Edivaldo anuncia R$ 22 milhões em obras para a Vila Janaína

por Jorge Aragão

5325_prefeito_edivaldo_anuncia_obras_vila_janaina_240215_foto_baeta12O Prefeito Edivaldo Júnior anunciou na noite de ontem o investimento na ordem de R$ 22,8 milhões para serviços de recapeamento, revitalização de vias e drenagem profunda para o bairro Vila Janaína, na região da Cidade Operária. O programa contemplará também os bairros Jardim América, Santa Clara, Vila Vitória e Vila Ryod e outras comunidades no entorno. O evento, realizado na Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Santa Clara, contou com a presença maciça de vereadores e de toda a classe política, assim como da comunidade local, que lotou a quadra da U.E.B.

“Essa é uma grande obra para toda região da Cidade Operária e que vai beneficiar vários bairros, muitas ruas serão recuperadas. Estamos tendo o privilégio de atender um pedido antigo dos moradores desta área e proporcionar a eles mais qualidade de vida e conforto”, frisou o prefeito Edivaldo.

A ação compõe o Programa de Pavimentação e Revitalização de Vias Urbanas da Vila Janaína e será executada pela Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp). O pacote de medidas contempla 121 ruas do bairro, perfazendo uma extensão de 37 mil metros, com obras de pavimentação e requalificação asfáltica, calçamento, serviços de drenagem profunda e superficial e sinalização horizontal e vertical das pistas.

A obra compreende a execução do recapeamento com concreto asfáltico usinado a quente (Cauq) de aproximadamente 20 mil metros de ruas e avenidas, além da execução de calçamento com peças pré-moldadas, abrangendo mais de 17 mil metros de vias. Simultaneamente serão implantados nos bairros contemplados mais de 6.600 metros rede de drenagem profunda para escoamento de águas pluviais, com galerias tubulares interligadas por bocas de lobos e poços de visitas. Além disso, a Prefeitura vai construir uma rede de drenagem superficial com meio fio e sarjetas.

De acordo com o titular da Semosp, Antônio Araújo, a obra vai tirar o bairro da situação de calamidade, ocasionada pela ausência de drenagem, o que durante anos submeteu a população a transtornos devido aos alagamentos constantes no período chuvoso. A obra terá impacto ainda na melhoria da mobilidade urbana em toda a região.

Para Louro José, coordenador do movimento popular e comunitário da Cidade Operária e bairros adjacentes, o anúncio do projeto é a realização de um antigo sonho. “Esse era um sonho de 27 anos. A comunidade lutava para receber essa pavimentação. Graças a Prefeitura de São Luís e ao prefeito Edivaldo este sonho está se realizando. Esse momento que nossa comunidade vive demonstra a preocupação do prefeito em cuidar da população da cidade de São Luis. O prefeito está de parabéns”, disse.

“Este é mais um passo da gestão do prefeito para a melhoria da infraestrutura da cidade. Um trabalho que é importante, pois não está combatendo a falta de estrutura somente nas grandes avenidas, mas dentro dos bairros que estão carentes” opinou o vereador Pedro Lucas Fernandes (PTB). “A ocasião é a materialização de um sonho e o prefeito Edivaldo está de parabéns por atender mais essas demanda da população”, completou o vereador Dr. Gutemberg (PSDB).

Investimento – Os investimentos para execução do programa são da ordem de 22,8 milhões, obtidos pela Prefeitura de São Luís por meio de financiamento com a Caixa Econômica Federal. Os serviços vão ser iniciados nesta quarta-feira no Jardim América. Estão inclusas no pacote do programa as Avenidas Cajazeiras (902 metros) e Santa Clara (1596 metros); Rua da Secretaria, Rua Augusto Paiva, Rua da Alegria, Rua da Borboleta, Rua da Limeira, Rua das flores, entre dezenas de outros logradouros.

Intensificadas ações de infraestrutura no Centro Histórico de São Luís

por Jorge Aragão

limpezaA Prefeitura de São Luís, em parceria com a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), está realizando ações de conservação e manutenção no Centro Histórico. A medida está sendo realizada na escadaria da Rua Humberto de Campos e se estenderá até a Rua do Giz, onde havia reclamações de moradores e comerciantes quanto ao calçamento e alagamentos no período chuvoso.

