PF faz buscas na casa de Cunha

por Jorge Aragão

Eduardo CunhaA Polícia Federal cumpriu na manhã de hoje, mandado de busca e apreensão na residência oficial do presidente da Câmara dos Deputados, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em Brasília. A PF também cumpriu mandados em endereços do peemedebista no Rio de Janeiro. A ação, batizada de Catilinárias, faz parte das investigações da Operação Lava Jato.

Ao menos 12 policiais e três viaturas foram deslocados para a casa de Cunha em Brasília, que fica na Península dos Ministros.

Também são alvos de mandados de busca e apreensão o deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE) e o senador Edison Lobão (PMDB-MA), investigados pelo Ministério Público Federal.

A busca na residência de Cunha foi autorizada pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O objetivo da operação é coletar provas nos inquéritos que apuram se o presidente da Câmara cometeu os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Cunha já foi denunciado pela Procuradoria Geral da República ao STF por corrupção e lavagem de dinheiro, devido à suspeita de ter recebido pelo menos US$ 5 milhões por contratos de aluguel de navios-sonda pela Petrobras. O Supremo ainda não decidiu se aceita ou não a denúncia.

Informações do Globo.com

Bandidos explodem mais um caixa eletrônico no interior do estado

por Jorge Aragão

Quatro bandidos ainda não identificados pela polícia explodiram, na madrugada de hoje, um caixa eletrônico do Banco Bradesco na cidade de Central do Maranhão, situada na região da baixada ocidental do estado.

O major Cláudio, comandante da 2ª Companhia Independente de Mirinzal, afirmou que os bandidos levaram todo o dinheiro do caixa, efetuaram disparos de arma de fogos em via pública e em seguida fugiram do local em duas motocicletas.

A Polícia Militar encaminhou reforço para a cidade e peritos estiveram há pouco no local do crime para fazer os primeiros levantamentos.

Ninguém foi preso até o momento.

O prenúncio de uma crise na Polícia Militar

por Jorge Aragão

coronelasaA saída do coronel Sá do Subcomando da Polícia Militar do Maranhão, deve ser apenas o início de uma nova crise na corporação em todo o estado.

Além de poder ter sido utilizado como uma espécie de “bode expiatório” em decorrência do aumento da criminalidade na capital e falta de efetividade das forças se segurança pública, coronel Sá também foi “descartado” de seu posto, por ter batido de frente com o governador Flávio Dino (PCdoB).

Isso porque ele não aceitou e deixou claro que se colocaria ao lado da tropa, diante de duas propostas nada agradáveis do Poder Executivo: a primeira, de redução de 30% no orçamento da PM e a segunda, de parcelamento dos salários dos policiais militares.

Contrário a estas medidas – outras do tipo drásticas tomadas pelo governador Flávio Dino -, ele acabou exonerado do cargo.

Mas parece já inevitável, a crise na corporação após a efetivação de ambas as medidas, que ocorrerão cedo ou tarde…

Violência sem fim

por Jorge Aragão
Imagem de casa de evento onde foi registrado homicídio na madrugada de ontem na capital / Gaoiso divulgação

Imagem de casa de evento onde foi registrado homicídio na madrugada de ontem na capital / Gaoiso divulgação

A violência urbana, que ao contrário do que mostram as estatísticas do Governo, tem apenas crescido na Região Metropolitana de São Luís, não pode ser encarada apenas como número, muito menos ser ignorada pelo Poder Público.

A morte de Ruy Marcos Alves Rodrigues, alvejado na cabeça na madrugada de ontem dentro de uma casa de evento no Centro Histórico da capital, precisa ser analisada por uma série de aspectos.

Um deles diz respeito a audácia de criminosos, que não temem cometer este tipo de crime bárbaro, mesmo que seja num espaço de entretenimento, e na presença de centenas de testemunhas.

Certeza da impunidade? Falta de crença numa eventual ação policial? Convicção de que cometerá o crime e poderá voltar tranquilo para a sua casa? Este tipo de crime tem se tornado comum em São Luís. E isso é ruim, muito ruim.

Outro aspecto diz respeito à falha do sistema de Segurança Pública não só no Centro Histórica, mas em toda a capital. É evidente que falta planejamento, sincronia e efetividade da polícia, até em ações de reintegração de posse, onde geralmente há controle da situação sem necessidade sequer de uso de força. Não podemos esquecer da trágica morte de um jovem no bairro Divinéia, há cerca de um mês, que já resultou em polêmica atrás de polêmica entre membros do alto escalão da Polícia Militar e da SSP.

