel ficou 1 ano e meio fechado, o governo pagando o aluguel mensal de mais de R$ 12 mil reais sem ser utilizado e o mais grave de propriedade de um filiado do PCdoB. Também estou buscando todas as informações da suposta reforma, como estão distribuídos os internos nessa unidade, quais as atividades que estão realizando e se a unidade está dentro dos parâmetros do Plano Nacional de Atendimento Socioeducativo”, disse Andrea.

A deputada estadual também entrará com uma representação reforçando o pedido ao Ministério Público para que apure as denúncias e irregularidades constatadas. Os moradores declararam ainda que vão continuar o protesto de interdição da rua Frei Hermenegildo, além de outras ações no local até que o governo retire a unidade da FUNAC na Aurora.

“A nossa causa aqui é justa, digna e quero dizer que a manifestação continua, a rua paralisada, protesto total, até que o governador Flávio Dino ceda e tire essa FUNAC aqui da comunidade”, reforçou o presidente da União de Moradores, o Marinho da Aurora.

“Estamos num processo que exige cada vez mais ampliar as parcerias e as articulações, é mais uma voz para somar conosco e todos os deputados estão convidados a somar com a comunidade. Não estamos em guerra de braço com o governador, ele lamentavelmente não assumiu uma postura de gestor público, de forma a respeitar a comunidade, a entender que não estamos num ato mero de rejeição, repulsa ou preconceito aos adolescentes infratores, não, só estamos preservamos as garantias de que a comunica historicamente já abrigou um equipamento de igual natureza, antiga CEREC, hoje CCPJ, sofrendo com impactos psicológicos, de fugas permanentes”, lembrou Rose Sales.

“Coincidência” do aluguel da FUNAC não é a única no Governo Dino

por Jorge Aragão

 

bombeiros

Engana-se quem imagina que a tal “coincidência”, utilizada como desculpa pelo governador Flávio Dino e o secretário Márcio Jerry para o aluguel do prédio da FUNAC, tenha acontecido apenas uma vez no governo comunista.

A deputada estadual Andrea Murad identificou em 2015 pelo menos 6 endereços de imóveis alugados pelo governo com valores acima do mercado. Todos esses aluguéis foram publicados no Diário Oficial e denunciados pela parlamentar na época. Entre os mais escandalosos esta o prédio de R$ 135 mil da Vigilância em Saúde e outros prédios cujo proprietários têm ligações com outros contratos dentro do próprio governo.

“Um escândalo e isso não vem de hoje. Quando denunciamos as novas sedes da SETUR e do Bombeiros Marítimos comprovamos que o imóvel da Secretaria de Turismo pertence a C A MALLMANN que também ganhou uma licitação na comunicação de Márcio Jerry e que no processo licitatório ainda deu o endereço da sua empresa privada sendo a mesma sede da então SETUR. Tá tudo em casa no governo Flávio Dino. Já a casa dos Bombeiros Marítimos (foto acima), na época fizemos uma pesquisa de mercado, o governo alugou um imóvel por R$ 20.000,00 por mês na avenida Litorânea e nós encontramos uma casa bem maior, com mais compartimentos, no valor R$ 7.000,00. O que Flávio Dino alugou está bem acima do valor de mercado. E o mais grave, essa casa escolhida pelo governo pertence a Alexandre Brandão, casado com Mariana Sá Valle, dona de escritório de advocacia que foi contratado também por dispensa em outro órgão do estado. É um verdadeiro cruzamento de benefícios aos aliados de Flávio Dino e Márcio Jerry”, explica a deputada.

Outro exemplo é o aluguel de um prédio na avenida dos Holandeses, área mais cara de São Luís, no valor de R$ 135 mil por mês onde funciona apenas a Vigilância em Saúde. Mesmo depois de um ano e mais de R$ 1 milhão pago ao proprietário, a deputada denunciou que o prédio estava inacabado, não comportava todos os funcionários, apresentava problemas no cabeamento de energia, o elevador não funcionava e o estacionamento era insuficiente para abrigar os mais de 100 carros do órgão.

vigilancia
“A antiga sede da Vigilância em Saúde, que ficava na Alemanha, custava aos cofres públicos R$ 30 mil reais e comportava todos. Nesta nova sede lembro que denunciei que os funcionários faziam rodízio para trabalhar porque não cabiam todos no mesmo espaço, estrutura inacabada, esgoto entupido, elevador se funcionar e o governo ainda estava gastando mais de R$ 1 milhão de novo cabeamento para internet. É uma vergonha, é uma imoralidade essa farra de aluguéis. Ainda em 2015 eu enviei ofício à Secretaria de Estado da Transparência e Controle que até hoje nunca tomou qualquer providência sobre os vários contratos irregulares que identificamos e denunciamos”, relembra Andrea.