O serviço compreende a retirada do calçamento para recuperação da área e a reestruturação de tubulações de bueiros. Nestes locais, serão trocadas todas as tubulações antigas, de manilhas, por tubulações de plástico, mais resistentes. A previsão é que as atividades sejam concluídas até a próxima semana.

Para o prefeito Edivaldo, as melhorias, além de proporcionarem a revitalização do Centro, garantem maior comodidade à população e ampliam a movimentação da economia na área e a vivência da população que habita nos arredores. “Com os reparos e as ações de infraestrutura que temos promovido, o espaço público do Centro Histórico está mais convidativo. Nossa intenção é que haja conforto para quem visita e para quem usufrui diariamente do local”, disse o prefeito.

As ações será intensificadas nos próximos dias.

Um pouco da história sobre governadores e o carnaval

por Jorge Aragão

Do blog de Benedito Buzar

Roseana Sarney]O carnaval de São Luis até a década de 1960 dividia-se em brincadeiras de rua e de salão.

No carnaval de rua, prevaleciam as manifestações populares em suas diversas atrações: corsos, blocos, batucadas, mascarados e fofões.

O carnaval de salão primava pelos bailes nos clubes de primeira e de segunda. Os de primeira realizavam-se no Jaguarema, Lítero Recreativo Português, Cassino Maranhense e Clube dos Sargentos, bem como nas residências particulares – os chamados assaltos. Os de segunda, também denominados bailes de máscaras, faziam grande sucesso na cidade e organizados para atender uma clientela masculina, que buscava programas com mulheres descompromissadas.

Os clubes sociais, freqüentados por associados e convidados da alta e média sociedade, organizavam festas carnavalescas que começavam no réveillon e terminavam no chamado tríduo momesco.

A essas festas carnavalescas, não faltavam os representantes dos setores da iniciativa privada e membros dos poderes públicos.  Aos governadores e prefeitos os clubes destinavam mesas especiais, colocadas em lugares privilegiados. Na chegada deles, a orquestra executava o hino estadual e os foliões paravam de cantar, pular e dançar.

Da redemocratização do país aos dias de hoje, poucos foram os governadores que deixaram de comparecer às festas carnavalescas. Os dois primeiros, Sebastião Archer da Silva e Eugênio Barros parece que não tinham muita afinidade com o Rei Momo.

Tudo leva a crer que foi no governo de Matos Carvalho (1956-1960) que o poder público estadual passou a marcar presença na folia de São Luis. Tudo começou com um grupo de mulheres da alta sociedade – ressaltando-se a primeira dama, Ada Carvalho, que, com a colaboração dos principais clubes sociais, promoveu uma deslumbrante festa carnavalesca no Teatro Artur Azevedo, especialmente decorado por Iêdo Saldanha. A renda do evento destinou-se às obras sociais. O acesso exigia que as mulheres se apresentassem com fantasias finas e os homens com traje a rigor.

O governador Newton Bello também gostava de carnaval. Mas não costumava freqüentar os bailes dos clubes Jaguarema, Lítero e Cassino Maranhense. Geralmente, reservava a noite de terça-feira para comparecer ao Clube dos Sargentos, no bairro do João Paulo, onde, em companhia do secretariado, esbaldava-se até a madrugada de quarta-feira.

Quando José Sarney e Antônio Dino se elegeram governador e vice (1966 a 1970), o Jaguarema passou a ser o clube oficial. Sarney e Dino chegavam ao clube juntos e com os familiares. O vice-governador chamava a atenção dos foliões pelo uso de um chapelão.

Mas foi o sucessor de Sarney, o professor Pedro Neiva que, apesar da idade avançada, marcou época no carnaval. Ele, ao lado da esposa Eney, do filho Jayme e da nora Alberlila, dificilmente perdia um baile de carnaval no Jaguarema. Embora não dançasse, passava a noite fazendo o que gostava: conversar.

Os governadores que vieram a seguir, Nunes Freire, João Castelo e Luiz Rocha, apenas Castelo gostava de carnaval, por isso, na temporada momesca, dividia-se entre São Luis e Caxias, sua terra natal.