Um terceiro aspecto, e esse mais preocupante, trata da postura do Governo do Estado diante da elevação da violência.

São estatísticas e mais estatísticas mirabolantes, que mostram uma suposta redução no número de crimes cometidos em todo o Maranhão, toda vez que um caso negativo ganha repercussão na imprensa.

Não duvido de que ainda hoje o Governo apresente novos dados para apontar a “redução” no número de homicídios na capital, diante da “enxurrada” de manifestações contrárias à segurança após a morte ocorrida no Centro Histórico.

São pontos e contrapontos que precisam ser avaliados com seriedade pelo Governo, e não números. Reconhecer que isso já seria um bom começo para o “novo e a mudança”…

A dor de cabeça continua

por Jorge Aragão

sinpolO Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão (Sinpol), decidiu ontem manter suspensa a greve da categoria.

Ficou agendada para a próxima sexta-feira, dia 18, uma nova assembleia geral do sindicato, onde será apreciada a resposta encaminhada hoje pelo Governo, e decidido se o movimento grevista será retomado ou mantido.

O vice-presidente do Sinpol, Fabrício Magalhães, afirmou que a resposta dada ontem pelo Governo, é de que será impossível arcar com uma nova tabela de progressão salarial para o ano de 2016.

Não havia, contudo, quórum para que os sindicalistas tomassem uma decisão. Por isso o agendamento de uma nova data para realização de uma assembleia geral.

A dor de cabeça ao governador Flávio Dino, portanto, ainda não acabou…

Pelo menos sete presos fogem da delegacia de Cururupu

por Jorge Aragão

Pelo menos sete presos de Justiça conseguiram fugir na noite de ontem da Delegacia de Polícia da cidade de Cururupu, situado na Região da Baixada maranhense.

As primeiras informações que chegaram ao blog dão conta de que um carcereiro – no momento em que fazia uma vistoria no corredor onde ficam as celas -, acabou sendo agarrado por presos, pelas brechas que há entre as grades da carceragem, e rendido com uma faca.

Depois de render o servidor, os presos conseguiram as chaves para abrir a cela e escaparam da delegacia.

A polícia ainda não confirmou como se deu a fuga, mas a informação acima foi divulgada em rádios comunitárias e blogs que atuam no município [Leia mais aqui].

O blog aguarda esclarecimentos da Secretaria de Segurança Pública.

Caixa eletrônico da cidade de Monção é explodido por bandidos

por Jorge Aragão

b7f03ae93654c103867b14d440997d01Uma agência do Banco do Banco do Brasil da cidade de Monção foi alvo de bandidos na madrugada de hoje.

Por volta das 2 horas, os criminosos explodiram um caixa eletrônico da agência e levaram todo o dinheiro.

A polícia ainda não deu maiores detalhes sobre o crime e tenta capturar os bandidos.

O ataque a caixas eletrônicos e instituições financeiras no estado, lamentavelmente só tem crescido.

E essa é uma realidade que precisa ser encarada pelo Governo, que dia após dia lança estatísticas um tanto quanto mirabolantes sobre uma suposta redução de violência no estado.

 

Jornal Itaqui-Bacanga é invadido por bandidos

por Jorge Aragão

Itaqui-BacangaA sede do Jornal Itaqui-Bacanga, que fica no Anjo da Guarda, foi invadida na madruga de hoje. De acordo com a polícia, além de equipamentos, os bandidos conseguiram levar cerca de R$ 2 mil que estavam guardados em caixa.

Os criminosos tiveram acesso à redação do jornal por meio de uma janela, que teve as grades serradas.

Eles entraram, vasculharam todo o local e levaram o dinheiro. Apesar de o impresso fazer a cobertura policial diária, o delegado Walter Wanderley, da 5ª DP, não acredita que o ato tenha sido uma retaliação ao veículo.

A polícia agora investiga o crime para tentar chegar aos autores.

As informações são do G1 Maranhão, com foto de João Ricardo

Holandês morto em São Luís pode ter sido vítima de pirataria

por Jorge Aragão
Maria Rawie era namorada da vítima

Maria Rawie era namorada da vítima

A Polícia Civil não descarta a possibilidade de o holandês Ronald Francois Wolbeek, de 60 anos, ter sido vítima de crime de pirataria, no litoral maranhense. Está marcada para hoje uma perícia técnica no sistema de navegabilidade do barco do estrangeiro, Lios Alvar, ancorado no píer da Associação de Vela e Esportes Náuticos do Maranhão (Aven), na Ponta d’Areia.