E assim segue o Governo Flávio Dino, cheio de coincidências.

Andrea Murad acionará MP no Caso do aluguel comunista da FUNAC

por Jorge Aragão

postagem-funac-aluguel

Através das redes sociais, a deputada Andrea Murad (PMDB) comunicou que vai entrar com uma Representação para que o Ministério Público investigue a locação do prédio da FUNAC na Aurora. Alugado em 2015 pelo governo Flávio Dino, o imóvel é de propriedade de um filiado do PCdoB, que vem recebendo o pagamento do aluguel sem o governo utilizar o imóvel, pelo menos até esta quarta-feira (4), situação que para a deputada já configura crime contra a administração pública.

“Notório que o contrato de locação não tinha finalidade para atender às necessidades públicas, pois se esse fim tivesse não seriam pagos mais de 17 parcelas do aluguel sem a devida utilização, mas a finalidade, como todos sabem, foi beneficiar um filiado do PCdoB, o Jean Carlos, que Márcio Jerry e Flávio Dino insistem em alegar que não tinham conhecimento que estavam alugando um prédio de um colega comunista, atuante no twitter na divulgação das ações do governo. Mas após essa denúncia, eu reuni com a equipe jurídica e decidimos que vamos protocolar uma Representação para que sejam apurados os fatos dessa imoralidade. Afinal, pagar um ano e meio por um aluguel sem sequer utilizar o prédio, sem servir para qualquer finalidade, é recurso público sendo derramado apenas para beneficiar um filiado do PCdoB. É mais uma página da incoerência de Flávio Dino e sua equipe”, escreveu a deputada na sua página oficial.

A deputada critica ainda o discurso do governo sobre a crise financeira do estado, ao mesmo tempo que aumenta impostos paga R$ 170 mil de aluguel, sem utilizar o imóvel, para beneficiar um aliado comunista, o que ela considera crime contra a administração pública. Andrea Murad comunicou ainda que vai convidar órgãos e entidades competentes para uma vistoria no prédio locado para confirmar a suposta reforma justificada pelo governo.

“O que mais intriga nessa celeuma toda é o governo justificar que o prédio estava em reforma e adaptações durante todo esse tempo, um ano e meio, para se tornar uma unidade da FUNAC e receber 17 internos. Quero dizer que buscarei todas as informações sobre a empresa que fez a reforma, o contrato e a licitação. Irei pessoalmente me certificar se as adaptações foram feitas e vou convidar as entidades e órgãos competentes para me acompanharem na vistoria. É uma verdadeira imoralidade esta gestão incoerente, inescrupulosa, demagógica e hipócrita, comandada por Flávio Dino”, disse Andrea.

Deputada lamenta municipalização do Hospital de Peritoró

por Jorge Aragão

andrea-murad-2811A deputada estadual Andrea Murad, utilizando as redes sociais, lamentou e fez duras críticas a iniciativa do Governo Flávio Dino de entregar o Hospital Regional de Peritoró e os demais hospitais regionais para serem administrados pelas prefeituras municipais. Veja abaixo na íntegra o desabafo e a preocupação da parlamentar.

Quando penso que já vi tudo neste governo comunista me impressiono com as ações de um governador irresponsável com a saúde pública, onde desde o início avisei que com Flávio Dino a nossa rede estadual de saúde está regredindo. Desta vez, fechar hospitais estaduais e entregar aos municípios será um verdadeiro genocídio, um escândalo para a população que esperou muito tempo para ter em sua região hospitais que realizam atendimento de média e alta complexidade. É o caso do Hospital Geral de Peritoró, um hospital estratégico, responsável pelo atendimento de toda aquela região do Médio Mearim, localizado entre estradas que cruzam vários municípios.

O Hospital de Peritoró com 50 leitos é um Hospital de Média Complexidade tecnológica e de alguns recursos humanos especializados, como pediatria e ortopedia, faz exames laboratoriais, de imagem, até tomografia e alguns tipos de cirurgias. O custo desse hospital hoje deve estar na casa dos R$ 5 milhões/mês, considerando que atende urgência e emergência 24 horas. O município de Peritoró não arrecada nem 5% desse valor pelo SUS. Se a Prefeitura assumir sem a garantia do aporte de recursos estaduais, vai cometer um “suicídio estratégico”, isso não é municipalização, nem descentralização, é uma irresponsabilidade institucional. Um verdadeiro “Cavalo de Tróia” da Saúde, em pleno século XXI.