Ivar Saldanha, substituto de Castelo, não era de freqüentar clube social. Adorava as brincadeiras de rua, onde se juntava aos batuqueiros e sambistas. Servia-se de surrado boné para saudar os foliões que o identificavam.

Mas foi o sucessor de Luiz Rocha, o governador Epitácio Cafeteira, que deixou o seu nome indelevelmente marcado no carnaval de São Luis. Não por ter feito algo de positivo. Ao contrário, acabou sendo o responsável direto pelo fim do carnaval popular e dos bailes de máscaras.

Cafeteira perpetrou esse golpe contra o carnaval ao no exercício do cargo de prefeito da capital maranhense. Surpreendentemente, no dia 2 de janeiro de 1966, os jornais da cidade chegaram às ruas com uma notícia absurda e insensata: um decreto do prefeito proibia taxativamente a realização de bailes populares, bem como o uso de máscaras nas festas carnavalescas. Justificativa: o uso de máscaras nos clubes carnavalescos contribuía para o aumento da prostituição e da imoralidade pública.

A repercussão do decreto foi imediata. Enquanto a maioria da população criticava a atitude do gestor, considerando-a demagógica, parte restrita da sociedade, especialmente o clero, apoiava. Os donos dos bailes, inconformados com os inerentes prejuízos, entraram com recursos na Justiça para tornar sem efeito o decreto da municipalidade.

O vice-governador Antônio Dino e o deputado Clodomir Millet usaram as emissoras de rádio e televisão para condenar o ato do prefeito e exigir que o governo do Estado agisse imediatamente para reabrir os bailes populares. Nesse sentido, o coronel Antônio Medeiros, secretário de Segurança, avoca a competência quanto ao disciplinamento das brincadeiras carnavalescas, por isso, autoriza o funcionamento imediato dos bailes de máscaras.

Cafeteira desconhece o ato do secretário de Segurança, indo bater às portas da Justiça para anulá-lo.  Com a cidade em pé de guerra, o governador Sarney pede ao coronel Alberto Braga para a Guarnição federal instaurar Inquérito Policial Militar para conter as atitudes do prefeito, que visavam promover a intranqüilidade social.

Para não entrar na briga, a Justiça só meses depois se pronuncia sobre o polêmico assunto, fato que fez a população não brincar o carnaval e ainda assistir a eutanásia dos bailes de máscaras.

Depois dessa desastrosa ação de Cafeteira, o carnaval de São Luis ingressou numa completa decadência. Sem os bailes populares, as brincadeiras de rua sumiram e as festas nos clubes sociais perderam o encanto e a animação.

Só depois que Roseana Sarney elegeu-se governadora (1995-1999), sendo ela uma fanática foliona, o carnaval de São Luis voltou a dar sinal de vida. Para isso, investiu recursos, convocou os artistas e elaborou uma programação para reanimar o povo e fazê-lo participar dos eventos em homenagem a Momo.

*Benedito Buzar nasceu em Itapecuru Mirim. Jornalista, advogado, escritor, professor universitário (aposentado). Ex-deputado estadual. Ocupou cargos no setor público, dentre os quais, chefe de gabinete e secretário municipal de Educação e Ação Comunitária, presidente da Maratur, presidente do Sioge, secretário da Cultura do Maranhão, presidente do Conselho Estadual de Cultura, membro do Conselho Universitário da Universidade Federal do Maranhão, gerente da Gerência de Desenvolvimento Regional de Itapecuru Mirim. Membro da Academia Maranhense de Letras, da qual é o atual presidente. Publicou vários livros.

Prefeitura de São Luís apresenta projeto do BRT Calhau-Cohab

por Jorge Aragão

brt

A Prefeitura de São Luís apresentou esta semana aos membros do Conselho Municipal de Meio Ambiente e aos representantes do Conselho Municipal da Cidade, o projeto do Novo Anel Viário BRT Calhau-Cohab. A ação antecede a preparação das audiências públicas que serão realizadas para viabilizar a construção do primeiro corredor de transporte na capital. As audiências acontecem nos próximos dias 6 e 7 de março, nos auditórios da Fiema e do Cintra, respectivamente, visando dar ciência à sociedade de um modo geral sobre a execução do projeto.