A morte do holandês, ocorrida na madrugada de domingo, foi destaque na imprensa nacional, inclusive, no jornal O Estado de São Paulo. “Por meio da perícia feita no sistema de navegabilidade do barco pelos profissionais do Instituto de Criminalística, iremos saber a localização exata da embarcação como também ter a certeza do horário preciso do assassinato. Além de saber até mesmo o número de pessoas no local do crime”, afirmou o delegado titular da Delegacia de Homicídios, Jeffrey Furtado.

A equipe da Delegacia de Homicídios, sob a coordenação do delegado Jeffrey Furtado, conversou com moradores e outras pessoas, que presenciaram a chegada do barco holandês, na Praia da Ponta d’Areia.

Eles falaram à polícia que tentaram avisar por meio do rádio às vítimas sobre o perigo do local em que tinham atracado, mas, não obtiveram sucesso devida a diferença da língua. “Na verdade, a mensagem via rádio foi feita na língua portuguesa, mas as vítimas não entenderam e não sabiam do perigo que estavam correndo, principalmente à noite”, explicou.

Ontem à tarde, os policiais voltaram ao local em companhia da namorada da vítima, Maria Rawie, de 69 anos. Eles realizaram uma perícia na embarcação e logo depois isolaram toda a área, já que está marcada para hoje uma perícia técnica no sistema de navegabilidade do barco. Maria Rawie já foi submetida a exames residuográficos e até mesmo toxicológico, segundo o delegado, para retirar qualquer dúvida da participação dela no assassinato.

O corpo da vítima foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) e deve ser levado para Asmsterdã ainda esta semana.

Com informações de O Estado

Acusados da morte de Décio vão a júri em fevereiro

por Jorge Aragão
Jhonathan de Sousa e Marcos Bruno serão os primeiros julgados

Jhonathan de Sousa e Marcos Bruno serão os primeiros julgados

De O Estado – Faltam apenas nove dias para que a Justiça do Maranhão comece, de fato, a julgar os 11 acusados de participação no assassinato encomendado do jornalista Décio Sá, de 42 anos, ocorrido em abril de 2012, em um bar na Avenida Litorânea, em São Luís. Os primeiros a sentar no banco dos réus serão os executores do crime, o bacabalense Marcos Bruno Silva de Oliveira, de 29 anos, apontado como piloto de fuga do assassino, e o próprio autor confesso do homicídio, o pistoleiro paraense Jhonatan de Sousa Silva, de 25 anos, que responderão pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e formação de quadrilha.

Os dois vão a júri popular nos dias 3, 4 e 5 de fevereiro, no Salão do Júri do Fórum Desembargador Sarney Costa, bairro Calhau, por decisão do juiz Osmar Gomes dos Santos, titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri, que afirma estar tudo pronto para o julgamento.

– Da parte do Poder Judiciário não há nada pendente. Todo o aparato de segurança pública já foi montado para a sessão, já enviamos a carta precatória para o recambiamento do réu que se encontra no presídio federal, e, por enquanto, não há nada que possa embaraçar o início do júri – afirmou o magistrado.

Segundo denúncia oferecida pelo Ministério Público, Jhonatan de Sousa Silva foi contratado por uma quadrilha de agiotas para matar Décio Sá, porque no dia 31 de março de 2012 (23 dias antes do crime) o jornalista denunciou em seu blog (blogdodecio.com.br) que a morte do empresário Fábio dos Santos Brasil Filho, o Fábio Brasil, de 33 anos, na cidade de Teresina-PI, havia sido encomendada por uma rede de agiotagem, estabelecida no Maranhão. O blogueiro foi o primeiro a atribuir a autoria desse crime à quadrilha.

De acordo com a Polícia Civil, a organização criminosa que faturava milhões com desvios de verbas públicas municipais e federais, destinadas a várias prefeituras maranhenses, era liderada pelo agiota Gláucio Alencar Pontes Carvalho, de 36 anos, e o pai dele, o aposentado José de Alencar Miranda de Carvalho, de 74 anos.

– A quadrilha enxergou Décio Sá como uma ameaça, pois sabia que o jornalista podia ter mais informações que a incriminasse – afirmou à época o secretário de Segurança Pública (SSP), Aluísio Mendes.