E o mais grave ainda, o mesmo deverá acontecer com os hospitais estaduais em Timon, Alto Alegre e Coroatá, entre outros, pelo que fui informada. Se desfazer de hospitais como esses, repito, é um escândalo, visto que voltaremos com a procissão de ambulâncias para São Luís como víamos antes do Programa Saúde é Vida, quando os Socorrões, já tão castigados, não vão aguentar mais pacientes do interior do estado atrás de atendimentos especializados de urgência, pois as prefeituras não terão como manter esses hospitais. É desumano decidir por algo tão absurdo como fechar hospitais estaduais. Tenham certeza que eu não descansarei um só minuto contra essa barbaridade que esse governador está fazendo contra o povo, povo este que ele já demonstrou não nutrir qualquer forma de preocupação ou zelo.

Mesmo sem o atendimento que tinham, os serviços que tinham, são esses hospitais que continuam ajudando a população. Já não basta ter tirado a qualidade das unidades, a maioria das especialidades, agora querem entregar aos municípios para acabar com o hospital. Isso é criminoso. Por isso, lutarei incansavelmente para que o Maranhão não regrida dessa maneira na saúde pública, prejudicando milhares de cidadãos já tão carentes de tudo que um governo pode oferecer a seu povo. Se o governo do estado concretizar esse ato insano, irei à justiça questionar essa transferência. Isso é pior do que maldade. Este homem jamais poderia ocupar o cargo que ocupa. Primeiro porque não tem competência, não sabe ser gestor, essa é mais uma prova de sua incompetência. Segundo, porque não tem sensibilidade e nem coração para com aqueles que ele deveria cuidar ao invés de matar.

Andrea Murad lamenta que Dino tenha sancionado o aumento do ICMS

por Jorge Aragão

flavio1A deputada estadual Andrea Murad utilizou as redes sociais para lamentar que o governador Flávio Dino tenha de fato sancionado a Lei 10.542 que aumentou o ICMS no Maranhão. A parlamentar faz um paralelo interessante com gastos “supérfluos” que poderiam ser cortados e evitado assim que os maranhenses fossem atingidos no bolso a partir de março de 2017. Veja abaixo a crítica da peemedebista.

2017 vem aí e com ele mais impostos para os maranhenses. Não bastasse o sofrimento com as despesas no início de cada novo ano, o cidadão vai arcar com aumentos gerados pelo incremento do ICMS sancionado pelo governador Flávio Dino.

Preços do combustível, da telefonia, TV a cabo, vão sofrer reajustes porque o governador não consegue conter os gastos dentro do seu próprio governo. Poderia cortar por exemplo o escritório de advocacia Ítalo Azevedo do Detran, contratado ilegalmente, sem licitação, além de outros escritórios aliados contratados para assessoria jurídica que levaram nada menos que R$ 15,8 MILHÕES este ano.

Poderia cortar, por exemplo, as viagens de jatinho que em UM ANO Flávio Dino já gastou R$ 7 MILHÕES apenas com uma empresa, mais que o governo anterior com algo que ele disse que nunca iria utilizar, tamanha sua hipocrisia.

Poderia cortar os gastos com propaganda que ele aumentou o orçamento do ano que vem e vai gastar R$ 58,9 MILHÕES para a secretaria que Márcio Jerry comanda. Poderia também economizar no aluguel de prédios como o da Vigilância Sanitária no valor de R$ 135 mil por mês, que não comporta todo mundo, sem estacionamento suficiente, ainda assim de vários aluguéis Flávio Dino pagou este ano R$ 9,6 Milhões.

E não posso esquecer, poderia economizar também no réveillon já que o Maranhão está na crise e aqui ele vai pagar para sua colega de partido Leci Brandão (PCdoB-SP) R$ 55,2 mil só para cantar uma noite, onde quis privilegiar mais a sua partidária que as atrações que o povo realmente gosta. Mas como bancar esses gastos desnecessários, privilegiar os amigos e a militância?

Claro, a população vai pagar a conta pra Flávio Dino, para isso que servem os impostos que o governo arrecada e não aplica onde deveria e precisa.

Com a palavra o Governo Flávio Dino, ou melhor, os seus asseclas de sempre para atacar quem critica sem JAMAIS se limitar a crítica pertinente.