Durante a exposição da proposta, o engenheiro Carlos Rogério Araújo, detalhou os aspectos técnicos do projeto. Segundo o assessor especial da Prefeitura, até a realização das audiências públicas, etapas prévias para obtenção dos licenciamentos, serão atendidas todas as entidades que solicitarem esclarecimentos técnicos. Após o carnaval, o projeto será apresentado ao Conselho Regional de Engenharia, CREA-MA.

“Estamos seguindo todas as regras determinadas por legislação. Tenham certeza de que não vamos cometer nenhum tipo de ilegalidade, principalmente na questão ambiental. Sabemos dos benefícios de uma obra deste porte para a melhoria da qualidade de vida da população e estamos disponíveis para discutir o projeto com a sociedade de maneira direta”, afirmou o engenheiro.

Nas audiências serão detalhados, entre outras questões, os aspectos do impacto ambiental da obra com previsão de ser iniciada ainda este ano. O custo total do BRT Calhau-Cohab é de R$ 480 milhões. A equação financeira foi dividida da seguinte forma: metade dos recursos estão garantidos no Orçamento Geral da União, OGU. A outra metade seria oriunda de financiamento.

Segundo o titular da Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento (Seplan), Cursino Moreira, o objetivo de as primeiras reuniões de apresentação do projeto terem sido realizadas nos Conselhos citados é devido à pluralidade representativa desses órgãos. Ele informa que o Conselho Municipal da Cidade congrega representantes desde classes empresarias e do poder público até integrantes de movimentos sociais, como os de pró-moradia, por exemplo. Já a apresentação do projeto no Conselho do Meio Ambiente, além dos aspectos técnicos, teve uma abordagem mais voltada ao viés ambientalista, questão crucial para a viabilização do projeto.

“O nosso objetivo é dar o máximo de transparência a todos os processos e procedimentos pelos quais deverá passar o projeto, dando ciência do feito tanto às instituições constituídas quanto à sociedade de modo geral”, frisou Cursino Moreira.

A confirmação dos recursos foi publicada em portaria do Ministério das Cidades em 8 de setembro do ano passado. O novo projeto foi elaboradora pela MC Engenharia, empresa contratada pela Prefeitura de São Luís por meio de processo licitatório. A prefeitura está finalizando os termos do contrato com a Caixa para financiamento da outra metade dos recursos.

É assim que se faz

por Jorge Aragão
Alagamento de via no Coroado se estende até a Africanos

Alagamento de via no Coroado se estende até a Africanos

No último fim de semana, o jornalista Marco D’Eça mostrou em seu blog problema de alagamento no Coroado, fruto de um serviço inacabado pela administração anterior e de anos de abandono pelo Poder Público.

Problema sério e que tira a dor de cabeça de milhares de moradores, não só daquele bairro, mas de áreas adjacentes.

D’Eça mostrou que bastou cair uma chuva no bairro, para que vias como a Rua do Arroz, da Mandioca e a Rua do Chumbo, ficassem completamente inundadas e os seus moradores isolados. Tudo por falta de um sistema eficiente de drenagem no bairro.

O problema, no entanto, não foi ignorado ou passou batido pela gestão municipal. No sábado mesmo, o secretário de Obras e Serviços Públicos, Antonio Araújo, e toda a sua equipe, se deslocou para o bairro para conferir in loco o problema e já traçar um plano que buscará uma solução.

Antonio Araújo planeja ação no bairro

Antonio Araújo planeja ação no bairro

Lá mesmo, ao observar o que poderia ser feito, o auxiliar do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) adiantou à população o tipo do serviço mais viável para a área que fica próxima a

rios e canais.

– Vamos fazer um vaso comunicante na avenida dos Africanos, para evitar a inundação. E conseguimos convencer os moradores a fazer uma abertura de escoamento entre as duas casas que interditam os bueiros -, disse o secretário ao colega jornalista.

Atitude de quem está conectado aos problemas que afligem a população de São Luís e trabalho de quem tem compromisso com a melhoria da qualidade de vida da população. É assim que se faz.

Edivaldo acompanha o Dia D de vacinação contra o Sarampo

por Jorge Aragão
Edivaldo carrega bebê imunizado contra o Sarampo

Edivaldo carrega bebê imunizado contra o Sarampo

A população atendeu ao chamado da Prefeitura de São Luís e compareceu nos postos de vacinação para o Dia D contra o Sarampo neste sábado (8). No Centro de Saúde da Liberdade, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior acompanhou a vacinação ao lado da secretária municipal de Saúde, Helena Duailibe, e agradeceu a todos que disponibilizaram tempo para ajudar na imunização e compareceram para vacinar as crianças.

“Essa é uma boa maneira de comemorar este dia muito especial, que é o Dia da Mulher. Vamos todos nos unir para vacinar nossas crianças. Esta campanha que começou pouco antes do carnaval, chega agora a seu Dia D, contemplando toda a região metropolitana. Temos que nos mobilizar, com a ajuda da imprensa para avançarmos e conseguirmos vacinar 100% das crianças na faixa etária”, afirmou o prefeito.

Edivaldo Holanda Júnior também enalteceu o trabalho da secretária Helena Duailibe, que tem buscado parcerias para o setor e obtido avanços significativos na saúde ludovicense. A secretária afirmou que as parcerias têm sido fundamentais para a obtenção dos resultados positivos. Ela declarou que o objetivo agora é que toda a população se mobilize, transmitindo a informação para vizinhos e amigos, para que levem as crianças para vacinar.

“Saúde não se faz sozinho. Quando o prefeito nos convidou para assumir, sabíamos do desafio. Estamos fazendo um grande esforço para as que as ações tanto preventivas quanto curativas funcionem. Hoje, é dia de mais uma ação preventiva. E temos contado com parceiros como o governo estadual, governo federal, a imprensa e, principalmente, a sociedade. Vamos cumprir nossa meta de até o dia 14 vacinar 100% da população maior de seis meses e menor de 14 anos”, pontuou.

Exemplo das parcerias institucionais, o secretário adjunto de Saúde do Estado, Roberto Carneiro, esteve presente no Dia D, acompanhando a vacinação ao lado do prefeito e da secretária de Saúde. Devem ser vacinadas as crianças com mais de seis meses e com menos de cinco anos que nunca foram vacinadas contra o Sarampo. Somente no Centro de Saúde da Liberdade, a meta é imunizar 3 mil crianças. Em toda a São Luís, são 73 mil. A criança deve tomar a segunda dose 30 dias após a primeira.

A dona de casa Lourdes Santos foi uma das mães que esteve presente no Dia D para vacinar a filha Alice, de dois anos. “Espero que todas as mães tragam seus filhos, porque a saúde deles é muito importante. Nós ficamos preocupados em deixar eles protegidos de qualquer doença”, afirmou.

O professor de Segurança do Trabalho, Adelino Marcelo, levou a pequena Mariana, de nove anos, para vacinar. A menina parecia satisfeita pela proteção do pai. “Ela é muito forte. Está muito bom. As filas estão andando rápido. Foi bem tranquilo. Recomendo a todos que levem seus filhos para vacinar logo. Garantir que eles estejam protegidos tem que ser prioridade”.

Acompanharam a ação do Dia D contra o sarampo os vereadores Chico Carvalho (PSL), Heron Simões (PSL), Edmilson Jansen (PTC), Josué Pinheiro (PSDC), Pavão Filho (PDT), Pedro Lucas Fernandes (PTB), Paulo César (PCdoB) e Rose Sales (PCdoB). Vários secretários municipais também estiveram presentes acompanhando a campanha.

Sobre o Sarampo – O sarampo é uma doença infecto-contagiosa provocada pelo Morbili vírus e transmitida por secreções das vias respiratórias como gotículas eliminadas ao espirrar, tossir, falar ou respirar. Os sintomas são febre alta, coriza, conjuntivite e pequenos pontos vermelhos na pele, mas pode haver evolução da doença com complicações como otite média com possibilidades de pneumonias, meningite e sequelas graves.

Não há registros de casos de sarampo em São Luís, mas para garantir o controle da doença é necessário que as crianças sejam vacinadas. A orientação veio do Ministério da Saúde, com o objetivo de montar uma barreira contra a doença após a confirmação de surtos nos estados do Ceará, Pernambuco e Paraíba. O reforço garante a erradicação da doença.

Secom

Prefeitura iniciará fiscalização de táxi em São Luís

por Jorge Aragão
Fiscal avalia situação de veículo em pátio da SMTT

Fiscal avalia situação de veículo em pátio da SMTT; serviço de fiscalização de veículos começará no dia 15 deste mês

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), deu início à renovação das permissões de táxi deste ano do município de São Luís. A fiscalização aos veículos que prestam o serviço na cidade começará a partir do dia 15 deste mês. A renovação anual das licenças, através do recadastramento, é obrigatória e está prevista na Lei 2.554/81.

Para renovar a permissão, o taxista deverá comparecer à sede da SMTT, localizada na Avenida Daniel de La Touche, 400, no Ipase, onde será realizada uma vistoria do veículo. Serão verificados 23 itens como limpeza, placas, vidros, pneus, instalação elétrica, freios, extintor de incêndio entre outros. A vistoria pode ser realizada de segunda a quinta-feira no horário das 13h às 19h e às sextas-feiras das 8h às 13h.

Ao apresentar o veículo para a vistoria na SMTT, o taxista deverá estar munido dos seguintes documentos: requerimento assinado pelo permissionário ou procurador legalmente constituído, através de procuração pública; certificado de registro de licenciamento do veículo (CRLV) na categoria aluguel, dentro do prazo de validade; comprovante de aferição do taxímetro, com até 12 meses de emissão; documento de identidade e CPF; carteira nacional de habilitação (CNH) não expirada; comprovante do recolhimento de contribuição sindical; comprovante de endereço atualizado; atestado negativo de antecedentes criminais; foto 3×4 recente; e nada-consta de multas do veículo.

Em casos de irregularidades, os táxis não recebem o Selo 2014 e é dado ao motorista um prazo para a adequação do veículo às normas. O Selo é uma garantia que a Secretaria de Trânsito e Transportes dá ao usuário de que aquele veículo está em condições de prestar o serviço e somente será emitido se for comprovado que o táxi atende às exigências necessárias para o serviço de transporte de passageiros.

Com o início da fiscalização no dia 15 de março, o táxi que não portar o Selo 2014 será apreendido e o motorista terá de pagar multa no valor de R$ 85,13. Por ser uma infração leve o motorista também será penalizado em quatro pontos na carteira, conforme estabelece o Artigo 231, inciso 8, do Código de Trânsito Brasileiro. O artigo refere-se ao transporte remunerado de pessoas ou bens, quando não for licenciado para este fim.

Secom

Dia D de vacinação contra o Sarampo é amanhã

por Jorge Aragão
Vacinação ocorrerá em todos os postos de Saúde

Vacinação ocorrerá em todos os postos de Saúde

A Prefeitura de São Luís, através da Secretaria Municipal de Saúde (SES), realiza amanhã, o Dia D de vacinação contra o Sarampo. A ação é uma estratégia para disponibilizar aos pais novas opções para participarem da campanha emergencial de vacina contra o sarampo, que está sendo realizada como medida de prevenção após a confirmação de casos da doença nos estados do Ceará e Pernambuco.

A secretária municipal de Saúde, Helena Duailibe, explica que não há registros de casos de sarampo em São Luís, mas para garantir o controle da doença é necessário que as crianças sejam vacinadas. “O aparecimento de casos em outros estados nos deixa em situação de alerta e exige que se faça um reforço na cobertura vacinal contra o sarampo para manter a situação de erradicação”, diz a secretária.

O Dia D será realizado em todas as unidades de saúde da rede municipal e contará também com postos instalados nos shoppings centers, onde crianças de seis meses até os cinco anos incompletos devem receber a dose da vacina. Para orientar o trabalho dos vacinadores, a Prefeitura recomenda que os pais levem o cartão de vacinação da criança.

Até o dia 14 de março, quando termina a campanha, devem ser vacinadas cerca de 73 mil crianças em São Luís. A Semus esclarece que não há riscos de uma epidemia de sarampo na capital maranhense, mas é indispensável que a população participe da campanha.

 Secom

Prefeitura inicia videomonitoramento em mercados

por Jorge Aragão
Marcelo Coelho apresenta viodeomonitoramento

Marcelo Coelho apresenta viodeomonitoramento

A Prefeitura de São Luís iniciou a instalação de unidades de videomonitoramento nos primeiros mercados da rede pública da capital. O sistema já foi implantando nos mercados Central (Centro) da Cohab II (Cohab) pela Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa). O objetivo da ação é garantir a integridade de feirantes e consumidores.

Os primeiros levantamentos da Semapa, responsável pela concepção e implantação dos sistemas, apontam para a redução significativa dos casos de furtos, assaltos e vandalismo contra o patrimônio. Até o final do semestre, dois novos mercados  contarão com vigilância através de câmeras de vídeo. A garantia de melhorias nas feiras e mercados da cidade está prevista no pacote de ações do Programa Avança São Luís, lançado pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

A instalação de sistemas de vigilância por videomonitoramento tem contribuído para manutenção do clima de tranquilidade nos mercados e feiras. Antes dessa iniciativa, eram frequentes as queixas de furtos e assaltos entre feirantes e consumidores. No Mercado Central, por exemplo, com o sistema funcionando 24 horas, a administração antecipa as ações e colabora com a Polícia Militar (PM) no fornecimento de provas gravadas para as delegacias. Por isso, o sistema já está sendo ampliado.

Edivaldo executa maior programa habitacional da história de São Luís

por Jorge Aragão
Prefeito entrega contratos e chaves do Minha Casa Minha Vida

Prefeito entrega contratos e chaves do Minha Casa Minha Vida

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior conseguiu fazer com o que programa Minha Casa, Minha Vida tivesse uma implementação recorde em São Luís no ano passado. Além de assegurar as condições para a entrega de 6500 unidades e de estar no momento construindo 8 mil, a Prefeitura de São Luís contratou ano passado mais de dez mil unidades habitacionais.

“É um grande avanço, uma grande conquista. Não podemos perder as oportunidades que as parcerias com o governo federal propiciam. Podemos dizer que temos hoje o maior programa habitacional da história de nossa cidade”, comemora Edivaldo Holanda Júnior.

Os números apresentados pela Secretaria de Urbanismo e Habitação justificam a avaliação do prefeito. “Ainda temos em análise três mil unidades e uma grande expectativa de que sejam aprovadas”, informa o Secretário da pasta, Diogo Lima. Para se ter uma idéia, diz Diogo, “em 2013 foram contratadas mais unidades habitacionais que nos últimos quatro anos anteriores”.

 Contemplados – No início deste mês, 1.400 sorteados no programa Minha Casa Minha Vida, participantes do primeiro e segundo sorteios, foram convocados pela Prefeitura para regularização de documentação. Os convocados devem comparecer à Central de Atendimento Social (localizada no São Francisco), das 8h às 16h, portando todos os documentos pessoais e de seus dependentes. Com a regularização cadastral, os sorteados serão encaminhados para os novos empreendimentos já em construção (Santo Antônio I e II, Vila Maranhão, Amendoeira e Luís Bacelar).

A diretriz dada pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior foi de assegurar a entrega das unidades que estão sendo concluídas para as pessoas que já foram sorteados e ainda não receberam seus imóveis. “Agimos com total transparência para recuperar a credibilidade do programa, entregando as casas e apartamentos para aquelas famílias que foram sorteadas”, assegurou o prefeito. “Novos sorteios só após conseguirmos contemplar todo o cadastro que hoje dispomos”, completou.

 Mercado – O volume de investimentos na área é um dos fatores de aquecimento da economia na área da construção. “A construção dos conjuntos habitacionais movimenta a nossa economia, gera oportunidades de emprego e, portanto, geração de renda”, salienta Diogo.

 Regularização fundiária – Ainda na área de habitação, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior entregou 757 títulos de propriedade para moradores da área do Coroadinho. Uma nova frente de entrega de títulos de propriedade ocorrerá no Itaqui-Bacanga, abrangendo os bairros Vila Mauro Fecury I e II, Vila Nova, Ilha da Paz, Vila Ariri e Vila São Raimundo, na área pertencente ao município. Já está garantida a regularização de outros 300 títulos aos moradores dos bairros Mauro Fecury I e Vila Nova e de 100 títulos às famílias da Mauro Fecury II. A meta do prefeito Edivaldo é entregar até o final do seu mandato 10.000 títulos de propriedade de terra, por meio do projeto Minha Casa é Legal.

Secom